1. Spirit Fanfics >
  2. Whatever It Takes >
  3. Capítulo 37

História Whatever It Takes - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 37 - Capítulo 37


O retorno de YanLi estava marcado para um dia antes do encerramento dos jogos escolares, mas com a situação que colocou a família Jiang na mira dos tabloides chineses toda a agenda foi alterada e agora a garota estava na mansão da família trancada em seu quarto.

Havia chorado tudo o que pôde longe dos olhos dos parentes, mas diante da família permanecia serena e inabalável escutando todos os gritos da mãe e as repreensões dos avós bem como suportando o silêncio do pai. Três dias ouvindo tudo calada durante as refeições e tolerando com o apoio dos irmãos placidamente.

Ela já havia tomado a sua decisão e definitivamente não voltaria atrás. Jiang Cheng pediu que ela não falasse mais com os pais e os avós enquanto ele agia como um verdadeiro cão de guarda seguindo a irmã para todos os lados e se alguém ousasse chegar perto dela era capaz de ser agredido.

YanLi sentia vontade de chorar mais uma vez, mas de emoção pela sensação de proteção que o seu irmão estava tentando lhe dar. Wuxian já estava sabendo e avisou que estava chegando até o mais tardar a noite com a ajuda dos Lan.

A vergonha a corroía e enquanto conversava com o irmão caçula, assim que ele chegou desesperado para abraçá-la, não ouviu uma palavra sequer de repreensão, só de muito amor e proteção e várias vezes implorando para que ela contasse com ele para tudo que sempre estaria do lado dela.

Seus sonhos desmoronaram como um castelo de cartas ao vento e até mesmo o convite que recebera de fazer o seu curso de gastronomia na Universidade de Paris seria lançado no mar de esquecimento dos sonhos destruídos, pois como lidar com uma gravidez e perspectivas profissionais naquelas circunstâncias?

Se antes ela já não era incentivada a ser independente e todos olhavam para si com certa condescendência achando bonitinho seu passatempo de cozinhar, agora que era uma mulher grávida, afinal deixou de ser uma garota assim que a notícia se espalhou, muito menos agora a levariam a sério.

A injustiça da situação falava alto em seu coração, afinal viu quando Jin GuangShan apareceu para buscar o filho e o recebeu como se nada demais houvesse acontecido tratando-o como o príncipe que sempre foi para a família Jin enquanto ela era vista como a meretriz que lançou o nome Jiang na lama.

Ela acabou sendo obrigada a voltar cinco dias antes do combinado após ter passado mal na festa de encerramento do curso de culinária. Jin ZiXuan retornaria antes de todos para Lanling com seus irmãos então chamou Jiang YanLi para uma conversa importante. Apaixonada, foi como se caminhasse em nuvens de algodão conversar com ele. Mal esperava ouvir da boca do ex-namorado a frase “Eu quero terminar nosso relacionamento.”.

Foram menos de três meses de namoro nos quais ela se deu de corpo e alma a ele. O choque foi demais para a garota, a pressão caiu e ela desmaiou nos braços dele. Se MianMian não estivesse prestando atenção a distância na conversa entre a amiga e ZiXuan era capaz dele ter deixado YanLi largada em um sofá qualquer, mas com o grito da garota que atraiu os olhares para ambos foi obrigado a socorrê-la.

Antes mesmo de acordar os médicos já haviam traçado o seu diagnóstico: grávida.  O período coincidia justamente com o início do relacionamento com Jin ZiXuan. Os contraceptivos haviam falhado? Ela havia perdido alguma das doses? Não importava. Ali estava o resultado dos seus sonhos encantados que se tornaram pesadelos.

A médica francesa que a havia atendido foi de suma delicadeza e explicou todos os cuidados que YanLi deveria ter a partir daí sem qualquer tipo de segundo olhar, mas diante do pai da criança a situação foi completamente diferente.

Quando os dois ficaram sozinhos naquele quarto de hospital e a Jiang contou o que estava acontecendo, a resposta de Jin ZiXuan não poderia ter sido mais decepcionante.

