História Whatever Happens - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Jackson
Tags Amor, Michaeljackson, Romance
Visualizações 34
Palavras 2.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 49 - Disfarce?


Fanfic / Fanfiction Whatever Happens - Capítulo 49 - Disfarce?

-Claro que não me importo amor, não é isso, mas eu tinha reservado a noite para ficar com você... fica comigo?

-Hummm, preciso pensar, Michael!

-Pensar?

-Brincadeiraaaa, amor! Falo rindo -Claro que vou ficar, nunca deixaria você para ir em algum lugar!

-Sua boba! Responde rindo.

-Vou falar com o pessoal aqui então e quando chegar no hotel eu ligo, pode ser?

-Vou esperar por você!

 

Desligo e digo para Justine que hoje não poderei ir. Chamo um taxi para voltar ao hotel, chego e pego a chave na recepção. Entro, tiro o blazer e os sapatos e vou ao banheiro para tomar um banho antes de ligar para Michael. Faço com coque para não molhar o cabelo e tomo um banho rápido no chuveiro. Visto uma calcinha calesson rendada preta, daquelas tipo cueca, e coloco uma camiseta folgada bem confortável na cor preta também e que tem uma estampa escrito Beatles na frente. Abro a sacada para entrar um ar e pego uma dose de uísque, mas não tem gelo no frigobar do meu quarto. Ligo para a recepção e peço para que tragam. Enquanto não chega, largo o copo ao lado da cama e me sento com as pernas em indiozinho e ligo para Michael.

 

-Michael?

-Oi, Ro! Já chegou no hotel?

-Sim, faz meia hora mais ou menos. Tomei um banho e troquei de roupa antes de ligar.

-Ah, é? Queria tanto ver você agora...

-Nem me fala amor, estou morta de saudade sua!

-Eu também, você não faz ideia!

-Roberta?

-Sim, meu amor!

-Que roupa você está vestindo agora?

-Humm, agora está viciado em sexo pelo telefone, Michael? Pergunto rindo.

-Só quero saber a roupa que minha namorada está, mocinha! Responde rindo também.

-Estou...

-Peraí, Mike. Estão batendo aqui na porta, eu pedi gelo agora pouco. Digo e vou até a porta com o celular na orelha.

-Tudo bem, eu espero amor.

 

-OH MEU DEUS! Exclamo com os olhos arregalados ao abrir a porta.

-Hoje não quero saber da sua roupa por telefone, quis vir descobrir pessoalmente! Michael fala parado na porta enquanto baixa o celular que estava em sua orelha,

-Amoooor! Não acredito que é você! Falo e pulo em seu pescoço lhe enchendo de beijos, como se não o visse há anos.

 

Ficamos os dois parados na porta nos beijando como se fossemos invisíveis, um beijo que pareceu ainda melhor do que todos que já demos, sua boca parecia mais quente, mais macia, mais úmida e sua língua ainda mais deliciosa. Depois de uns instantes fomos interrompidos pelo rapaz que trazia o gelo.

 

-É... com licença. Desculpe interromper, mas aqui está seu pedido, Srta. Fala estendendo o balde com uma certa quantidade de gelo e um pegador, Michael olha em sua direção como se fosse fuzilá-lo ao notar que o rapaz olhou para minhas pernas por um segundo.

 

-Pode deixar comigo, menino! Michael fala firme e o rapaz abre bem os olhos em sua direção ao identificá-lo.

-Michael Jackson? O rapaz pergunta.

-Sim. Responde pegando o balde.

-Vamos entrar, amor? Falo o puxando pela mão.

-Desculpe qualquer coisa, Sr. Jackson! Foi um prazer conhecê-lo.

-O prazer foi meu. Responde sorrindo meio forçado e entramos.

-Você abre a porta para um estranho vestida assim, meu amor? Fala visivelmente enciumado e sou obrigada a rir, pois é a primeira vez que ele manifesta seu incômodo de forma tão evidente.

-Deixa de ser bobo, amor. Estou vestida, não tem nada à mostra aqui... e eu não iria estar para fora do quarto se não estivesse beijando você. Falo ainda rindo e me aproximando dele.

-Ele estava olhando para essas pernas lindas que você tem. Fala e passa uma das mãos em minha coxa direita, segurando minha cintura com a outra mão.

