1. Spirit Fanfics >
  2. What must i do? Tell me >
  3. Capitulo 5

História What must i do? Tell me - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Nunca me senti tão organizada na vida kkkkkk
Essa história mudou minha vida eim!!!

Meninas, aproveitem, as cenas foram desenvolvidas com muito esforço viu(não que seja difícil imaginar algo com algum deles).

Aproveitem a fugidinha!!!

Capítulo 5 - Capitulo 5


Fanfic / Fanfiction What must i do? Tell me - Capítulo 5 - Capitulo 5

Estava dirigindo devagar, escutando uma música baixa e calma, a cidade parecia mais vazia hoje, transmitindo uma sensação de calmaria e alívio. 

 

Triiiiiiiiiiim

 

O barulho de mensagem recebida me assusta, me fazendo parar na sinaleira em amarelo.

 

Mensagem número desconhecido: 

 

-Oii, é a Sol? Acertei o número? 

 

Eu: Quem é? 

 

-É o Baekhyun, me deram o número certo? Penei para conseguir!!

 

Eu: Precisava tanto assim? 

 

Baek: Sim, preciso da sua ajuda com uma coisa.

 

O carro de trás mantém a mão pressionado na buzina, me fazendo arfar e me apressar.

 

“Não está tão vazia como achei que estivesse”

 

Engatei a marcha e sai sem responder Baekhyun, que estranhamente pediu minha ajuda, como se fôssemos íntimos o suficiente para isso.

 

Esperei até chegar em casa e colocar o carro na garagem, antes de pegar o celular e respondê-lo. 

 

Conversa Baekhyun:

 

Baekhyun: Se não quiser me ajudar, eu realmente entendo...

 

Eu: E você precisa da minha ajuda com o que? 

 

Baekhyun digitou e apagou algumas vezes...

 

Baekhyun: Eu preciso que me ajude a comprar um presente

 

Eu: Minnie não poderia lhe ajudar com isso? 

 

Baekhyun: Minnie não possui o gosto da pessoa que eu pretendo presentear, mas se não quiser ajudar, eu entendo.

 

Eu: Eu ajudo sim, desculpa a grosseria 

 

Baekhyun: Só se fizer um pedido melhor de desculpas, mas já vou ir agradecendo a sua ajuda hehehe 

 

Eu: Quando exatamente você quer comprar esse presente? 

 

Baekhyun: Amanhã mesmo, você pode me encontrar em algum lugar? 

 

Eu: Posso, só me avisar a hora e onde! 

 

Baekhyun: Tudo bem, amanhã te ligo avisando onde vamos nos encontrar e a hora

 

Eu: Okay, vou aguardar 

 

Baekhyun: Beijinho e muito obrigada 

 

Larguei o celular no sofá e lembrei que eu estava planejando ir direto ao banho quando chegasse em casa. 

 

Subi as escadas e fechei a porta do quarto, me despi por inteira, correndo até o banheiro e indo tomar uma ducha relaxante.

 

Nos meus pensamentos só se passavam cenas dos atos feitos com Minseok e Suho.

 

“Droga”

 

Reclamei por me sentir excitada novamente, e por incrível que pareça, eu havia acabado de transar.

 

“O que está acontecendo comigo? Sou ninfomaniaca?” 

 

Sorri ao pensar na possibilidade, mas que estava se tornando coerente, afinal, eu havia acabado de transar e já estava pensando novamente em me tocar ou ser tocada. 

 

Sai do banheiro molhada e um pouco mais calma, mas ainda me sentindo afetada pelas lembranças dos dois amigos que eu havia pego. 

 

Eu: Preciso de no mínimo 10 cervejas - coloquei um pijama comum, que costumava usar em casa, desci as escadas e me sentei no sofá pegando o celular e pensando em pedir uma tele. 

 

“Iremos trabalhar juntos, mas você não me conhece e nem eu conheço você, se você estiver interessada em fazer um trabalho mais pessoal, sugiro que antes de iniciar, tenhamos um dia para conhecer um ao outro” 

 

A lembrança de meu novo produtor pairou e pesou em minha mente, me fazendo sorrir e pensar que poderia encontrar nele algum tipo de companhia para bebidas.

