História What Do We Have? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Monjin, Namjin
Visualizações 16
Palavras 2.296
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Segunda fic que eu fiz, faz 1 ano já.

Capítulo 1 - Surprises


Fanfic / Fanfiction What Do We Have? - Capítulo 1 - Surprises

Um relacionamento de 3 anos. Era o que eu tinha com NamJoon. Éramos muito felizes no começo, passávamos todo o tempo que tínhamos disponível juntos e às vezes fugiamos dos nossos compromissos para dar umas voltas de moto pela cidade, fumar maconha no alto de um prédio abandonado no subúrbio para buscar novas inspirações.

Éramos felizes assim, eu, um ator em busca de sucesso e ele um iniciante de compositor. Dávamos certo apesar de tudo, dividindo um apartamento velho e pequeno, as contas e os problemas.

- SEOKJIN!! - ouvi a voz de NamJoon me gritando, sábado de manhã, já era Fevereiro, nosso aniversário de 3 anos.

- Por Deus, homem, o que foi? - sai do quarto indo em direção a sala, de onde vinha a voz.

- Pera, pera, pera - ele colocou as mãos sobre meu peito e me impediu de entrar na sala - feche os olhos antes.

- Para que? - indaguei já ficando irritado com o suspense.

- Só feche - pediu sorrindo e eu fechei meus olhos. Ele pegou na minha mão e me guiou para dentro da sala. - Agora pode abrir.

Abri meus olhos, piscando algumas vezes para me acostumar, olhei em volta não vendo nada anormal me virando para ele de novo.

- Tá, o que tinha de tão especial aqui?

- aish Jinnie, olha pra baixo - ele apontou para uma caixa grande que estava no chão, decorada com um laço azul.

- O que é isso? - me abaixei para olhar mais de perto a caixa.

- Abre.

Abri e franzi o cenho. Havia um filhote de cachorro, da raça Spitz Alemão, dormindo profundo dentro da caixa.

- Um cachorro? - não consegui disfarçar o desgosto na minha voz, sentando em frente ao pacote.

- Sim, um cachorro, não gostou? - disse se sentando ao meu lado.

- Bom... - comecei com receio - você sabe que eu não gosto de animais, então...

- Você vai gostar, olha como ele é fofo. - NamJoon pegou com delicadeza o cachorrinho e me estendeu para que o pegasse e eu naguei com a cabeça, ele deu de ombros, colocando o pequeno sobre suas coxas - Eu pensei que como é nosso aniversário de 3 anos e eu não quero ter filhos e nem você, um cachorro seria uma boa ideia.

- Grande ideia, um cachorro da trabalho igualmente uma criança. Os dois não podem ser deixados sozinhos enquanto filhotes, fazem cocô por ai e bagunçam a casa toda.

- Jin...

- Jin nada, eu que não vou limpar o que esse cachorro fizer, logo aviso.

- Ok então - disse com uma expressão de decepção no rosto - Quer escolher o nome pelo menos?

- Kim MonJin - disse depois de pensar um pouco e sorri recebendo outro sorriso em troca.

- Você vai acabar gostando dele, vai ver. - disse enquanto fazia carinho no pequeno MonJin.

- Não conte com isso. - falei alto ao me retirar da sala e voltar para o quarto para ensaiar minhas falas, tinha uma peça para apresentar.

Meses se passaram e cada dia era uma irritação diferente.  Teve dias que o maldito cachorro mordia meus sapatos, fazia xixi na nossa cama e cocô na sala toda e espalhava pedaços de jornal pela casa, latia horrores a noite, me deixando com uma cara de quem não dormiu nos ensaios da peça. Mas haviam momentos bons, o bichinho me recebia com a maior empolgação toda vez que eu chegava em casa e me fazia companhia nas várias vezes que NamJoon estava fora, trabalhando na produtora. Não que eu achasse ruim ele ficar a maior parte do dia fora, ele tinha começado a avançar na sua carreira de compositor em uma produtora reconhecida, estava muito feliz por ele, só sentia muita falta. Porém tive que me dar por vencido e dizer que a criaturinha, denominada MonJin era adorável e me distraía bastante nas noites solitárias.

                         °°°   

Em uma madrugada de Setembro, senti a cama afundar do outro lado, NamJoon tinha voltado pra casa naquele dia. Senti seu braço me puxar para perto e eu me virei olhando o, já fazia 2 semanas que eu mal via ele.

- Como você está? - disse com uma voz de sono.

- Estou cansado mas bem por estar de volta. - sorriu sem mostrar os dentes e eu sorri de volta.

- Senti sua falta - confessei.

- Eu também - beijou o topo da minha cabeça e eu fechei meus olhos - Agora vamos dormir, sim?

