História What happens in Vegas - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Sherlock Holmes
Personagens John Watson, Lestrade, Mycroft Holmes, Professor Moriarty, Sherlock Holmes
Tags Johnlock
Visualizações 77
Palavras 2.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - O chef que só sabia fazer waffles


John e Sherlock chegaram em casa já se beijando, não haviam se contido nem no elevador, quando perceberam que o elevador só pararia no andar do apartamento de John já se atacaram, beijando um ao outro euforicamente, deixando suas línguas se divertirem uma com a outra. Quando a porta do elevador abriu, John aproveitou o tamanho de Sherlock e pegou-o pelas coxas pendurando-o em sua cintura o levando daquele jeito até a casa de John.

John abriu e trancou a porta o mais rápido que podia e empurrou Sherlock contra ela e voltou a beijá-lo. O moreno afundou os dedos nos cabelos do mais alto e apertou fazendo ele gemer baixinho.

- Você quer ir para o meu quarto? – perguntou John, apertando a bunda de Sherlock.

Ele assentiu mordendo os lábios.

- Sim, por favor. Vamos logo. – apressou Sherlock.

John riu e começou a caminhar com ele em seu colo, ele nem se importou com o fato de os dois estarem com sapatos dentro da casa, não tinha como pensar nisso.

- Apressadinho, calma.

Sherlock fez biquinho e recebeu uma mordida no biquinho, ele foi posicionado delicadamente na cama com John sobre ele e suas pernas ainda entrelaçadas na cintura do mais alto, nenhum dos dois queria confessar, mas naquele momento eles aproveitaram para apenas se encarar e pensar o quão sortudos eles eram.

Sherlock puxou John para um beijo e ronronou ao ter o seu cabelo acariciado. John soltou os lábios de Sherlock, tirou sua blusa e atacou o pescoço dele, tendo as costas arranhadas pelo rapaz sob ele. Sherlock gemeu baixinho recebendo vários beijinhos no pescoço e logo sua blusa também foi tirada.

Num movimento rápido, Sherlock girou os dois na cama colocando ele por cima.

- Wow, calma ai, mocinho. – John riu.

O riso dele logo foi substituído por um gemidinho quando Sherlock atacou seu pescoço dando beijos e mordidas, quando Sherlock deu uns chupões em certo lugares John gemeu mais alto sabendo que ficaria marcado e como ele queria ficar marcado por Sherlock.

Os beijos de Sherlock desceram para o peito de John, beijando suas tatuagens e levando seus lábios aos seus mamilos, dando primeiro um beijinho. A sensação era tão nova e diferente que o mais alto deu um saltinho na cama se agarrando aos cabelos de Sherlock, que teve seus cabelos apertados quando ele passou a lamber um dos mamilos do rapaz.

- Ah… isso é bom… – afirmou John meio confuso sentindo seu corpo formigar maravilhosamente enquanto a língua de Sherlock trabalhava no seu mamilo, o espaço nas calças dele foram ficando apertados, insuportavelmente apertado.

- Nunca fizeram isso com você? – perguntou Sherlock, o seu hálito quente batendo contra o mamilo todo lambuzado de saliva.

- Não… não… – suspirou John.

O dedo de Sherlock deslizou sobre a saliva acariciando o mamilo de John e o olhou, o rapaz estava com a cabeça jogada para trás e os olhos fechados com força, seus quadris se jogavam contra Sherlock querendo uma fricção para aliviar aquela sensação tão forte.

- Você está gostando, John? – perguntou Sherlock.

- Mui-AH!

Sherlock abocanhou o outro mamilo de John enquanto beliscava aquele sob seus dedos.

- Tão sensível. – Sherlock sorriu quando largou os mamilos de John deixando-o arfante jogado na cama.

- Sherlock… caralho…

Sherlock sorriu malicioso quando John disse aquilo e olhou-o nos olhos. O mais baixo tirou os sapatos do outro e logo depois tirou as meias, ele aproveitou e remexeu seus pés e tirou seus sapatos também, jogando-os no chão, em seguida foi a vez de retirar a calça de John, a cueca dele fez Sherlock sorrir.

