História Wendigo - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Personagens Originais
Visualizações 18
Palavras 1.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi galera, tudo bem?
Queria explicar que a Akumu, na forma de Wendigo tem várias "bocas".
Mas onde elas estão?
Sem contar no lugar normal, estão na parte superficial do torso(são duas) e acima do olho(uma só). E também a quantidade de dentes é maior.
Só estou avisando isso porque isso vai ser dito no capítulo e talvez fiquem confusos.
Um dia vou desenhá-la para vocês.
E mais um aviso: vai ter só um pouco de violência.
Não expliquei direito como aconteceu, mas citei os nomes de alguns órgãos que foram mordidos e etc. Se não se sentir confortável com isso, pode pular a parte(que é bem pequenininha). Mas nessa história vai ter muita violência, então estão avisados.

Capítulo 7 - Primeiro dia de trabalho


"Touka-san eu não vou usar isso."

"Por que não?"

"Posso listar os motivos: é chamativo e curto para mim, parece desconfortável, não fica bom no meu corpo por causa da altura-"

"Sério isso, Akumu-chan? O uniforme não é tão desconfortável como parece…"

"É só com essa afirmação que você discorda?"

"Bom, mudando de assunto, você está bem?"

"Sem considerar que você cortou nossa discussão, eu estou bem. Só mais um tempo e conseguirei superar o que aconteceu."

"Por que você fala assim?"

"O quê-"

"Até parece que é tão fácil esquecer alguém! Especialmente se essa pessoa é seu irmão ou melhor amiga!"

"Não vou esquecê-los, claramente."

"Mas-"

Peguei o uniforme de suas mãos e andei até ao banheiro. Antes de entrar para trocar a minha roupa, virei-me para a garota.

"Pessoas se prendem ao passado pois não entendem que as coisas acabam."

Talvez o que disse não era para ela, e sim para mim.

'É engraçado ver você falando assim para a Touka-chan, afinal, quem se prende ao passado não é ela~'

Cale a boca.

'Tudo bem, tudo bem~'

Pelo menos nada foi dito após isso, o que já é um milagre para mim.

Termino de me vestir e olho para o espelho.

Eu queria usar outro tipo de uniforme.

Esse não fica bom em mim.

Posso dizer que ele é bonito, mas sou esguia de mais para usá-lo.

Se fosse antes, teria ficado bonito no meu corpo.

E minha cor de pele não combina também.

Antes minha cor de pele era mais clara, e agora é cinza.

Não é tão escuro como parece, mas quando estou longe pareço ser um papel. De perto é só um pouco mais escuro, mas não chega a ser muito.

Várias pessoas perguntaram sobre isso.

E não foi fácil para inventar uma história.

Saio e vou em direção a Touka-san, que ficou me encarando por alguns minutos. Decidi quebrar o gelo perguntando:

"Está ruim, não é?"

"Não! É que…"

"Então?"

"…É que você está diferente."

"A minha aparência?"

"Não é só isso…"

"Não é?"

"Antes sua aura era alegre… Mas agora…"

"Você fica desconfortável perto de mim?"

"S-sim! N-não! Eu me sinto confortável…"

"Touka-san, por que esconder a sua verdadeira personalidade na frente de todos?"

Ela abaixou a cabeça.

"Eu sei que as coisas mudaram. E eu mudei também. Se até você conseguiu…"

"Me desculpe…"

"Está tudo bem, Touka-san, não tem nenhum problema."

Vou andando em direção a onde o resto estava.

"Eu queria que você confiasse o suficiente em mim para me contar o que aconteceu…"

Paro quando minha mão ia tocar a maçaneta.

"Mesmo não tendo te contado coisas sobre mim, eu ainda te considero minha amiga, Akumu-chan…"

Minha pupila diminui.

"Quero que lembre disso."

Abro a porta rapidamente e deixo seu quarto.

Onde ouvi isso mesmo?

