História What I Need - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Howard Stark, Maria Stark, Steve Rogers
Tags Steve, Stony, Superfamily, Tony
Visualizações 272
Palavras 1.841
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei! E com o último capítulo.

Bom, foi muito louco escrever essa história. Ela foi um surto de criatividade, mas fazia tanto tempo que eu não tinha isso, então foi ótimo. rs

Obrigada a todos os comentários, vocês são sensacionais! Eu me diverti e adorei todos de verdade. ♡

Obrigada a Carla por betar, lembrando que se tiver erros culpem ela. HAUAHSHAHAJSHJ

E é isso, gente. Eu já tô com um projeto novo, mas dessa vez provavelmente será de HP, então eu não sei quando voltarei na categoria Marvel. /foge

Boa leitura. ;*

Capítulo 4 - Feelings


Fanfic / Fanfiction What I Need - Capítulo 4 - Feelings

CAPÍTULO IV – TONY 38; STEVE 50


"I'm hooked on all these feelins

I know exactly what I'm feelin

This love asylum, like an island, just me and you"


Anthony tamborilava os dedos em seu copo de whisky. Mesmo que Steve odiasse aquela mania que ele tinha de beber pela manhã, Tony sabia que era happy hour em algum lugar do mundo, então não via problemas. Ele estava ocupado relembrando como foi o primeiro ano de casado, Steve era tão certinho que chegava a dar nos nervos e morar longe de seus pais estava deixando Tony nervoso. Ele era apegado em Maria, amava a mãe como a melhor mulher do universo que ela era e Howard era um pai falho, mas um ótimo pai. Afinal, são poucos os homens que aceitam o melhor amigo com o filho, mesmo que ele tivesse acertado um soco potente no queixo de Steve.

Tony arrepiava em pavor só de lembrar do momento. Steve nem mesmo reagiu e o jovem Stark foi obrigado a se colocar entre o pai e o amor de sua vida. Felizmente Maria defendeu Steve e então Charlotte estava passando um sermão de meia hora sobre como Howard Stark estava errado em determinar que eles não poderiam se amar, tendo Libby para reforçar o momento. Naquele dia Bucky Barnes estava tão orgulhoso da mulher e sua melhor amiga, que por coincidência era ex namorada do Sargento.

Depois disso Howard conversou como uma pessoa civilizada e ele conseguiu entender o lado dos dois. Felizmente, isso eram águas passadas e já faziam treze anos que ele estava firme e forte com Steve Rogers. Eles casaram em uma cerimônia íntima, nada muito chique e tudo ocorreu bem com ambos resolvendo permanecer com os próprios sobrenomes. Foi um acordo mútuo que eles tiveram após conversar sobre isso durante alguns minutos, então sem problemas de ambas as partes.

— Papai! — Um garotinho moreno correu até Tony, pulando em seu colo. — Tia Lottie chegou! Você precisa ver a barriga dela!

— Garoto fofoqueiro, parece o Steve. — Libby apareceu ao lado de Charlotte, as duas lançando sorrisos amigáveis para Tony. — Eu tenho certeza que é happy hour em algum lugar do mundo.

— É o que eu sempre digo, mas meu marido não entende. — Anthony respondeu e levantou com Peter em seus braços. — Como vocês estão?

— Eu estou grávida, isso diz tudo. — Charlotte jogou a bolsa no sofá e aproveitou para sentar. Carregar uma barriga de seis meses não era fácil. — Continuo odiando Bucky, agora ainda mais.

— Ela ama a maternidade. — Libby salientou, sua mão ocupada em acariciar a barriga de cinco meses. — Nossos filhos serão primos! Se dermos azar os dois ficam juntos.

— Que Deus não permita. — O marido de Libby, Thor, estava ao lado de Bucky. Os dois cumprimentaram Tony com apertos de mãos.

— Onde está Steve? Ele sempre vem nos receber. — Bucky sentou ao lado de Charlotte, colocando a mão em sua barriga.

