História What I'm feeling? (Karmagisa) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Ansatsu Kyoshitsu (Assassination Classroom)
Personagens Kaede Kayano, Karma Akabane, Nagisa Shiota
Tags Casamento, Karma X Nagisa, Karma X Okuda, Karmagisa, Nagisa X Karma, Nagisa X Kayano, Yaoi
Visualizações 67
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente.... Que vergonha!

Eu sumi do mapa nessa fanfic a tipo... Seis meses? Ou até mesmo mais! A vontade de me bater é grande!
Mas como eu sempre digo... Eu sou péssima com prazos :'v

Eu sei! Eu sei que eu deveria responder todos os comentários maravilhoso pedindo por mais dessa fanfic( aliás, obrigado pelo apoio e elogios ^^) mas eu estava tão envergonhada por passar meses sem postar que acabei nem respondendo! Podem tacar pedras em mim!

Capítulo 3 - Três minutos


Pov Nagisa

Dizem que de acordo com a ciência, os corpos de algumas pessoas conseguem prever acontecimentos ruins demonstrando alguns sinais muitas vezes despercebidos.

O corpo fala. Não diretamente, claro. Eu imagino como um pequeno sistema que aos poucos vai entrando em pane e dando o alerta vermelho para todo o resto. Mente criativa não?

Estava amarrado em uma cadeira.

Apenas um som eu conseguia ouvir, o som de minha respiração ofegante e de gritos silenciosos tentando sair de meus lábios. Sim, eu estava preso. E não sabia aonde.

Um calafrio percorreu a minha coluna arrepiando meus pelos e me deixando mais desordenado ainda dando a clara impressão de perigo.

Minha voz não sai, é como se um pano estivesse tapando minha boca me impedindo de fazer qualquer coisa na região. E o pior é que sinto que estou ficando sem ar. A cada segundo é como se uma maré de angústia me atingisse com doses cada vez maiores.

Passos, passos a minha frente. Eu consigo escutar! Não sei se comemoro ou me arrepio mais. Eles seguiam lentamente até a minha direção, como se fossem atacar a qualquer momento ou até mesmo fazer algo pior… e o rosto da Pessoa eu não consigo decifrar.

Eu não a reconheço, porém claramente ela é muito maior que minha pessoa sentada, tanto que é necessário se agachar para falar comigo. Frente a frente, o rosto embaçado me dá um sorrisinho e me pergunta algo que não consigo decifrar; eu não consigo escutar, nenhum som e palavra sai de sua boca.

Aos poucos o sorriso da pessoa desaparece e é possível perceber sua expressão decepcionada. Olhava para seus pés sem levantar o rosto e lentamente se aproxima de meu ouvido. Ah que agonizante, eram segundos para a desgraça passar poucos centímetros! Parecia que queria me torturar.

Ao chegar realmente próximo, é como s

-Eu te amo, por que fez isso comigo? - E um mar de lágrimas foi possível ser sentido nos meus ombros.

Pov Autora

Nagisa acordou assustado. Deus, o que havia sido aquele sonho? Ou melhor, pesadelo?

O que tudo significava?

Quem era aquela pessoa?

Era um homem? Ou uma mulher?

Por que sonhou com aquilo?

Estava ofegante e encharcado de suor, literalmente da cabeça aos pés. Passou a mão no cabelo azul puxando os fios levemente para trás em uma tentativa de tentar se acalmar e retomar a respiração normal. Ah, ele não se esqueceria tão facilmente daquilo, com certeza não.

Se levantou da cama ainda cambaleando mal conseguindo ficar de pé e partiu em direção a cozinha. Desgastado já imaginado o pior possível daquela manhã (Ou até mesmo dia), apenas se jogou na cadeira da cadeira parando para refletir e tentar se acalmar.

Tentativa falha? Sim. Aquele maldito sonho, o casamento,  dia seguinte ele daria aula e ainda por cima havia discutido com a esposa. Ah como queria um chá de camomila.

Esposa?

Chá de camomila?

KAYANO?

Em um pulo Nagisa se levantou e começou a procurar pela esposa. Aonde ela estava? Será que a discussão a fez ir embora? Ela não podia ter ido embora! Ele não podia acreditar nisso, e mesmo rodando a casa inteira não a encontrou.

Sim ele estava desesperado. E se tivessem a machucado? Ou sequestrado? Ou até mesmo matado?

Foi aí que pensou na probabilidade de ligar para ela. E adivinha só? Estava em um plantão de última hora. O que, achando o azulado um burro por não pensar na possibilidade? No pânico as pessoas pensam no pior e só fazem besteira.

Combinaram de conversarem melhor quando a mesma voltasse para casa e encerraram a conversa fazendo o professor caminhar lentamente até a mesa e começar a corrigir alguns trabalhos no qual seus alunos o entregaram. Seria um longo dia chato e entediante se apenas isso acontecesse, mas o que ele poderia fazer? Era um adulto com responsabilidades e cheio de coisas para fazer.

A vontade de simplesmente tacar o fodase e sair andando cidade à fora era grande, diria até maior que um poste de luz. Um anjo poderia salvá-lo? Ou melhor dizendo… um demônio?