-Mas só você pode tocá-las! Respondo e voltamos a nos beijar.

Me afasto lentamente do beijo e lhe dou um abraço apertado, sinto como se uma parte minha que estava faltando em todos esses dias, agora estivesse de volta em meu corpo.

-Ainda não acredito que você está aqui, amor! Você é louco, Michael! Agora vejo que era você mesmo e Bill mais cedo lá no evento. E que roupa é esse, amor? Falo olhando seu look esportivo, ele está com o moletom vermelho que eu havia visto antes, um boné e com o capuz por cima.

-E esses óculos, amor... e essa barbaaa?! Digo tudo de uma vez quanto tiro seu boné e o capuz e olho bem seu rosto que está diferente com a barba e ele ri da minha empolgação e confusão ao mesmo tempo.

-Estou disfarçado, queria ouvir um pouco da sua palestra e achei que assim ninguém me notaria. Deu certo, consegui ouvir você. Estou orgulhoso, amor. Apesar de eu não ter entendido nada, você parecia falar de coisas importantes e com muita convicção.

-Obrigada, amor! Você nem imagina o quanto me deixa feliz você ter ido até lá e estar aqui agora! Digo beijando levemente seus lábios.

-Mas você não está disfarçado amor, sinto muito em informar! Digo rindo e o puxando para nos sentarmos na cama.

-Mas nem você me reconheceu lá. Fala convencido arqueando as sobrancelhas.

-Amor, eu não reconheci porque estava com pouca iluminação. Falo rindo e pegando algumas pedras de gelo no balde para colocar no meu copo.

-Aliás, você achou que estaria disfarçado chegando com um moletom e um boné em meio a todas as pessoas de terno? Se todos não tivessem ouvindo a palestra com atenção, notariam você em poucos segundos com um moletom vermelho sangue, de boné e capuz! Você não existe, amor! Ele ri comigo e balança a cabeça.

-Eu não tinha intenção de entrar. O plano era só olhar da porta, mas como vi que todos estavam prestando atenção em você e estava escuro, resolvi entrar um pouco. Ele fala e tira os sapatos para se acomodar melhor na cama.

-Amei a surpresa, Michael. Falo e passo a mão em sua barba.

-E essa barba, amor.. é para me deixar ainda mais louca por você? Digo sem tirar a mão de seu rosto.

-Você gostou? Pergunta ele segurando minha mão e roçando o queixo em meu antebraço.

-Não faz assim...

-O quê? Não estou fazendo nada. Fala e aproxima o corpo do meu e roça seu rosto em meu pescoço, de leve, já entendendo que estava me excitando com esse contato.

-Eu amo todas as suas versões Michael e estou adorando essa que está me provocando agora.

 

Ele se afasta um pouco, tira os óculos e sorri enquanto não tira os olhos de mim. Então ele segura a gola do moletom e puxa pela cabeça, ficando com uma camiseta preta.

 

-Você está linda assim, amor. Fala mordendo o lábio e olhando todo meu corpo.

 

Fico de joelhos na cama e me aproximo dele, seu rosto está na altura de meu abdome e ele levanta o queixo para me olhar. Coloca suas duas mãos em minha cintura, uma em cada lado, e lentamente sobe as mãos em meu corpo fazendo com que a camiseta suba também.

 

-Oh boy! Esse tipo de calcinha você ainda não havia usado comigo.

-Gostou?

-Está linda! Ele fala segurando minha camiseta um pouco abaixo dos seios com a mão esquerda e a mão direita ele passa em meu corpo, acompanhando a mão com um olhar de desejo.

-Vira, deixa eu ver todo seu corpo. Fala com uma voz baixa e um pouco rouca que quase me hipnotiza. Viro devagar e ainda de joelhos me aproximo da cabeceira da cama, apoiando as duas mãos e olho para ele sobre os ombros.

-Assim? Pergunto e ele se aproxima ficando de joelhos também, igualando a altura de nossos corpos.

-Isso, assim... fala tirando minha camiseta e deixando minha bunda à mostra.

 

Ele olha e vejo que morde os lábios, então passa as mãos dando leves apertadas.

