História What's wrong with love? - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Drama, Jikook, Romance
Visualizações 45
Palavras 3.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá de novo ^^

Capítulo 9 - O poço


Fanfic / Fanfiction What's wrong with love? - Capítulo 9 - O poço

Naquele momento descobrir que as coisas realmente poderiam piorar. Nada poderia confirmar ao contrário apesar de desejar muito. Os dias se tornaram tão longos e isso fez com que minha apreensão aumentasse que até mesmo pequenos gestos me deixavam na defensiva e simples olhares me faziam questionar se havia sido finalmente exposto. 
   Desde aquele dia, em que minha vida deu de ponta cabeça me sentia vazio, angustiado, deprimido e com pensamentos diversos, com a principal questão como finalmente dar um fim a isto.   Mas o que realmente queria era por ironia do destino me livrar de Kim Taehyung, quem há pouco tempo atrás eu tinha esperanças de poder amar. 

Uma pessoa que com uma mísera foto em suas mãos a usava como arma, afinal aquela simples imagem poderia destruir minha vida...  

Suas palavras ressoavam todos os dias em minha mente, o que ele havia dito com tanta tranquilidade e naturalidade arrancara de mim o resto de sanidade que restava. 
O que sobrou de mim? Uma casca manipulável e desesperada por qualquer tipo de fim... 

 Dias atrás

— Não dirá nada? Não precisa! Seu rosto diz mais que mil palavras. Seria uma revelação indesejável para você... — Afirmou Taehyung enquanto guardava seu celular no bolso olhando para mim com uma falsa tristeza. — Mas como eu gosto de você vou cobrar um preço barato. — Concluiu o mesmo fazendo um sinal positivo com sua cabeça. 

— Por favor... Deixe-me em paz! — Havia pedido tentando esconder meu desespero, mas estava mais que evidente. 

— Calma! Já lhe disse que é um preço barato, só para não passar em branco, afinal essa foto é de grande valor. — Comentou Taehyung enquanto acenava para algumas pessoas que passavam e eu temia amargamente em alguém estivesse próximo o bastante para escutar. — Então... Você sabe que eu ainda gosto de você e como acabei de chegar aqui adoraria recomeçar nossa amizade e quem sabe tentarmos um relacionamento de novo... Estivemos separados, mas o destino nos uniu isso é óbvio!  — Contou o mesmo como se fosse uma ideia genial, mas na verdade soava ridículo até para ele. 

— Já se perguntou se eu quero? Eu quero distância de você! — Retruquei sem paciência e parece te-lo irritado. 


— Mentira! Vejo o jeito que me olha, seus olhos os traem! E além do mais você não dita às regras! Um deslize e eu divulgo a foto! Você vai fazer o que estou falando. É tão ruim assim querer te mostrar que mudei? — Perguntou o mesmo e por um momento suas palavras me enganaram, mas momentos depois sua máscara caiu e conseguir ver a pessoa ruim e manipuladora que ele era e isso desde sempre, eu apenas não enxergava... 


Já tentei aceitar a situação, realmente tentei, mas o que Taehyung estava exigindo era demais. Ele havia praticamente ordenado para que me afastasse dos meus amigos e principalmente do Jungkook que desde daquele dia vêm me evitando a todo custo contribuindo para meu desespero, mas principalmente raiva por ter que aturar as consequências sozinho, afinal Jungkook também estava na foto. 
 Cheguei a me questionar se realmente valia a pena me afastar de todas pessoa que gosto, para esconder a foto a todo custo. Mas em todos esses dias nenhuma solução ou atitude me veio à mente.  Se pelo menos Jungkook me ajudasse... Me questiona-se pelo menos uma vez sobre o que aconteceu, mas aparentamente ele desejava apagar aquele ocorrido e a teoria me afetou tanto que não havia como não admitir para mim mesmo.  
 ★★★


— Você é um idiota! Como eu imaginei você não pensaria duas vezes antes de lamber os pés daquele desgraçado. Será que nunca você abrirá seus olhos para enxergar o verme que você chama de amigo?  Você acabou de mandar seus amigos de verdade para o inferno! — Surtou Hoseok e eu apenas escutava enquanto chorava o mínimo possível, não queria transparecer meu desespero por completo, mas se ele jogasse palavras duras novamente não conseguiria suportar mais. 

