1. Spirit Fanfics >
  2. What's Your Problem? - Fillie >
  3. Tudo que é bom...

História What's Your Problem? - Fillie - Capítulo 33


Escrita por:


Notas do Autor


galera foi mal o horário/demora/TUDO

é q tô de mudança

Capítulo 33 - Tudo que é bom...


Fanfic / Fanfiction What's Your Problem? - Fillie - Capítulo 33 - Tudo que é bom...

EUA ~ Washington

02:00 ~ Madrugada

P.O.V Finn


Minha mente é uma confusão, minha mente sempre foi uma confusão e agora está ainda pior desde que a miss simpatia resolveu tomar conta dos meus pensamentos... merda! Aquele sorriso dela me fascinava. Já tive ficantes, amigas, namoradas e nenhuma delas eu amei, nenhuma delas me fizeram pensar "é tão legal roubar donuts de guarda do shopping e sair correndo com uma garota de all star amarelo e calça boyfriend" nenhuma delas me fizeram pensar que um dia na biblioteca repleto de pirralhos do jardim em nossa volta seria tão engraçado, nenhuma delas me fizeram pensar que sair para o mercado em mais um dia frio em Washington pra comprar ingredientes e besteiras para fazer receitas em casa seria tão fascinante... nenhuma delas me fizeram dizer "ei, eu gosto de você"

Ei Millie... eu gosto de você, e retira aquele talvez que eu disse, eu realmente gosto de você, do seu estilo, das suas atitudes, palavras e da forma que você simplesmente apareceu aleatoriamente. Quando olhei pra você na primeira vez, só enxerguei uma garota comum e chata do médio, e eu juro que se naquele dia que você chamou o Noah para a sala eu soubesse que depois de um tempo eu estaria totalmente louco pensando em como você me faz bem... bom provavelmente eu iria fugir do país e pensar "CREDO ISSO É TÃO BREGA, ONDE TÁ MEU CIGARRO?"

A cada palavra que saía de sua boca, eu pensava "ela existe mesmo?" sua forma de enxergar respectivas coisas realmente era algo incrível e me fascinava assim como tudo em você. São efeitos dos sentimentos que eu jamais pensei que iriam começar a florescer dentro de mim até você me dar a primeira aula do projeto incentivo, obrigada professor de biologia! Uma pena que fomos estúpidos o suficiente para mudar de dupla há dias atrás

Eu lembro de dizer várias merdas... eu sempre tive pequenas discussões com meu pai isso não mudou muito desde que eu Íris "terminamos" continua na mesma... mesmo que isso seja uma porra, Millie me faz esquecer de que eu não gosto de estar em casa, Millie é como um curativo pra meus pequenos problemas e confusões, eu descobri isso quando me vi sem saída quando o problema era ela. São duas da manhã e ela está nos meus pensamentos, eu simplesmente não consigo dormir... e como o louco que eu sou peguei meu celular e liguei para a mesma

— Finn? Aconteceu alguma coisa? — Ela pergunta sonolenta, acho que acordei alguém aqui...

— Aconteceu — Respondo

— O que?

— Eu gosto muito de você... aconteceu

— Gosta de mim? — Millie perguntou ainda levemente sonolenta

— Gosto...

— Pra caralho?

— Pra caralho — Respondo

Vamos sair? — Pergunta Millie com a voz menos sonolenta agora

— Quando?

— Agora!

— São duas da manhã Millie

— Foda-se... nós mandamos no horário

— É... nós mandamos, te encontro aí na sua casa... de carro

— Beleza — Ela responde desligando o celular

Quando dois loucos se juntam... dá mais ou menos nisso

P.O.V Millie

As melhores pessoas são as loucas


e as irresponsáveis que sabe que tem aula amanhã cedo, mas vai dar um rolê com Finn Wolfhard em plena madrugada... eu certamente não faria isso há semanas atrás... mas com o Finn as coisas são diferente, da mesma forma que mudei ele, ele me mudou um pouco e meus pais iriam odiar saber disso, mas eu não ligo... eu gosto disso

Tomei um breve banho e vesti uma calça boyfriend ÓBVIO, preta com pequenos rasgos e dobrada, uma camiseta masculina com uma imagem vhs da Lana Del Rey com as mangas dobradas em duas partes, por dentro da calça pouco retirada, optei por um cinto preto que mal era notado se não fosse pelos pequenos detalhes dourados, meus cabelos estavam molhados pois eu fiz a proeza de lavar, apenas soltei as madeixas passando a escova rapidamente deixando os fios bagunçados porém charmosos, passei um gloss pouco exagerado e rímel e por fim meus prediletos all star amarelo com algumas figurinhas coladas o que deixava ainda mais vintage... cara eu sou tão estilosa

Terminei minha breve arrumação e vi o carro de Finn em frente minha casa pela janela, aquele mesmo carro a céu aberto que usamos para ir ao shopping, agradeci mentalmente por meus pais não terem voltado de viagem AINDA, e desci as escadas trancando a casa e indo em direção ao carro

— Que merda estamos fazendo? — Pergunto entrando no carro

— Eu não sei, mas eu gosto — Ele diz sorrindo de leve e ligando o automóvel a céu aberto ligando o som num volume baixo ao mesmo tempo, um volume que seria ideal só pra nós ouvirmos. Coloquei a música Fantasy, Bazzi enquanto Finn dirigia o carro a música ecoava pelos meus ouvidos me fazendo relaxar e somente sorrir sentindo a brisa fria da madrugada, o som da música misturado com o som do vento, junto ao barulho do carro e das corujas que nunca deixava de fazer barulho por aquela região

— Sabe... eu trouxe umas tintas em spray pra picha — Finn diz sem retirar os olhos da estrada

— O que está pensando em fazer?