 

-Você sabe que é gostosa e que me deixa louco, não sabe? Pergunta beijando minha nuca que está exposta por conta do meu cabelo preso, ele desce os lábios pelas minhas costas, arranhando minha pele delicadamente com sua barba e quando chega ao final de meu quadril, sobe novamente. Então pressiona meu corpo contra o dele com a ajuda de suas mãos que estão em meus seios, o que faz nossos corpos se colarem.

 

-Quero muito você, amor! Digo já bastante ofegante.

-Eu quero ainda mais, Roberta!

 

Me viro e o ajudo a tirar as calças. Ele senta na cama e tiro sua camiseta.

 

-Ohhh Michael, sério? Falo jogando a cabeça para trás e fechando os olhos enquanto passo as mãos em seu peito.

 

Assim como a barba, ele deixou os pelos crescerem um pouco em seu peito.

 

-Se eu soubesse que uma barba e um peito não depilado faria você ficar assim, teria deixado crescer há mais tempo.

-Eu nunca gostei nos outros, amor...mas você está mudando isso agora!

 

Faço ele deitar e deito por cima, depois de dias de imaginação vamos poder, finalmente, sentir o contato de nossos corpos sem nada para atrapalhar. Beijo sua boca e desço pelo seu corpo, sem desprezar nenhuma parte e chego até sua cueca preta boxer. Tiro e me deparo com a visão que eu mais desejei desde que cheguei aqui.

 

-Lembra o que você falou ontem? Pergunto ameaçando passar a língua em seu membro.

-O quê? Fala sorrindo e me desafiando.

-Ah, se não lembra é porque não gosta tanto assim então... Falo e subo até sua boca novamente.

 

Ele para o beijo aos poucos e puxa minha cabeça para dizer em meu ouvido

 

-Eu adoro sua boca me chupando, Roberta! Realiza meu desejo de ontem? Fala num tom de sussurro e morde de leve minha orelha.

 

Na mesma hora desço e faço o melhor boquete que já fiz nele, ele mexe o quadril, geme e se segura na cabeceira da cama para não se contorcer ao sentir todos os toques da minha língua e da minha boca quente em seu pau. Depois de um tempo eu paro e ele fala.

 

-Vem aqui, meu amor! Fala enquanto se levanta e fica parado ao lado da cama.

 

Eu obedeço e levanto, então ele me posiciona contra a parede, de costas para ele, afasta minhas pernas e faz espaço para que me penetre. Ali mesmo, em pé, ao lado da cama e pressionando meus peitos contra a parede, ele me come de um jeito que nunca havia feito ainda. Começa devagar e aos poucos vai acelerando, chegando ao ponto de me fazer colar o rosto contra a parede com a pressão que ele coloca. Ele desfaz meu coque com uma mão e segura firme meu cabelo, sem parar as estocadas intensas, beijando meu pescoço, roçando mais uma vez aquela barba na parte direta do meu rosto que está livre da parede.

 

-Não para, Michael! Estou quase gozando! Ahhhh, isso! Quando falo ele segura meu cabelo ainda mais forte e beija minha boca com muita vontade, me fazendo chegar num orgasmo delicioso e enquanto eu gemia me deliciando com cada estocada responsável pelo meu ápice, ele explodiu dentro de mim, gemendo como um animal, quase urrando em meu pescoço, parando com os movimentos aos poucos e me deixando sentir todos os espasmos de seu corpo. Ficamos assim por uns instantes, desfazendo a posição aos poucos como se fossemos cair ali mesmo no chão.


-Isso tudo foi saudade, Michael? Pergunto me virando para ele que se escora na parede e me beija suave.

-Você não sabe a falta que me fez, amor!

-Temos que ficar mais vezes assim sem nos vermos então, sr. Jackson!

-Nem brincando, foi uma tortura! Responde sorrindo e me conduzindo à cama.

 

Nos deitamos e transamos na cama mais duas vezes seguidas, o que, após quase duas horas, nos deixou totalmente sem forças e satisfeitos, pelo menos por ora. Nos levantamos com muito custo, suados e escabelados e fomos ao banheiro tomar um banho.

 

-Sabe de uma coisa que eu adoro no nosso sexo? Pergunto e ele me olha curioso.

-Mais precisamente depois do nosso sexo. Complemento.

-O que, amor?

