História What wins? - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags 5harmony, Camren, Laucy, Romance, Shawn Mendes, Trolly, Valmani, Zaynah
Visualizações 199
Palavras 2.330
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIOIOIOI!!!! Voltei. (queria ter um "bordão" legal, mas não consigo, aceito sugestões SHSUSHSU' brincadeira, ou não)
Enfim. Ga le ra, eu adorei escrever esse cap, estou orgulhosa de minha pessoa shsush, não é minha primeira fic, mas é minha primeira fic Camren, e pelo menos acho que estou agradando, huh?
Bem, essa Capítulo tem musica, muitos não gostam de ler e ouvir música ao mesmo tempo, mas eu super recomendo, porque o clima fica muito melhor. Como eu ja disse, eu não tenho Spotify, mas vou deixar o link da música nas notas finais pra vocês. CUIDADO! Pra não acabarem lendo o final, ou perde toda a graça, certo? Ainda mais nesse cap importantíssimo.
Bem, ja me prolonguei. Como sempre, dedico esse cap a Thata, e a Manuzi que tá querendo me matar por não deixar que ela lesse primeiro. Te amo mozi < 3 ;3
Ja me demorei muito, sorry!!! Boa leitura :))

Capítulo 14 - Crazy in love


Fanfic / Fanfiction What wins? - Capítulo 14 - Crazy in love

As 2:00am Camila e eu pedimos um taxi para voltarmos ao hotel, pois achamos que poderia ser perigoso nos demorar mais. Estávamos altas, por pouco não bebadas. Mas um pouco tontas. Paguei o taxista, ja que Camila não me deixou pagar nada desde o restaurante.

Depois do Barman, mais pessoas nos elogiaram por ser "um belo casal" foram quinze ao todo, contando com os que perguntavam por estar afim de uma de nós, ou das duas...

-Boa noite. - Eu sorri ja pronta para entrar em meu quarto.

-Ei, ei. - Ela chamou. - Obrigada.

-Ja falamos sobre isso, Camila. - Expliquei.

-Não é sobre a Savanna que estou falando.

-Então?

-Obrigada por hoje, por me proporcionar uma noite divertida.

-Você quem me proporcionou uma.

-Então estamos quites.

Nos encaramos sorrindo e finalmente entramos, sem dizer mais nenhuma palavra.

//

Amanheci no dia seguinte com uma dor de cabeça imensa, meus olhos ardiam, minha cabeça girava e latejava, meu estômago doía, e eu senti vontade de vomitar. Tentei ver a hora, mas o brilho do celular me incomodava, quando senti que ia por tudo o que havia ingerido na noite anterior pra fora, corri até o banheiro e realmente o fiz.

-Droga! - Murmurei várias vezes ajoelhada no chão, me debruçando sobre a privada.

-Está tudo bem? - A voz de Camila me fez saltar de susto e tombar pro lado.

-Como entrou aqui? - Abaixei a tampa da privada e dei descarga, me levantando para escovar os dentes.

-A porta estava aberta. - Camila cerrou os olhos como se fosse óbvio, e eu arregalei os meus em sinal de alerta. - Céus, Lauren! Você dormiu de porta aberta?

-Acho que me esqueci... - Levei a mão até a testa e fiz uma careta. - O que veio fazer aqui?

-Oh, as paredes são finas... Te ouvi vomitar e xingar os deuses por isso.

-Exagerada. - Saí do banheiro, deitando-me novamente em minha cama.

Camila me seguiu e ficou em pé ao lado até que eu a mandasse se sentar, e ela o fez, ocupando somente uma pequena ponta aos pés da cama.

-Como você pode estar tão bem? - Reclamei e ela riu.

-Ally me ensinou uns truques. E além do mais eu não bebi tanto quanto você.

-Ótimo. - Murmurei sem humor.

Camila se levantou e foi até o frigobar pegando uma garrafa de água.

-Tome isso. - Ela retirou do bolso de sua calça um analgésico e me entregou. - Vou fazer um chá para que a ânsia passe, e depois você pode tomar café da manhã.

-Obrigada. Não precisa fazer isso, Camila. Vou ficar bem.

-Não tem problemas, Lern, posso fazer isso.

-Não quero que pense que tem de compensar o que fiz por você ontem e...

