História When a Star Falls in Love - Capítulo 47


Escrita por:

Postado
Categorias Kaleido Star
Personagens Personagens Originais
Tags Kaleido Star
Visualizações 5
Palavras 1.684
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 47 - Let It Go- Parte V


Let it Go, o desafio gelado- parte V. – O treinamento.

Então...era isso. Todos os acrobatas do Kaleido Star, artistas, e performers estavam ocupados de alguma forma.  Afinal, por mais que não houvesse decisão sobre a maior parte dos papéis, eles queriam fazer o melhor dos espetáculos. Era explícito ali que todos odiavam Sophie e Alice, mas perto de Sophie, Alice estava um anjinho, e menos insuportável do que de costume. Não era sem motivos que Sophie era odiada- ela era extremamente chata, arrogante, gritava com os acrobatas sem motivos, e tinha uma série de exigências malucas, como colocar a rede de proteção na exata altura em que ela se sentiria segura, ou se recusaria a treinar.   E não adiantava tentarem falar com ela, ela era como May era antes de mudar, só que ainda mais teimosa. Quem tentara, já desistira, e inclusive algumas pessoas se recusavam a treinar quando ela estava na sala de treinos.

~

Na sala de treinos geral. Rosetta e Ken estavam lá, além de Sora e Leon, que aguardavam o intervalo da ruiva, para que pudessem revezar.

—Devo...superar...a Sophie. Uma pessoa como ela não pode ser uma das principais da peça! Não alguém com tão pouco amor ao palco...! Não deixarei que ela faça isso! –A ruiva vociferava, irritada, o suor escorrendo pelo rosto da jovem.

Uma queda. Duas quedas. Dez quedas. Vinte. Trinta. Cinquenta. Os pés da jovem já doíam bastante. Era quem possuía menos experiência com patinação no gelo, menos ainda, com saltos.

A acrobacia consistia em ir do gelo para o trampolim, e do trampolim, alcançar o trapézio. Havia agora no Kaleido Star uma arena de patinação específica para esse tipo de treino, devidamente complementada com os trapézios, trampolins, e o que fosse necessário para o treino. Seu joelho ardia. Muito. Ela caíra de joelhos no gelo. Mas não reclamava. Ela permanecia a tentar patinar.  Rosetta ainda não conseguia patinar com a elegância, delicadeza e naturalidade de May, ou até mesmo Sora, mas ela iria conseguir.  Não era impossível.

— Rosetta...você... ainda precisa manter seu equilíbrio, na patinação. E as poses, sinceramente estão horríveis. – Ken olhava-a, seriamente. Não gostava de ser duro com ela, assim como não gostava de o ser com Sora, mas deveria.  Sua vontade era de estar ao lado dela, segurá-la pela cintura, e patinar ao lado dela- mas nem sua doença, nem os outros motivos que possuía, deixavam-no ir até ali, e tentar ajudar a menina. Ela tinha de aprender, por si só. –Er...deu o tempo do treino. Vamos descansar, certo? ^_^ - Ele se aproximava da ruiva, com uma garrafa d’ água. 

Porém, Rosetta estava irritada, chateada, e os olhos cheios de lágrimas, apenas olhando fixamente aquele local. Ela saiu correndo, sem nada dizer a ele, mas acabou esbarrando em Sora.

—E-ei Rosetta, por que você está chorando, hm? É por causa do seu machucado? Acho que você está indo bem nos treinos! – Fitava a sua amiga, que ainda a olhava, as orbes azuis marejadas, a cabeça baixa. Esperou que Rosetta se sentisse confortável para olhá-la. Quando percebeu que ela não o faria, simplesmente apertou a amiga, num abraço bem forte. Olhava-a, preocupada com a mais nova- era verdade que Sora tinha uma afeição quase como de irmã pela pequena.

Leon estava um pouco mais afastado, em um canto, apenas olhando o local de treinos. Realmente, era difícil saber o que fariam, sendo que nem tinham ideias ainda...  Enfim. Ele respeitava o momento de Sora e Rosetta, além do mais, ele e a japonesa ainda estavam um pouco distantes, em clima de constrangimento, afinal, eles haviam se reconciliado há menos de meia hora.

—E-eu sou uma inútil, Sora. Eu nunca vou conseguir superar a Sophie assim, e sabe... estão todos tensos, eu não gosto de ver o Kaleido assim! – As lágrimas permaneciam a cair dos olhos azuis da adolescente.  Ela fitava a mais velha, o rosto vermelho de tanto chorar, e inchado.

Por um momento, Sora lembrou-se do momento em que vira a futura parceira, aparentemente, tomar uma aura igual à que ela e Layla tomaram na técnica fantástica. Mas...era diferente. A aura de Rosetta era...angelical.  Ela se importava tanto com o Kaleido Star como Sora. A japonesa se orgulhava do legado que deixaria- ao menos, até a execução da Técnica Angelical, e... bem, o KS virar a bagunça que estava agora. Não, não só bagunça, estava desarmônico. Praticamente podia se sentir, que o palco chorava. Aquela competição, aquele clima hostil... não era o que ninguém ali desejava. 

Enfim. Sora abriu um sorriso para Rosetta, fitando a jovem amiga, e amparando a sua lágrima, na ponta do seu polegar. E logo, a fitando, proferiu, de forma calma, o mais calmamente que conseguia, pois ela mesma estava tensa, porém, ela precisava animar a amiga:

—Ei, ei, nada de desanimar, hm Rosetta! Precisa se esforçar pra ser a melhor acrobata possível, no nível de senhorita Layla, para que possamos executar a Técnica Fantástica juntas!