-Que eu não sou a única que fico escabelada e com os cabelos grudados no corpo, já que o seu cabelo também é um tanto comprido. Digo sorrindo e o puxando para baixo do jato quente de água, molhando seus cabelos com cuidado.

-Você está dizendo que gosta de me ver escabelado? Fala rindo.

-Gosto, quer dizer que dei trabalho para você! Digo pegando o shampoo e lavando seus cabelos que são macios e espessos e noto que ele fica um pouco envergonhado.

-Você tem o dom de me deixar sem jeito com seus elogios! Reclama sorrindo.

 

Ficamos ali por uns bons minutos, lavando um o corpo do outro e, claro, tirando proveito de vez em quando. Saímos e nos enrolamos nas toalhas.

 

-Você trouxe roupa? Pergunto para ele ao lembrar que ele entrou no quarto de mãos vazias.

-Claro, estão no quarto de Bill. Você acha que eu iria embora ainda hoje? Vou ficar com você até terça de manhã.

-Perfeito, amor! Não vamos sair desse quarto para nada! Tenho a impressão que falei com uma cara meio de louca porque ele me olha com um certo pavor com a minha fala, debochando obvio, e ri.

-Vem cá, veste essa camiseta que eu estava antes, está limpa, eu tinha acabado de vesti-la. Depois você pede para alguém trazer suas roupas.

 

Ele veste a cueca e coloca minha camiseta que fica bem folgada e grande em mim, ficando no tamanho quase certo nele, um tanto folgadinha também. Ele se ajeita na cama e senta escorando as costas na cabeceira enquanto eu visto minha calcinha e o moletom que ele estava antes.

 

-Eu poderia ter vestido ele então, amor...

-Claro que não, não percebeu que foi de propósito para eu poder vestir e sentir seu cheiro bem de perto? E como é macio, acho que não vou devolver, desculpe!

-Ficou lindo em você, sua ladra! Responde sorrindo e mostrando aqueles dentes brancos.

-Vamos comer algo? Pergunto.

-Vamos, estou louco de fome.

-Pode ser uma pizza?

-Se tiver bastante queijo, pode!

-Está bem, seu guloso!

 

Ligo para a recepção e alguém atende em seguida.

 

-Gostaria de uma pizza de 4 queijos para o quarto 1050 e pode pedir para capricharem na quantidade de queijo porque é um desejo do rei. Obrigada.

 

Digo e desligo e telefone e Michael me olha incrédulo.

 

-Por Deus, Roberta! O que eles vão pensar? Fala preocupado e meio rindo.

-Que você gosta de queijo, ué! Ele sabe muito que era de você que eu estava falando! Ele sabe quem está hospedado no hotel, amor! Mal termino de falar e ele me puxa enquanto ri e me chama de impossível.

-Quer beber alguma coisa enquanto isso?

-O que tem aí?

-Vinho, uísque, vodka, refrigerante e água. Digo me curvando para olhar o frigobar que fica perto da porta da sacada e Michael não responde nada.

-Amor? Digo me levantando e olhando para ele.

-Michael! Falo atirando nele um pacote de salgadinho que havia ali perto.

-Não tenho culpa se você empina a bunda para olhar as bebidas! Fala dando de ombros e sorrindo.

-Seu idiota, fala logo o que quer! Digo rindo também.

-Pode ser um pouco de vinho. Pego o vinho, sirvo para ele e me sirvo de uísque novamente. Volto para a cama, sentando entre suas pernas e escorando as costas em seu peito.

-Você está estranho com uma camiseta dos Beatles! Digo bebendo um gole do meu copo.

-Ué, amor.. eu gosto das músicas deles.

-Tudo bem, pode até gostar, mas é estranho ver Michael Jackson com uma camiseta dos Beatles! Falo dando uma olhada para trás e sorrindo.

-De quem mais você tem camiseta assim?

-Pergunta logo, Michael!

-Ok..você tem alguma minha? Pergunta fazendo doce e ri.

-Tenho, mas está bem guardadinha em casa!

 

Enquanto conversávamos começamos a ouvir um barulho vindo da sacada e estava aumentando gradativamente.

 

Continua...

 


Notas Finais


A foto está com qualidade ruim, mas não podia deixar de colocar! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...