- Você é definitivamente inútil. Nem para evitar engravidar tu serves. – Jiang YanLi nunca viu alguém olhar para ela com tanta indiferença. Ela queria ir para casa, ver os irmãos mesmo sabendo que a mãe iria tornar a vida dela um inferno. – Eu disse para GuangYao que conseguiria te comer sem esforço e ele apostou na sua honra de que jamais abriria as pernas para mim antes de um casamento. – O riso de escárnio de ZiXuan fez com que YanLi quisesse voltar no tempo e ouvir os irmãos quando demonstravam tamanha antipatia por aquele ser diante de si. – Eu só comecei a namorar contigo para que as relações entre as famílias não ficassem estremecidas, afinal sua mãe é amiga da minha. Tu pensaste o que? Se engravidasse iria me prender contigo? Uma garota sem graça que não tem nada a acrescentar na minha vida? Eu sou Jin ZiXuan, jamais me casaria com alguém como você. Tu foste apenas alguém que estava a minha disposição facilmente e já que tu sempre se jogou para mim ainda te fiz um favor.

Jiang YanLi sentiu cada uma daquelas palavras corroendo seu cérebro como ácido. Em questão de poucos dias ela havia passado de senhorita Jiang para uma mulher sem reputação. De alguma forma a noticia de que ela estava grávida vazou no dia seguinte e a decisão de sair da França foi tomada imediatamente. Era triste como uma garota passava de menina para mulher naquele mundo.

Uma garota não tinha direito de dispor do próprio corpo sem ser condenada como a mais vil das pecadoras e quando se era filha de uma família extremamente tradicional chinesa como era  Jiang tornava tudo pior.

MianMian permaneceu ao seu lado o tempo inteiro defendendo-a dos colegas que passaram a olhar de soslaio a amiga e quando YanLi dormiu após ter chorado tudo o que conseguiu ela ligou para Jiang Cheng e o preparou para a bomba. Em Yunmeng, o primeiro herói sentia que poderia desmaiar com a notícia.

YanLi não queria que MianMian brigasse assim por ela com medo de que a garota também fosse mal vista e chamada de promíscua por tabela. Mian olhou para Jiang como se ela fosse louca e disse que nenhum daqueles babacas pagava as contas dela e se não ajudasse a amiga jamais se perdoaria.

Mian só deixou o lado da amiga quando ela já estava com a família. A mãe médica da garota era casada com um inglês, então talvez acabassem criando a filha entre o mundo ocidental e oriental. Antes de ir pra casa disse para YanLi.

- Amiga, qualquer coisa, literalmente qualquer coisa que você precisar, me ligue imediatamente. – Virando-se para Jiang Cheng ao lado dela, disse. – Se YanLi não falar nada a obrigação será sua de me contar, entendeu?

- Sim, obrigado MianMian. – Jiang Cheng estava contente por saber que a amiga da irmã não a abandonou.

Agora todos estavam naquela mansão que foi o seu lar e onde suas memórias mais felizes foram construídas. Wei Ying estava ali e agora ela contava com os dois irmãos caçula ao seu lado cuidando dela do melhor jeito que eles podiam.

 Tentavam levar comida nutritiva e algumas besteiras para o quarto, já que percebiam que durante as refeições em família ela não se alimentava direito, a chamavam para fazer exercícios com eles e conversavam com ela. Não havia ninguém mais importante para eles, nem mesmo os seus amados Lan.

Wuxian entendeu o que Wangji sentiu ao perceber que os irmãos poderiam sofrer uma grande injustiça e, além disso, soube que a racionalidade não entrava na mente de qualquer pessoa naquela situação.

Wen Ning ligou afoito para o amigo e perguntou o que estava acontecendo, Huaisang não entendia o absurdo que foi aquela história ter sido divulgado tão sem cuidado. Era latente que alguém havia vazado a informação e Wuxian tinha certeza que foi culpa dos Jin para obrigar Jiang FengMian a aceitar a proposta de acordo deles.

Conversando com Huaisang que parecia calmo até demais ouvindo o amigo contando a história e Wen Ning que estava ao lado da irmã que, por sua vez, estava quase indo as lágrimas por causa da amiga, em uma vídeo chamada e o que Jin ZIXuan havia falado para a irmã, recebeu como resposta do Nie.

- YanLi está em uma situação extremamente delicada, se ela não se casar com Jin ZiXuan e resolver ter a criança, será mãe solteira e jamais a respeitarão novamente e mesmo que aborte permanecerá a mancha, mas se ela casar com aquele filho da puta viverá infeliz o resto da vida.