 

Mensagem para Produtor Min:

 

Eu: Boa noite, desculpe a hora Produtor, mas queria convida-lo para tomar algo agora. Estou oficialmente aceitando sua ideia de nos conhecermos.

 

Alguns minutos se passaram...

 

Produtor Min: Boa noite Sol, está tudo bem? Já está bem tarde não é mesmo? 

 

Eu: Creio que nunca é tarde para algumas cervejas, mas se quiser recusar, eu entendo.

 

Produtor Min: Tarde para cervejas não, e eu aceito seu convite. 

 

Eu: Ótimo, então pode vir a minha casa, irei pedir tele-entrega

 

Produto Min: Só me dê tempo de me aprontar e logo estou a caminho. Aviso assim que sair de casa.

 

Eu: Estou aguardando.

 

Assim que fechei a conversa, lembrei que não perguntei qual marca ele costumava beber, então peguei uma marca que era famosa em todos os lugares.

 

Após pedir a Tele, recebi uma mensagem do Produtor Min avisando que estava saindo de casa. 

 

Corri para colocar uma bermuda mais apropriada e confortável, e uma camiseta que não fosse a do pijama.

 

Desci as escadas já pronta para ficar em casa e encher a cara com meu Produtor. 

 

“Espero que ele seja legal, ele me parece ser muito sério, mesmo tendo uma aparência agradável a todos os olhares e nova demais para sua idade, soube que ele costuma ser um pouco fechado” 

 

Após alguns minutos sentada no sofá, quase cansando de esperar, a campainha da casa emite um sinal de vida, me fazendo correr e abrir a porta, pronta para pagar o entregador, mas o que vejo é o meu novo produtor com as cervejas na mão e um sorriso sem mostrar os dentes.

 

Eu: Produtor Min, prazer em conhecê-lo melhor - sorri de uma forma irônica, o mostrando que era brincadeira.

 

Produtor Min: Prazer Sol - sorriu fraco e entrou antes que eu o mandasse.

 

Sua atitude me mostrou que ele não poderia ser um homem asiático que tenta ser fofo 99% do tempo, me mostrou ousadia e coragem, características que em algumas situações cabiam a mim.

 

Produtor Min já foi indo em direção a cozinha e largando as cervejas por cima da mesa.

 

Eu: Vou colocar na geladeira - disse já me aproximando da mesa - eu realmente não sabia qual marca você bebia, esqueci de perguntar esse detalhe, me desculpe - tentei ser simpática.

 

Produtor Min: Eu bebo essa marca, não se preocupe, e você quer me conhecer melhor não é? - perguntou arqueando a sobrancelha - Então apenas seja você mesma, farei o mesmo - sorriu amigável.

 

Sorri simpática e comecei a guardar as cervejas, que pelo visto, ele pagou as minhas e trouxe mais algumas, de uma marca diferente, mas conhecida por mim.

 

Produtor Min: Você quer ajuda? - disse guardando o celular no bolso.

 

Eu: Eu já vou terminar, se quiser pegar duas taças, elas ficam naquele armário ali - apontei para o armário e ele seguiu caminho até lá, pegando duas taças e colocando sobre a mesa.

 

Produtor Min: Confesso que fiquei receoso de vir aqui a essa hora - disse sorrindo fraco, fazendo seus olhos ficarem pequenos e suas bochechas mais enrugadas.

 

Eu: Por qual motivo Produtor Min? - assim que terminei de colocar a última cerveja na geladeira, me pegando a que eu havia deixado fora.

 

Produtor Min: Sol, pode me chamar apenas de Yoongi - ele disse um pouco mais sério, mas sendo amigável.

 

Eu: Desculpa, eu não sei como agir formalmente, me disseram que na Coreia as pessoas não curtem isso de informalidade com desconhecidos - fiz a expressão mais confusa que conseguia, sorrindo a todo tempo e fazendo alguns gestos.

