História What Do You Have Say? - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-in (Kai), Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Exo, Fanfic, Ficção, Jongin, Kai, Kaisoo, Kyungsoo, Romance, Soo
Visualizações 36
Palavras 2.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!!!
Me perdoem pelo sumiço! Tive alguns problemas comigo mesma e também me veio bloqueio de criatividade... Em fim, me desculpem.
Sei que o capítulo não ficou um dos melhores mas foi o que preparei para minha volta. :) espero que gostem e boa leitura. <3

Capítulo 7 - Capítulo 6


Kai acordou na enfermaria da escola. Pequena sala branca com uma geladeira azul com caixas de isopor em cima, o cômodo era cheio de coisas mais de medicina.

Ele olhou em volta e se viu em uma maca.

-Kai, tudo bem? -perguntou a enfermeira de cabelos escuros à sua frente.

-Estou bem… -respondera confuso -A quanto tempo fiquei assim?

-Só alguns minutinhos. -explicou ela depois de liberar o braço do moreno que estava envolvido pelo aparelho de medir pressão. -Garoto, que ataque de nervos foi aquele?

Kai ficara confuso, sentindo cansado só de lembrar do que o deixara daquele jeito.

-Não quero falar sobre isso. -se pronunciou por fim.

-Ok. -disse a mulher levantando os braços -Mas você está com a glicose baixa também. Tem que cuidar da sua alimentação, Jongin.

Ele desviou o olhar da enfermeira que estava ma cadeira a sua frente e então assentiu. Ele realmente descuidava-se neste quesito.

Logo o mais novo fora liberado então foi até o vestuário tomar banho para ir embora. Precisava dormir e esquecer o dia de hoje.


----X---


-Ligaram da enfermaria, Jongin. Não acredito que não está se alimentando. -a mãe soou brava no primeiro momento mas olhou para o filho com um olhar aflito depois de perceber seu jeito abatido. -Filho, você não é mais criança. Sabe que precisa tomar cuidado com isso. -ela suspirou sentando-se na cadeira que se encontrava afastada da mesa.

-Desculpe. -disse o moreno para a mãe segurando suas mãos delicadas. -Prometo tomar mais cuidado.

-Mas e essa carinha? Não tem jeito de ser por causa do desmaio.

-Não foi. Mas falamos disso depois. -dissera ele indo trocar de roupa.

Kai se obrigou a comer já que seus pais estavam o fiscalizando e também não queria desmaiar outra vez. Quando fora para o quarto, recebeu uma ligação de Sunghee:

-Você está bem, oppa? -ela perguntou aflita

-Estou, Hee. Obrigado por perguntar. -o moreno sorriu sincero, mesmo sabendo que ela não veria.

Ele se perguntava se Kyungsoo sabia sobre o que acontecera. Pensar nisso o deixara triste.

-Espero que ainda possa ir na minha apresentação nesta sexta.

-Claro! Vou me cuidar direitinho para ver você tocar. Deve ser incrível.

Droga!

Agora ele imaginou como seria ouvir Kyungsoo cantar.

-Eu tenho que estudar um pouco agora. Até mais, Hee. -dissera terno no celular

-Até,oppa. -Sunghee desligou a chamada então o moreno suspirou. Precisava se distrair então pegou os livros para estudar cálculo.

----X----


Kyungsoo foi com New até a quadra onde costumava ficar para escrever suas músicas para que o amigo as tocasse. Ele pegara o caderno de folhas envelhecidas, revirando-o, folheando desesperado.

-O que foi, Kyung? -New olhou para o mais novo.

A música que ele estava escrevendo não estava lá! E não era qualquer uma!

Aquela ele não apresentaria a New e nem a ninguém sem antes estar preparado e quem sabe, pudesse realmente a cantar algum dia? Ele esperava por esse dia durante anos.

Espera… a folha que arrancou para Jongin! Pegou o celular mandando uma mensagem para o moreno, não iria o enfrentar se não estivesse com sua folha.

"Ainda está com aquela folha?" -perguntou sendo direto

"A joguei fora." -respondeu o moreno. Era claro que estava magoado.

Mas Jongin mentiu. A folha estava entre seus livros ordenados na prateleira na parede em frente a cama.

Kyungsoo largou o celular no banco. Aquela música lhe tirou tempo e seus sentimentos. Por culpa de Jongin tinha ido tudo ido por água abaixo.

-Calma, Soo. -pediu New vendo o menor andar de um lado para o outro. Era algo complicado para ele ver o amigo aflito. New sabia também que era algo insuportável para Kyungsoo já que não podia extravasar sua ira como outras pessoas.

Eles logo saíram dali pois começaria o treino e Kyungsoo precisava se acalmar.

