1. Spirit Fanfics >
  2. Wendigo >
  3. Parte Um - Algo Inesperado

História Wendigo - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é só a parte um do terceiro capítulo, em uma ou duas semanas já deve sair a segunda parte. Tenho que estudar por isso vai demorar um pouco para sair, boa leitura!

Capítulo 3 - Parte Um - Algo Inesperado


 Ao mesmo tempo que ela via uma monstruosidade que um dia fora um humano ela via sua forte diante de seus olhos. Tentou arrastar-se com as pernas enquanto usava sua mão esquerda para tentar estancar o sangramento e chorava de desespero. A criatura pareceu tentar observar ou entender o que acontecia com essa humana, era algo normal desesperar-se dessa forma mas não era isso com o que ele ficara intrigado e sim com suas roupas feitas de pele de wendigo. Ele chegou mais perto e aspirou aquele cheiro de sangue, era tão encantador o cheiro de sangue fresco, que noite de sorte a dele, uma refeição grátis. Aproximou-se sua boca lentamente do braço de Abby e o mordeu, fazendo-a gritar pela imensa dor, se ela não morresse pela criatura, morreria pelas doenças causadas por suas bactérias.

Foi o que ambos pensaram, que a criança morreria naquele momento, mas tinha algo de errado. Os dois ouviram gritos ao longe vindo na direção deles, o wendigo largou a criança e observou o que é que incomodava sua refeição e viu então no horizonte um grupo de homens furiosos, erguendo suas espadas e tochas, correndo na direção dos dois.

- Não atirem, Abby está lá! - Gritou uma voz conhecida.

A criatura viu aqueles seres insignificantes e os ignorou, voltou-se à sua presa mas... Abby não estava lá, apenas um rastro de sangue. Seguiu este rastro com os olhos e reconheceu algo, um ser que já tinha visto antes mas essa não era sua preocupação agora, havia um grupo de formigas correndo em sua direção.

Abby sentiu uma sensação boa, uma aura que protegeria ela, o quer que fosse, ao abrir seus olhos teve um choque, não esperava que ele estaria ali. Zahr era quem levava Abby novamente em seus braços, soube que estava segura e teve um pequeno alívio, pelo menos não seria devorada. Zahr percebeu que o corpo da pequenina ficava cada vez mais frio e que ela não aguentaria muito mais.

- Ele está ali! - Grita um homem segurando uma tocha enquanto apontava para uma figura adentrando a fria e sombria floresta.

- Vamos homens! - Gritou outro que segurava uma espada que parecia liderar o pequeno grupo.

Zahr mal via o que estava à sua frente, o cheiro do sangue de Abby adentrava em seu cérebro e ativava suas origens mesmo que controlasse para não que atacasse a pequena.

- Zahr... eu tô com frio... - Disse Abby com dificuldade, à beira da hipotermia.

- Abby... - A criatura apressou seus passos, tentando desesperadamente ir à caverna para salvar a pequena criança mas então viu no horizonte algo que chamou-lhe atenção: uma pequena luz em meio a floresta, fogo. Zahr correu em direção a aquela luz e aproximando-se viu o que era que iluminava o local. A floresta acabava, o som da maré e da respiração de Zahr dominavam o local.

Havia chegado à praia mas continuava tão frio quanto a floresta. A luz era provinda de um pequeno lampião que era segurada por uma mulher. Possuía pele morena, cabelos encaracolados, obviamente não era dali. Nem mesmo suas vestimentas se encaixavam, vestia uma blusa negra de botões, sem mangas e uma calça também negra. Ela não sentia frio? Na verdade, a pergunta certa deveria ser "Por que ela está ali?". Este é o extremo norte de Vornnia, o local mais frio de todo o planeta com o perigo de criaturas devoradoras de pessoas e ela parecia tão indefesa com apenas um lampião em sua mão. Zahr chegou em sua frente e olhou para ela que manteve a calma e olhou diretamente para ele, não tinha medo algum dele.

- Ajuda... Abby... - Zahr disse a ela, abaixando-se e mostrando Abby em seus braços e ela estranhamente sorriu.

- Oh! Então é você! Você é o meu alvo então! E você tem um nome! Por essa eu não esperava. O meu é Wahid, prazer bicho feio! - Ela falou animada e bem alto. Olhou para Abby e viu seus machucados, colocou a mão em seu rosto e sentiu sua temperatura, estava tendo hipotermia com toda a certeza. - Poxa, o que que você fez com essa menininha? Coitada, tão bonitinha e já vai morrer.