— M-Me desculpe... Por favor... Eu amo vocês... — Gaguejei entre meus soluços. 

— Ama a gente? Você mente como seu colega Taehyung! Não vai nos manipular nem mais um dia. Você fez a sua escolha e agora vai viver só com ela! Fique bem longe da gente... — Completou Hoseok saindo pela porta a batendo com tanta força que o chão tremeu.
E aquele momento minha pergunta foi respondida, realmente não valeria a pena perder grandes amizades por causa de uma foto, se teria que viver afastado das pessoas importantes para mim pelo menos que fosse por uma verdade.
E então eu pensei... Em cada minuto do meu dia, sendo investido nesta grande decisão e também utilizando como uma defesa contra a presença desagradável do Taehyung que insistia em me atingir de qualquer forma. Meus amigos são minha família, o que eu seria sem eles? Uma fonte de nada, uma vida de desespero e vazio. Mas cadê? Cadê a coragem que me resta para finalmente fazer o que é certo? A resposta nunca veio e cheguei à conclusão que ela nunca existiu.


E então mais um dia sozinho, mais um dia em que me recusava suportar, mais um dia me questionando o porquê de eu não tinha um treco de vez. O dia que aquilo finalmente acabaria.  O que será de mim, meus deus? Eu sabia que era cara de pau pedir ajuda a deus, sendo que nunca lhe dei a atenção que deveria, mas no momento era o que me dava esperança e um pouco de conforto, mas o que me confortava também, era pensar que tudo poderia estar pior, porque realmente poderia piorar. 

 Perdido nesses pensamentos acabo sendo surpreendido ao ser cutucado por um colega que sentava ao meu lado na nossa aula de História. Algo desconfortante é voltar para vida real e outro desconforto pior é ser obrigado a cumprir compromissos escolares. Provas e trabalhos nunca foram para mim, não antes então porque seria agora? Logo neste momento em que minha vida se encontra em um total caos, mas como um lado positivo, Taehyung não participava daquela aula.

Segundos com o olhar perdido, o sino da o alerta de que a aula havia acabado e aliviado arrumo meus matérias rapidamente graças à pressão de saber que Taehyung poderia ir atrás de mim a qualquer momento, era o grande momento de correr para casa e desligar todos os aparelhos eletrônicos com que ele poderia-me contactar e finalmente descansar.
Mas para minha surpresa quem se aproximou não foi ele e sim Jeon Jung kook. Ideias invadiram minha mente imaginando o que ele diria talvez perdão ou perguntasse se estava tudo bem e então eu poderia dizer tudo o que se passava e então uma lâmpada brilhante surgiria sobre sua cabeça graças a uma ideia genial que resolveria tudo.

— Como pretende fazer o trabalho? – Perguntou o mesmo e eu arqueio minha sobrancelha um tanto exageradamente, afinal esperava que ele dissesse outra coisa.

— Que trabalho? 

— O de história... Duplas foram sorteadas... Estavamos na mesma aula? — Perguntou o mesmo e eu olho para os lados me sentindo perdido. 

— Verdade... Não sei nem por onde começar. — Disse a verdade. 

—  Então saiba logo! Sou sua dupla. Você sabe que levo os trabalhos a sério... — Comentou Jungkook com naturalidade. Ele havia se esquecido de tudo ou sabia muito bem camuflar seus sentimentos, algo invejável. 

— Desculpe... Eu realmente não sabia desse trabalho. Estive com a mente em outro lugar. — Comentei com cautela. 

— Como sempre... E então ao menos ouvir o prazo deste trabalho? Precisamos agir rápido. E no dia de amanhã trabalho período integral no café. O ideal seria começar o processo hoje mesmo. — Retrucou Jungkook sem rodeios e com uma postura séria. 
  
— Claro... Quer ir à minha casa após a aula? — Perguntei sem pensar demais. 