— Ele está cuidando de Mave e Tommy. — Stark colocou Peter no chão e o garoto correu escada acima. — Papai e mamãe estão viajando de férias, eles alegaram que precisavam de outra lua de mel.

— Bucky, você precisa ser como Howard. Ele sabe como conquistar uma mulher. — Charlotte implicou e o marido revirou os olhos.

— Eu também quero, Thor. — Libby foi até o marido e envolveu o braço no dele. — Nós poderíamos ir para o Caribe.

— Você diz "nós" e eu sei que isso abrange todo mundo que está aqui. — Thor resmungou, mas o sorriso de Libby o fez ficar quieto. — Nós podemos pensar sobre isso.

— Anthony, eu preciso de ajuda aqui. — Steve desceu com os gêmeos Mave e Tommy nos braços, mas seus olhos capturaram o copo na mão do marido. — Nós já conversamos sobre isso.

— Temos convidados, esse é um ótimo momento pra você dizer "oi". — Tony foi até o marido e pegou Tommy nos braços, balançando o filho com cuidado. — Bom dia, pequeno.

Tommy abriu um sorriso sem dentes para o pai. Anthony era apaixonado por seus filhos assim como Steve, eles tinham adotado Peter depois de visitarem um orfanato e descobrirem que os pais dele tinham morrido em um acidente e que a parente mais próxima não tinha condições de cuidar dele. Peter Stark era um garoto de ouro, ele era amoroso, gentil e amava seus irmãos mais novos. Mave e Tommy foram frutos de inseminação artificial e barriga de aluguel, nove meses depois os bebês Rogers estavam nos braços dos pais e ambos eram dois idiotas apaixonados por seus três filhos.

— Bom dia, pessoal. — Steve cumprimentou os amigos. — Vamos tomar café da manhã?

Todos os presentes foram para a sala de jantar dos Stark's e tomaram o café da manhã servido por Judith, a nova empregada já que Margareth estava aposentada e curtindo a vida em algum lugar do mundo. Steve observou ao seu redor, Tony ajudava Peter a comer sem sujar a roupa, Libby estava ocupada paparicando Mave com pedacinhos de morango e Madison, que tinha descido a pouco tempo, conversava com a prima e discutiam nomes para bebês. Barnes estava conversando com Thor sobre uma possível viagem e Tommy sujava a roupa do empresário com o pudim que ele pegou do prato do homem.

— Thor, acho que você tem um problema. — Rogers apontou para a sujeira e o homem riu, sem se preocupar. — Tommy é hiperativo como o pai.

— Diz o senhor "não consigo ficar parado por muito tempo". — Anthony fez aspas com a mão, repetindo o que Steve tinha dito na semana passada após o moreno sugerir ficar na cama o dia todo. — Charlotte, Libby vocês já escolheram os nomes?

— Ainda não, estou entre James ou Harry. — Libby ofereceu um pedaço de mamão para Mave e ela pegou lambendo com felicidade. — Mas Thor acha que James Odinson combina mais.

— É um nome forte. — Steve concordou, era bonito e combinava. — E você, Lottie?

— Eu quero Adrian ou Sebastian, mas ainda estou pensando. — Charlotte foi interrompida por Bucky que a encarou indignado.

— Eu quero James Buchanan Barnes II.

— Que bom que ninguém liga pro que você quer. — Libby fez pouco caso do homem e Barnes bufou, indignado. — Essa criança nem vai querer nascer com um nome horrível desses.

— Foi o que eu disse, mas ele continua insistindo. — Charlotte suspirou, dramática como sempre. — E se o meu chamar James e o seu chamar James não vamos saber qual James estamos chamando.

— Elas tem um ponto. — Madison intrometeu apontando a colher para Bucky. — Sebastian é um nome bonito.

— Acho que Sebastian Buchanan Barnes fica aceitável. — Tony opinou, tentando garantir a paz do ambiente.

— Eu gosto. — Charlotte concordou e Bucky ficou surpreso. — O que?

— Você odeia Buchanan.

— Eu também odeio você e nós somos casados.

