1. Spirit Fanfics >
  2. What is love? >
  3. Capítulo I

História What is love? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sim vadias, eu tenho que botar o Sasuke pra sofrer em tudo.

Eu nem sei oq é isso aqui, eu só escrevi ok?

Capítulo 1 - Capítulo I


"Naquela época eu estava tão entorpecido pela dor, que acabei me cegando aos fatos, eu… fui inocente"

Era por volta das 3:00 am, e o jovem Uchiha Sasuke cambaleava pelos viadutos da cidade. Em uma das mãos uma garrafa de tequila quase vazia, na outra, uma fotografia.

— Eu quero ir para onde vocês estão… — Olha para o papel, e seca a última gota da bebida — Por que não me levaram junto? — Enquanto dizia aquelas palavras, lágrimas de completo desespero escorriam por sua face.

Faziam dois meses que o garoto de apenas 19 anos havia perdido toda sua família num trágico acidente de carro, com pouca idade já enfrentava o peso do mundo sozinho.

— Sinto tanta falta de vocês, eu já não suporto mais…

— Então venha conosco, meu pequeno…

— M-mãe? Mamãe?!

— Aqui, meu filho.

Ao virar seu olhar a beira da estrada, enxerga a figura de uma mulher de cabelos e olhos ônix, com um sorriso gentil nos lábios, era sem dúvida ela, sua mãe, mas como?

— Eu senti sua falta, pequeno…

— Eu também senti a sua, mamãe…

— Então venha, seu pai e seu irmão estão lhe esperando, venha comigo, pegue minha mão…

— Eu vou… — Sobe na barreira de proteção e olha rapidamente para baixo — Você vai realmente vai me levar para onde todos estão? Para ficarmos juntos de novo?

— Não confia na mamãe?

— Confio, mas…

— Consegue ver? Lá, adiante, o caminho dourado com lindo arco-íris no final? É lá onde nós estamos…

— Eu… eu não vejo…

— Então chegue mais perto, venha, me dê sua mão…

O garoto, já cego pelo sofrimento, estendeu sua mão vagarosamente a mulher a sua frente, que sorriu.

— Venha dar um abraço em sua mãe, vamos caminhar pelas pedrinhas douradas…

A passos curtos, se aproximava ao fim de toda sua angústia, engole seco por uma última vez, e dá seu primeiro passo a um novo começo.

— Você está louco!? — Ouve um grito, e sente seu corpo sendo puxado para a estrada novamente

— Não! Mamãe! Volte! — A figura da mulher desaparecia diante de seus olhos.

— Ei, com quem você está falando?

Ao ouvir essas palavras, um homem se põe a sua frente. Aparentava ser alguns anos mais velho, mas tinha seu charme.

— Minha mãe… ela … não…

— O que tem a sua mãe garoto?

— Ela… está morta.

— Oh, sinto muito...

— …

— Você não está bem… Venha comigo, vou te levar para um lugar onde você possa descansar.

— Eu não vou entrar no carro de um estranho.

— Olha, eu não tenho a mínima intenção de te fazer mal. Mas não posso garantir que outro que te ver jogado num viaduto não terá. Você não está bem, eu só quero te ajudar, minha consciência ficaria pesada aqui se eu simplesmente te largasse aqui. Então por favor, só venha.

— Qual… o seu nome?

— Cheng, e o seu, garoto?

— Sasuke.

— Vamos, Sasuke?

O jovem adentra no carro, aquilo era o ápice de sua loucura.

— Pra onde você vai me levar?

— Para minha casa.

— O quê?!

— Você não está em condições de ficar sozinho, tem algum parente ou amigo pra quem eu possa te entregar?

— Não…

— Pois é, pra minha casa.

Seguiram o caminho em silêncio, a cabeça do Uchiha doía, seu coração estava acelerado, seu corpo tremia, mas não sabia o porquê.

— Chegamos, desça, vou te mostrar onde você pode ficar esta noite, lá tem um banheiro então se lave, deixarei roupas limpas na sua cama...

— Ok…

Ambos adentram na residência, era uma casa extremamente grande.

— Você mora sozinho aqui?

— Ah, sim…

— Entendo…

— Bem, você pode ir para cima, a segunda porta a esquerda. Fique a vontade, e se precisar de qualquer coisa não exite em me pedir.

Após um banho esclarecedor, finalmente caiu a ficha.

— Eu realmente estou na casa de um completo estranho? Mas que porra você está fazendo Sasuke?

— Hey, posso entrar? — Bate na porta.

— Oh, claro…

— Eu trouxe essas roupas pra você, provavelmente ficará largo mas é o que tenho… — Diz, fitando o moreno enrolado sobre uma toalha. — Eu vou aqui… só se vista e descanse.

— Por quê?

— Por que o que?

— Por que está sendo tão gentil?

— Ué, devemos ter um motivo específico para ajudar alguém?

— Sim?

— Eu só vi alguém com problemas, e quis ajudar. Simples. Como eu deixaria um garotinho sozinho ao relento?

— Garotinho?

— Sim, garotinho.

— Sério cara, quantos anos você tem?

— 35, haha.

— Velho, você é velho.

— Como é? Quantos anos o bebê aí tem?

— 19, hum.

— Você que é novo demais garoto.

— Bom, aparentemente, aos olhos de todos eu já tenho condições de me manter estável sozinho. Me jogam cada vez mais responsabilidades, e vou me afundando cada vez mais...

— Isso é repugnante, o que aconteceu? Onde está sua família?

— Acidente…

— Oh… Não tens ninguém pra cuidar de ti?

— Eu não preciso de ninguém, me viro sozinho.

— E isso hoje foi você se virando?

— Tsk. Cala a boca.

— Ei, garoto. Brincadeiras a parte, acho que você precisa procurar ajuda médica, quando o vi, estava falando sozinho, prestes a pular do viaduto.

— Eu… vi minha mãe alí.

— Ah…

— Ei, obrigado por me ajudar — Sorri.

— Por nada, mas assim, se algum outro dia você precisar, eu te passarei meu número e você pode me ligar ok?

Assim que encerraram a conversa, o homem deixou o Uchiha descansando. No dia seguinte trocaram os contatos e se separaram.

Nas semanas seguintes passaram a se encontrar com uma certa frequência, estavam cada vez mais próximos… Após um mês, Sasuke se mudou para a casa de Cheng, acreditando que aquele homem seria a salvação para todos os seus problemas, que ele preencheria todo o seu vazio.

No começo, seu relacionamento era ótimo, Cheng se mostrava muito atencioso, e cuidava do garoto. Mas após um ano, ele se mostrou diferente, com um comportamento completamente abusivo e doentio.

Embora soubesse que aquela relação não estava mais boa pra si, Sasuke não conseguia sair dalí. Afinal, Cheng era tudo o que lhe restara, o único que o amava de alguma maneira. Não queria ficar sozinho novamente, e não estava em condições de se aproximar de qualquer outro, pois o homem iria machucá-lo caso acontecesse.

Eles tinham uma espécie de relacionamento por debaixo dos panos, o homem o apresentava como um "afilhado" para os amigos, e claramente tinha outras relações, mas dizia amar somente o moreno, e que nunca o deixaria ir, nunca o deixaria só novamente.

Sasuke estava sufocado no conto do homem atraente, fingia não ver todos os abusos que sofria e se focava nas palavras de conforto.

O garoto estava preso num relacionamento abusivo, e não era capaz de sair.


Notas Finais


Sei lá carai, gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...