História Whatever Takes, One Day Together - Capítulo 6


Escrita por: e manopladothanos

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Tyler Lockwood
Tags Bruxas, Família, Hibridos, Lobisomens, Promessa, The Originals, The Vampire Diaries, Vampiros
Visualizações 26
Palavras 3.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Caminhos Diferentes


Fanfic / Fanfiction Whatever Takes, One Day Together - Capítulo 6 - Caminhos Diferentes

 

 

4 Anos depois

 

POV: Kyara

 

Estou me alimentando de um homem que tentou abusar de mim, que tolo. Quando eu paro, ele cai, morto à meus pés. Puxo meu lenço, limpo minha boca e saio sorrindo até me aproximar de um vilarejo. Vejo um homem, loiro, é Arthur. Não acredito, ele está vivo, uso minha V.V. (Velocidade de Vampiro) o pego, levando para longe dos outros e o encosto na árvore, dizendo:

- como pôde. Fingiu sua morte para mim?

- não. Eu não fingi nada. Meus pais disseram para eu ir embora de lá. Falaram que eu corria perigo. Achei que nunca mais ia te ver. - ele respondeu, sorrindo ao me ver.

- quer dizer que sobreviveu ao ataque?

- sim. Mas não sei porque eles não deixaram me despedir de você. Aliás como você está forte e mais rápida. O que significa isso? - ele questiona.

- te explicarei tudo, inclusive tenho algo pra te contar.

Eu explico sobre o caso de virarmos o que chamam de Vampiros e sobre nossa filha.

 

POV: Trevor

 

Durante três anos visitei minha filha uma vez a cada dois meses. Mas agora resolvi ficar nesse vilarejo, até porque o sangue de animal mantém, mas não do mesmo jeito que o sangue humano. Depois de quase matar uma pessoa, parei de me alimentar de humanos, somente de sangue animal. Sura me vê, se aproxima e diz:

- Trevor, quanto tempo. Você não envelhece nunca.

- e você cresceu bastante, Sura. Nesse tempo que eu vinha ver Kyrah, não conseguia te ver, porque sabe, podiam desconfiar. Mas agora eu não tenho pra onde voltar.

- o que aconteceu?

Eu fico em silêncio e ela diz:

- vamos pro meu quarto.

Entramos na casa dela, vamos até o quarto dela e ela fala:

- pode me falar. Sabe que pode confiar em mim. Eu nunca revelei seu segredo. E foi você que resolveu revelar seu verdadeiro nome.

- tudo bem...

Conto tudo sobre ter virado o que chamam de Vampiro e a tragédia da morte de meu pai. Eu fico com veias nos olhos e ela diz:

- seus olhos ficam com veias em volta. É uma mistura de vampiro com lobisomem, pois seus olhos ficam amarelos.

- é que estou faminto.

- sei. Quer meu sangue? - ela pergunta.

- não, por favor. Eu posso te matar.

- vem aqui. Caso você passe dos limites, eu dou um jeito. Sou uma lobisomem afinal.

Ela dá seu pulso, eu mordo, entrando em transe, só saboreando seu sangue, sinto que quero mais, mordo mais forte e sugo mais rápido, até que sinto uma dor nas minhas partes íntimas e paro de beber. Coloco minhas mãos lá e ela diz:

- eu disse que daria um jeito. Agora percebi que não sabe o que é controle. Existe uma palavra pra te descrever, já que és vampiro e lobo: Híbrido. Você se transformou em lobo depois de virar um vampiro?

- confesso que nunca mais me transformei.

- Então precisamos descobrir detalhes sobre isso. Vamos falar com Katarina.

Vamos até a casa dela, Nathan está junto. Me cumprimenta e diz:

- podem entrar.

Toda vez que os vejo ele me convida pra entrar, detalhe que descobri (um vampiro precisa ser convidado para entrar uma vez na mesma casa). Eles já sabem do meu verdadeiro nome, que contei faz 6 anos, eu expliquei que é por causa de uns visitantes que me conheciam, que usei outro nome. Ficamos conversando um pouco.

