História What's remains of the Finches - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Adoção, Lesbicas, Romance, Sequestro, Suícidio, Whatsremendsofedithfinch
Visualizações 2
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), LGBT, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Dia de Los Muertos


Fanfic / Fanfiction What's remains of the Finches - Capítulo 2 - Dia de Los Muertos

No dia de los muertos, Veronica acordou abrindo as janelas pesadas de seu quarto, o clima estava nublado e o quarto estava frio, ela acordou sabendo que hoje seria um dia cheio já que seu irmão gêmeo Sebastian iria visita-la assim como a mãe de Helene que a odiava.

Todos os anos no dia de los muertos toda a família iria para a antiga casa dos Finch lembrar dos entes queridos que já pereceram,era uma tradição da família de Helene -que era mexicana-. Mas esse ano iriam até o túmulo de Helene, que era uma coisa que Veronica realmente não gostaria de fazer.

Ao entrar na cozinha Veronica encontrou seus filhos arrumados tomando café da manhã, todos usando uniforme de seus devidos clubes, Núbia e Raj no clube de matemática, Kevin no de jornalismo e Goinneil como líder de torcida.
-tirem seus uniformes, vocês não vão para a escola hoje- ela disse passando por Gonnie e colocando café em sua xícara
-por que?- disse Raj
-hoje é o dia de los muertos não é?- perguntou Núbia
Veronica assentiu
-seu aniversário Kevin!- disse Gonnie
-sim, eu sei... mas não se parece um dia bom para comemorar-
-bom, vamos começar a preparar a coisas seu tio já vai chegar-

As crianças trocaram de roupa e ajudaram a montar o altar da oferenda na sala principal, Albert e os cozinheiros prepararam as comidas favoritas de Helene e knaw para a oferenda. Veronica colocou a foto de Helene com toda a família no dia que chegaram de viagem em frente do velho bob, o trailer no altar. Elas tinham viajado o mundo todo e adotadam todos os seus filhos. Era uma memória para ser lembrada.
A campainha tocou e Albert atendeu.
Eram Sebastian com sua esposa Violet e sua filha Minerva
-irmãzinha- ele disse abrindo os braços para Veronica -quanto tempo que não nos vemos não é mesmo? Olhe Mini já tem três anos, a mesma idade que kwan teria hoje se estivesse vivo-
Veronica congelou, Sebastian a odiava desde que nasceram, ele a culpava pela morte da mãe e por sempre ser uma "decepção para a família"
-sua casa é linda- Violet disse mudando de assunto. Veronica sempre se perguntou como uma mulher como Violet se interessaria por alguém como Sebastian
-obrigada- Ela respondeu ainda em choque. As Crianças chegaram
-kevin!, meu grande Kevin- ele o abraçou com força- está tão grande, tem quantos anos agora?-
-dezoito-
-hm, mas já é um homem, e as namoradinha?-Kevin corou, ele olhou para os outros
-Goinneil, Núbia, Raj. Oi-disse friamente Sebastian
- Oi- responderam em coro
Nesse exato momento um grito roco ecoou pela sala, Era Elizabeth Nassau a mãe de Helene. Ela era um senhora alta e musculosa, em sua juventude tinha participado das olimpíadas como ginasta.
-meus netinhos lindos- ela disse apertando as bochechas de Núbia em seguida as de Goinneil e bagunçou os cabelos negros de Raj.
-Oi nona- eles responderam sem jeito
Depois de Albert ter ajudado os convidados a se acomodarem em seus devidos quartos ele os acompanhou para o cemitério particular da família, aonde estava Helene e kwan.
Caminhando ao lado de Albert, Veronica viu de longe o túmulo de Helene, ela parou
-não vamos com os outros?- ele perguntou
-não.... não sei se consigo. Melhor ficar aqui- Albert assistiu e de longe viram as crianças chorando e sorrindo. O dia de los muertos era o dia de lembrar dos entes queridos com memórias boas para que seu espírito possa viver para sempre no mundo dos mortos e em nossos corações. Mas para Veronica toda lembrança de Helene e de kwan até as boas viraram lembranças tristes.
De lá, foram para a antiga casa dos Finch, no mesmo terreno mas mais perto da praia. O caminho era turbulento e o relevo desnivelado as plantas era do tamanho de Núbia e havia mais mosquitos que o normal. Veronica nunca permitiu que seus filhos entrassem naquela casa nunca permitiu nem que chegassem perto.