-Mais um pouco e vai furar o chão. -disse o treinador quando chegou e viu que Kai era o primeiro a ter chegado e batia a bola com raiva e força no chão depois de errar mais uma cesta.

-Olá, senhor. -disse ele e fizera uma reverência antes de tentar acertar uma cesta -a qual errou- sentindo seu braço ser segurado quando se preparou para outra.

-Hoje você não treina, Jongin. Só por segurança de que não vai desmaiar outra vez.

-Mas estou melhor! -protestou ele.

-Não está em condições, Kai!

-Prometo jogar bem! -o moreno insistiu.

Mais tempo sem fazer nada era mais tempo pensando em Kyungsoo.

-Okay. -suspirou o mais velho. Era inútil insistir. -Mas se você se sentir mal, pare.

O treino fora perfeito, o que deixou o treinador feliz, pois o campeonato estava chegando. Mas não era só o mais velho que estava feliz, Sunghee demonstrou isso também pulando no pescoço de Kai em um abraço.

-Precisa de mais calma. -Kai riu abraçando a cintura da menor.

-Você estava perfeito. -ela sorriu olhando em seus olhos. Seu perfume, obviamente, era diferente do irmão e isso fez Jongin o esquecer por um breve momento.

-Sem querer acabar com o clima do casal, mas já fazendo isso… -dissera Zhang surgindo ao lado de ambos, fazendo Kai se afastar de Sunghee depois de perceber o quanto a olhava e estava próximo.

-Temos que ir para sua casa. -Young completara.

-Okay. Vamos. -Jongin sorriu meio constrangido e olhou para Sunghee, beijou sua bochecha e se afastou sendo puxado pelos amigos. Depois do banho, seguiram para a casa de Kai.

-Você está bem? Não nos contou o que aconteceu ontem… -Zhang comentou preocupado enquanto os três caminhavam pela calçada iluminadas por postes já acesos  que cortava a noite precoce que chegara. O tempo nublado os preparava para a chuva.

-Era glicose baixa e ataque de nervos. -resumiu segurando cada alça da mochila com as mãos.

-Ataque de nervos? -Young indagou confuso-Tem algo haver com Kyungsoo-hyung não é?- lembrou de como ambos estavam estranhos.

-Tem. -lamentou Jongin. Infelizmente os amigos o lembraram do menor e a briga voltou a sua cabeça.

-O que aconteceu? -Zhang olhou para o amigo ao lado enquanto colocava a outra alça da mochila no ombro.

-Agora não. -pedira o moreno.

Ainda era difícil pensar em Kyungsoo e lembrar do que aconteceu.

Logo viraram na esquina e passaram duas casas à direita. -lembravam a casa de Kai por serem casas padrões- e logo entraram pelo portão baixo e branco, atravessaram a passarela até a porta, qual Kai abriu e entrou sendo seguido pelos amigos.

-Mãe! Cheguei! -anunciou ele indo até a cozinha -Mãe, esses são Zhang e Young, os amigos de quem falei.

A mãe desviara o olhar das panelas e olhou para os três jovens ali na porta de sua cozinha, que estava infestada de um cheiro tão bom de comida que Young cutucou Zhang quando ouvira o estômago do mais alto roncar.

-Ah que prazer finalmente conhecê-los! -ela sorriu empolgada.

-O prazer é nosso, senhora Kim. -Young sorriu e Zhang o acompanhou na reverência.

-Vão ficar para o jantar? -ela olhou para os dois. O cabelo preso em um coque a deixou mais velha do que realmente era.

-Vamos?- Zhang olhou para Young. Era óbvio que ele queria ficar.

-Claro - Jongin se pronunciou -Vamos para o quarto estudar.

-Claro. Chamo vocês na hora de comer. -ela sorriu voltando a atenção para as panelas.

O trio atravessou a sala bem iluminada e subiram no quarto quando Kai acendeu as luzes.

-Belo quarto. -Young comentou olhando o lugar desde a prateleira de livros bem ordenados, com troféus de ouro de basquete em frente a cama, ao baú de couro preto abaixo da janela à direita.

-Vamos logo com isso. Quero descer para o jantar. -reclamou Zhang sentando-se na cama e retirou seus materiais da mochila com prontidão.

Kai riu do amigo e juntou-se aos dois sentando na cama também.

Eles ouviram Young explicar tudo, realmente conseguindo entender o conteúdo, o garoto era bom. Eles estavam dedicados aos estudos por um meio tempo quando Kai decidiu sair de cálculo e começar biologia.

-Tem um livro. Pega,Young. -dissera o moreno apontando para a prateleira de livros.

-Qual? -dissera o menor na ponta dos pés, fazendo Kai e Zhang rirem -Pega vocês então! -apontou para os amigos, todo zangado.

Baixinho e bravo. Era adorável.