 

POV: Shrya

 

Estou num reino norte francês, conhecido como Montemort, estou entrando na fortaleza real do reino, pronta para conhecer o rei e a rainha pessoalmente. Quando anunciam meu nome como Shrya North, usei o último nome em homenagem à minha matilha do Norte Atlântico. Eu me apresento ao rei Gerard de Montemort. Sua esposa, a rainha Gaia e sua filha, a pequena princesa Delia, também se encontram presentes. Eu peço ao rei um lugar para viver, e ele diz que eu posso ficar uns dias nos aposentos da fortaleza, até que providenciem um local adequado para uma dama como eu. Eu agradeço ao rei, os reverenciando e sorrindo. Tenho impressão do rosto da pequena Delia, que tem 6 anos, ser bastante familiar, mas deve ser bobagem. O rei ordena a seus servos a me mostrar o dormitório que ocuparei.

 

POV: Kyara

 

- Kyara, será que eu posso virar um vampiro também? - Arthur pergunta.

- por que quer se tornar vampiro?

- pra procurarmos nossa filha. E se não for possível, ao menos encontrar as descendentes. - ele responde.

- Arthur, não espere que eu vá ficar com você. Eu não sou mais a mesma de antes.

- eu sei. Sua mãe foi uma "bruxa" contigo. Mas eu quero saber de minha filha, nem que eu a procure sozinho. - ele insiste.

- tudo bem. Eu descobri como criar Vampiros meses atrás. É assim...

Mordo meu pulso, peço pra ele beber meu sangue, que meio desconfiado, o faz, então olho pra ele e falo:

- agora vai doer.

Quebro o pescoço dele, que cai morto.

 

(...)

 

Ele acorda, com dor no pescoço e diz:

- então era isso? Eu tinha que morrer?

- que bom que percebeu. Agora precisa beber sangue humano para completar a transição.

Ele concorda e vai atrás de um homem, se alimenta dele, até o matar, então ele volta, trazendo o corpo dele e diz:

- é incrível essa sensação. Esse cara vivia tentando me humilhar, eu tentava bater nele, mas não conseguia. Não se preocupe, ele era só um idiota.

- não estou julgando. Aliás. Nem me importo. Estou aprendendo com essa imortalidade, que humanos são só um meio para o fim.

Ele se impressiona comigo e diz:

- realmente estás diferente. Sabe, nós tivemos uma história bonita, mas eu mudei também. Tive que me adaptar a esse lugar. Podemos ficar juntos mas não do jeito de antes. Entende?

- acho que sim. Quer dizer viver uma imortalidade louca. Tudo bem, mas nada de se apegar.

Nos beijamos loucamente, tirando nossas roupas e transando em plena floresta à noite. Amanhã criarei um anel da luz do dia pra ele.

 

POV: Trevor

 

Katarina explica que eu sou um híbrido que posso me transformar quando eu quiser, então Sura pensa e diz:

- então, meu caro amigo, tudo o que precisa fazer é se transformar todas as noites em lobo. Assim conseguirá ter o controle de seus instintos.

- mas isso é possível?

- está falando com alguém que se lembra de tudo na forma de lobo. Toda vez que eu me transformo, eu lembro de tudo. De alguma forma eu tenho consciência na forma de quatro patas. Então eu irei te ajudar. - ela diz segurando minha mão e conclui. - Trevor, você é o único amigo que tenho.

- essa magoou. - diz Katarina.

- ah, Katarina. Você é quase como minha mãe. - ela diz. - Eu vejo você e Nathan como membro da família, vejo Kyrah como uma irmã.

Kyrah aparece, abraçando Sura e me diz oi, Katarina conta que está ensinando-a praticar magia, eu respondo:

- isso é muito bom. Kyrah, quando você dominar a magia, vou te ensinar alguns feitiços.

- adoraria aprender algo interessante. - ela responde, Kyrah tem 6 anos.

- Trevor, vamos embora. Está na hora de treinar seus instintos. - diz Sura, que está com seus 16 anos.