Quando Edith Finch a mãe dela morreu, deixou a casa e um diário pessoal para Sebastian, que até então seria filho único. O motivo de Edith não ter descoberto que sua gravidez seria de gêmeos a matou e Veronica por mais que não demonstrasse se sentia culpada por isso e Sebastian garantia isso todos os dias.

No cemitério dos antigos finch havia o túmulo de todas as pessoas e animais da família, a mais de quinhentos anos a família finch é famosa por sua fortuna e infortúnios, que faz com q todos seus membros morram de diversas formas. Como o gêmeo do tio Sam, Calvin, que morreu ainda jovem dando a volta em um balanço, como Bárbara uma estrela que foi assassinada deixando apenas uma orelha como prova na caixinha de música do tio avô Walter, que morreu atropelado por um trem.



Veronica nunca chegou a conhecer nenhum deles, o pai se mudou da ilha de enseada quando Edith morreu, ele jurou proteger Sebastian da maldição, mas não a Veronica.

Andando perdida em seus pensamentos Veronica mal percebeu mas já tinha chegado ao cemitério dos Antigos Finch. Mesmo ambos não conhecendo ninguém da família, Sebastian preparou um discurso para cada membro, baseado no diário de Edith, que veio grávida de oito messes a casa escrever sobre sua família que nem ela mesma conhecia, assim nunca os finch morreriam de verdade.

Depois de vários discursos excêntricos e dramáticos, Sebastian finalmente se cansou, com certeza teria falando muito mais se o túmulo de Edith estivesse ali, mas ela sempre quis ser doadora de órgãos e agora pequenas partes dela estão espalhadas pelo mundo. Ao voltar para casa o jantar já estava pronto, todos tomaram banho e se sentaram a mesa.

As Crianças costumavam conversar muito na hora do jantar, tanto que até em outros idiomas, no ano em que foram adotados e estavam no caminho de casa todos fizeram um pacto, aprenderiam o idioma de cada um assim aprendendo mais de suas cultura. Nesse momento silencioso Raj cochichou algumas palavras em híndi e todos riram, Veronica deu graças a deus Sebastian não estender.
-Bom... chega pra mim, vamos Violet- Sebastian disse, revoltado com as crianças mesmo não sabendo ao certo o motivo. Violet pegou minerva da cadeirinha de kwan e seguiu Sebastian. As Crianças voltaram a conversar em árabe egípcio -primeira língua de Núbia- até limparam seus pratos, Veronica por outro lado continuava silenciosa olhando para Elizabeth. Quando acabou as crianças tiraram a mesa e os pratos já que os empregados já tinham ido embora, Albert ajudou Elizabeth a subir para seu quarto e Veronica seguiu para o seu, desmaiando na cama sem ao menos escovar os dentes.

Ela sonhou com Helene, de novo. Mas não era um sonho comum, ela não estava feliz e radiante, estava com o cabelo molhando e os olhos escuros manchados de rímel, assim como na primeira noite que elas passaram junta ela não disse nada, só a encarou com os olhos mais amedrontados que poderia existir, e antes que Veronica pudesse abraça-lá, ela gritou.

Veronica levou um susto, mais ao acordar percebeu que o grito era real e vinha do corredor. Ela levantou correndo e com o coração a mil e saiu de seu quarto, correndo pelo corredor sem saber ao certo para aonde até se deparar com Gonnie em pânico na beira da escada olhando para o corpo de Violet ensanguentado no andar de baixo, Kevin chegou minutos depois e Raj e Núbia vinham atrás
-crianças não, voltem para seus quartos e tranquem a porta- disse Veronica quando os viu vindo antes que pudessem ver Violet- melhor, vão para o meu quarto, e não abram a porta para ninguém- a morte conhecia a família Finch e veronica sabia disso, mas ver um corpo recém-morto e ensanguentado seria extremamente traumatizante para crianças. Veronica os observou saindo de mãos dadas
-temos que limpar isso- disse Kevin e Gonnie vomitou no chão.
-Vá chamar Albert- disse Veronica se ajoelhado para acalmar Gonnie e Kevin se virou
-espera- disse Gonnie fazendo Kevin parar. Ela estava sentada no chão tremendo totalmente em pânico -aonde está mini?- 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...