— No fim da praça tem um muro onde várias pessoas picham, é ilegal mas... eu sou ilegal então e daí não é?

— Ai meu Deus você é louco — Digo rindo

— Eu nunca disse que eu não era normal

— Nós vamos lá... e torcemos pra polícia não pegar os foras da lei no flagra

[...]

Havíamos chegado no muro, o som dos corvos e corujas eram os únicos barulho além de nossas vozes em tom de cochicho e o barulho de nossos sapatos, eu carregava uma bolsa com as tintas de picha dentro, chegamos numa parte do muro onde estava limpo. Finn olhou pra mim e sorriu retirando uma lata de tinta azul da bolsa e sacudindo

— Nós vamos fazer isso mesmo?

— Ah qual é... não estamos matando ninguém — Finn diz já começando a sujar o muro de azul

— É, mas é ilegal, e eu nunca fiz isso antes — Digo pegando uma lata de tinta amarela

— Não vamos ficar aqui muito — Ele diz concentrado

— Se bem que aqui é muito legal eu poderia amanhecer o dia aqui

— Ainda temos muitos lugares pra irmos

— Vamos vagar muito por aí hoje

— Perdemos o nosso restante de juízo — Finn diz dando uma risada gostosa

— Ei...

— O que?

— Nós não temos juízo 

[...]

Pichamos o muro com frases de música e desenhos abstratos e por fim guardamos as latas na bolsa e voltamos ao carro entrando no mesmo por cima

P.O.V Finn

Felicidade, euforia... dentre outros sentimentos que agora eu estava sentindo, estar vagando no meu carro em plena madrugada com Millie era uma das sensações mais incríveis do mundo, o frio o vento algumas músicas indies covers do Nirvana gargalhadas logo após picharmos boa parte do muro no fundo da praça eu realmente nunca imaginei estar tão rendido por essa garota... eu realmente tô completamente rendido a ponto de telefonar pra ela em plena madrugada dizendo que gosto dela pra caralho. Eu costumava sair de casa de madrugada sozinho, e eu saía por estar triste, irritado ou por estar brigado com meu pai pela centésima vez consecutiva. Mas hoje não era bem assim... hoje só estávamos aqui pois... eu não sei só estamos e eu tenho certeza que quero ficar assim até o amanhecer, passear por Washington na madrugada com uma garota nunca foi tão incrível

Millie disse que queria ir ao gramado, gramado é meio que um ponto turístico aqui perto, um enorme campo com grama e árvores e no final um lago com pedras 'brilhantes' eu só fui lá uma vez com minha mãe quando eu era pequeno

[...]

Chegamos no gramado e descemos do carro, Millie sorriu com os olhos brilhando e saiu correndo em meio a grama verdinha como uma criança que saiu de casa depois de meses num castigo. Sorri alegre e saí correndo atrás dela e assim ficamos feito crianças de 7 anos brincando de pega-pega, só ficamos rindo e correndo como loucos mesmo sem nos importar com a hora, com o frio... somente nós

P.O.V Millie


[...]

Depois de uma longa temporada de correria e gargalhadas fomos para perto de lago cristalino e nos deitamos na grama escutando o som calmo das águas

— Eu também gosto de você... — Digo quebrando o silêncio

— Pra caralho? — Ele pergunta

— Pra caralho...

— Quer um cigarro? — Ele diz estendendo o cigarro que fumava para perto do meu rosto

— Não seja ridículo

P.O.V Íris

não estava sendo fácil conviver sem a companhia do Finn, eu podia jurar que estava ficando louca... pois sempre, ou melhor desde que eu namorava com ele eu me sentia segura de mim, e mesmo que eu soubesse que este namoro já passado era apenas por conta da empresa dos meus pais e por imprevistos também relacionados a esta maldita empresa... eu me sentia a namorada dele e mesmo que todas as vezes em que nos vimos fosse nítido que ele não me suportava, ainda assim eu me contentava somente em saber que ele estava comigo, conheço Finn desde pequena eu sempre tive uma paixão obsessiva por ele desde os meus 13 anos de idade, eu sempre fui obsecada e alimentava fantasias com ele nos meus sonhos tanto dormindo quanto acordada, já tentei de todas as formas apagá-lo mas a cada vez que tento fico mais louca por ele

Fui a casa dele no meio da madrugada, eu precisava dele, consegui entrar no quarto dele pela janela, porém ele não estava lá então fiz a suposição de que ele estava vagando pela rua eu o conheço muito bem, eu realmente fiquei em choque com o que vi no gramado... Finn e a maldita Millie Bobby Brown deitados no gramado como um casal apaixonado, e como eu conhecia Finn... de longe ele estava feliz

 Bom... eu odeio Millie, desde sempre pois uma vez achei estar me livrando de amar o Finn, eu havia criado uma pequena paixão pelo meu primo Noah, ok eu sei que é meio errado mas eu não pude evitar... mas aí eles começaram a se aproximar, de qualquer forma eu não deixei de amar o Finn, pois quando Millie começou a sr aproximar do Noah, fiquei sem esperança e meus sentimentos por Finn nunca sumiram, ve-la com Finn foi a pior das sensações

Fui correndo até minha casa evitando qualquer lágrima possível e assim que adentrei minha casa telefonei para o Finn, as 3 primeiras vezes ele não atendeu, porém na quarta ele demorou mas atendeu

— O que é Íris? — Ele diz com tédio

— Eu vou me matar — Digo fingindo voz de choro, mesmo que eu estivesse de fato abalada

— É o que??

Continua...



Notas Finais


o auge é meu corretor escrevendo "fim" KKKk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...