Concordo, nos despedimos deles e saímos para a casa de Sura. Chegando lá, Sura diz que irá arrumar o quarto pra eu dormir, o pai dela está voltando a falar comigo aos poucos, desde que revelei meu verdadeiro nome, ele passou a desconfiar de mim. Mas Sura o convenceu a falar comigo.

 

POV: Autor

 

Na França, Shrya se tornou a conselheira da rainha, e ajudando a cuidar da Princesa Delia, sem imaginar o segredo da família real de Montemort. No vilarejo dos Crescentes, Sura ajuda Trevor a controlar a forma de lobo, mas algo de ruim acontecerá com alguém próximo a ele. Kyara e Arthur atravessam os mares para tentar descobrir algo sobre a filha deles, o que os irmãos não imaginam é que algo aconteceu 4 anos atrás...

 

POV: Sareena, 4 anos antes

 

Estou com a "estaca mortal" na mão e pensando: como irei caçar Trevor e as meninas antes de morrer? Já sei. Essa estaca é semi-indestrutível(ela queimará quando eu matar o último dos três irmãos), vou ligar minha vida à essa arma, assim não envelhecerei mais e poderei viver até alcançar meu objetivo, sem perder minha magia. Seguro a estaca, preparo tudo, coloco sal, fazendo o símbolo do infinito, coloco meu sangue num lado e a estaca no outro. Começo a pronunciar o feitiço até sentir a imortalidade em meu corpo, esta feito. Eles não perdem por esperar.

 

Dois anos depois

 

POV: Trevor

 

Sura foi bastante dura comigo na hora de eu me transformar, pois eu não queria, sentia muita dor. Mas graças à essa rigidez, eu consegui não sentir mais dor nas transformações e ter consciência ao estar na forma de lobo. Durante o dia, Sura me fazia treinar minha mente, à noite fazia eu me transformar. Também está ocorrendo algo, eu sinto uma forte atração por ela, que está com 18 anos. Nesse tempo, Katarina me diz que meu sangue é especial, mas só diz isso. 

Infelizmente há dois anos, o pai de Sura morreu da mesma doença que minha mãe, Malia.

Estou treinando com Sura, mantendo o corpo dela mais forte, ela se mostra uma verdadeira guerreira destemida. Kyrah, que está com 8 anos, aparece, vendo nossa luta e diz:

- adoro ver uma luta.

Eu, me distraio, vendo minha filha e Sura me derruba no chão, pisando no meu peito de leve e diz:

- um verdadeiro guerreiro, não deve baixar a guarda nunca.

Kyrah aplaude e dá risada, dizendo:

- então, Trevor, perdendo a luta para uma mulher. Quando eu crescer, quero ser uma guerreira como você, Sura.

Ouço barulho de batidas de espada e saio usando minha v.v. vejo Nathan, ferido. Pego ele e o levo pra casa de Katarina, ao entrar ela se desespera ao ver seu marido daquele jeito. Eu falo:

- vou atrás do homem.

- não, Trevor. Por favor, fique e me ajude a estancar o sangue dele. - diz Katarina.

Eu penso comigo mesmo e falo:

- Katarina, você diz que meu sangue é especial. Será que se Nathan beber, ele se salva?

- não. Se ele beber o sangue, se tornará como você e pelo que sei, vampiros tem o instinto assassino no sangue. - ela responde.

- mas e se ele não sobreviver?

- Trevor. Eu te entendo em ter se tornado isso. Mas eu não quero. - diz Nathan. - querida, deixe-me sozinho com ele?

Ela, com lágrimas nos olhos, concorda saindo. Nathan diz:

- eu sei seu verdadeiro motivo de ter se aproximado de nós. Foi Kyrah. Ela é sua filha, não é? Eu sempre desconfiei de ti, mas quando vi a forma que tratava minha garotinha, percebi que só um pai de verdade seria assim.

- por favor, Nathan. Se souberem disso, eu a perco pra sempre. Katarina vai levá-la longe de mim.