- Por favor... Ajuda... Abby... - Implorou novamente.

- Ah... você quer que eu ajude essa humana? - Ela apontou para Abby com uma expressão de nojo.

- Por favor... Zahr... faz qualquer... coisa...

- Sério?! Você faz qualquer coisa se eu ajudar isso?! - Ela se animou, os olhos dela brilharam.

- Rápido... eles... vindo...

- Tá! Tá! Que chatisse mas se isso for sua condição eu aceito. - Ela estalou os dedos e depois de um momento sem nada acontecer, o chão sobre os pés deles estremeceu, a neve desapareceu e a areia que revelou-se abriu sob seus pés fazendo os dois caírem.

Zahr assustou-se, tentou utilizar suas garras para segurar-se mas não adiantara de nada a queda era grande. Wahid estava sorrindo, observando Zahr naquela escuridão com o mesmo brilho nos olhos. A criatura percebeu uma luz vindo de baixo de si mesmo e tentou proteger Abby que no mesmo momento atingiram o chão. Já não estava frio.

- Aí seu medroso, já pode parar de apertar a menina, dá ela aqui pra eu ajudar e pode abrir os olhos, se é que você tem olhos. - Ela tentava pegar Abby dos braços de Zahr que não deixava, ele estava com medo de soltá-la. - Ô desgraça, solta ela pra eu ajudar!

Zahr voltou a realidade, o medo tinha o consumido. Ao perceber, encantou-se, já não estava frio, já não estava de noite, já não era mais o extremo norte de Vornnia. Era uma cidade, o sol era escaldante, os sons das pessoas falando, mercadores anunciando seus produtos, até mesmo algumas pessoas armaduradas estavam passando por ali. Haviam… peixes voando pelos céus, pessoas com guelras, lagartos em forma de homem? Com a distração de Zahr, Wahid retirou a criança de seus braços.

- Senhor, estou de volta! - Gritou e logo após estalou os dedos e em um piscar de olhos apareceram em uma sala fechada, sem luz, era ornamentada com diversas armaduras esculpidas nas paredes, eram gigantes, quatro ou cinco vezes maiores que Zahr. Wahid andava saltitando com Abby em seus braços, como que ela aguentava segurá-la e saltitar com tanta facilidade e estava tão calma que cantarolava. Zahr a seguiu observando a sala confusa até que eles pararam. Zahr viu um gigante trono a sua frente, era gigantesco, muito maior do que as estátuas mas estava vazio.

- Oi, meu Senhor! Eu trouxe o wendigo que você pediu! Mas ele só aceitou se você curasse essa menina! - Ela levantou Abby em direção ao trono.

Zahr não via nada, era muito escuro mesmo para sua espécie que caça noturnamente.

- Wahid, minha criança. - Uma voz ecoou pela sala. Era uma voz masculina e extremamente profunda. - Então cumpriu sua missão?

- Sim! Mas olha, meu Senhor, ele decidiu cooperar só se essa menininha for curada, ela tá só o pó da rabiola.

Aquila voz riu. - Zahr, não é? Por que um wendigo quer salvar uma criança?

- Ela... é filha... de minha... mestra...

- Oh, então você tem uma mestra? Poderia me apresentá-la?

- Ela... morreu... - Ele disse com a voz trêmula.

- Ah, desculpe-me. É melhor cuidarmos dela logo. Wahid, deixe-a aqui e leve nosso convidado para um local confortável para ele.

- Tá bom! - Wahid colocou Abby aos pés do trono e foi até Zahr. Colocou a sua mão o mais alto possível e então estalou os dedos de novo. A visão dele ficou turva, começou a ficar zonzo e cambaleante. Rapidamente, seu corpo caiu sobre o chão rapidamente desmaiado.

Depois de algumas horas, Zahr acordara com uma fria brisa em suas costas, olhou em volta e viu a floresta que estara acostumado, já não estava onde tinha desmaiado. Olhou em volta desesperadamente procurando Abby mas sem sucesso algum.

- Abby... cadê você... - Tentou gritar o mais alto possível. Começou a caminhar pela floresta quando uma tempestade de neve começara e atrapalhara seus sentidos, dificultando ainda mais seus sentidos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...