História What is Love - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Detroit: Become Human
Personagens Connor, Personagens Originais
Tags Amor, Become, Connor, Detroit, Hank, Human, Policial
Visualizações 37
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oii,volteiii meus bbs♡•♡
Fiz o mais rápido q pude pra dar um cap. pra vocês, boa leituraa☆☆

Capítulo 2 - Shades


Fanfic / Fanfiction What is Love - Capítulo 2 - Shades


•CONNOR P.O.V•
 -Hank, está bravo comigo?- perguntei curioso e apreensivo ao mesmo tempo, ainda tenho dificuldades para compreender Hank de vez em quando
- Por que raios eu estaria?- falou comigo enquanto mexia em seu notebook 
- Cheguei atrasado.- o olhei, estava na minha mesa de frente para a dele
-Connor, foi um atraso! Deixando bem claro que eu não fico puto com seu atraso, okay! Quem sempre se atrasa é eu, nem por isso fico puto comigo.- ele revirou os olhos e levanto-se- Vou buscar café
- Ok tenente.- assenti e fiz meu trabalho, precisava olhar o site da polícia de Detroit
 Bastou uma olhada rápida e percebi que nada de importante havia ali. Observei por um instante as pessoas ao meu redor, mas uma em especial, a garota de antes, sendo seguida por...Gavin? Ah...certeza que não vai dar bom. 
 Levantei-me e segui eles antes que sumissem de vista. Aparentemente ela não percebera a presença dele. Consegui me esconder atrás de uma parede que levava á escadaria e observei tudo.
“-(S/n) minha querida, onde está indo? “ dito aquilo, ele puxou ela e só vi os movimentos bruscos que ele estava fazendo á ela, segurava seu pescoço e pulso. Eis a dúvida: intervir ou não intervir? Não intervir, caso contrário ela vai achar que sou bisbilhoteiro e Gavin iria querer me machucar na certa...Acho que é melhor eu esperar e conversar com ela mais adiante... 
Apenas observei tudo, pelo o que entendi, Gavin deveria ter pedido algo á ela e ela não quis, agora está atrás dela. Eu preciso fazer algo, ou então ela vai estar ferrada nas mãos daquele idiota! Assim que ele saiu, adentrei mais para baixo nas escadas e ele não me viu. Fiquei raciocinando até perceber (S/n) saindo  e olhei-a, pensei : “O que ele tem contra nós?”...Logo voltei, se Hank não me encontrasse em minha mesa ficaria muito...”puto”. 
-Connor, onde você tava?- ele perguntou já bebendo o café
- Precisei ir no banheiro.- falo a primeira alternativa que me vem á cabeça
Péssima escolha Connor!
-Qual é, você não precisa ir no banheiro! Ah...já sei, foi ver se estava bonito! -Hank riu- Essas suas manias , Connor...
- Sim, eu não me aguentei... Desculpe, vou continuar meu trabalho...- dito e feito
 Após o resto da tarde lendo, investigando, nosso horário havia acabado e voltei para casa com Hank. Bem...não tenho uma casa, antes eu morava na CyberLife, mas depois que me tornei “divergente” não fui mais aceito lá e Hank ofereceu suaa casa por um período, até que conseguisse a minha. Ele disse que eu precisava saber como é a “realidade”, eu disse que tudo bem, afinal, é justo.
 Como podia tomar banho, cheguei e corri para o banheiro, eu queria um banho e queria recarregar as energias, também preciso descasar, não é mesmo? Eu era rápido e logo Hank podia tomar banho. Depois de arrumar a cama de Hank, ele foi dormir e eu era responsável pela comida de Sumo(cachorro) e de apagar as luzes ,checar tudo etc. Feito isso, me ajeitei no sofá e Sumo logo subiu em cima de mim, então dormi.
[Dia seguinte]
 Levantei-me ainda com a escuridão das manhãs de inverno, liguei as luzes da cozinha e fui preparar comida para Hank, na verdade um café preto e algumas panquecas com bacon, ele adorava. Depois disso fui me ajeitar no banheiro para o trabalho, reabasteci o pote de água e ração do cachorro e esperei que Hank acordasse. 
- Bom dia Connor. Olá Sumoo, ele te tratou bem?- logo o avistei descer as escadas todo escabelado e foi até a mesa pegar a comida
- Bom dia Hank, já fiz tudo. Pensei em ir mais cedo para a delegacia, quero passar instruções completas á (S/n) e adiantar o serviço.- falei abrindo as cortinas ao perceber que o sol estava nascendo
- Bom,se quer tanto, pode ir. Vou comer e me trocar primeiro.- ele disse enquanto bebia seu café quente e acariciava Sumo
- Sim, Hank. Vou ir a pé. 
- Tome cuidado.- alertou-me antes que eu saísse pela porta