'Se bem me lembro foi com a Aiko~'

Quem é Aiko mesmo?

'Era uma amiga sua~'

Não é a informação que queria, mas obrigada de qualquer maneira.

'De nada~'

Continuo andando.

"Akumu-san?"

"Yoshimura-san…"

"Está tudo bem?"

"Sim…"

"Você pode me contar sobre o que você é."

"Eu…"

"Não precisa se esforçar, se não quiser dizer não tem problema."

"...Wendigo."

Senti que o gerente ficou um pouco surpreso.

"Entendo. Deve ser difícil, não é? Me diga, foi você que fez os dois massacres que apareceram na televisão?"

"…Sim."

"Eu vou te ajudar com a comida."

"Yoshimura-san, não precisa!"

"Não se preocupe com isso."

"M-mas.."

"Está tudo bem."

Ele me mostrou um sorriso.

"Até quando você pretende fingir não saber que eles são Ghouls?"

A pergunta me pegou de surpresa.

"Se isso significa evitar que eles achem que precisam me matar, posso manter essa fachada por mais um tempo."

"Os dois vão ficar com raiva."

"Nishio-san e Touka-san?"

"Mas acho que vão ficar tristes também."

"Por que ficariam?"

"Eles são amigos seus."

"Mas nos conhecemos tem 12 anos… Provavelmente não me consideram como amiga mais-"

"Você está enganada. Você continua sendo amiga deles. E suponho que os considera como amigos também."

Abaixo a cabeça e fico em silêncio.

"E é por isso que acho que, na verdade, a mentira que contou era para proteger a amizade que tem."

'Nossa, acho que ele te pegou~'

"Yoshimura-san, agora isso não importa."

"Por que diz isso?"

"Vou esquecer isso futuramente."

"…Entendo."

Ele solta uma baixa risada.

"Devem estar te esperando. Vamos, Akumu-san?"

"Vamos."

Chegamos na sala em que todos estavam esperando. Assim que me viu, Kaneki-san ficou vermelho e desviou o olhar.

"Vocês demoraram de mais! Tomaram que não estejam guardando segredinhos!"

"Nishio-san, vocês também guardam segredos, não é?"

'É minha impressão ou estão um pouco pálidos?'

Então eu estou vendo a mesma coisa.

"Mudando de assunto, esse uniforme não ficou bem em mim, ficou?"

"Ficou bom sim, droga. Justo quando pensei que não pensava nessas coisas."

'Eu acho que ele está pensando que agora você é aquelas garotas de filme que só pensam na aparência.'

"Eu não me importo, Nishio-san. Mas já que planejo trabalhar aqui, usar essa roupa está sendo extremamente desconfortável. Possivelmente por causa da minha altura."

'Isso mesmo! Mostre para eles!'

"Só concordo por que sua altura aumentou demais nesses 12 anos!"

"É mesmo! Eu achei eu que iria ficar mais alta!"

'Se soubessem como ficou tão alta, iriam ficar surpresos~'

"Vamos começar a abrir agora?"

Perguntei tentando mudar o assunto.

"Claro!"

Alguns minutos se passaram e comecei meu primeiro dia de trabalho.

'Só cuidado com os homens!'

Acho que não precisava ouvir isso de você, mas tudo bem.

Peguei os pedidos de uma garota e pedi para fazerem-o.

'O pedido dela foi apenas café, será que é uma Ghoul?'

Boa pergunta, só que faço ela para você. E aí?

'Vamos ver… Sinto o cheiro dessa criatura vindo dela.'

Então está comprovado.

'Ela está te encarando. Parece que já percebeu que tem alguma coisa de errado com você.

Tenha cuidado~'

Tudo bem, vou ter cuidado perto dela, mesmo que eu possa acabá-la em um minuto.

Peguei o pedido e entreguei-o para a garota.

"Meu nome é Mei, qual o seu?"

"…Akumu."