- Tudo bem - Mas eu não dormi, fiquei olhando ele dormir, sabia que quando eu acordasse ele não estaria mais ali.

Senti a cama afundar mais uma vez e MonJin se ajeitou no meio de nós dois, perto das pernas e ficou lá. 

- É, Monjin-ah, papai está em casa - sorri enquanto fazia carinho nos pelos macios do animal.

Como previ ele não estava lá quando eu acordei, apenas tinha MonJin dormindo calmamente com a cabeça apoiada no travesseiro do outro dono. Sorri triste com a visão e me levantei indo me preparar para ir ao set de filmagens. Eu tinha conseguido um papel como protagonista em um filme a uns meses atrás e estava muito animado. Queria ter contado ao Nam ontem mas ele dormiu muito rápido. Suspirei. Era frustrante não ver mais meu namorado como antes, sabia notícias suas através dos noticiários, dizendo o quanto ele era talentoso e do seu futuro brilhante como compositor e produtor. Eu revirava meus olhos toda vez que ouvia sobre o assunto, eu odiava como eles falavam dele, eu queria ouvi-lo dizendo sobre seu dia no jantar mas até isso foi roubado de mim, já que ele vivia, agora, viajando para lá e para cá.

No meio de Dezembro, estava voltando para casa com MonJin depois de uma caminhada. Era relaxante sair com ele, ele me ouvia enquanto eu falava sobre o meu dia e meus problemas. Chegando na porta do apartamento, me abaixei pra soltar sua coleira e abri a porta que entrasse, sua euforia foi extrema, ele só ficava assim quando...

- Oi Joonie - disse ao fechar a porta atrás de mim e ver ele parado no meio da sala, com as mãos no bolso. Reparei automaticamente que ele tinha ficado mais magro, seu cabelo havia crescido, o corte mudado e também a cor, era rosa.

- Oi Jinnie - ele se apressou em me abraçar e senti vontade de chorar naquele momento. - eu passei aqui para ver como você estava.

- Eu estou bem, apesar do meu namorado só aparecer uma vez por semana em casa. - disse me afastando dele e saindo da sala e seguindo para o quarto.

- Não seja assim, sabe que eu tenho andado ocupado. - ele me seguiu até o quarto.

- Eu sei, vejo falarem de você na tv - disse simplista, tirando meu casaco e cachecol.

- E você? Quando ia me dizer que esta fazendo um filme? Vi na tv sobre isso a uns dias - ele se sentou na cama, me observando.

- Quando você voltasse pra casa - olhei para ele.

- Era difícil pegar o celular e me ligar?

- Não, não era, mas eu queria te ver, era difícil achar o caminho de volta pra casa? - levantei uma das sobrancelhas em indagação.

- Você sabe que eu não podia. - suspirou.

- Ta, já entendi - me virei e fui para o banheiro, precisava tomar um banho, estava cansado.. física e emocionalmente.

Quando eu sai do banho ele não estava mais lá, deixou apenas um bilhete em cima da cama.

" Tive que ir, me ligaram da produtora. Eu volto mais tarde. Te amo".

Joguei de volta na cama e fui me trocar.

- MonJin-aaaah!! - chamei após terminar de me arrumar, estava achando a casa silenciosa demais. O mesmo não veio então sai do quarto a procura do bichinho mas  ele não estava em lugar nenhum, depois de me cansar de procurar, achei um bilhete na mesa da cozinha.

" Levei o MonJin comigo. Voltamos mais tarde. Te amamos :) "

Revirei os olhos e decidi ir fazer alguma coisa pra comer.

Eles voltaram, eram um pouco depois da meia noite, bati algumas vezes na cama em sinal para MonJin subir e falei para NamJoon ir dormir na sala. Eu estava com raiva, não queria mais a presença dele perto de mim. Não era justo que depois de tanto tempo sem voltar pra casa ele simplesmente saísse e ainda deixasse a droga de um bilhete. Ele seguiu contrariado para a sala e na manhã seguinte disse que não foi ruim dormir lá, que apesar de ser frio, ele ja estava acostumado e eu apenas assenti, colocando ração no pote do cachorro, me dando conta que  não fora tão ruim não ter ele ao meu lado. Costume, essa era a palavra para definir o que tinha acontecido.

No Natal, ele só havia parecido minutos antes da meia noite para desejar felicitações e dar presentes. Antes só era eu e MonJin sentados no tapete, assistindo tv, eu comendo a ceia e ele comendo ração. Eu já pensava que ele não iria vir.

- Cheguei atrasado mas cheguei - disse ao entrar sorrindo, tirou seu casaco, gorro e cachecol se sentando ao meu lado. Ficamos abraçados, dividindo uma coberta e a comida no meu prato. Foi um dos poucos momentos agradáveis que tivemos naquele ano.