- É rosinha. – disse ele vendo a cor pastel adorável da cueca de John.

- Eu disse que elas dão sorte.

Sherlock sorriu e espalmou sua mão sobre o lindo volume nas cuecas de John, fazendo ele arfar baixinho. O rapaz se deitou de bruços e puxou levemente a cueca dele para baixo libertando a cabeça do membro dele, o quão ele deu um beijinho e uma leve lambida fazendo o outro se estremecer.

- Sherlock… por favor…

Sherlock sorriu maldoso e tirou a cueca de John, o membro dele pulsou algumas vezes querendo atenção. Sherlock pegou o membro de John em mãos e suavemente acariciou assistindo o mais alto se contorcer e gemer manhoso.

- Sherlock… por favor… – pediu John novamente.

Sherlock riu maldoso e lambeu todo o comprimento do membro do loiro, fazendo-o gemer longamente e levar suas mãos aos cabelos do moreno e acariciando. Sherlock ronronou ao ser acariciado, ele estava acostumado com homens que empurravam a cabeça dele para afundar o próprio pau na boca de Sherlock, porém John não, ele apenas acariciou o cabelo do moreno, o que fez ele sentir uma vontade imensa de engolir John inteiro.

E foi o que ele fez, Sherlock pegou o membro de John, rodeou a sua língua na cabecinha algumas vezes e afundou o pau dele em sua boca, bem lentamente para se acostumar com o tamanho. John puxou o ar como se estivesse a muito tempo dentro da água e depois gemeu manhoso quando a cabeça de Sherlock começou a subir e descer. Ah, como Sherlock era bom naquilo.

A boca de Sherlock era tão quente e úmida, tão boa. Ele afundava John em sua boca e lambia e dava beijinhos pelo membro dele todo, fazendo os olhos dele se revirarem.

- Sherlock… eu não vou aguentar assim. – avisou John.

Sherlock tirou-o da boca soltando-o fazendo o membro dele bater contra a própria barriga com um barulho molhado devido a sua saliva que cobria-o completamente. John arfou e sentou-se na cama levando suas mãos ao maxilar de Sherlock puxando-o para um beijo. Sherlock apertou os ombros dele e se entregou ao beijo sento lentamente deitado na cama, sem deixar de ser beijado.

John deu um selinho em Sherlock e pegou uma camisinha e lubrificante do criado-mudo, deixando-os em cima da cama, perto do mais baixo, que sorria suavemente olhando John subir nele e tirar-lhe as calças e as meias. Seus lábios abocanharam o membro de Sherlock por cima da cueca, dando beijos e lambidas só para provocá-lo, logo Sherlock estava arfando e se remexendo desesperado.

- John… – choramingou Sherlock – Não me provoca assim…

- Manhoso. – riu John baixinho.

Ele finalmente tirou a cueca de Sherlock e permitiu-se um momento para apreciar o corpo lindo que o rapaz tinha, ele parecia tão delicado, parecia que quebraria e como John adoraria deixar aquele homem todo marcado. O loiro colocou o mais baixo de bruços e pegou o lubrificante, passou pelos seus dedos de uma mão, levou um dedo à entrada de Sherlock e penetrou-o lentamente.

- Pode ir mais rápido. – afirmou Sherlock.

John obedeceu Sherlock afundando mais um dedo nele e estocando-os com vontade. Sherlock se contorceu e gemeu adoravelmente fazendo John sorrir. Quando John parou de repente, Sherlock gemeu alto e choramingou, ele ia reclamar, porém viu John colocando a camisinha e lubrificando seu pau.

- Você está pronto, bebê? – perguntou John se inclinando sobre as costas de Sherlock que já sentia o peso do membro de John entre suas nádegas.