- Então ela tem que escolher entre morrer agora rápido ou morrer lentamente? É isso? – Wuxian estava cada vez mais nervoso e sem conseguir raciocinar direito.

- Isso é ridículo. – Wen Qing não havia conseguido falar com a amiga direito tendo ouvido de YanLi apenas que ela não conseguiria conversar agora com ninguém e a Wen entendeu, mas não a impediu de buscar informações com os outros amigos. – Ela não fez a criança com o dedo. Porque toda a crítica recai sobre ela? Que mundo injusto, meu Deus!

Eles conversaram por mais um tempo e o Nie pediu que Wuxian ficasse na conversa para que falassem a sós. Quando os irmãos Wen desconectaram, o Nie disse.

- Existe uma terceira e última opção. – Huaisang estava realmente sério enquanto falava. Wuxian à medida que ouvia pensou que se YanLi tomasse aquela decisão, ela não iria sozinha.  Ele jamais a deixaria. Abandonaria tudo por ela se fosse necessário.

- Você entendeu, Wuxian? Se ela tomar essa decisão poderá ser fatal.

- Eu não pensei nisso.

- Ninguém pensa que uma mulher seria corajosa o suficiente para enfrentar o mundo, mas aqui estamos falando do filho dela, da sua vida. – Huaisang olhou seriamente para Wuxian enquanto concluía. – Se ela optar por isso saiba que tens os Nie ao seu lado. Já falei com A-Jue e ele está de acordo comigo. Jiang YanLi não ficará sem proteção.

Wuxian estava quase ás lágrimas. – Obrigado, A-Sang. Significa muito.

- Não agradeça por algo assim. Deixe-me decorar o aniversário de um ano da criança e estaremos quites.

Eles riram enquanto falavam sobre a viagem de Wuxian para Macau, mas Wei Ying sentiu que não deveria falar sobre os sentimentos que começaram a brotar por Lan Wangji.

 

 

-------------

A proposta de Jin GuangShan foi apresentada formalmente em uma soturna reunião de família no dia anterior ao encerramento dos jogos escolares. YanLi e ZiXuan deveriam se casar. Cada um poderia viver do jeito que apreciasse e ter os relacionamentos que achassem melhor, mas era inadmissível que um neto seu fosse bastardo. Todos sabiam que aquilo jamais se aplicaria na prática a YanLi que seria relegada a figura decorativa na mansão dourada dos Jin e passaria o resto da vida sendo alvo de comentários.

A hipocrisia daquele homem fazia os ouvidos de Jiang Cheng chiar de tanto ódio. Sua irmã estava sentada como uma gazela a ponto do abate entre os caçadores e sua figura pequena fazia com o irmão caçula quisesse jogá-la sobre o ombro e fugir para o mais longe dali e protegê-la do mundo.

Em contrapartida a família Jiang deveria aceitar a parceria comercial que permitiria o uso da logística de malha fluvial pelos Jin sem jamais questionar o que eles queriam transportar e, como demonstração de boa-fé, ofereceriam 30% de desconto no valor do contrato já que agora seria todos “a mesma família”. FengMian sentia que estava diante de um verdadeiro campo minado e para desespero de Jiang Cheng não dizia nada para o líder Jin.

Jiang FengMian não havia conseguido chegar até ali na vida sendo covarde e era um homem muito prudente. Tanto era que Baoshan sentiu segurança em deixar seu adorado sobrinho aos seus cuidados mesmo tendo Madame Yu como esposa.

Wei Wuxian tremeu na base com aquela ideia, pois já sabia de toda a conversa entre a irmã e ZiXuan na França fora o quão escusos eram os negócios dos Jin. O olhar de ZiXuan ao estar sendo obrigado a casar com YanLi era capaz de fulminar qualquer um. O segundo herói de Yunmeng temia que a irmã não sobrevivesse “por acidente” se todo aquele ódio continuasse no olhar do possível noivo.

Jiang Cheng sentiu a impotência se abater sobre os ombros e não sabia como reagir. Quando foi buscar Wuxian no aeroporto, Baoshan o puxou para um abraço forte e disse “Tenha coragem, meu garoto. Não se esqueça, faça o impossível acontecer”, mas ele realmente não sabia como.