 

Yoongi: Não estamos na Coreia e não são todos coreanos que são assim, então você pode me chamar de Yoongi - disse sendo bem direto, dando a sensação de que ele havia sido grosso, mas coerente.

 

Eu: Desculpa “Yoongi”, não serei formal então - disse animada, tentando mudar a visão grossa e arrogante que ele havia me passado.

 

Yoongi sorriu para mim, mexeu nas taças e se sentou.

 

Yoongi: Bom, continuando, eu acho um pouco estranho por que um conhecido me pediu o seu número - ele disse encarando todos os meus movimentos, enquanto eu corria atrás de um abridor.

 

Eu: Conhecido? Quem? - perguntei distraída na procura.

 

Yoongi: Baekhyun - disse em um tom um pouco mais grosso. 

 

Me virei para olhá-lo e então me escorei no balcão.

 

Eu: Então foi você quem deu meu número a ele - sorri arqueando as sobrancelhas.

 

Yoongi: Não me leve a mal, mas ele é insistente, se eu não desse, meu celular estaria apitando a cada 5 segundos agora - sorriu e fez uma cara de cachorro abandonado.

 

“Talvez ele use a fofura quando há interesse” 

 

Eu: Eu conheço Baekhyun - fechei a gaveta e segui até a mesa com o abridor na mão.

 

Yoongi: E ele não tinha seu número por? - arrastou a taça até a garrafa, mostrando que queria ser serviço.

 

Eu: Eu não conheço ele assim, pra falar a verdade conheci ele e os amigos dele antes de ontem em uma festa - servi a minha taça antes de servi-lo.

 

Yoongi: Enquanto eu morria pensando na faixa 10, você estava em uma festa? - fez uma careta irritada e deu um gole na cerveja.

 

O olhei seria, pensando que talvez eu tenha errado em citar a festa. 

 

Yoongi: Sol, eu sei bem que você não gosta do que faz - suas expressões tentavam me passar segurança. 

 

Eu: Todo mundo diz isso - dei um gole na minha cerveja.

 

Yoongi: Esta nítido, quando eu estou envolvido em um projeto novo, eu não durmo ansioso para desenvolvê-lo, enquanto você nem está participando do seu projeto - disse bebendo mais da sua cerveja e né olhando fixamente. 

 

O olhei desapontada, mas ciente de que ele estava certo, minha vida era uma porcaria, minhas músicas eram péssimas, meus projetos não eram desenvolvidos por mim, na verdade, se tivesse 3% da minha mão em qualquer projeto que eu já tenha lançado, é muito.

 

Yoongi: Você quer colocar esse novo projeto como seu mesmo? Pense em algo que está sendo importante agora, pense em algo que é a sua cara, coloca sua vida nesse projeto, aí sim, aí você vai conseguir começar a ser você mesma em todos os seus projetos - Yoongi tentava me mostrar o que eu tinha que fazer, mesmo sabendo do pessimismo que me assombra, me fazendo aceitar os projetos prontos da empresa, colocando meu físico em cada capa e intitulando como se fosse meu. 

 

E assim foi metade da noite, Yoongi tentando me ajudar no meu jeito desleixado com minha música, tentando elevar a autoestima que habitava às vezes em mim, tentando deixá-la fixa para todas as horas, para me fazer ser forte e lutar contra os pensamentos de diminuição que me assombram.  E assim, eu percebi que aquele ser carrancudo que eu pensei habitar aquele corpo não existia, e não havia qualquer resquícios dele, só havia espaço para um homem sonhador e alegre, um pouco fechado, mas apenas nas feições, pois era infantil, engraçado, amigo, conselheiro e ótima companhia para bebida.  

 

Yoongi era o tipo de pessoa que eu estava procurando, era o tipo de amigo que eu necessitava, era o tipo de de anjo que me ajudaria e me mostraria a minha verdadeira face para o mundo todo. 

 

 

~13:45

Residência Sol. 