- Sim… sim…

Sherlock agarrou o travesseiro e gemeu com John quando ele começou a penetrá-lo. O loiro deu um minuto para Sherlock se acostumar quando colocou-se completamente dentro, ao ouvir o rapaz reclamar, John passou a estocar, seu queixo encaixou-se no ombro de Sherlock e suas mãos foram uma para a cintura dele e a outra para o cabelo, puxando-o levemente para poder beijá-lo enquanto seus quadris estocavam com um ritmo gradativo e frenético.

Os dois rapazes gemiam e arfavam preenchendo o ambiente com seus sons que se misturavam com o som da pele dos quadris de John batendo contra a pele da bunda de Sherlock.

- Eu estou próximo, Sherlock. – avisou John, seu corpo estremeceu depois de algumas estocadas.

Sherlock gemia baixinho sentindo-se tão próximo também.

- John… – choramingou ele quando John saiu de dentro dele.

O loiro virou o mais baixo e colocou sobre suas pernas dobradas, sentando-o sobre seu colo, uma das mãos dele agarrou a carne macia da bunda de Sherlock e a outra enfiou-se entre eles e começou a masturbar Sherlock, que se agarrou a John como se fosse cair e gemeu manhoso toda vez que a mão de John subia para a cabeça de seu membro e a masturbava.

- Eu… vou…

John beijou Sherlock enquanto ele gemia e gozava entre os dedos de John. O rapaz largou da boca do loiro buscando por ar, arfando pesadamente sendo masturbado enquanto tinha um orgasmo, assim que ele passou ele afastou a mãos de John de si e gemeu baixinho vendo John levar a mão a boca e lamber o gozo dele que a havia lambuzado.

- Você é incrível. – afirmou John deitando Sherlock na cama.

- Eu sei. – gabou-se Sherlock fazendo John rir.

John deitou-se e esperou Sherlock vir abraçá-lo ou chegar mais perto, quando o rapaz nada vez, o loiro abriu o braço na direção de Sherlock o convidando a deitar-se ali. Sherlock fez o que John quis, ele não havia feito antes achando que John poderia achar intimo demais, ele abraçou John e deitou sua cabeça no peito dele, e logo os dois foram embalados num sono tranquilo.

No dia seguinte, John acordou primeiro, ele olhou para seu lado esquerdo e sorriu suavemente. Era a mesma cena de Vegas, Sherlock dormindo adoravelmente, com os lindos lábios entreabertos, dando pequenas respiradinhas calmas, com o rosto pacífico e o cabelo completamente desarrumado. O mais alto deu um beijo na bochecha de Sherlock lentamente, cuidando para não acordar o rapaz e saiu da cama com muita calma, se Sherlock respirasse mais forte, John parava onde estava.

Ele finalmente saiu do quarto e caminhou para a cozinha com seu celular em mãos, procurando no google receitas para panquecas, waffles e até bacon. Depois que ele pesquisou receitas de bacon sentiu-se idiota quando abriu um site que dizia “Coloca na frigideira quente e não deixa queimar”, isso era tão obvio, só que o loiro queria deixar tudo perfeito ninguém podia culpá-lo pela pesquisa idiota.

E John se pôs a cozinhar, seu estomago estava frio de medo de destruir tudo. Por precaução, ele deixou um extintor de incêndio sobre a bancada, só por segurança, era ele quem estava cozinhando.

Ele fez panquecas, ele experimentou e o gosto não estava horrível, a massa tinha empelotado um pouco, mas nada que alterasse o sabor tanto assim, nada que deixasse as panquecas intragáveis. John ficou orgulhoso de seus waffles, eles estavam lindos e ele ainda colocou pedacinhos de cubo de açúcar no meio da massa o que deixou o gosto tão docinho. O bacon talvez não estivesse tão no ponto quanto deveria e os omeletes um pouco salgados, era isso, John Watson conseguia decorar o esqueleto humano inteiro, porém não conseguia fazer omelete sem salgar.

Quando John estava colocando o suco no centro da mesa e estava prestes a ir chamar Sherlock, o que provavelmente não aconteceria ele iria ver o quão fofo Sherlock era dormindo e voltaria a trás, o mais baixo desceu as escadas.

