História When I see you... - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Frigga, Heimdall, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Jane Foster, Lady Sif, Loki, Nick Fury, Odin, Personagens Originais, Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Steve Rogers, Thor, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Loki, Marvel, Original, Thor
Visualizações 105
Palavras 2.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estou gostando muito de fazer essa fic XD eu acho que nunca gostei tanto de fazer uma fic, e eu espero que vocês estejam gostando também :D
Enfim, eu pensei em colocar fotos/gifs/desenhos dos meus Oc's mas eu vou deixar vocês imaginarem como eles são, então caso você encontre alguém que se encaixe com a aparência dos meus personagens, eu adoraria saber e ver como vocês imaginam XD
Enfim, aproveitem o capítulo novo!
( É assim que o Loki está vestido caso você queira saber >_<)

Capítulo 4 - 04. Você não pode fazer isso!


Fanfic / Fanfiction When I see you... - Capítulo 4 - 04. Você não pode fazer isso!

Meu coração estava uma loucura, a cada momento ele batia de ansiedade, eu não podia mais esperar para poder ir na feira comprar milhares de livros.

Eu estava esperando, batendo o meu pé ansiosamente enquanto dois agentes colocavam pulseiras e um colar inibidor, só para prevenir que Loki não fizesse nada.

- Obrigada. - Eu digo aos dois agentes depois deles saírem da cela. E logo em seguida Loki vem.

- Finalmente um pouquinho de liberdade.

- É bom você não machucar nem ao menos um inseto enquanto estivermos fora, se não essa será a última vez que verá a luz do sol.

- Você está se importando com isso mais com por causa das outras pessoas, ou por sua reputação?

- Os dois. Ainda mais, Fury confia em mim, e é muito raro Fury confiar em alguém, então ouça as minhas palavras. É muito difícil você ter uma boa reputação e pessoas que confiam em você e que contam com você para qualquer coisa. Mas é só der um passo um pouquinho de lado, e tudo e que você tem cai pelo ralo.

- Hmm.... interessante a sua analogia.

- Bem, digamos, você tem uma  má reputação, então vai demorar muito tempo para as pessoas confiarem em você. Apenas pessoas ingênuas fariam isso.

- Você confia em mim?

- Não. Mas eu acredito que você não vai querer perder a sua oportunidade de ver o sol.

- E como você sabe que eu não vou fugir de você? Ou então te deixar enconciente?

- Se você tentar alguma coisa, você terá sua punição.

- E que punição seria?

- É melhor você não saber.

- E se eu quiser saber?

- Eu não vou te contar, se não perderia a graça.

- Então você acha que vou tentar algo?

- Digamos que tem 90% de chance de você fazer alguma coisa que possa te punir, mas eu espero que nada aconteça, e que tudo ocorrerá bem, ou seja, eu acredito nos 10%

Enquanto a gente conversava a gente foi em direção do elevador e já foi para o térreo.

- Bom dia Marina. - Disse Cathy com um sorriso para mim, quando eu estava andando quase indo para fora do prédio. - Olá, Loki. - Ela disse e seu sorriso desapareceu.

- Bom dia Cathy! Você não quer ir para a feira?

- Me desculpe, eu não posso, eu vou monitorar uma turma de agentes novatos, mas aproveite!

- Obrigada. - Eu digo e então eu e Loki saímos do prédio.

- Cathy? - Loki pergunta para mim.

- O nome dela é Catherine, ela é uma agente da minha equipe de pesquisa e exploração, e também é minha melhor amiga.

- Hmm....

Nós dois então andamos em direção até a feira em silêncio, e de vez em quando eu olhava para ele para ver se tinha algo suspeito.

Em meia hora finalmente estávamos na feira, e então eu abro um largo sorriso, a feira era gigantesca! E tinha muitos, muitos e muitos livros! Além de ter várias pessoas.

- Fique perto de mim. - Eu digo.

- É melhor talvez você ficar perto de mim. - Ele diz, e então eu me viro para ele.

- O que você quer dizer?

- Bem, eu sou alto, e é fácil de me ver, já você, bem... você é baixinha.

Ele diz e olha para mim. Eu admito, eu era baixinha, mas por algum motivo meu sangue começou a ferver em meu rosto quando ele disse isso, por que?

- Ok, certo, só tenta não ficar longe de mim. - Eu digo e ele me dá um sorriso, que parecia mais um sorriso de deboche.

- Tudo bem, mamãe.

- Não me chame disso.

- Que tal, babá?

- É melhor você me chamar apenas de Marina. Okay? Sem apelidos.

