1. Spirit Fanfics >
  2. WereWolf >
  3. Minha primeira transformação

História WereWolf - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Minha primeira transformação


Fanfic / Fanfiction WereWolf - Capítulo 4 - Minha primeira transformação


werewolf capitulo 04.
assim que chegamos em casa a noite já havia chegando, então Flavio henrique foi tomar banho, eu não estava com clima para comemorações, então decidi ficar sentado no sofá vendo tv, tava passando um programa de culinaria.
já haviam se passado dez minutos desde que Flavio havia entrado para tomar banho, eu batia na porta e chamava ele para pode tomar um banho, quando senti algo vibrando em meu peito, eu não sabia oque era aquilo, coloquei a mão no meu peito e vi que era aquele colar, o brasão com o formato de lobo estava vibrando, e o mais estranho era que os olhos do lobo estavam vermelhos.
senti um forte dor de cabeça e fiquei tonto, coloquei as mãos na cabeça e cai no chão, aquela dor era muito forte, muito mais forte do que a que eu senti de manhã cedo, novamente eu estava ficando peludo e minhas unhas estavam crescendo só que desta vez parecia que não paravam, eu sentia que estava crescendo, estava ficando maior, maior do que eu já era, minhas roupas estavam se rasgando por completo, minha pele branca estava ficando negra de tanto cabelo que estava crescendo, desta vez não era só cabelo, e sim pelos, "será que eu estou me transformando no lobisomen que vemos na televisao" pensava comigo mesmo.
eu me levantei e parecia que a sala estava minuscula, olhei para trás e vi um rabo, eu me virei e o meu rabo, bateu num jarro de vidro que tinha no meio da sala, fazendo ele cair no chão e quebrar, minha mãe iria ficar um fera, andei um pouco pra frente e me olhei no espelho, e la estava eu, o lobisomen, o homem lobo que vemos nos filmes.
eu parecia um grande cachorro bipede, com focinho, orelhas pontudas e tudo mais, minha audição que antes já era boa, agora estava muito mais forte, eu podia escutar a respiração de todos no meu bairro, assim como os seus cheiros, Flavio saiu do banheiro assustado e me viu, ele gritou de espanto e com o susto eu pulei por uma janela que tinha na cozinha e corri para longe da li.
parecia que eu era um carro, eu corria com as quatro patas no chão, como a minha rua era escura era facil se camuflar ali, eu não conseguia fazer nada, so pensar, parecia que eu estava seguindo um instinto, senti um cheiro estranho, que me deu água na boca, eu salivava, fui em direção daquele cheiro e vi um morador de rua dormindo no chão.
não! eu não iria comer aquele homem inocente, lutei com todas as minhas forças para não fazer aquilo, eu estava tentando ficar no controle, e eu consegui, então quando estava prestes fugi dali, acabei me descuidando e um morador de uma casa de primeiro andar tirou uma foto minha com flash, ele gritou para todos no bairro, e derrepente varios flash vindo de varios lugares, aquilo me incomodava completamente, então corri para longe, tentava correr o mais rapido possivel, me lembrei que eu conseguia ver através das coisas, então em concentrei para tentar ver o melhor lugar para me esconder, e pimba! eu havia encontrado um lugar perfeito.
era um canal que tinha a alguns quarteirões a frente, apressei o passo e pulei, sem pensar, tinha algumas pontos que ligavam para o outro lado do canal, então nadei ate uma delas e fiquei lá ate a poeira baixar, quarenta minutos depois eu sai do canal e tomei o maximo de cuidados possiveis, olhei para lua, que a proposito estava bem ilunimada, me deu uma vontade de ir para o lugar mais alto e uivar para ela, aquela luz me atraia, mas fui forte, não podia ser descoberto.
pensava em varias maneiras de tentar chegar me casa sem ser visto, eu olhava através dos muros e via que a mairoria das ruas tinhas pessoas com cameras e lanternas para me gravares ou tirarem fotos, e as lanternas elas ilunavam o caminho, "eu estou frito" pensei.