 

Após me revirar pela vigésima vez na cama, era mais um dia em que eu reclamava por ter aquelas malditas janelas com vidros transparentes.

 

“Quem foi o filho da puta que resolveu criar uma casa com essas malditas janelas?”

 

Levantei irritada, assim que sentei na beirada da cama, minha cabeça latejou, me fazendo jurar nunca mais misturar duas marcas de cervejasna vida.

 

Sem tempo para piscar, escuto o barulho irritante do celular.

Eu estava tão sensível que aquele som, mesmo de longe conseguiu fazer a pressão da minha cabeça aumentar.

 

Levantei sem ânimo e bem devagar fui até a estante de livros, onde estava meu celular.

 

Sem olhar para tela, peguei o aparelho e atendi.

 

-Finalmente, te liguei mais de 5 vezes - a voz do outro lado parecia preocupada e irritada aí mesmo tempo.

 

Eu: Não grita, por favor - levei a mão até a testa.

 

-Você está doente? - seu suspiro alto mostrou descontentamento.

 

Eu: Baek, acho que vamos ter que ir comprar esse presente em outra ocasião - disse baixo, o mais rápido que consegui, na esperança de encerrar logo a ligação.

 

-Você está doente? - Baekhyun confirmou que era lesado, pois não havia entendido a minha vontade.

 

Eu: Sim, estou me sentindo péssima hoje, desculpe - menti sem receio, mas a ressaca realmente não estava sendo legal.

 

-Sem problemas, vou até sua casa te ajudar - sua fala foi direta e seguida por dois barulhos de ligação encerrada.

 

“Droga Baekhyun”

 

Sim, eu iria fingir uma doença para Baekhyun, mas o mesmo não havia me dado escolha, apenas desligou sem me deixar dar respostas.

 

Apenas tomei um banho rápido e coloquei uma roupa confortável para ficar em casa, que era basicamente um pijama composto por um moletom fino e uma calça, ambos rosa bebê, mas claro que por cima eu colocaria um roupão, quente e confortável, que também acabou sendo o rosa.

 

Me tornar marionete tinha suas vantagens, eu ganhava roupas de patrocinadores, gastava apenas com o que eu tinha vontade, comprava coisas do meu agrado. Mas claro, tudo em troca da minha liberdade de expressão e liberdade artística. 

 

A campainha toca, me fazendo fazer uma careta péssima, dando a certeza de que a dor  de cabeça ainda era forte o bastante para me deixar irritada com apenas um barulho.

 

Me arrasto até a porta, coloco a mão na maçaneta e giro, esperando que Baekhyun entrasse feito um furacão e me xingasse por não ter conseguido ajudá-lo com o presente. 

 

Baek: Oi - disse com um sorriso enorme no rosto, mostrando bem suas bochechas amaciadas. 

 

Eu: Oi, pode entrar - sorri o mais amigável que consegui e direcionei meu olhar até suas mãos, que seguravam duas sacolas cheias. 

 

Baekhyun entrou e já se direcionou até a cozinha, colocando as duas sacolas sobre a mesa. 

 

Eu: O que é isso tudo? - perguntei baixo, forçando os olhos por culpa do desconforto.

 

Baek: São coisas boas para comer, coisas boas para beber, e remédios pra ressaca - disse sorrindo satisfeito.

 

Remédios pra ressaca? Ele sabe que eu enchi a cara com meu produtor?

 

Baek: Eu sei que esteve com Yoongi ontem - sorriu fraco - eu te perdoo por não conseguir me acompanhar hoje, mas como eu já havia deixado o dia todo reservado pra você, resolvi continuar com esse plano, mas mudar algumas coisas. 

 

Sua animação estava confusa para mim, como ele poderia estar feliz em cuidar de uma pessoa ressacada? 

 

Eu: Você é estranho Baekhyun - sorri mexendo nas sacolas que ele havia trazido.