YanLi permanecia dignamente sentada entre todos os familiares e antes de falar sorriu docemente para os irmãos. De onde estava via a preocupação deles e como pareciam ponderar o melhor momento de fugir com ela. Ela não poderia manchar a reputação deles, mas não entregaria a sua vida nas mãos dos outros. Ela não era Yu ZiYuan. Ela lutaria. Assim, disse:

- Eu sei tudo o que há em jogo aqui e o impacto que as nossas decisões ocasionarão no futuro, mas permita que eu diga algumas palavras. – Olhando nos olhos do amado pai, sorriu surpreendendo-o, enquanto amassava a barra do vestido que usava para controlar o nervosismo. – Jamais obrigaria alguém que não me ama a casar comigo, nem mesmo para a minha reputação ser restaurada. Estamos em pelo século XXI e acho que tenho direito de escolha. Também não irei abortar essa criança. Ela vive em mim e eu a amo. – Wuxian sentia o peito explodindo de orgulho da irmã. Ela era a pessoa mais corajosa de todas e estava provando isso mais uma vez. YanLi iria lutar por si e pela criança que nem havia nascido. Segurando as lágrimas e endurecendo a voz, ela continuou. – Por isso, para não prejudicar a minha família e todos os que aqui estão eu abdico da minha herança como Jiang e do meu nome. Peço apenas de meu pai que, se não for incômodo, me ajude a estabelecer residência longe de Yunmeng e a conseguir um emprego.

Wuxian queria saber se Huaisang era um vidente. O que ele disse foi a decisão que a irmã tomou diante de todos fazendo um silêncio sepulcral cair no lugar. Jiang Cheng estava com medo, mas ao mesmo tempo explodindo de orgulho.

Madame Yu sentiu que não acreditava em seus ouvidos. YanLi estava desafiando todos os presentes para manter um feto! O que havia de errado em se tornar a futura senhora Jin? Ela mesma suportou um casamento sem amor por toda a vida em nome da honra e aquela garota estava falando aquela asneira? A senhora Jin pensava a mesma coisa, mas a mãe de Jin ZiXuan não deixou de achar que aquela atitude, se tivesse tido coragem quando mais jovem, a teria livrado de um relacionamento com um homem que não a respeitava e muito menos tinha consideração por si.

YanLi continuou. - Mas caso isso ofenda de alguma forma a minha família, eu partirei hoje mesmo sem levar nada comigo e que a sorte esteja ao meu favor.

Jiang Cheng tentava segurar as lágrimas de todas as formas e quando se lançou pra frente para dizer que iria com a irmã e jamais a deixaria, Wuxian foi mais rápido e disse.

- Eu irei contigo, Shijie.

Todos viraram o rosto para Wei Ying. Jin GuangShan nunca gostou daquele garoto que costumava representar problemas para o seu amado filho mais velho sempre o machucando no judô e que agora ameaçava seus planos. Ele era tão inconveniente quanto a maldita mãe e reforçava a decisão de YanLi em permanecer com aquela ideia absurda. A chance de fazer sua vontade se cumprir era a mãe da garota pressionar o bastante. Madame Yu estava tão transtornada que não se atentou para o fulminante olhar de GuangShan, mandando que Wuxian calasse a boca com um grito estridente.

Jiang Cheng não poderia deixar que o irmão tomasse aquela decisão. Era dele a responsabilidade. Ele era o mais velho! Wei Ying estava resoluto em sua decisão e antes que a situação piorasse FengMian interveio.  

- Acho que os ânimos estão deveras exaltados. Amanhã, após a cerimônia de premiação das escolas, darei a minha decisão.

Não adiantava ofender o dono da casa para que uma decisão fosse tomada naquele momento. Os Jin saíram da sala, pois iriam ficar hospedados em um luxuoso hotel da região e ali restou apenas a família Jiang. Naquela reunião estavam Jin GuangShan e sua esposa, ZiXuan e Jin Ling. Wuxian se perguntava porque Jin GuangYao não havia dado as caras naquele lugar, por outro lado achou bom, pois não teria a presença de espírito necessária para se conter.