— Após a aula preciso ir para casa. Mas a tarde já estarei disponível. Até lá. — Disse Jungkook se retirando sem aguardar uma resposta da minha parte. Será que ele saberia ir sozinho? Se bem que ele já esteve lá duas vezes. 
 Pensava me retirando da sala enquanto caminhava pelos corredores com destino meu armário, as pessoas pareciam mais felizes do que nunca, talvez fosse muita paranóia mas parecia que o motivo era minha infelicidade, ou simplesmente eu as observasse pela primeira vez na vida e não ao contrário como sempre foi... 
 E então eu avisto meus amigos... Meus amigos que eu convivia quase a vida toda, viraram as costas para mim, mas não os culpava afinal eu virei as costas primeiro quando decidi me importar mais comigo mesmo. 
   Mais a direita estava Jennie arrumando seu armário e então  não pude deixar de reparar na ausência das figurinhas, recortes, desenhos e fotos nossas que anteriormente estanpavam a parte interna da porta do armário. O que havia restado era apenas restos brancos de figuras mal retiradas. 
  Quando eu deixei aquilo acontecer? Já fazia dias? Meses ou talvez anos? Como eu posso esquece-la tão facilmente? A pessoa que mais se importou comigo e me aceitou apesar de saber quem eu era. Como eu pôde? 
 E então eu me aproximei... Sem pensar muito, meu coração guiava o meu corpo em sua direção à ela. 
E assim que eu envolvi meus braços ao seu redor seu cheiro familiar impregnou minhas narinas e então meu rosto ardeu e o encanto se quebrou graças a uma bela bofetada.

— O que acha que esta fazendo?  Isso é assédio! — Respondeu a mesma se afastando de mim e quando notou de quem se tratava parece ter tido um choque de realidade. — Abraçou a pessoa errada. Seu namorado esta por ai. — Retrucou a mesma usando o termo "namorado" e mais uma vez não consegui evitar averiguar se alguém havia escutado. E quando volto minha atenção a mesma ela avança ao meu lado mas antes que se afastasse eu a seguro pelo braço. A mesma gemeu com o meu toque, como se eu a tivesse machucado mas uma coisa que eu sabia e que havia a tocado delicadamente para justamente não machuca-la. 
 Nesse momento eu a soltei e a pedi perdão de cabeça baixa enquanto ela jogava ofensas em meu rosto e eu permitia, enfim era um direito dela desabafar. 

— Me desculpe... Por favor... Mas ele não é meu namorado, eu juro! Me deixe explicar o que esta acontecendo!

— Eu não quero saber nada que corresponda sua vida, o mundo não vira em torno de você, acorda para a vida! — Retrucou a mesma e mais uma vez eu a impedi de se retirar e desta vez em seu rosto se forma uma feição de agonia. Não uma agonia de ter que aturar seu ex namorado homossexual, mas sim uma agonia de dor física. 
   Nesse mesmo momento noto que a mesma vestia um moletom de manga comprida e tentei recordar a última vez que ela usou uma peça desse tipo, talvez há um bom tempo, eu apenas não tinha notado. Mas mesmo assim, não era seu estilo do cotidiano e sim algo de apertar o coração, não por ser brega, mas sim pelas marca que cobriam seu pulso assim que subi sua manga de seu moletom... 
 Marcas cobriam todo o seu pulso e então um choque percorreu o meu corpo, as cenas de anos atrás, se repetindo em minha mente. Tudo estaria acontecendo denovo, por minha culpa, nunca, NUNCA me perdoarei. 

— J-Jennie... Porque? — Perguntei com meus olhos banhados em lágrimas sem conter o sentimento destruidor dentro do meu peito. 

— Porque... Não aguento mais sentir essa dor insuportável. Não aguento mais me sentir assim. Se isso me traz algum alívio momentâneo fico muita satisfeita em fazer. E você cuide da sua vida! Não preciso das suas lágrimas de pena ou falso arrependimento. — Respondeu a mesma com uma feição dura e fria enquanto eu olhava pasmo para a mesma que sem mais uma palavra se retirou da minha frente, bem antes que eu pudesse abraça-la para tentar me sentir menos lixo. 
  E então era isso, eu deveria ter desconfiado das suas roupas, pelo modo como ela não lutou por mim  e não reagiu a nada a meu respeito, como ela teria feito normalmente. 
 Mas como ela consegue ferir a si mesma? Por causa de vacilo alheio? Realmente era incompreensível e destruidor... 