mas pera, elas estavam atras de um lobisomen, então se é um lobisomen que elas queriam era um lobisomen que elas terias, tinha uma casa abandonada que tinha quatro andares, era um antigo cortiço que tinha no bairro, subi ali usando minhas garras e usei todas as minhas forças para uivar.
uivei, tirei um peso das minhas costas, uivei para a minha Deusa a lua! todos olharam para mim abismados, uns corriam e gritavam outros fotografavam então pulei começei a descer, e cai no chão, começei a rosnar e uivar e a maioria correu, mas algo que eu nao esperava tres homens estavam armados, e começaram a atirar, eu não podia mata-los ou machuca-los mas poderia desarma-los, eu desviava das balas e avançei em cima de um deles, peguei a sua arma e entronchei o cano e joguei a arma longe, mas os outros dois continuavam a atirar, uma das balas acertou o meu braço esquerdo.
toda aquela situação já estava me deixando zangado, soltei um uivo apavorante e um deles correu atirando para o alto, o outro se distraiu e eu cravei minhas garras nele, eu não queria isso, mas digamos que foi necessário, corri o máximo que pude para casa e escalei ate a janela de onde tinha pulado, Flavio estava a mil, arrancando os cabelos da sua da cabeça, andando de um lado ao outro, assim que me viu ele ja correu e me deu um abraço, depois um suco no braço.
-bicho tu tas ficando doido é? eu ouvi e vi toda a confusão, tu é lascar arthur, não se sai assim, agora tu so atraiu mas atenção, e se agora alguem vir te procurar? e se as mesmas pessoas que foram atras de voinho vierem atras de tu? tu pensou nisso tudo?. -eu vacilei feio, essas coisas não haviam se passado pela minha cabeça.
eu sei que vacilei feio, flavio continuava a me dar sermão e a me xingar, eu só fiquei quieto olhando ele me xingar, de acordo com que o tempo se passava aos poucos eu estava me destransformando, estava voltando aos poucos ao normal, ate que fiquei completamente humano de novo, flavio me deu uma toalha para eu me cobrir e me mandou tomar um banho, para tirar o cheiro de enxofre que estava na sala.
enquanto eu tomava banho podia sentir o cheiro do perfume que estava na sala, devia ser flavio tentando tirar o cheiro de enxofre do ar, enquanto eu tomava banho, vinham umas imagens na minha mente, eu via flavio henrique de olhos verdes, eu vi uma menina de cabelos roxos pegando na minha mão e a que mais me deixou perturbado, a de jp com uma especie de cano de ferro no peito virando pó, aquilo me deixou apavorado, eu tentava buscar explicações para aquilo tudo.
eu não sei se era algum efeito da transformação, mas que aquilo parecia real, escutei o a voz de jp na sala, sai e vi ele lá, talvez flavio tinha chamado ele, ou ele soube da confusão e veio ate a minha casa, ele estava todo suado e ofegante, ele se sentou no sofá e pegou a sua mochila, e tirou o seu laptop, e começou a digitar por um site de jornalismo, ele me mostrou uma coisa que me deixou apavorado, eram os videos e fotos da minha transformação atacando os atirados, a noticia dizia que alguns caçadores estavam pretendendo um caçada pela minha cabeça, e algo que me deixou ainda mais perplexo, os espiritos da vingança estavam lá, pelo vistos eles eram caçadores de "anomalias" ou monstros que muitos julgam serem lendas.
deviam ser eles que pegaram o voinho, mas o mais estranho era que quando pesquisavamos pelos espiritos da vingança no google ou no youtube eles não apareciam, eram dados como inexistente, aquilo era bem estranho, mas na materia estava bem claro que estava bem claro que os tais espiritos da vingaça iriam estar lá, então só nos restava fazer um coisa, ir para a caçada, em que eu seria a caça.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...