-Estou fazendo isso porque quero. - Ela me olhou séria. - Mas se te incomodar eu posso ir.

-Não. - Ameacei levantar mas minha cabeça girou. - Não estou reclamando. Só não quero que pense que me deve algo.

-Não penso. - Se sentou novamente na ponta da cama. - É só que... Somos só nós agora, achei que pudéssemos usar esse tempo para aprender a conviver melhor uma com a outra, aproveitar a ausência de Shawn e...

-Lucy. - Completei.

-Isso. Para nos conhecer, mas agora de verdade. Eu quero ser sua amiga, Lauren. Confesso que no começo era tudo o que eu menos queria, não queria nem ter de olhar para sua cara, mas após algumas oportunidades, pude ver qur você é uma mulher interessante, cheia de mistérios para mim, os quais eu estou disposta a desvendar, após algumas oportunidades eu quis poder conhecer essa nova Lauren, porque o pouco que eu vi, ja foi o suficiente para querer deixar tudo aquilo para trás... E estamos indo bem, a quanto tempo não brigamos? - Parei para pensar, realmente fazia um certo tempo. - Nós nos divertimos ontem... Eu me diverti. E se você me der esse espaço, quero poder seguir em frente com isso.

Sorri com a idéia de Camila, aquilo me agradou e o fato de me agradar, me surpreendeu. Por incrível que pareça eu me senti igual.

-Amigas? - Estendi minha mão direita.

-Amigas! - Ela apertou. - Vou ligar para o serviço de quarto.

//

Após Camila pedir coisas leves para meu café da manhã, Camila fez um chá desconhecido por mim que me ajudou com a vontade de vomitar a cada minuto. Me fez companhia até que eu me sentisse melhor, e depois disse que precisava ir, mas depois de muita insistência ela ficou comigo para ver um filme. Enquanto passávamos pelas opções, o Garota infernal lhe chamou atenção.

-Como? Nunca viu esse filme? - Perguntei incrédula.

-Não. Vamos ver?

-Mas esse eu ja vi, Camz.

-Veja de novo, oras.

-Tudo bem. - Suspirei e cliquei no filme, coloquei o notbook no colo e me acomodei, Camila entrou no mesmo cobertor que eu, e colou nossos braços de tão próxima.

-Está com fome? - Ela perguntou assim que o filme acabou.

-Estou morta de fome. Mas não estou afim de sair, está frio. - Fiz um beicinho.

-Eu posso ir buscar algo, não demoro...

-Não senhora! Ja tive uma idéia, não sei você, mas eu não quero comida.

-Pizza?

-Pizza!

Camila e eu jantamos quase uma pizza inteira, metade mussarela e metade frango com catupiry, jogando conversa fora... Camila Cabello e eu, Lauren Jauregui, passamos o dia juntas, rimos, vimos um filme e agora estamos batendo papo e comendo uma pizza...

Em que vida eu acreditaria nisso?

Depois disso, Camila e eu nos viamos todos os dias, saíamos, ficavamos no quarto vendo filmes, pediamos pizza, e assim foi indo. Dinah me telefonou explixando que só poderiam nos encontrar em Los Angeles. Os pais de Val foram visita-lo e ficariam por alguns meses, Mani não viria sem ele e Dinah não viria sem Normani.

//

-Porque elas não vão em New Jersey, Lern? - Camila perguntou simples. - Não é longe.

-Esse mês DJ estará atolada com as coisas do restaurante, ela tem recebido clientes importantes, esse tipo de gente faz questão do dono do restaurante. Seremos só nos, Camz. - Completei, ajudando Camila a fechar as malas.

-Vamos?

-Vamos.

Saímos abraçadas, levando conosco nossas malas, entrando no taxi para o aeroporto.

New Jersey

3 de Março, 2007

-Feliz aniversário, Camz! - Me joguei contra seu corpo assim que ela abriu a porta de seu quarto.

-Obrigada, Lern. - Ela me apertou num abraço.

-Ei, está tudo bem? - Seu semblante era triste, aquilo me preocupou.

-Entre, sim?

-O que aconteceu?

-Na verdade não é nada. É que eu sou uma pessoa muito carente. - Sorriu sem graça. - Nunca passei meu aniversário longe da minha família, ou de Shawn, ou Ally... Por um momento me senti sozinha, até você bater na porta e gritar que se lembrou. - Ela riu fraco.