- Você me dá tanto desgosto, YanLi. – Madame Yu não escondia toda a sua raiva e frustração. – O que custa aceitar seu destino? Irá fazer o que da sua vida, garota? Cair no mundo com o desgraçado do Wuxian?

- Irei crescer, lutar, trabalhar, cuidar do meu filho e ser uma mulher melhor do que você jamais será. – Pela primeira vez todos ali viram que YanLi era descendente dos Yu. Jiang Cheng nunca havia visto aquele ar aristocrático e feroz no rosto sempre delicado e pacífico da irmã. Ela era como uma leoa protegendo seu filhote. – E A-Ying não é desgraçado. Ele é gentil, carinhoso, amável e mais honrado do que ZiXuan que disse na minha cara que eu não passava de uma inútil e desprezou o próprio filho. – Finalizando aquela conversa, disse. – Não temos nada a falar, mãe. Irei arrumar minhas coisas ou não posso levar nada comigo?

FengMian não iria aceitar que aquilo se prolongasse diante de si e disse assertivamente calando a todos.

- Amanhã conversaremos mais. Não quero ouvir nada hoje sobre esse assunto. - Nenhuma decisão seria tomada no calor do momento. E antes que os sogros se intrometessem na conversa com seus comentários ácidos criticando o que ele fazia ou deixava de fazer, lançou um olhar extremamente ofensivo que fez ambos engolirem as palavras.

- FengMian! Como você ousa... – Madame Yu estava ultrajada com o comportamento do marido.

- CALADA! – Todos se assustaram com a resposta do patriarca daquela família que nunca viram levantar a voz para a esposa. – Eu disse que amanhã resolveríamos isso. Chega. Todos viram que não haveria discussão e naquela noite não houve jantar entre os familiares na mansão Jiang.

 

 

--------------------------

 

Aquela noite era muito parecida com outra que tiveram há meses e seria mais difícil ainda para os três adolescentes. O coração partido de YanLi, a impotência que enfurecia Cheng e o coração de Wuxian que tentava se conformar com o futuro que escolheu para si.

A cama de YanLi também era grande o bastante para caber de forma confortável duas pessoas, mas agora havia três. Do lado esquerdo Wuxian tinha a cabeça encostada sobre o travesseiro enquanto abraçava protetoramente Yanli e do lado direito Jiang Cheng permanecia distraído com os pensamentos fazendo um cafuné na irmã.

Se sentindo tão protegida ela não suportou e se entregou ao choro compulsivo fazendo com que os irmãos muito maiores que ela quase a comprimissem entre eles. Sem a adrenalina do confronto de mais cedo só restou o desespero vertendo em lágrimas.

- Shijie. Eu irei com você. – Wuxian quebrou o silêncio.

- A-Ying, pare com isso. O erro foi meu em ter sido tão estúpida. Se eu tivesse ouvido... – As palavras entre as lágrimas eram quase inaudíveis.

- É claro que a culpa não foi sua! – Jiang Cheng precisava dizer algo para tirar aqueles pensamentos absurdos da irmã. – Você está segurando a barra sozinha sendo mais mulher do que ele é homem, mas não precisa. Iremos com você.

- Não. - Os irmãos olharam para Wuxian esperando que ele explicasse aquela negativa. Ele completou. – Você não poder ir Pinscher.

- Por que não? – Cheng estava tão ultrajado que ignorou o apelido infame. – Porque eu não posso cuidar de YanLi e do meu sobrinho também?

- Porque tu serás o futuro dos Jiang. – Wuxian olhava para o irmão com orgulho transbordando. – Daqui a alguns anos será você a pessoa responsável por manter milhares de pessoas empregadas e, além disso, um de nós dois precisa estar na seleção de judô da China.

- Eu não quero que vocês desistam dos seus sonhos por mim. – YanLi se sentia a pessoa mais culpada da face da terra. Ela queria poder dizer que faria tudo sozinha para não prejudicá-los, mas tinha medo do mundo do lado de fora também.

- Ninguém está desistindo dos sonhos aqui, Shijie. Apenas temos um novo motivo pequenininho para lutar. – Wuxian disse colocando a mão sobre a barriga da irmã sorrindo emocionado. – Sei que não é grande coisa, mas se lhe deixarem sem nome, fique com o meu. - Jiang Cheng olhou chocado para o irmão. Wuxian levaria aquilo até aquele ponto? – Não se trata de um pedido de casamento, afinal jamais lhe veria dessa forma, Shijie, mas jamais te deixaria sozinha nesse mundo do mesmo jeito que nunca me deixaste.