O rapaz sorriu ao ver o loiro diante da mesa, ele se aproximou e o abraçou recebendo um selinho de bom dia.

- Dormiu bem? – perguntou John.

- Muito bem, e você?

- Não. – disse John – Você ficou em cima de mim a noite toda e me chutou e não me deixou dormir, eu vou ficar roxo amanhã, certeza.

Sherlock bateu no braço de John enquanto ele ria da cara de ódio que o mais baixo fez.

- Para. Eu durmo quietinho. – afirmou o moreno.

John sorriu e deu outro selinho nele.

- É verdade, dorme com um anjinho. – os dois se sentaram um de frente para o outro e John suspirou – Quem vê você dormindo nem acha que você é a mesma pessoa de ontem à noite.

Sherlock riu.

- Olha, se eu sou bom no que eu faço, ninguém pode me culpar. – disse Sherlock levantando as mãos com cara de falsa modéstia.

- Nossa! – John riu e aplaudiu – Como ele é transão! Fode mesmo!

- Só me diz o que você fez. – ordenou Sherlock.

- Antes, só diz para mim.

- O que? – perguntou Sherlock confuso.

- É um presente divino, não é? – John sorriu vitorioso fazendo Sherlock rir.

- Sim, é, na cueca rosa então, presentinho mais lindo.

- Ei! Presentinho não, presentão.

- Nossa que roludo ele. – zombou Sherlock que riu quando o outro lhe mostrou a língua – Então, o que você fez?

- Eu fiz bacon mal frito para mim, omelete salgado, não precisa comer, eu como já acostumei. – Sherlock negou com a cabeça e riu – As panquecas tem umas pelotinhas de farinha, porém não estão ruim e os waffles, meu querido marido, os waffles estão di-vi-nos. – John sorriu.

- Eu quero provar esses waffles então. – pediu Sherlock animado.

John pegou um waffle e colocou no prato de Sherlock, o moreno pegou seus talheres e cortou a comida e com o garfo pairando sobre o ar no caminho entre seus lábios e o prato olhou para John que o encarava de volta em expectativa. John era adorável.

- Prova. – pediu John vendo que Sherlock estava olhando-o sem entender.

O moreno finalmente comeu o waffle e seu cenho relaxou e ele olhou para John incrédulo.

- John Watson, que waffle delicioso é esse? – perguntou Sherlock cortando um novo pedaço e colocando na boca sem nem engolir o anterior.

John sorriu abertamente feliz consigo mesmo.

- Que ótimo que você gostou, fico tão feliz. – disse ele comendo seu omelete salgado e seu bacon – E seu quadro misterioso está pronto? – perguntou ele depois de engolir.

Sherlock assentiu.

- Sim, está pronto e já está na galeria com os outros três que fiz e dois mais antigos, só preciso fazer mais um e eles fecham um dia a galeria para fazer minha exibição. – explicou ele comendo e gemendo de tão boa que a comida estava, ele estava em choque de fato, John Watson sabia faze algo.

- Olha, a proposta do nu artístico ainda está de pé. – informou John.

- Você não ligaria de que todos vissem você nu, não?

- Querido, você me viu nu, você viu a personificação de Davi diante de seus olhos, Adônis tinha as minhas feições, não sei se você sabe?

Sherlock fez cara de tedio.

- Come seu omelete salgado, Adônis. – ordenou Sherlock.

John voltou a comer e de vez em quando olhava para Sherlock e torcia em silencio para que ele sentisse do mesmo jeito que ele se sentia.


Notas Finais


Amores, eu tenho um perfil no wattpad e eu to postando umas fanfics larry lá, se vocês tiverem amigos que curtem larry e puderem falar do meu perfil para eles, por favor, é aliendonnie, só pesquisar tem duas fanfics publicadas. Obrigada para quem puder ajudar :3

Comentem e me digam o que acharam.

Amo vocês, até a proxima e tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...