- ela não fará isso. Só quero que prometa uma coisa. Proteja-a. Seja o pai dela e quando ela estiver pronta, conte a verdade.

Eu olho pra ele, percebendo que está se despedindo. Eu respondo:

- eu prometo.

- obrigado, Trevor. Chame Katarina.

Eu vou até a sala, está Sura, Katarina e Kyrah, que está chorando, ao me ver, ela diz:

- meu pai está morrendo, não é?

Eu apenas a abraço, correndo lágrimas nos meus olhos e falo:

- Katarina, ele quer falar com você.

- eu também quero entrar. - diz Kyrah.

- você não pode. - diz Sura. - seu pai quer falar com sua mãe.

- não me importo, eu vou lá. - ela diz entrando no quarto.

Eu e Sura nos abraçamos e ficamos assim por um tempo.

 

POV: Kyara

 

Estamos próximo à um castelo próximo à um reino no sul francês que dizem ser governado pela família real de Martel. Arthur e eu nos alimentamos de algumas pessoas. Na verdade, era dezenas de pessoas. Juntamos os corpos e começamos a queimar todos, e saímos correndo para um rio, nos lavando, pegando as roupas das nossas vítimas. E saímos correndo e rindo. Entramos no reino vendo muitas pessoas, até ouvirmos anunciarem a família de Martel. Vemos uma carruagem passando com o que aparenta ser o rei ou conde, com seus dois filhos, vejo uma mulher, olho nos olhos dela e usando minha hipnose, pergunto:

- qual o nome dos filhos do rei?

- Tristan e Aurora de Martel. O pai deles é conde e não rei.

Eu faço mais algumas perguntas e ela me responde, então falo:

- pode ir. Esqueça nossa conversa.

Falo para Arthur conseguirmos um lugar para ficar e ele concorda.

 

POV: Shrya

 

Estou com Delia que me faz umas perguntas:

- Shrya, de onde você é?

- de um lugar muito distante daqui.

- por que saiu de lá?

- é complicado, podemos dizer que coisas ruins aconteceram e eu me senti obrigada a sair de lá. E foi bom, pois conheci uma linda princesa.

- onde estão seus pais?

- meu pai já não está mais entre nós e minha mãe brigou comigo e não estamos mais nos falando.

- você tem irmãos?

- tinha 5 irmãos, dois também não estão entre nós e os outros três estão por aí.

- eu queria muito ter irmãos. - ela diz. - é muito chato ser a única criança nesse castelo. Tem uma coisa que preciso te contar...

Ela me conta sobre ter acordado com sua cama em chamas várias vezes, mas simplesmente apagava como por encanto.

Ela ainda diz:

- meus pais pensam que eu coloco fogo. Mas não é verdade.

- eu acredito em você. Sabe dizer porque isso acontece?

- eu não sei. É como se eu não fosse normal. - ela diz.

Eu olho pra ela, começo a suspeitar de que ela é uma bruxa. Então farei um teste, vou até uma vela, apago e falo:

- Delia, olhe para essa vela. Pense em acendê-la. Apenas imagine.

Ela olha fixamente pra vela, mas nada acontece, quando de repente a cortina, começa a pegar fogo, eu rapidamente jogo água, que tinha numa bacia, apagando. Confirmado, Delia é uma bruxa. Eu falo pra ela:

- eu sei o que você tem, se me permitir, vou ajudá-la com isso, mas precisa ser segredo entre nós duas. Aceita?

- sim, aceito. - ela responde.

 

POV: Trevor

 

Horas depois

 

Nathan morreu, queimamos o corpo dele formalmente, Kyrah está muito triste, Katarina pede minha ajuda para cuidar da minha garotinha. Eu respondo que sempre estarei presente. Aproveito para perguntar se eu posso criar vampiros. Ela responde:

- seu sangue é especial, pode criar não só vampiros, como seres da sua espécie. Os ancestrais não permitiam que eu contasse isso, mas eles não salvaram Nathan.

- entendo, meu sangue pode criar híbridos. Obrigado pela sinceridade. Eu tenho um segredo que você pode não estar pronta para saber ainda.