Ao ouvir aquilo, o olhar da adolescente foi tomado por um imenso brilho, novamente, nos seus resplandecentes olhos azuis. Logo, abrindo um imenso sorriso, sem dizer mais uma palavra- apenas o seu olhar de agradecimento bastava a Sora, ela abraçou a amiga de volta, e correu em direção a Ken.

Ela abraçou o loiro, que ficou mais vermelho do que tudo, causando risadas de Sora e Rosetta. Logo, deu a mão a ele, que ficou tão estático, e envergonhado, que somente saiu dali com ela, fitando Sora e Leon, o rosto totalmente enrubescido.

Agora Sora e Leon estavam sozinhos novamente na sala. Silêncio constrangedor. Tensão visível ocorria ali naquele local de treinamento.  Sora voltara a ficar séria, e logo falou, de forma praticamente inaudível, a Leon, indo na frente, calçando os patins de treinamento.

—Vamos, jovem Leon, não temos tempo a perder.

Porém, ainda estavam tensos, e evitavam se olhar, o que causou a desconcentração de ambos.

Ambos seguravam as mãos um do outro, mas não se olhavam; se saíssem faíscas dos olhares de ambos, chateados e magoados um com o outro, era exatamente isso o que aconteceria, naquele momento.

Eles bailavam, com perfeição, com técnica, mas pareciam tão...aéreos...distantes.

Neste momento, um erro de Leon, algo que acontecia raramente, fê-lo soltar a mão da parceira, e com isso, a garota deslizou para trás, praticamente quase caindo de costas- por pouco isso não acontecera, mas Sora assustou-se, gritou, bem alto, e desabou em lágrimas, olhando o seu parceiro:

—Jovem Leon, eu juro que não entendo...! Você parece me subestimar, parece com medo de me machucar igual a vez que estávamos tentando a Técnica Angelical! Você tem medo...de me machucar? Depois de tudo o que fizemos juntos? – Ela levantou-se, os olhos castanhos debulhando em lágrimas, fitando-o, com muita raiva. — Talvez você realmente não confie em mim...

Até agora, Leon encarara Sora atônito, sem dizer nada. Ele estava com o rosto virado, até ouvir as palavras dela: “– Talvez você realmente não confie em mim...”  O jovem ficara com o rosto ainda mais pálido, e lívido, ao ouvir essa afirmação- o sangue fervia à cabeça dele- era difícil Leon se estressar, mas a frustração do momento, somada à fala de Sora, fê-lo falar friamente, e em seguida se afastar, decepcionado.

—Se eu não confiasse em você, Sora, não seria minha parceira. Mas se esse é o seu problema, troque de parceiro- ou eu troco de parceira. Vamos lá, anuncie isso a Kalos. – Ele fitava-a, lividamente. Estava decididamente furioso e nervoso. – Volte para o ensaio quando tiver certeza de que realmente quer ser minha parceira. – E virou-se, dando as costas a Sora.  A japonesa não vira, mas naquele momento, em que Leon deixava a sala, uma lágrima escorreu pelo seu olho.

Sora estava estática. Não sabia o que responder. Fitava-o indo, as lágrimas ainda escorrendo pelo seu rosto. Porém, com o seu rosto vermelho de raiva, correu na direção dele, com o rosto embaçado de lágrimas, e o seu grito ressoou pela sala de treinos.

—VOCÊ ESTÁ SENDO GROSSO E MEDROSO NOVAMENTE! Se meu parceiro não confia em mim... a pessoa...que amo..( essa parte em itálico, ela sussurrou, inaudivelmente), como poderemos... fazer...o melhor dos espetáculos?

Ela estava saindo do campo de gelo, rapidamente. Queria aproximar-se dele, naquele momento, machucá-lo, dizer a ele o quanto ela estava magoada. Porém, a outra resposta dele, também foi um grande balde de água fria:

— Sora...já não é...problema meu.  Desculpe... – Sussurrou o desculpe, também muito baixo, quase inaudivelmente. 

E retirou-se da sala às pressas, querendo evitar ao máximo mais discussões- estava muito bravo, muito bravo mesmo, mas parte dele dizia para se afastar, pois não queria machucar mais ainda Sora.

Com certa pressa, ele se dirigira ao próprio quarto, no alojamento, tentando ao máximo esvaziar a mente. Sem sucesso.

Sora, por sua vez, desabara ao ouvir aquilo. Ia sair da pista, mas esquecera de tirar os patins. Ela tropeçou, e mal teve tempo de gritar: simplesmente desabou, o rosto no chão gelado da pista.  Um baque surdo se ouviu na sala, mas Leon já não estava ali. Foram Rosetta, que voltara para pegar um elástico de cabelo que esquecera ali, e Ken, que se depararam com Sora, caída no chão, e desacordada. Ken entrou em desespero- era sua melhor amiga, a garota que já amara, a garota que treinara. O seu ódio ecoou pela sala.

—EU SIMPLESMENTE VOU MATAR O LEON E É HOJE! – E saiu bufando da sala, enquanto Rosetta ia acudir a amiga. Ken estava tão fora de si, que se esquecera do estado em que Sora estava.

—SORA! SORA! ACORDA! ALGUÉM CHAMA OS PARAMÉDICOS, O LEON, ANNA, MAY, MIA! – Rosetta gritava e chorava, desesperadamente e copiosamente. Levantou o rosto de Sora, e ele estava coberto de sangue. Ela balbuciava algo, parecia alucinar. Logo, ainda inconsciente, balbuciou algo.

—A culpa... n...é sua...ainda...sua parceira...Le-on...

—Não fale mais nada. Eu vou te ajudar. Eu estou aqui. CARAMBA, CADÊ O LEON???? – Rosetta olhava a amiga, em prantos, desesperada, pois o sangue permanecia escorrendo do rosto de Sora.

.

.

.

.

.

.

.

.

Continua...~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...