-Qual deles, Kai? -perguntou Zhang

-O vermelho! -dissera o moreno já meio impaciente.

-Tem quinhentos vermelhos aqui! -xingou o mais alt. -Romeu e Julieta é?

-Não mexe aí! -Kai disse levantando rápido da cama. Havia deixado a folha de Kyungsoo entre aquele livre e O Morro dos Ventos Uivantes.

-O que é isso? -indagnou o amigo confuso -Frase de livro? "Sou uma verdade dolorosa."

Citara a frase, fazendo Jongin lembrar da briga com Kyungsoo.

-O autor não sabe o que diz… -dissera o moreno tomando o papel amarelado da mão do mais alto.

-Parece que sabe sim. -Young disse enquanto apontava para o outro lado das folhas nas mãos finas e bonitas de Jongin. O mesmo a virou e passou a ler o que ali estava escrito em voz alta para os amigos:


"Eu chorei com você

E nós rimos juntos

Eu tinha expectativas

E eu passei pela dor

Eu derramei tudo

E eu amei

Seguindo o coração, o jeito que eu sou"


-Wow… -escapara a palavra dos lábios de Zhang, que olhou para os amigos.

-Quem escreveu? -Young olhou para Kai

Por um breve momento, Jongin não respondeu, apenas sentou-se na cama com o papel na mão.

-Kai? -Zhang chamou depois de ver o amigo avoado.

-Kyungsoo… -respondeu finalmente a resposta de Young

-Por que está com está folha então? -Zhang indagou

-É, Kai… o que está havendo com você e Kyungsoo-hyung? -Young incrementou a pergunta, olhando para Jongin entre Zhang e ele.

-Ele brigou comigo. Me dispensou e se afastou. -a voz de Kai saiu embargada. -Disse que eu deveria ficar com Sunghee e esquecer ele.

-Você… gosta mesmo do hyung? -Zhang olhou para o moreno, meio perdido.

-Não importa mais. -lamentara ele - Talvez Kyungsoo tenha razão, melhor esquecê-lo.

-Mas… -Young protestou mas não conseguira com que Kai se pronunciasse mais sobre aquilo e ele então logo guardou o papel no caderno para poder desenvolver a Kyungsoo.

Durante todo o resto do estudo, mesmo que vontade não faltasse, Zhang e Young ficaram calados em relação a "carta" de Soo.

Na hora do jantar a tensão sobre Kai diminuiu um pouco. Os pais e os amigos estavam em um clima de risadas e conforto que fora incapaz de ficar triste. Mais tarde Kai levou os amigos para suas casas de carro, o que lhe deu oportunidade para refletir enquanto retornava para casa.


----X----


Kyungsoo não parou de pensar em sua música nem por um minuto sequer. Não sabia se ficava triste por tê-la perdido ou se ficava bravo com o idiota do Jongin por tê-la jogado fora.

Ele olhou para o CD que o moreno havia lhe dado e por algum motivo -que não entendeu- colocou o pequeno disco no rádio. Céus, Kyungsoo amava aquelas músicas. Amava também quem o presenteou com elas, isso fora o suficiente para retirar o CD jogá-lo embaixo de sua cama. Deitou sobre a mesma e se permitiu dormir, desejando que amanhecesse logo.


----X----


-Ele está bem ali. -Young dissera baixinho aos ouvidos do moreno. Kai evitou olhar Kyungsoo, não por raiva ou ressentimento mas odiaria receber aquele olhar de desprezo e deceção outra vez.

Os três cintinuaram o restante do treino com o time, fora então que Soo fez algo que gostaria de não ter feito. Não segurou a tentação de olhar para Kai, observar como a regata ficava folgada em seu corpo.

O abdômen moreno e definido ficava exposto roda vez que o maior pulava para fazer uma cesta. Mas Kai percebera os olhares do mais velho sobre si, o que fizera suas esperanças renascerem. Mas precisava se concentrar no jogo agora.

Após tudo terminar por ali, Kai tomara seu banho com calma e estava saindo do ginásio quando Young o parou.

-Juro que o tranco aqui dentro se não ir falar com ele. -o menor apontou para o mais velho lá em cima organizando suas coisas.

-Se eu não for logo vou pegar chuva.

-Sem problema. -Kai pensou que o baixinho lhe daria espaço para pessar mas não o fez.

Jongin girou os calcanhares e olhou para a arquibancada mas… Kyungsoo estava em sua frente e esperava ambos saírem dali. Por questão de segundos passara muitas coisas na cabeça do moreno. Kyungsoo estar por perto era "perigoso".

Cansado de esperar, o mais velho virou-se mas no ponto de impulso, Jongin segurou sua mão. As mesmas sensações de antes que Kyung sentira voltaram, mas acompanhadas de tristeza.