 

Seu sorriso largo mostrou o quanto ele estava animado e feliz por estar ali comigo. Algo que me deixou com algum receio de que o mesmo nutrisse sentimentos por mim, mas não fizesse ideia de eu havia transado com dois amigos dele.

 

Baekhyun tirava algumas coisas da sacola e me olhava sorridente, fazendo meu estômago queimar de frustração e alegria ao mesmo tempo.

 

Baek: Você está meio abatida, o que acha de um filme com alguns doces e talvez um cochilo na metade? - Baekhyun sorria, mas a culpa ainda corria pelo meu corpo, ainda mais quando se tinha um homem de 29 anos sorrindo inocentemente pra mim.

 

Eu: Acho que pode ser - disse baixo, gaguejando algumas palavras. 

 

Baek: Você não está bem mesmo né? Bebeu muito? - sua sobrancelha arqueada me fazia pensar que ele estivesse mais curioso com meu “encontro” com Min Yoongi.

 

Eu: Eu misturei as marcas, isso sempre me deixa mal - disse num tom de cansaço.

 

Baek: Quando combinar de beber comigo, beba só um tipo de cerveja por favor! - sua fala foi cheia de humor, mas fez eu me sentir culpada por ter que adiar a escolha do presente de Baekhyun.

 

Após isso, ficamos alguns minutos em silêncio, até Baekhyun me mandar esperar na sala enquanto ele colocava alguns doces em potes e nos servia suco.

 

Baek: Eu não olho terror - se aproximou do sofá com dois potes e um copo de canudo.

 

Eu: Você não brinca em serviço - sorri olhando a quantidade de comida que ele segurava.

 

Baek: É natural, sou agradavelmente natural, naturalmente carismático e empático - seu sorriso largo me mostrava a sua felicidade.

 

Ele puxou a mesa pra mais perto, colocou as vasilhas em cima e se sentou ao meu lado no sofá. 

 

Com a declaração de que Baekhyun não olhava filmes de terror, optamos por olhar uma ficção científica.

 

Vidrados no filme, nem piscávamos, comíamos no modo automático, até surgir uma cena romântica e um pouco erótica no filme. Baekhyun pareceu ficar desconfortável e acabou se mexendo para mudar a posição em que estava, me fazendo o olhar pelo canto do olho.

 

Eu: Esta tudo bem? - o olhei seria, vendo as bochechas amaciadas dele ficarem rosas - Baek, eles estão transando, um homem da sua idade já sabe bem o que é isso.

 

Minha fala natural saiu sem que eu controlasse, fazendo Baekhyun mudar sua feição para seria e me deixar um pouco desconfortável.

 

Baek: Vocês estão saindo? Você e Min Yoongi? - seu olhar ainda estava sobre o meu.

 

Eu: O que? Não, ele é meu produtor, precisávamos nos conhecer melhor - sorri confusa com sua dedução.

 

Baek: Então você é solteira? - suas feições continuavam sérias.

 

Eu: Com a graça de Deus Baekhyun, onde você quer chegar com isso? - perguntei sorridente, mostrando que aquela situação estava me divertindo. 

 

Baek: Eu gostei de te conhecer - uma tensão pairou sobre o ar após suas palavras.

 

Eu: Eu também gostei de te conhecer Baek - sorri inocente, mas tentando fazê-lo mostrar onde queria chegar. 

 

Enquanto ele me olhava atentamente nos olhos, um gemido surge em uma cena do filme, me fazendo olhar para a tela da televisão e voltar a olhar Baekhyun novamente.

 

Baek: Você não quer fazer igual? - seu sorriso agora era sacana e presunçoso.

 

Eu: Lutar contra alienígenas? - mostrei um sorriso presunçoso, deixando claro que eu sabia do que ele estava falando.

 

Baek: Você prefere? - ele ainda me olhava com presunção, o sorriso sacana no canto da boca não o abandonava. 

 

Eu: Entre lutar contra alienígenas e gemer seu nome, eu obviamente prefiro a segunda opção - mostrei que já havia entendido seu ponto, e dei a certeza de que eu queria o mesmo.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...