★★★

Horas mais tarde me encontrava  em casa, com as lágrimas já secas e o travesseiro que confortava a minha cabeça estava úmido. 
 Pensamentos suicidas preencheram minha mente, após me questionar tanto do porquê  eu fazia tanta merda para mim e os outros.

O mundo seria melhor sem um merda como eu? Corta os pulsos realmente ajuda? A morte não deve ser tão ruim... 

 E em meio esses pensamentos ouço meu celular tocar pela centésima vez, era Taehyung me ligando há um bom tempo após eu ter dito estar doente demais para sair com ele aquela tarde. 
 Mas na verdade seu rosto me enojava e o motivo de não desligar o celular era a bela canção deprimente que era o seu toque, se repetindo e se repetindo... 
   Até que minha paciência foi esgotada e jogo meu celular contra a parede fazendo o mesmo se despedaçar por todos os lados e então alguém bate na porta, provavelmente minha mãe para perguntar que diabos me mordeu naquela tarde. 
 Mas assim que eu a abro era uma das ajummas que faziam os trabalhos domésticos da mansão e então a mesma anuncia a chegada do Jungkook, quem eu havia esquecido de que teria que suportar. 
 Sem opções mando ela o guiar até meu quarto e entro rapidamente e cato os restos do meu celular e escondo em uma gaveta de meias e assim que chego no espelho me assusto por ver o quanto estava acabado mas antes que podesse achar uma solução ouço mais batidas na porta e entra Jungkook  sem esperar. 
 Em outra ocasião analisaria suas roupas e falaria mal do seu estilo mas eu apenas me sento no tapete de veludo diante de uma mesa de madeira moderna e lhe comprimento fazendo um sinal com a cabeça esperando que ele fizesse o mesmo. 
Assim que ele se acomoda com sua mochila sobre seu colo eu suspiro antes de afundar minha mão nos meus  cabelos. 

— Que matéria mesmo? 

— História... Eu... Cheguei em uma mal hora? — Perguntou o mesmo me analisando. 

— Não ... Ao contrário preciso me distrair com qualquer coisa. — Disse procurando entre meus pertences meu livro de história mas me lembro que o havia deixado no armário do colégio. — Qual é o conteúdo? — Perguntei ao Jungkook e ele me orientou para que eu pudesse pesquisar pela internet e assim eu fiz em meu laptop. 
  
  — O que aconteceu entre você e os garotos? — Perguntou Jungkook após alguns minutos de silêncio e ele respiro fundo antes de responder. 

— Eles não querem mais saber de mim. Assim como todo mundo. — Respondi ainda olhando para a tela do laptop, mas sem presta atenção em que estava fazendo. 

— Isso não é toda verdade... E  o Kim Taehyung? Ele parece se importar com você. 

— Ele só se importa com ele mesmo e em acabar com a paz dos outros. — Retruquei sem tomar folego para falar afinal já estava entalado com aquelas palavras que precisavam ser ditas à alguém. 

— Não parece... Vocês tem um vínculo forte. Até um cego percebe. — Disse Jungkook e então eu deixo de responde-lo para não precisar me exaltar mas não durou muito. 

— E você? O que tem andado fazendo que o manteve tão ocupado que não pôde mais falar comigo? — Questionei sem pensar direito, algo que não queria era mostra que me importava mas isso já estava feito. 

— Trabalho e colégio...  Porque? — Perguntou o mesmo e eu respondo secamente, Jungkook era um idiota, isso estava confirmado. 
  Assim que cutucava um site acabo recebendo uma mensagem anônima no meu email e então fui averiguar e me deparei com a foto minha do Jungkook nos beijando novamente e pela legenda da mensagem com certeza era o Taehyung brincando comigo, por estar irritado por eu não não atender suas ligações e então eu fechei o laptop bruscamente e apoiei minha cabeça nas mãos. 