-Tenho algo para lhe devolver. -a voz de Kai saíra meio trêmula. Quando movimentou-se para pegar algo na mochila, Kyungsoo se atraveu a olhar para o moreno. Os cabelos molhados e o nariz rosado pela temperatura fria do lugar.

Jongin puxou dentre seus cadernos o papel com a música de Kyungsoo, fazendo os olhos negros do mesmo voltarem a brilhar diante do moreno, mas logo seu coração fechara novamente.

Kai mentira para ele!

-Ai, Kyungsoo! -esbravejou o maior alto e bravo ao levar um forte tapa em seu ombro -Menti sim! Eu estava chateado!... ainda estou… -Kai confessou olhando nos olhos negros do menor com profunda tristeza, assim como Kyung também o fitava.

Basta! Kyungsoo não teria que passar por tudo aquilo outra vez. Guardou a folha no bolso do blazer azul do uniforme, juntou a mochila sobre os ombros e saiu pela porta vermelha de metal. Ele sentira a chuva gelada diminuir a temperatura de suas bochechas que haviam corado pela vontade de chorar. Acelerou os passos para escapar daquela forte chuva mas sentira seu braço ser segurado.

-Não foge de mim. -Jongin dissera nitidamente irirtado o puxando de volta para si. - Não fique mais longe, você não quer isso. Eu não quero… -o moreno falou parecendo mais calma. -Eu estou apaixonado por você, Soo.

A confissão de Jongin fez Kyungsoo congelar. Nunca esperou ouvir aquilo dele, nem de ninguém na verdade.

-Não finja que não sente o mesmo…

Ambos estavam perto como jamais estiveram. Perto o suficiente para que Kai sentisse suas respirações juntas. O coração de Kyungsoo batia tão rápido que tinha receio de que Jongin o ouvisse.

Era tarde demais para recuar e Kyungsoo não queria sair dali, não queria se afastar dos braços fortes e morenos que lhe envolviam agora, colando seus corpos.

Sem se conter, Kai tocou o rosto pálido e molhado do menor, observando seus lábios rubros sentindo a vontade prová-los.

Um choque de sensações percorreu o corpo de Kyungsoo e com Kai não fora diferente quando selou seus lábios.

Kai mantinha o beijo calmo, estava tão aliviado e feliz ao mesmo tempo por ter Kyungsoo por perto. Era tão bom sentir seus lábios envolvidos naquele beijo úmido. Soo se deixara levar pelo beijo, nunca pensou que necessitava tanto disso.

O beijo se tornava mais ardente, os braços de Kyungsoo envolviam o pescoço do moreno enquanto nem a chuva era capaz de atrapalhar aquele momento ou mininuir o calor que o corpo de um proporcionava ao outro.

Jongin se dera ao gosto de morder os lábios agora mais rosados do menor. Kai gostaria que aquele beijo jamais acabasse, pelo menos que Kyungsoo não se afastasse dele depois. Mas o ar logo fez falta então o momento acabou e seus olhares se encontraram.

-Soo... -Kai sussurrou até que foi interrompido por uma negação de cabeça do garoto à frente. Era hora de se afastar antes que não conseguisse conter seus sentimentos.

Kyungsoo sentiu Jongin segurar sua mão quando se afastou mas o fez soltar e foi em direção a um táxi parado no outro lado da rua. Kai não sabia se o que escorria em suas bochechas era chuva ou lágrimas. Não acreditava que Kyungsoo o beijou daquele jeito e fora embora.

Mesmo com sua visão ruim pelo choro, o moreno foi até o carro no estacionamento e conseguira chegar em casa.

-Meu Deus, Kim Jongin! -dissera seu pai ao ver o estado do filho.

-O que aconteceu?! -sua mãe parou no batente da porta do banheiro com uma toalha de banho enrolada em seus cabelos.

-Me atrasei no treino e… paguei chuva até o estacionamento. -explicara ele com a voz embargada. Correu para o banheiro, sentindo a água quente do chuveiro esquecer seu corpo gélido. Depois que se vestiu com um pijama mais quente Kai fora direto para seu quarto adormecendo com a pouco luz do abajur, ouvindo a chuva bater na janela e escorrer assim como suas lágrimas em seu rosto.

-Estou preocupada… ele não me conta o que está acontecendo… -sussurrou sua mãe aflita,observando o filho dormir.

-Ele vai contar quando sentir que deve fazer isso. Vamos deixar ele dormir. -disse seu pai com ternura, afagando as costas cansadas de sua esposa.

  

...



Notas Finais


Queria dedicar esse capítulo para minha mãe que me deu algumas idéias kkkk e para minha leitora @sacalulas
Comentem o que acharam e até a próxima. Obrigada por terem me esperado. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...