O celular havia vibrado com a notificação de alguma mensagem, um convite para sair de ninguém mais ninguém menos que Karma Akabane.

Francamente, haviam se encontrado no dia anterior! Qual a necessidade de se encontrarem novamente? Apenas ignorou a mensagem e voltou a trabalhar sendo que nem dois minutos depois recebeu uma ligação.

Atendeu com a maior vontade do mundo já sabendo do que se tratava.

-O que foi Karma-kun?


-Nagisa! Sabia que sou bastante carente?


-Carente o suficiente pra me ligar num domingo?


-Sim! Fala sério até parece que você não está trabalhando…


-C-claro que não! Estou descansando!


-Eh? Então não se importaria de sair comigo né?


-E porque faria isso?


-Pra provar que você não é um maníaco por trabalho, é claro!


Nagisa revirou as íris azuladas se contendo para não mandar o ruivo ir… tomar um suco bem gostoso no CÚrito’s! O melhor lugar para comer burritos de Tóquio!  Não pense que Shiota é um mal-educado, ele até o acompanharia… SE LÁ NÃO CUSTASSE UM RIM PARA TOMAR UM COPO DE ÁGUA! Apenas os ricos dos ricos iam naquele lugar.


-Sua proposta está recusada. Além do mais eu já gastei dinheiro ontem, não quero gastar de novo.


-Nem se eu… pagar para meu caro amigo (e pobre) amigo de cabelo azul que é casado com a maravilhosa cirurgiã Kaede Kayano?


Ok, Karma realmente estava jogando sujo agora. Nagisa estava louco para comer uns burritos e essa proposta tentadora apenas piorava a situação… Sanidade o ajude nesses momentos!


-Você pagaria se fôssemos no Cúrito’s?


-Eh? Então a princesa cú doce aceita meu convite para almoçar?  E que horas eu deveria ir te pegar Muito lady?


-Já me arrependi, Tchau.


-Onze e quarenta eu estou em frente a tua porta.


E assim finalizou a chamada. E sabe de um problema? Nesse exato momento estão marcando onze e vinte. Vinte minutos para: arrumar a casa, tomar banho, se arrumar e esperar Karma. Obviamente não daria tempo e ele não perderia esse almoço por nada.


“Kayano,  estou saindo para almoçar com o Karma. Quando chegar em casa prometo arrumar as coisas bagunçadas.” digitou correndo já tirando a roupa.

Tomou um banho correndo mal molhando os cabelos direito e saindo pra vestir uma roupa.

Onze e trinta e sete ainda estava colocando uma camiseta apropriada e a campainha tocou. Pelo menos aquele maldito havia se tornado pontual com os anos.

Abriu a porta e se deparou com o ruivo sorrindo de orelha a orelha. Estava cheirando a café es escritório.

-Ainda não está pronto? Fala sério e eu ainda te dei bastante tempo para se arrumar- disse segurando o riso.

-Vinte minutos não dá para se arrumar! Além do mais você chegou três minutos adiantado!

-Da na mesma…

-Claro que não! Três minutos pode mudar vidas!

-Uhum… Claro… então vamos indo?

Nagisa apenas calçou um sapato e trancou a porta acompanhado Karma logo depois.



-Você pagaria se fôssemos no Cúrito’s?


-Eh? Então a princesa cú doce aceita meu convite para almoçar?  E que horas eu deveria ir te pegar Muito lady?


-Já me arrependi, Tchau.


-Onze e quarenta eu estou em frente a tua porta.


E assim finalizou a chamada. E sabe de um problema? Nesse exato momento estão marcando onze e vinte. Vinte minutos para: arrumar a casa, tomar banho, se arrumar e esperar Karma. Obviamente não daria tempo e ele não perderia esse almoço por nada.

“Kayano, estou saindo para almoçar com o Karma. Quando chegar em casa prometo arrumar as coisas bagunçadas.”digitou correndo já tirando a roupa.

Tomou um banho correndo mal molhando os cabelos direito e saindo pra vestir uma roupa.

Onze e trinta e sete ainda estava colocando uma camiseta apropriada e a campainha tocou. Pelo menos aquele maldito havia se tornado pontual com os anos.

Abriu a porta e se deparou com o ruivo sorrindo de orelha a orelha. Estava cheirando a café es escritório.

-Ainda não está pronto? Fala sério e eu ainda te dei bastante tempo para se arrumar- disse segurando o riso.

-Vinte minutos não dá para se arrumar! Além do mais você chegou três minutos adiantado!

-Da na mesma…

-Claro que não! Três minutos pode mudar vidas!

-Uhum… Claro… então vamos indo?

Nagisa apenas calçou um sapato e trancou a porta acompanhado Karma logo depois.

“A forma na qual você sorri… Isso me agrada tanto… Acende uma chama no.meu coração. Isso é estranho… Pensei que havia deixado de ficar doente.”


Notas Finais


É isso seus lindos ;>
Espero encontrar vcs antes do final do ano kkkkk (estou rindo mas estou chorando ;u;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...