- mas eu sei da verdade. Por isso estou te pedindo para me ajudar a criar Kyrah. Toquei em você, vendo tudo, inclusive a promessa a Nathan. Se fosse uns anos atrás, eu teria fugido com ela. Mas agora eu confio em você. - ela diz.

- agora você me deu uma esperança de minha fonte de alimentação. Vou tentar me alimentar do sangue de vampiros.

Agradeço novamente à ela e vou pra casa de Sura, contando tudo pra ela, que diz:

- isso é ótimo, serei a primeira.

- tem certeza?

- sim. Não tenho mais nada aqui. Só ficarei por causa de Katarina, Kyrah e você. - ela diz, mordendo meu pulso e bebendo meu sangue e diz:

- agora preciso morrer, não é?

- sim. Mas eu prometi a mim mesmo que nunca mais matarei um ser humano.

- não tem problema. Eu dou um jeito. - ela diz se levantando, pega uma adaga e crava no próprio peito, morrendo.

Depois de um tempo ela acorda, vê que eu já tinha retirado a adaga. Ela pergunta:

- e agora? Eu preciso fazer o que?

- precisa beber meu sangue novamente pra completar a transição.

Ela morde meu pulso novamente, e começa a sentir a mesma coisa que eu quando completei a transição, ela fica com veias vermelhas nos olhos, misturado com os olhos dourados de lobo. Agora ela é uma híbrida e fala:

- me sinto ótima, mas estou faminta.

Ela some usando sua v.v. e eu a sigo, ela está se alimentando de uma mulher. Ela pára, olha para ela e diz:

- você não vai se lembrar de nada. Vai acreditar que foi atacada por um animal.

A mulher sai caminhando com o pescoço sujo de sangue e Sura me fala:

- agora estou quase saciada. Falta uma coisa.

Em v.v. ela me pega, levando de volta para casa. Me joga na cama, tirando sua roupa, me beija, eu também tiro minha roupa. Passamos a noite toda assim...

 

POV: Kyara

 

Estamos morando junto com uma família nobre, que encobre nossas indiscrições.

Eles contam que o conde ficou amigo de uns 5 irmãos, que apareceram. O homem nobre fala:

- dizem que esses irmãos fizeram um acordo com o diabo.

Nós damos risada e ele afirma dizendo que é verdade. Depois de comermos, eu e Arthur saímos, enxergando Elijah e Tristan, resolvemos voltar para a casa e falo pra ele:

- viu quem eu vi?

- sim. É Elijah. Você me disse que ajudou Esther no feitiço que os tornou vampiros. - ele diz.

- isso mesmo. Niklaus é o único deles que é híbrido, mas sua parte lobo foi reprimida por um feitiço. Diferente dos meus irmãos. Eles são híbridos e eu sou uma vampira/bruxa.

- você é mesmo a garota prodígio. Calma, não estou me apegando. - ele diz, sorrindo.

- estou pensando no que fazer para tirar eles daqui, pois não quero ser descoberta. Já sei. Podemos ser indiscretos, mas fazer parecer que foi eles. Atrairia Mikael e eles fugirão.

- você é doida, tá arriscando nossas vidas em sermos descobertos por sua mãe?

- sim.

- tô dentro.

Esse Arthur está realmente diferente, está melhor que aquele rapaz que eu conhecia. Sorrimos, nos beijando.

 

POV: Autor

 

Kyara e Arthur, fizeram tudo corretamente para fazer Niklaus e os outros fugirem do lugar. Shrya passa a ensinar magia para Delia, que passa a desconfiar de seus pais. Katarina sabe que Trevor é o pai de Kyrah, então os dois e Sura, passam a cuidar dela, até ela chegar aos 18 anos.

 

Acompanhem a última narrativa(por enquanto) dos filhos de Ansel no próximo capítulo...


Notas Finais


Colton Haynes - Arthur
Alice Wegmann - Sura
Katrina Law - Katarina
Andy Withfield - Nathan
Simon Merrels - Gerard
Anna Hutchison - Gaia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...