— Algum problema? — Perguntou Jungkook certamente por educação. Afinal minha reação a aquela mensagem foi exagerada. 
 Eu não queria responde-lo ou então começaria a chorar novamente, e antes que pudesse realmente evitar lágrimas se escorriam dos meus olhos e soluços escapavam dos meus lábios como um som de dor, o que realmente era com certeza um pedido de socorro. 
  
  — Jimin... O que te faz ficar assim? Conte para mim... — Pediu Jungkook que se eu não estivesse totalmente fora de mim teria achado que ele estava realmente preocupado. 

— T-tudo esta errado! Minha vida estar destruída e me dói saber  que tudo irá piorar a cada dia e não há nada que eu possa fazer a não ser agir feito um babaca... — Engasguei as palavras até finalmente dize-las. 

— Não esta não... Eu sei que não é fácil mas... Tudo o que você esta passando vai acabar um dia e tudo ficará bem. Por favor não chore... 

— Quem é você para me pedir algo como isso? Sabe oque estou sentindo? É uma dor terrível que nenhuma droga ou álcool vai fazer passar. Apenas a morte. — Berrei e logo senti um forte arrependimento pelas palavras. 

— O que seria tão terrível? Acha que ninguém nunca sofreu? Eu certamente já passei coisas piores que você e nem por isso mesmo escolhi a morte. Existe soluções para os problemas mesmo que elas sejam as mais difíceis. Tenho certeza que você pode recuperar  seus amigos e sua namorada apenas deixando de ser egoísta. 

— Você não sabe do que se trata! Não se atreva a falar como se fosse tão simples! A vida não é simples, os problemas nunca serão simples! Você que diz ter passado por coisas piores então deveria saber disso e me entender. — Respondi sem aceitar o que ele disse. 

— Me desculpe se eu sou indelicado, mas é que... Me dói ver você sofrendo tanto, alguém tão  jovem e com um belo sorriso deveria sorrir sempre! 

— Sorrir? Para que? Fingir que a vida é linda e maravilhosa? Já fiz muito isso mas eu passei do limete... Você sabe o que é esconder de todos quem você é? -

— Sei sim... Inclusive já passei por isso mas hoje sou uma pessoa satisfeita com os resultados das minhas ações... Jimin seja forte! Por favor há uma vida a sua frente. 

— Uma vida de merda? Não obrigada... Vamos acabar esse Trabalho de merda logo, se é que vale a pena... Mas antes... Preciso te perguntar... Porque você me... Tentou me beijar aquele dia na biblioteca? 

— Eu achei que você nunca tocaria no assunto... Eu digo te entender porque realmente passamos pelas mesmas coisas. São apenas pessoas que passam e entendem que enxergam o problema nos olhos do outro. Eu sei quem você é Jimim... Não precisei de muito para descobrir isso. E porque eu te beijei? Para que você testasse como se sentia com aquilo e o principal motivo é  porque eu gosto de você! Desde o momento em que você abriu a sua casca e se  tornou amigável e gentil conseguiu um lugar no meu coração. Você é uma boa pessoa Jimin. O mundo precisa de pessoas brilhantes como você. Não deixe que simples obstáculos apaguem sua luz. — Disse Jungkook com os olhos brilhantes e então meu coração palpitou que chegou a doer no peito. Todas aquelas palavra ditas sem intervalos fora uma bomba de emoções em meu cérebro. Eu nunca teria imaginado algo assim vindo do mesmo, permaneci sem reação por muitos minutos enquanto Jungkook se mantinha cabisbaixo aguardando qualquer coisa que eu dissesse. 
 Talvez obrigado ou desculpas. Mas  meu coração apenas me levou a me aproximar e com a mão tremula elevar o seu queixo e finalmente unir os nossos lábios em um beijo suave que por mais inocente que fosse arrepiou até meu último fio de cabelo... 
 Minhas mãos seguraram firmemente o seus ombros até que sinto suas mãos deslizando-se para minha cintura nos aproximando. 
 E então eu experimentei o sabor dos seus lábios macios, o leve perfume barato vindo de seu pescoço e a sensação de ter os seus cabelo espetando a palma das minhas mãos e então como anteriormente havia desejado aquela tarde finalmente passou-se rapidamente e pela primeira vez em tempos, meu coração se sentia um pouco feliz ... 

 

★★★



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...