1. Spirit Fanfics >
  2. When I First Met You - Drarry >
  3. Boggart

História When I First Met You - Drarry - Capítulo 39


Escrita por:


Notas do Autor


SIIIIKE >:D
Brincadeiras à parte, consegui FINALMENTE criar o hábito de escrever todo dia, então vai ser frequente eu postar um capítulo e já ter tipo mais dois prontos, então vai ficar mais fácil pra mim e pra vocês :3
Inclusive, eu já comecei o próximo, então me a g u a r d e m

Capítulo 39 - Boggart


 

_+Narradora ’s Pov+_

 

Naquela sexta-feira, 3 de setembro, os alunos teriam a primeira aula de Defesa Contra as Artes das Trevas com o Professor Lupin. Comentários de todo tipo sobre a aparência do Professor eram sussurrados entre os grupos de alunos; teorias sobre como ele conseguiu as cicatrizes; porque tinha cabelos grisalhos se não parecia ter mais que 30 anos; como ensinaria os alunos a se defenderem quando ele mesmo parecia mal de saúde.

O Professor Lupin, para o espanto dos que cochichavam, já os esperava na sala, conversando com Professor Snape. Depois dos alunos entrarem, o Professor Lupin fechou a porta, mas Snape fez questão de parar a porta, encarar o Professor Lupin com todo o ódio que tinha, sussurrar algo apressado e sair, girando nos calcanhares. O professor Lupin voltou sua atenção para a classe, que já esperava com os livros sobre as mesas.

- Guardem os livros, hoje teremos uma aula prática. – Foi um alívio ter uma aula prática; seria divertido, também, desde que ninguém se machucasse. O professor deu duas batidinhas na porta de um armário velho e com teias de aranha entre as dobradiças, que sacudiu e se debateu. – Dentro desse armário tem um Bicho-Papão. Alguém pode dizer o que é um Bicho-Papão?

Draco ergueu a mão direita no ar, e foi o único que o fez.

- Sim, Draco?

- O Bicho-Papão é um transformista. – Muitos alunos encaravam Draco, a inveja nítida em seu olhar. – Assume a forma que acha que mais vai nos assustar.

- Eu mesmo não poderia dar uma definição melhor! Dez pontos para Sonserina! – Talvez não demonstrasse, mas Draco estava transbordando orgulho. Harry, é claro, sempre percebeu o quão feliz Draco ficava em ser elogiado pelos professores e ganhar pontos para a Sonserina. – O Bicho-Papão assume e forma que sabe que mais vai assustar alguém, por isso já temos uma vantagem sobre ele. Alguém sabe qual é? – Ninguém disse nada. – Harry?

- Ahn... É porque nós somos muitos, então ele não vai saber que forma tomar...?

- Exatamente! Mais dez pontos para Sonserina. O Bicho-Papão vai ficar confuso sobre que forma tomar, já que cada um tem um medo diferente. Que forma deve tomar, uma lesma carnívora ou um corpo sem cabeça? Já vi um Bicho-Papão enfrentar o mesmo dilema e acabou se transformando em meia lesma, o que nem de longe pode assustar alguém.

A turma toda riu, imaginando como seria uma meia-lesma; de fato, não poderia assustar nem mesmo uma criança.

- O que realmente acaba com o Bicho-Papão é o riso. O truque é tentar transformar o Bicho-Papão em algo engraçado, usando um feitiço simples, mas que requer muito foco. Repitam comigo: Riddikulus. – Toda a turma repetiu, alto e claro: ‘’Riddikulus’’. – Ótimo. Quem quer ser o primeiro a tentar? – As mesas foram afastadas para os cantos da sala e havia um grande espaço para os alunos e o armário. – A senhorita, por favor? Qual seu nome? – Professor Lupin apontou para Pansy, um pouco escondida no meio da multidão.

- Pansy.

- Muito bem, Pansy, qual você diria que é o seu maior medo?

Pansy ficou quieta por um instante, parecendo tentar descobrir qual era seu maior medo. Pensou em algo que a fez arrepiar e engolir seco, então murmurou algo baixinho.

- Desculpe, o que você disse?

- Sangue. O meu maior medo... Sangue.