- Mas... – YanLi não acreditava em seus ouvidos. O que Wuxian queria fazer implicava em muito mais do que se poderia esperar. Ele estava traçando sua vida a partir de agora assumindo um filho que não era dele e uma mulher que jamais seria sua esposa.

- A criança não precisa sofrer com a alcunha de bastarda e nem você de mulher abandonada. A-Cheng é seu irmão então não poder assumir esse papel, mas eu posso. Ela terá pai, sim. Um pai e um tio que a protegerão para sempre. -Jiang YanLi não suportou e chorou ainda mais.

Cheng, por mais que quisesse seguir com os irmãos, entendeu com aquela conversa que caberia a ele proteger os irmãos depois que alcançasse a liderança da família. Um dia ele seria o líder dos Jiang e teria em suas mãos todas as empresas sob o seu poder.

YanLi não fazia ideia do que a sua atitude de lutar contra o sistema implicou e, tal como Hua Cheng havia imaginado, o sacrifício dela e de Wuxian daria mais tempo para que os Jiang não fossem envolvidos no esquema de tráfico de drogas que queria usar a logística fluvial para adentrar ainda mais na China sob o bom nome dos Jiang da mesma forma que quase maculou os Lan. Eles sofreriam agora e não seria fácil, mas eles estavam juntos e podiam contar uns com os outros.

- Precisamos decidir um nome para o bebê. – YanLi sorriu entre as lágrimas. – A-Xian, vou deixar você escolher.

Jiang Gueng concordou na hora e Wuxian sentiu a mente divagar quando soltou quase sem querer.

- Eu gosto de RuLan.

YanLi e Cheng olharam curiosos para ele.

- Por que teria Lan no nome, A-Xian?

- Eu sempre gostei de orquídeas! – Wuxian desconversou. - Vocês não sabiam disso? RuLan significa “como uma orquídea”, será lindo para uma menina.

- E se for um menino? – Jiang Cheng resolveu não insistir no súbito interesse do irmão pelo nome Lan.

- Poderá ser esse também. – YanLi interveio. – As orquídeas resistem ao frio e intempéries, então adoraria que meu filho fosse forte como uma. Adorei o nome, A-Ying.

Wuxian sorria para os irmãos, mas não deixava de passar que aquele passeio no parque e a dança sob o luar naquela suíte presidencial foi o último sopro da sua adolescência, mas não se arrependia do rumo que sua vida estava tomando e muito amaldiçoaria aos deuses.

Ele daria um jeito de depois encontrar Lan Wangji e dizer que infelizmente não poderia apresentar Suibian para ele por enquanto, afinal era óbvio que teria que abandonar Yunmeng ao lado de YanLi e não se sabia quanto tempo demoraria para voltarem para ali.

Jiang Cheng sentiu seu coração afundar um pouco mais também. Então foi isso que XiChen sentiu ao abdicar de tudo em nome dos irmãos e temer até os próximos passos? Quanta coragem a primeira jade de Lan teve que reunir só para visitá-lo aquele dia na enfermaria?

Deitados ali perceberam que em menos de uma semana deixaram a adolescência e entraram na vida adulta.

Os três sorriram e continuaram conversando até tarde. Wuxian e YanLi dormiram logo, mas Jiang Cheng permaneceu com os olhos sobre eles e pensou resoluto.

- “Eu vou protegê-los!” – E assim se levantou. Era necessário falar com os pais antes da cerimônia de encerramento.

 

I'm waking up

Estou acordando

I feel it in my bones

Eu sinto isso em meus ossos

Enough to make my system blow

O suficiente para fazer meu sistema explodir

Welcome to the new age, to the new age

Bem-vindo à nova era, à nova era

Welcome to the new age, to the new age

Bem-vindo à nova era, à nova era

Imagine Dragons - Radioactive


Notas Finais


Eu nem sei o que dizer aqui nas notas, pois chorei escrevendo, então a gente se ver nos comentários.

Ps: Jin Ling eu transformei em dois personagens. Sempre gostei mais de Jin RuLan hahahahha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...