Ele apenas deu um pequeno aceno com a cabeça, e então a gente começa a explorar o local, e eu encontrei muitos livros.

- Eu espero ter dinheiro o suficiente. - Eu digo para mim mesma.

Com o passar das barracas de livros, eu vou comprando tudo o que acho interessante, enquanto Loki apenas olhava.

- Ai meu deus. Eu não acredito. - Eu então vou em direção a um livro a qual estava esperando muito tempo para ler, ele ainda não tinha sido lançado, mas havia uma prévia a qual eu tinha lido e estava louca para ler.

- Como você tem isso para vender? - Eu perguntei para o vendedor da barraca.

- Digamos que eu sou um amigo da escritora, e consegui alguns livros antes deles serem lançados oficialmente, você está interessada?

- Sim! - Eu digo e então eu compro o livro.

- Faça bom proveito!

- Obrigada!

Quando eu viro para trás, vejo que Loki estava roubando um livro.

Eu limpo a garganta chamando atenção de Loki.

- É melhor você não fazer isso. - Eu disse apontando para o livro.

- Quem disse que eu estava roubando?

- Você não pode fazer isso. - Eu bato na mão dele e pego o livro de suas mãos.

- E por que não? E, Au. - Ele então esfrega  mão no local que eu bati.

- Bem, então a menos que você tenha conseguido dinheiro de alguma forma, por que você estaria colocando o livro na sua  sacola? - Eu digo o encarando, então eu vou até a barraca da onde ele pegou o livro e pergunto para o vendedor. 

- Com licença, você pode me dizer quanto custa este livro?

- São trinta dólares.

- Certo. - Então eu pago para ele e depois me volto para Loki.

- Aqui está, o seu livro. - Eu disse entregando o livro para ele. 

- .....

- Você não vai dizer nada?

- Era para eu dizer alguma coisa?

- Sei lá, talvez um obrigado não faria nada mal.

- E por que eu tenho que dizer isso?

- Por que é isso o que as pessoas fazem em modo de gratidão quando alguém faz um favor por elas.

 - ....

- Então?

- Então o que?

- Apenas diz, obrigado.

- Huh, que seja, se isto vai te deixar feliz, então... obrigado.

- De nada. - Eu digo com um sorriso, tentando não rir da maneira que ele disse.

Nós continuamos a passar pela feira, quando eu vejo uma menininha falando com sua mãe.

- Mãe! Você pode comprar esse livro para mim? Por favor?

- Me desculpe filha, mas eu não posso comprar esse livro, eu tenho que comprar o livro que seu irmão precisa, não posso comprar esse livro, coloque ele no lugar.

- Tudo bem... - Ela disse desanimadamente.

Ver isso me partiu o coração.

Então eu fui até a barraca e peguei o livro que a garotinha queria.

- Eu quero comprar esse livro.

- Tudo bem, são quinze dólares.

Eu paguei pelo livro, e busquei pela menina na multidão. Loki me seguiu por incrível que pareça, o que era estranho já que eu jurava que ele iria tentar fugir, ao invés disso a única coisa que ele fez foi me zoar e tentar roubar livros.

- Ei menina! Espere! - Eu digo enquanto eu vou em sua direção. Sua mãe estava um pouco da longe dali. A menina se vira e eu alcanço ela. - Aqui, é pra você. - Eu digo me ajoelhando para que eu pudesse ficar da mesma altura que ela e entreguei o livro.

- Ah! Muito obrigada moça! - Ela então me dá um abraço o qual eu tomo um pequeno susto, pois não esperava por isso.

- Não tem de que. - Eu digo e retribuo o abraço, então a menina sai correndo em direção de sua mãe.

- Ei mãe! Olha! Aquela moça me deu o livro! - Ela disse animadamente para sua mãe.

- Obrigada. - A mulher disse, mesmo que eu estivesse um pouco longe e com muitas pessoas falando, eu pude escutar o que ela queria dizer.

Eu apenas dei um aceno com a minha mão, em uma forma de dizer de nada. E então as duas se distanciam.

- Por que você fez isso?

Loki disse ao meu lado, me dando um pequeno susto pois eu não tinha percebido que ele estava do meu lado.

- Por que eu queria ajudar, elas não tinham dinheiro. E eu fico feliz em saber que eu pude deixar alguém feliz, sabe, é uma sensação incrível.

- Hm.

Então eu olho para as mãos dele. E ele estava com alguns livros o qual ele não estava antes.

- Você roubou esses livros?

- Não, eu paguei por eles.

- Com que dinheiro?

- Com o seu.

- Você... Você me roubou? - Eu disse indignada.