Algumas outras meninas fizeram expressões de nojo, enquanto alguns rapazes corajosos riram baixinho. Pararam assim que Blaise os censurou com o olhar.

- Não riam dela, é completamente normal ter medo de sangue. Agora... Pense em uma cor que você goste muito, talvez.

- Eu gosto muito de azul. Mas gosto de rosa também.

- Ótimo. Quando o Bicho-Papão sair do armário, eu quero que você se foque em uma dessas duas cores.

- Certo...

- E repita o feitiço: Riddikulus.

- Riddikulus.

- Excelente, Pansy, agora deem um pouco de espaço... Isso, assim está bom... – Os colegas deram vários passos para trás, deixando Pansy sozinha em um raio de dois metros, apenas ela e o armário. – Quando eu disser três, okay? Um... Dois...

Antes do três, o Professor estalou os dedos e Pansy preparou a varinha de imediato. O Bicho-Papão se transformara em uma criatura horrenda: Tinha a altura de um humano bem alto, ombros largos e pernas compridas, deixando seu torso minúsculo quando comparado à anatomia de uma pessoa normal; mas, ao invés de pele ou penas ou qualquer outra coisa que poderia cobrir seu corpo, tinha apenas sangue, que escorria e gotejava em vermelho e vinho. Pansy apontou a varinha sem medo para a criatura, mas era notável o quanto ela tremia. Gritou ‘’Riddikulus!’’ e, de repente, todo o sangue vermelho da criatura mudou para rosa-choque com glitter e confeitos de estrelinhas. Era impossível não rir de algo tão fofo. O professor foi chamando os nomes e o Bicho-Papão se transformou nas mais diversas coisas: um espírito agourento, que depois perdeu a voz; uma enorme tarântula branca e peluda, que escorregou nos sapatos de patinação; um vampiro, que saiu voando com balões amarrados à seu quadril; e vários outros que Harry nem se lembrou mais tarde. Enquanto os outros se divertiam dando fins engraçados às mais horríveis criaturas, Harry se pôs a pensar... Qual seria seu maior medo? O primeiro pensamento que lhe veio à cabeça foi Lorde Voldemort, um totalmente recuperado e mais forte – mas a memória de um ser espectral de três metros de altura, uma mão podre por baixo de uma capa negra como a noite, o frio penetrando em suas veias... Como poderia fazer um dementador parecer engraçado?

Sem aviso nenhum, no intervalo entre um aluno e outro, Harry tomou lugar em frente ao Bicho-Papão. Com a varinha em mãos, ainda não sabia no que transformar o dementador, mas pensaria em algo. Quando o Bicho-Papão, anteriormente em forma de gigante, começou a troca de forma, Professor Lupin parou entre Harry e o Bicho-Papão, do qual estava a meio metro de distância. O Bicho-Papão, entrementes, tomou a forma de uma bola branca e brilhante, antes do Professor usar o feitiço Riddikulus e a bola se transformar em uma bexiga, que saiu voando e soltando o ar pela sala.

- Vamos terminar a aula agora, sim? – A sala ecoou em um triste e arrastado ‘’Aaaaah’’ de decepção. Estava sendo bem divertido transformar e destransformar o Bicho-Papão até agora. – Darei cinco pontos pra cada um que enfrentou o Bicho-Papão e... É só. Façam uma redação sobre os Bicho-Papão para me entregar segunda-feira. Esse é o dever de casa. Bom fim de semana!

Os alunos saíram da sala, conversando animados sobre as transformações do Bicho-Papão, alguns alunos se perguntando porque o Professor Lupin tinha medo de bolas de cristal. Harry, no entanto, ficou um pouco magoado. Nem ele nem Draco tiveram a chance de enfrentar o Bicho-Papão. Mas decidiu que pensaria sobre isso mais tarde e, por agora, se focaria em aproveitar a companhia dos amigos durante o fim de semana.


Notas Finais


Deem boas-vindas ao Prof.Lupin, melhor Professor de Defesa Contra as Artes das Trevas que você respeita
Agora vai
Beijins de alquingel, vejo vocês dia 10 (づ ̄ 3 ̄)づ💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...