- Isso aqui é pra você - disse depois da meia noite, me entregando uma caixa média.

- Pensei que não íamos trocar presentes esse ano. - peguei a caixa - desculpe, eu não comprei nada pra você.

- Não, tudo bem, eu sei que a gente não ia comprar nada mas eu quis comprar isso, não precisa considerar como presente de Natal.

Abri e meu coração seu aqueceu, era um porta retrato com uma foto nossa e MonJin no parque. Aquele tinha sido o melhor dia depois que MonJin chegou em nossas vidas.

- Obrigada, Jonnie. - selei nossos lábios rapidamente.

Naquele dia minha esperança da relação voltar a ser como antes foi embora quando deu 2 horas da manhã, ele teve de ir. No Ano Novo eu fui para casa dos meus pais então não o vi, apenas recebi uma ligação às 5 da manhã. Não atendi, voltando a dormir em seguida. Estava irritado demais para falar qualquer coisa. Claro que depois quando voltei para casa, ele me esperava lá e de novo o perdoei.

No começo de Fevereiro comecei a ficar mais ocupado, eram entrevistas para revistas e tv e começo de gravações para uma novela e as finais do filme, minha carreira não poderia estar indo melhor e eu estava finalmente caminhando em direção ao que eu queria. O que estava me deixando meio chateado era o fato de ter de deixar MonJin sozinho no apartamento com mais frequência e toda vez que eu voltava pra casa de madrugada, ele ainda estava acordado, me esperando. Nesse ponto eu já não via mais NamJoon e nem tinha mais notícias. Apenas em Abril que ele apareceu em casa.

-  Precisamos resolver isso. - disse logo que vi ele passando pela porta.

- Resolver o que? - ele me olhou confuso.

- Você sabe... Nós...  Isso não está mais dando certo. - falei direto.

- Jinnie... - ele tentou se aproximar e eu dei um passo para trás, ele parou.

- Não - fiz sinal de pare com as mãos - Não se aproxime, se você fizer isso eu não vou resistir e deixar pra lá como sempre faço cada vez que você aparece.

- Ok. -  cruzou os braços - Então fale.

- Vamos terminar, já deu, eu não te vejo mais, a gente nem se toca direito e muito menos conversamos. Você sempre diz que está ocupado e eu estou cansado de esperar, vai fazer 2 anos já.  Lembra como a gente costumava fugir do mundo e transar em lugares inapropriados só para aflorar nossas inspirações? Era muito divertido, nossa relação era ótima e agora parece que não nos conhecemos mais. - segurei meu choro, olhando para o lado -  Vamos terminar bem, eu quero guardar as memórias boas enquanto não tem tantas ruins para sobrepor. Fique com os cd's, a torradeira e o Picasso, é falso mesmo.

- E quem fica com o cachorro? - disse depois de longos minutos.

Era uma pergunta idiota mas mesmo assim eu fiquei um tempo pensando. O cachorro veio em um momento bom, estávamos bem e de repente tudo que sobrou foram as memórias feitas com um cachorro. Eu não poderia ficar sem ele, NamJoon não saberia cuidar.

- Eu, claro - ele soltou uma risada sarcástica.

- Ta brincando comigo?

- Por que estaria?

- Você nem gosta dele.

- Namjoon, quando você não estava aqui, ele foi a minha única companhia, não diga o que não sabe.- revirei os olhos.

- Então vamos deixar ele escolher.

- Ok. - digo sem muita convicção

- MonJin-ah! - ele chamou - vem cá, garoto.

Ele veio e parou no meio de nós dois.

- Com quem você quer ficar, garoto? - O cachorro ficou olhando pra ele uns minutos e depois olhou para mim, cheguei a achar que ele poderia estar entendendo a gravidade da situação, mas claro que não, cachorros não entendem.

- Namjoon, isso ta meio ridículo - bufei.

- Espere.

O cachorro deu dois passos até ele, baixou a cabeça e depois olhou para ele e se virou vindo na minha direção e eu sorri. Cachorros devem ter algum tipo de sexto sentido.

Um mês depois arrumei as minhas coisas, peguei as coisas de MonJin e sai pela porta olhando pra dentro da casa. Ele não estava lá de novo. Eu que ainda tinha meu 1% de esperança de que ele ao menos estivesse ali na hora da partida. Então sem dizer adeus de novo, sem bilhetes, sem mensagens, suspirei e fui embora.

No caminho da nova casa, junto de MonJin, me perguntei "E quem fica com o resto desse amor?"


Notas Finais


relacionamentos não são difíceis, difíceis são as pessoas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...