Aceno dando tchau e vou andar nas ruas. As pessoas são apressadas e parecem sempre ocupadas, distraídas...foi o que pensei. Isso foi a única coisa que não mudou até hoje e acho que nunca mudará... Perdido em meus pensamentos, mal percebo que já me encontrava de frente para o meu destino. Entrei e segui até minha mesa, no caminho dava bom dia aos que já estavam trabalhando. Alguns respondiam, outros ignoravam e outros me olhavam feio. Finalmente chego á minha mesa e me sento.
 - Connor, bom dia!- ouço uma voz familiar, logo identifico ser (S/n)
- Bom dia, como foi sua noite?- perguntei me virando e estendendo minha mão
 Hoje (S/n) estava vestida com uma roupa diferente. Era uma calça preta, uma sapatilha cor vinho e uma camisa social vermelha escura, estava com os cabelos soltos, ela tinha franja, não percebi isso da primeira vez, pois ela usava o cabelos preso para trás. As tonalidades de roupa faziam um ótimo contraste com os olhos verdes dela...
-Sim, e a sua?- ela deu um aperto de mão e sorriu largando sua bolsa na mesa vazia, que seria dela agora
- Foi boa.- respondi e esperei que ela se instalasse em seu novo “escritório”- Posso te fazer uma pergunta?
- Ah...pode...- a garota me olhou confusa mas acabou cedendo
- Acha que é melhor trabalhar sozinha ou conosco? – acabei fazendo outra escolha, talvez optar por falar sobre Gavin e ela acabaria com nossa amizade que ainda nem possuíamos 
- Bem...- pensou um pouco e olhou para mim- Acho que com vocês. Parecem ser muito legais e trabalham bem, pelo menos não serei tão solitária, trabalhar sozinha é estressante também! 
- Deve ser mesmo. Gostaria de algo para beber até que Hank chegue?- pergunto enquanto ligo o notebook
- Se não se incomodar, poderia buscar uma água enquanto ajeito minha mesa?
- Claro, sem problemas. – assenti e me levantei
- Muito obrigada Connor!- ela sorriu e continuo a mexer na pasta
 Andei até a lanchonete e fui buscar água gelada. Sou surpreendido por duas pessoas conversando.
- Parece que o escravo resolveu dar as caras...- percebi o tom de deboche na voz dele
 Continuei a encher o copo e depois me virei, olhei para frente e passei por Gavin, apenas dando-lhe um leve empurrão com o ombro.
- Ah mas olha o que ele fez?- riu para a policial- Não tem vergonha na cara? Ah é...você é apenas um bosta de um androide que tenta se enquadrar aqui! Já devia estar na rua, se fosse por mim! Então não ouse tentar me rebaixar!- ele me empurrou na parede e estava prestes a me dar um soco
Confrontá-lo ou não fazer nada? Que escolha difícil! Mas eu não vou deixar ele fazer isso comigo, preciso mostrar que eu não sou um androide qualquer! E então, confrontei-o. Puxei o punho dele na direção da parede e assim que o mesmo se virou, joguei ele no chão, logo depois virei para a policial, que até então, não tinha feito nada para me ajudar.
- Devia ser amiga de androides e não de babacas como ele!- pisquei e saí andando, confesso que, com um pouco de medo de ele vir atrás de mim, mas fingi estar tudo bem e voltei á (S/n), que já estava com tudo organizado.
- Sua água.- entreguei o copo á ela
- Você foi muito gentil, agradecida!- (S/n) sorriu e pegou o copo, logo depois bebeu a água
Por um instante percebi ela me encarando e resolvi perguntar o porquê.
- Você tá com algo azul perto da boca...- ela olhou e apontou para minha bochecha, chegando mais perto- Sangue azul?...
- Ah...eu...- pensei um instante: contar a verdade ou mentir? Acho que contar a verdade era melhor, assim, ela saberia que não é a única que é atormentada por ele- Me envolvi em uma briga com Gavin, mas ele deve ter aprendido a lição.- falo e limpo o sangue que estava aparente
-Connor, não devia ter enfrentado ele. É um homem que quer fazer mal e vai se vingar!- ela me olha preocupado
- Tenho certeza que não. Eu sei me defender e posso defender os outros dele. Como sabe que ele não é uma pessoa boa? A maior parte das pessoas daqui não conhece os podres dele...- por dentro estava muito confiante, com isso, talvez, conseguisse fazer com que ela contasse a verdade á mim...
- É...Acho que posso confiar em você...- ela me olhou um instante e suspirou antes de começar


 

CONTINUA...


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo!
Será que o mistério do que Gavin fez vai ser revelado?
Beijinhos♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...