1. Spirit Fanfics >
  2. What I feel for you. >
  3. O plano entra em prática

História What I feel for you. - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - O plano entra em prática


Fanfic / Fanfiction What I feel for you. - Capítulo 13 - O plano entra em prática

Frost terminava uma ligação com um grupo de mercenários que outrora trabalharam para ele, após finalizar a ligação ele se dirigiu para o lado onde Carot realizava uma série de flexões no chão, o saiyajin estava naquele exercício desde a noite anterior e não derramou nenhuma gota de suor, o ice jin se questionava como isso seria possível.

—Posso saber o motivo de tanto treino? questionou cruzando os braços.

O sayajin tomou impulso e deu um mortal de costas parando perfeitamente em pé.

—Uma mente saudável precisa de um corpo saudável. Respondeu o sayajin ofegante.

“O corpo pode até ser saudável, mas a mente…” pensou Frost

—Tudo está pronto? questionou Carot colocando sua regata preta e vestindo uma jaqueta vermelha com anéis brancos na manga direita.

—Sim, meus antigos subordinados estão vindo para o ponto de encontro, mas você ainda não me disse qual é o nosso plano. disse Frost desconfiado.

—Estamos em um período político complicado, o imperador dos ice jins e o rei de Sadala estão indo fazer um acordo de não agressão. Disse Carot bebendo uma garrafa de água.

—E o que isso tem haver conosco? me dói o coração ao lembrar que perdi meu título depois fui preso. 

—Eles irão para a cúpula universal na lua sete, a cúpula possui um dispositivo semelhante ao que tirava nossos poderes na cadeia, eles vão estar desprotegidos, vamos realizar um ataque, quando chegar a hora e o dois morrerem você irá posar como um herói novamente e vamos arranjar alguma desculpa para livrar sua cara.

Frost ficou sem palavras, voltar a ser o imperador era tudo que queria, mas algo veio a sua mente.

—Espera, o que isso tem haver com nossa vingança? e o Kyabe? questionou confuso.

—Matar aquele merdinha não vai trazer de volta tudo que perdemos. Eu planejo culpar ele pelo ataque que vamos causar, deixe tudo comigo. disse Carot confiante.

—Como vamos incriminar ele e como vamos entrar na cúpula? ela está protegida até o último tijolo.

—O que acha que andei fazendo nesses dois meses? os guardas trabalham para nós agora.

Frost se chocou.

—Como….

—Alguns são ex-cúmplices meus, outros eu sequestrei a família e disse que qualquer piu e  teriam seus parentes de volta em pedaços, foi por isso que andei tanto tempo fora, noites em claro finalmente estão me recompensando. 

Frost ficou sem saber o que falar, aquele homem tinha praticamente tudo planejado.

—Nesse caso… vamos nessa.

Carot riu e pegou uma maleta.

—é assim que se fala—De dentro da maleta ele tirou uma garrafa de álcool e dois copos, em seguida ele encheu os copos—Um brinde, parceiro.

Frost pegou o copo e bebeu junto ao sayajin.

—Perfeito, quando começamos?

—Agora mesmo, você vai para o ponto de encontro, enquanto isso eu vou resolver alguns assuntos vitais para o desenrolar de nosso plano.

—OK, parceiro. Disse Frost com total confiança.

Os dois pegaram mochilas cheias de equipamentos que haviam desenvolvido ou comprado nesse tempo e juntos subiram pelo elevador. Ao chegarem na superfície eles se deparam com Kale na entrada.

—Merda. disse Carot ao ver a jovem na entrada.

—Eles disseram que você nunca trabalhou lá—Disse Kale andando lentamente em direção a Carot—Eu fui na construção ver como você estava e falaram que você nunca trabalhou lá… Eu vi que você estava meio estranho e andei seguindo você ultimamente—os olhos da sayajin se encheram de lágrimas— fiquei sabendo que Renso foi encontrado morto na mesma periodo depois que a gente se viu… eu não sabia como consolar a Caulifla e procurei você, você entrava e saia daqui de tempo em tempo e isso… o que significa isso…

Carot deu um suspiro de alívio, estava feliz de não ter mais que fingir, o sayajin pôs a mão no bolso ativando o mesmo dispositivo que usou para tirar os poderes de Renso e se aproximou de Kale lhe dando um abraço.

—Fico feliz que você veio.

Kale sentiu uma dor na barriga viu o sangue cair ao chão, notou a faca na barriga.

—Eu já estava cansado de você mesmo. Carot arrancou a faca na barriga da sayajin e deixou cair no chão, em seguida foi andando com Frost.

—E isso aqui? questionou Frost olhando para o chão.

—Deixa que as larvas cuidem disso, elas adoram lixo. Disse o sayajin sem expressão no rosto.

Carot pegou o comunicar em sua mochila enquanto entrava na nave escondida.

—Chegou a hora, plano Holocausto ativar. disse no comunicador.

Em uma central sayajin todos estavam entrando em suas naves a caminho da reunião entre os dois reis, Kyabe estava prestes a entrar na sua nave quando foi chamado a atenção por um engenheiro. Os dois foram para a sala de máquinas enquanto todas as naves decolam, Kyabe não tinha muita preocupação, poderia ir pelo teleportador na base, mas estava curioso pelo motivo de ser chamado.

—O que você quer comigo?

O engenheiro começou a chorar e tremer.

—Me… perdoe… ele está com minha…. família… eu não tive escolha…

Kyabe não entendeu até notar que as naves estavam todas explodindo em pleno ar e despencando do céu em cima da cidade onde estavam, em menos de um segundo uma chuva de fogo e sangue começou a cair sobre a base, Kyabe ficou tomado pelo choque que se tornou fúria no mesmo instante e agarrou o encheiro pelas roupas.

—Por que? questionou o sayajin com veias nos olhos.

Um som foi ouvido do bolso do engenheiro e Kyabe pegou o dispositivo de onde saiu voz de Carot.

—Fez um ótimo trabalho meu amigo, poupou o Kyabe exatamente como eu pedi. disse Carot com satisfação na voz.

Kyabe reconheceu a voz imediatamente.

—Você….

—Bom ver que se lembra de mim velho amigo, poupe sua ira vamos nós encontrar muito em breve e aí poderá dizer tudo que tem para falar.

—Eles não tinham… nada haver com isso…

—Tinham sim, você tirou o meu mundo e agora eu vou tirar o seu… pedaço por pedaço.

—Essas vidas não significam nada?

—pra mim eles eram como vermes na lama… não passam de lixo. disse Carot com o intuito de provocar Kyabe.

—Um verme como você… não deveria nem ter nascido. disse Kyabe com os olhos brancos de fúria.

—Pode ser, talvez eu fosse mais feliz assim, mas aqui estamos, até logo Kyabe. Carot desligou e o aparelho explodiu, devia estar programada para isso.

Kyabe parou para analisar as palavras de Carot, “Tirar seu mundo”. nesse instante ele percebeu.

—A reunião da cúpula. 

Na cidadela Carot terminou de passar pela mesma cirurgia com o mesmo médico.

—Pronto, não foi fácil reverter seu rosto ao normal, deveria descansar depois dessa cirurgia. disse o médico tirando as luvas

—Não precisa, eu me regenero rápido.

Carot se levantou para ver seu rosto no espelho e pegou crânio de seu irmão, o saiyajin começou a chorar enquanto sorria.

—Em breve maninho, vamos ter nossa justiça.

 


Notas Finais


O fim se aproxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...