História The love is dangerous- Clace - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Personagens Originais, Raphael Santiago, Simon Lewis
Tags Clace, Clary Fray, Isabelle, Jace Herondale, Jocelin, Magnus, Malec, Shadowhunters, Simon
Visualizações 660
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi mores. Estou com um novo capitulo. Dessa vez o começo de verdade nada de apresentação. Bora pro capitulo.
Boa leitura <3

Capítulo 2 - Two


POV CLARY

Estávamos no avião já a algumas hora e eu não aguentava mais, sou uma pessoa que nunca curtiu muito aviões. Meu pai tinha que ir o caminho inteiro me mandando ficar calma que não iriamos morrer. Sem contar os trocentos remédios que eu tomava pra dormir e não funcionava. Se eu ficasse mais uma hora acordada eu ia sair gritando. Se bem que só meu pai veria essa cena então não importa tanto. Os guardas dele também.

Depois de um tempo consigo dormir. E começo a sonhar com minha mãe. Que ela pintava uma paisagem linda onde se encontrava varias flores e deitada nelas estava eu ela Sebastian e o papai

Mas Valentine me acorda dizendo que chegamos. Tenho que confessar que fiquei um pouco puta por ele ter me acordado de um sonho tão fofo

Descemos do nosso jatinho e vi a mansão Morgenstern com um loiro falsificado na porta.

Estava com tanta saudade desse loiro. Ele vem ate nos e eu pulo em seu colo lhe dando um abraço super apertado.

- Minha redhead. Que saudade.- Diz meu irmão

- Também estou com muita saudade de você meu loiro falsificado.

- Sebastian. Vejo que você esta muito mais velho que quando o deixamos aqui.- Diz meu pai observando meu irmão.

- Pai sou eu. Deixe a formalidade de lado quando estiver conosco. - Diz ele indo ate meu pai e o abraçando.

Ele que antes estava com a postura impecável agora relaxa um pouco deixando seus ombros caírem. Apesar de a expressão mais relaxada aquele terno o fazia ficar muito serio. O que eu detestava. Pois meu pai era realmente brincalhão e divertido quando não estava com aquela coisa.

- Vamos entrar.- Chama meu irmao indo em direção a porta de nossa casa.

- Por favor levem as nossas coisas para os nossos devidos quartos. E peço que tragam um catalogo para que Clarissa redecore o seu quarto com o seu atual gosto 

- Ok senhor. -Um dos homens de meu pai disse.

Entramos naquela casa que agora seria meu novo lar.  Ela era bem chamativa. Os grandes lustres davam uma impressão acolhedora e sofisticada ao mesmo tempo. Os grandes sofás eram a minha parte preferida depois da geladeira da TV e do meu quarto claro.

- Meu quarto ainda está como ele era antigamente? - Pergunto um pouco animada para entrar nele de novo

- Sim eles não tocaram em nada. Só para limpar mesmo.

 - Preciso vê-lo antes de muda-lo.

Subo as escadas correndo quase tropeçando em cada degrau mas chego em meu quarto ainda viva. Vejo um quarto rosa bebe e branco com uma cama enorme parecida com a de uma princesa. Com uma colcha impecavelmente arrumada e vários travesseiro variando da cor rosa para a azul. Olho o meu antigo violão e o meu teclado no canto do quarto. Tão pequenos para eu conseguir tocar. Minha penteadeira branca e minha poltrona confortável e adequada para aquela penteadeira. Que em cima tinha uma caixa de joias em formato de bailarina alguns perfumes que eu usava quando criança e alguns pequenos detalhes que deixava aquilo mais fofo e leve para uma criança. Do lado da minha cama tinha a cômoda de pelúcias. Varias pelúcias que eu adorava quando criança ainda estavam la. Tudo sem nenhuma poeira. Também tinha do outro lado de minha cama o meu criado. Com um abajur em forma de coroa. E algumas fotos de minha família.

Aquilo tudo me lembrava de cada um dos momentos que eu passei naquele quarto. Das vezes que eu fazia arte e mamãe me defendia. Quando eu me machucava e ia chorar escondidinha. A mamãe sempre estava la. Para me ajudar. Agora ela se foi. Me sento em minha cama e sinto as lagrimas quentes escorrem por minhas bochechas.

Sebastian entra no quarto e vem me abraçar. Então eu choro mais ainda.

- Sua cara vai ficar toda manchada depois pela maquiagem você sabe disso ne?

- Primeiro: Eu não uso maquiagem minha beleza é natural. Segundo: Foda-se a maquiagem.

- Essa é ruivinha invocada que eu conheço. Ruivinha o Instituto é interno. Então você vai arrumar o seu quarto mais vai morar praticamente no Instituto

- Não vou ver mais nosso pai?

- Eles nos liberam no fim de semana.

- Ufa.- Suspiro

Depois de um tempo um homem me da um catalogo de moveis de quarto e um de cores de parede.

Então eu e Sebastian passamos o dia todo escolhendo as coisas pro meu quarto. Ate que ficou bem legal. Escolhi uma cama de casal branca muito bonita. Uma penteadeira branca com pequenos detalhes pretos e varias luzinhas brancas em volta e uma cadeira branca. Em cima da penteadeira havia uma pequena Torre Eiffel. Alguns perfumes pretos e dourados para decorar. E algumas maquiagens rimel, lapis, delineardor, batons e vários pinceis dentro de um pote parecido com uma caneca e nele dizia #tumblergirl

Do lado da minha cama um criado branco. Com um abajur em forma da clave de Sol E alguns porta retratos meu e de minha família. Os mesmos porta retratos de antes só que agora em molduras diferentes. No canto esquerdo do meu quarto havia uma guitarra preta e o meu teclado. Tudo bem que tinha sala de instrumentos na casa mas não queria ter que ir la toda vez que fosse tocar um instrumento. A parede do meu quarto foi pintada um lado de bege e as outras de branco. No teto tinha alguns desenhos feitos com leves pinceladas pretas. E o meu closet também já havia sido arrumado. A gaveta de minha penteadeira já estava com todas as minha coisas de maquiagem e o meu banheiro também havia sido decorado. Tinha uma banheira enorme parecida com uma piscina e uma TV também. No meu quarto e no meu banheiro haviam ar conficionado. E também tinha em cima da pia vários perfumes meus. Na verdade todos os perfumes que eu tinha estavam ali. 

Depois de tudo arrumado eu desci com o Sebastian para a sala de jantar pois já estava na hora do jantar.

- Estou morta de fome. Vamos comer.

Falo me sentando do lado de meu pai que sentava na ponta da mesa e Sebs se senta do seu outro lado.

Eles começam a colocar as coisas na mesa e nos servimos com um lasanha maravilhosa e um suco natural de laranja. Depois de sobremesa havia Petit Gateau.

Depois de comermos fomos para a sala de estar conversar então alguém entra na nossa casa gritando

Continua


Notas Finais


Tchau amores. Espero que tenham gostado. Comentem o que acharam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...