Thor fez um aceno concordando e Steve seguiu o amigo. Com aquilo a discussão foi encerrada e eles entraram em uma conversa sobre quanto tempo Howard e Maria demorariam nessa nova lua de mel. Steve e Tony estavam morando com os Stark's faziam sete anos, desde que Peter tinha entrado para a família e tudo seguia bem. Steve tinha se aposentado do exército e se dedicava ao seu talento especial: desenhar. Ele descobriu o quanto amava quando começou a fazer desenhos de Tony e percebeu que poderia se dedicar a isso para viver.

Eles tinham uma vida confortável. Tony tinha assumido as Industrias Stark junto com Howard e eles se davam muito melhor agora do que na adolescência do moreno. Eles mantiveram os amigos importantes e tiveram algumas somas, como Thor e o namorado de Madison, Loki, que era irmão de Thor.

— Eu preciso ir, Loki vai me levar em um shopping novo. Ele já deve estar me esperando. — Madison se despediu rapidamente e correu pra fora da mansão Stark.

— Parece que esse namoro tá firme. — Tony tomou mais alguns goles do café forte.

— Ela mantém Loki em rédea curta, é bom ver meu irmãozinho tomando jeito. — Thor sorriu, ele gostava de Madison. — O único problema é juntar os dois com essas duas. — Ele apontou para Libby e Lottie que fofocavam entre elas.

— Imagino. — Steve riu da cara de Bucky fez em descontentamento. — Vamos aproveitar o dia então, meus amigos.

E eles aproveitaram na piscina. Peter brincou com Bucky e Thor, os dois eram os tios mais legais que ele tinha e o garoto os adorava. Lottie e Libby fofocavam sobre gravidez enquanto seguravam Mave e Tommy, e o casal Rogers-Stark aproveitavam o momento para nadar livremente na piscina.

Foi um bom final de semana, como todos eram desde que Steve e Tony, carinhosamente apelidado de Stony por Madison, estavam juntos. Eles tinham uma família bagunçada e louca, mas era uma família de verdade.

Após o jantar os convidados foram embora, eles prometeram que a próxima vez seria na casa de Thor e saíram conversando animadamente sobre quando os próximos bebês estivessem na família.

Steve pegou um Peter exausto no colo e Tony subiu com Mave e Tommy. Ele deixou os bebês em seus berços no quarto que ficava ao lado do dos pais e seguiu para o de Peter, onde Steve já cobria o filho. Ambos deram beijos na cabeça do filho e saíram do quarto, mantendo a porta entreaberta.

— Temos uma família bagunçada. — Steve riu, pegando a mão do marido e seguindo até o quarto deles que era o antigo quarto de Tony.

— Isso é bom, nós também somos bagunçados. — Tony envolveu a cintura do marido quando já estavam no quarto, seus lábios selando aos do homem com carinho. — Correção: você nos fez bagunçados, mas agora nós somos juntos.

— Você sempre pronto pra jogar isso na minha cara. — Rogers se afastou do marido rindo e trocou a roupa pelo pijama, se jogando na cama.

— É um dom, Stee. — Tony tirou a roupa e ficou só de boxer, deitando ao lado do marido. Steve deitou de lado e o moreno apoiou a cabeça em seu braço direito, os braços de Anthony envolta da cintura do loiro e os de Steve na cintura do moreno.

— Eu te amo, Anthony. — Steve sussurrou, colando seus lábios por alguns ínfimos segundos.

— Eu também te amo, velhote.

Steve sorriu, aquela palavra já tinha o machucado um dia e causado uma escolha errada, mas em toda a sua jornada ele não mudaria nada afinal Tony Stark estava em seus braços e ficaria por muitos anos. A palavra virou símbolo de deboche, como muitas outras coisas que Anthony falava e o loiro só poderia sorrir e aceitar. Porque era assim, daquela forma debochada, que Anthony Stark completava Steve Rogers.

E ele não viveria sem isso.


Notas Finais


É simples, mas eu amei essa interação família deles.

Agora deixa eu fazer uma pergunta: O que vocês acharam das personagens originais Charlotte, Libby e Madison?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...