"Posso te pedir para me acompanhar no final do seu trabalho?"

'Que truque velho esse, né? Não aceita, não.

"…Sim"

"Ótimo! Que horas que acaba?"

"...18:00."

"OK! Vou vir aqui nesse horário então! Até depois!"

'Por que aceitou?'

Estou com fome.

'Também estou! Mas não pensei que iria fazer isso! Imagine a cara dela a saber que um Wendigo a atraiu em seu próprio truque!'

Nos meus lábios se formaram um sorriso maldoso, que desapareceu rapidamente.

"Que irônico…"

As horas se passaram e minha hora de ir chegou.

Troquei de roupa e despedi dos funcionários.

Quando estava na rua, Mei veio correndo em minha direção.

"Esperou muito?"

"…Não."

"Isso é ótimo então!"

Fomos andando por vários lugares, até que já tinha escurecido.

Quantas horas?

'Acho que deve ser umas 20:00'

Mei parou e seu cabelo alaranjado balançou por causa do vento.

"Você é diferente, sabia?"

Agora percebi que essa rua está vazia.

"Acho que já sabe o que sou…"

Virou-se e seus olhos mudaram.

'Típico de Ghouls, não é?'

Quando percebi, já tinha sido jogada na parede e o Bikaku da garota já tinha sido revelado.

Parecia a calda de uma cobra.

Era laranja e amarelo e tinha dois tipos de pontas afiadas.

"Eu gostaria de provar você."

"Eu sinto muito, mas não sou sua comida."

"Então vou ter que te matar agora."

"Pode tentar se quiser."

A Kagune foi logo redirecionada para mim e quase acertou minha cabeça.

Seria arrancada se não tivesse me movido para o lado.

'Evite ser acertada e ataque a Mei-chan.'

Desviei dos ataques e esperei a hora certa para matar a Ghoul.

Depois de vários minutos vi uma abertura, e corri para a sua frente e rapidamente enfiei minha mão no seu torço, a pele sendo facilmente rasgada.

Mei começou a tossir e muito sangue começou a sair de sua boca.

"C-como?"

"Até você disse que sou diferente. Vou te contar já que em breve vai morrer."

A Kagune tentou me acertar, só que a segurei e arranquei um pedaço, recebendo um grito de dor da garota na minha frente.

O sangue começou a escorrer no chão.

Coloquei minha mão mais perto de seu coração.

O vermelho respingou nas minhas roupas e no meu rosto.

"Eu sou um Wendigo."

Seus olhos estavam bem abertos e lágrimas começaram a escorrer de seu rosto.

"A-acho que e-eu fiz u-um e-erro em p-pensar que p-poderia te d-devorar…"

"Eu poderia ter sido devorada se você não fosse tão fraca."

"V-vá p-para o-o i-inferno…"

"Te vejo lá."

Arranquei seu coração e seu corpo se apoiou no meu.

Coloquei-a no chão e abri sua caixa torácica, me dando visão aos pulmões. Inclinei minha cabeça e dei uma mordida.

'Eu sabia que ganharia dela~'

Meus dentes começaram a bater.

'Sabia que isso só durou alguns minutos?'

Meus ossos estalaram e começaram a aumentar lentamente.

'Mas ela deveria ser de um nível bem baixo'

Minha pele começou a ficar cinza escuro e esticou.

'Se até humanos conseguem matá-los…'

Meus olhos violetas ficaram leitosos.

'Não duvido que possa matar mais alguns.'

Meus dentes afiaram-se.

'Vamos provar comida diferente!'

Saliva começou a escorrer da minha boca.

'Não acha que…'

Cresceram mais dentes na minha região bucal, estômago e acima do olho.

'…Hoje foi um interessante primeiro dia de trabalho?'

E perdi o controle mais uma vez.





Notas Finais


Bom, é isso. Se tiver algum erro, me avisem nos comentários. Até depois!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...