-Eeei. - Segurei suas mãos. - Como pôde pensar que está sozinha? Estou aqui.

-Achei que não se lembraria, ou sei lá.

-Camz, falamos disso ontem a tarde toda. Vem cá. - Puxei Camila para outro abraço. - Ah, trouxe isso pra você!

-Lern... - Ela sorriu ao encarar o embrulho cor de rosa. - Não precisava.

-Abra. - Sorri largo.

Camila abriu, puxando para fora um urso panda que comprei.

-Ai meu Deus! - Ela sorriu. - Como sabe que eu os adoro?

-Você ja me disse, Camz. - Eu ri. - Estava procurando algo que fosse sua cara, e quando o vi...

Ela me abraçou novamente.

-Eu amei, Lern, sério! - Ela parou por um tempo como se estivesse pensando.

-O que foi?

-Ele vai se chamar Lolo.

-Lolo? - Cerrei os olhos e ri.

-Sim, é outro apelido seu.

-Como eu não sabia disso?

-Han... Eu prefiro Lern. - Mostrou os dentes em um sorriso forçado, porém engraçado.

-Ok, se chamará Lolo.

Arizona | Abril

Colorado | Maio

Carolina do Norte | Junho

Carolina do Sul | Julho

Califórnia | Agosto

Acordei no quarto do hotel, estava com dor de cabeça. Camila e eu precisávamos parar de beber todo fim de semana após os desfiles, eu estava completamente enjoada de aviões, táxis e essa rotina todo fim de mês. Porém, eu estava feliz, sim, feliz.

A presença de Camila em minha vida foi uma grande mudança e por mais que eu não as suporte, foi uma mudança boa. Camila me fazia bem, criamos um laço inacreditável, nos conhecemos mais, estávamos mais grudadas do que tudo. Conversávamos muito sobre nossos relacionamentos, contei a Camila sobre como eu me sentia com Lucy, sobre meus devaneios, e ela me contou sobre Shawn, o que me deixou surpresa, pra mim eles sempre foram um casal e tanto. Sabiamos quase tudo sobre a vida uma da outra, mas algumas coisas eram ocultas, como por exemplo o motivo para eu não comemorar meu aniversário. Camila insistiu muito para que saíssemos e fizéssemos alguma coisa, mas eu me recusei, e então ela se ofereceu para seguirmos o de sempre e vermos um filme no quarto, e eu aceitei. Ela não me perguntou mais o porque de eu não comemorar meu aniversário, ou nunca falar do meu passado, da minha "família", viu que o assunto não me deixava contente e respeitou. Camila era maravilhosa.

-Lern. - Três batidas na porta e aquela voz manhosa de sono foram o suficiente para me fazer levantar.

-Bom dia, Camzinha. - Envolvi Camila, que mais parecia uma criança de dez anos num abraço e a puxei para dentro.

-Ja tomou café? - Perguntou coçando os olhos. - Estou com muito sono.

-Ainda não, e você? Pois é, também estou, mas temos que busca-los, é tradição.

-Não tomei. Vou pedir serviço de quarto e tomamos juntas. - Sorri com a idéia.

Camila e eu tomamos café juntas, nos arrumamos e fomos ao aeroporto buscar nossos amigos, sim, nossos. Pois eram amigos de Camila também.

Vendo Dj, Mani e Val caminhando em nossa direção, eu sorri e esperei que chegassem, fizemos um abraço coletivo e fomos para o carro alugado por val, que ja o esperava ali.

Nossos amigos ficaram em um outro hotel, não muito longe, e a noite nos encontramos para o desfile, e logo depois fomos para um barzinho, claro.

//

Estávamos concentrados em um jogo de sinuca. Menos Dinah, Dinah estava flertando com um rapaz que por coincidência também era de New York, estava viajando a trabalho. E ali eles ficaram bebendo e conversando.

Fizemos um tipo de time, Val e Mani contra Camila e eu, era engraçado.

-Céus! Assim vamos perder. Você é péssima, Camz. - Reclamei.

-Eu não seu jogar, Lern. - Ela fez um beicinho, jogue na minha vez.

-Nem pensar! - Normani retrucou. - Sua falta de habilidade é nosso passe para vitória, Mila.

-Sua vez, Camilita. - Val apontou o taco para ela.

-Eu te ajudo, vai. - Posicionei seu taco da forma certa. - Passe o giz. - Ela o fez. - Use sua mão direita para segurar atrás - Ela o fez. - Coloque a ponta entre os dedos. - Ela o fez. - Mire. - Ela o fez. - Bata! - Ela errou.

-Droga! - Cruzou os braços quando a ponta do taco bateu na mesa e apenas empurrou a bola para um canto qualquer.

Val jogou, mas não teve sucesso, então foi minha vez.

-Venha cá. - Chamei a criança emburrada que Camila parecia ser, e ela se posicionou em minha frente permitindo que eu a abraçasse por trás, arrumei o taco em suas mãos, segurei as mesmas da forma correta, e controlei seus movimentos fazendo o taco ir para trás, depois para frente, acertando a bola branca e colocando três no buraco.

Talvez eu tenha bebido muito naquela noite, talvez não, eu não estava bêbada, mas algo estava estranho. Eu estava gostando de ter Camila grudada ao meu corpo, a cada vez que ela enclinava seu corpo para frente, eu ia junto e respirava seu perfume doce disfarçadamente, a cada vez que eu sentia seu corpo roçar em mim lentamente, um arrepio corria por meu corpo, me fazendo sentir vontade de te-la. Saí do transe quando ouvi Normani praguejar, dizendo que teria que eles teriam que pagar a próxima rodada.

Camila e eu nos sentamos no balcão e nos encaramos por uns minutos em silêncio, e ali foi a primeira vez que eu reparei no quão lindo os seus olhos castanhos eram, foi a primeira vez que nos olhamos diretamente nos olhos sem ódio nenhum. Confesso, eu me perdi em seus olhos, e ao encarar aquela profundidade castanha, algo se despertou em mim, não sei ao certo o que, mas era bom. Então eu sorri, e ela sorriu. Eu sorri para Camila como se ela soubesse de meus pensamentos, e Camila sorriu para mim como se eu também estivesse nos dela.

Voltamos no taxi em silêncio, vez ou outra nos encaravamos, gostei da experiência de olhar em seus olhos com algo diferente o qual eu ainda não podia definir.

-Obrigada. - Paguei o taxista e espereu Camila descer.

-Boa noite, Lernzinha. - Ela falou baixo e doce.

-Boa noite, Camzinha. - Retribuí e sorri.

[PLAY]

Depois disso tudo aconteceu lenta e automaticamente. Ela se aproximou, eu me aproximei, ecarei a boca de Camila e pude jurar ve-la encarando a minha também, e então o desejo falou bem mais alto que a razão, eu avancei, encurtei qualquer distância entre nós e selei nossos labios. Esperei por um empurrao, um tapa na cara e uma porrada de xingamentos, os piores e mais pesados insultos. Mas eles não vieram. O que vieram foram as mãos de Camila, uma em minha nuca, outra em minha cintura, o que vieram foram seus dentes apertando meu lábio inferior em uma mordida que me fez arfar, o que vieram foram deixas e brechas para que minha língua explorasse sua boca e se encontrasse com a dela. E logo quando percebi que estava beijando Camila, o que vieram foram mil e um sentimentos, os quais eu não conseguiria explicar nem em dez vidas, me senti sem chão, senti meu corpo flutuar juntamente com o dela na imensidão daquele céu azul estrelado. Senti meu coração acelerar e meu estômago dar voltas e mais voltas, como se eu estivesse numa montanha russa daquelas bem medonhas, com uma adrenalina boa. Eu me senti bem, eu me senti completa pela primeira vez.


Notas Finais


https://youtu.be/l-UQ2NUXesY

Só pra esclarecer, eu pulei um tempo porque se narrasse tudo, ia ficar muito demorado, ainda tem bastante coisa pra acontecer. Qualquer dúvida, confusão, algo que não estiver claro pra vocês, podem falar comigo nos comentários, ou no tt, eu respondo com prazer.
Calma, calma, calma que o tombo não acaba por aqui não! Até o próximo, nenês. Hahahaha
Vocês podem me achar no tt como @lauregui_ falem com a tia Trisy, sim? Shusys


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...