- Você pagaria do mesmo jeito, então que diferença faz? - Ele disse dando de ombros.

- Faz diferença sim, como eu vou saber se- Eu não terminei a minha frase.

- Se pode confiar em mim?

- É.

- Bem, talvez você nunca confie em mim, mas eu não ligo. Aliás, eu peguei esse livro para você.

Ele disse e me entrega um livro.

- Como... Como você sabia?

- Você estava olhando para ele antes de ir comprar o livro para aquela garota. Eu pensei que você quisesse.

Eu fiquei sem palavras, isso realmente está acontecendo ou eu estou tendo alucinações e Loki está sendo legal comigo?

- Uhm, O-obrigada.

- De nada. - Ele diz como se não fosse nada aquilo que ele fez.

Eu dei um pequeno sorriso.

Bem, talvez ainda tenha uma chance de ele ser bom. Não é?

Depois de passar pela feira, eu decidi passar na sorveteria, pois o dia estava quente e achei que talvez fosse uma boa ideia tomar sorvete.

- Então, você gostaria de tomar sorvete? - Eu perguntei a Loki.

- O que é, sorvete?

- Isso não existe em Asgard?

- Eu acho que não.

- Meu, você está perdendo uma das grandes maravilhas do universo! Você precisa experimentar!

Quando chegamos na sorveteria eu vou até o atendedor.

- Bom dia, vai querer o que?

- Você pode me ver dois sorvetes de casquinha com chocolate e baunilha?

- Claro.

Assim eu espero o meu pedido e logo o atendedor vem com os sorvetes e então eu pago e pego os sorvetes.

- Muito obrigado senhor.

- Muito obrigado a você.

Eu então vou até o banco onde eu disse para Loki ficar, e então entrego o sorvete a ele.

- Experimente e aproveite a maravilha do sorvete.

Dito isso eu me sento ao seu lado.

Ele então morde o sorvete e faz uma cara muito engraçada, o qual eu não pude me segurar e começo a rir.

- V-você está bem? - Eu digo enquanto tento parar de rir.

- Isso é muito, muito gelado.

Ele diz e não me aguento e começo a rir ainda mais.

Quando eu paro de rir, eu respiro fundo e falo.

- Mas é essa a intenção, ele é gelado para poder te refrescar. Mas então? Gostou?

- Eh, não é ruim como eu pensei que fosse.

- Eu vou aceitar isso como, sim, eu adorei e você estava certa, isso é uma maravilha vinda de outro universo.

- Mas eu não disse isso.

Eu não respondi, apenas fiquei sorrindo e tomando o meu sorvete.

Depois de terminarmos, nós então fomos em direção da Shield.

Quando chegamos lá, os mesmos agentes que colocaram as pulseiras e colar inibidores de poder, nos acompanharam até o elevador, nós fomos então até o andar da cela de Loki.

Chegando lá, ele levaram ele até o outro lado da parede de vidro e lá dentro eles retiram a pulseiras, e então eles saem, deixando eu e Loki sozinhos.

- Então, o que você achou do nosso passeio? - Eu perguntei enquanto colocava as minhas duas sacolas de livros no chão.

- É, até que não foi ruim. Quando eu vou poder sair dessa cela de novo?

Eu rio e olho para ele.

- Você acabou de entrar aí e já quer sair?

- Aqui é chato.

- Pelo menos você tem livros novos para ler.

- Eh...

- Bem, eu preciso ir, eu vou almoçar então eu volto em, uma hora mais ou menos.

- Demore o quanto quiser. - Ele disse e então se vira de costas para mim.

Quando eu saio da cela, bem na porta eu encontro Nathan e acabo esbarrando nele.

- Na-Nathan? Me desculpe, eu não tinha te visto. - Eu então arrumo meu óculos sem jeito

- Não tem problema.

- O-o que você está fazendo aqui?

- Eu queria te perguntar se você está disponível depois do trabalho amanhã.

- Eu estou. Por que a pergunta?

- Você gostaria de sair comigo amanhã?

- Uh - Eu entrei em choque, eu não esperava por isso. - C-Claro, por que não? 

- Bom. Te busco as 20:30, está bom para você?

- Claro, está ótimo. - Eu então sorrio sem graça para ele.

- Ótimo, então nós vemos amanhã. - Ele diz e vai para o elevador. Quando o elevador fecha eu falo para mim mesma em um sussurro.

- Ai meu deus, eu não acredito.

Isso realmente estava acontecendo? Ou eu estava sonhando?

Então eu fui até o elevador, e apertei o botão do térreo. E logo fui até o meu restaurante favorito.

Mal posso esperar até amanhã...


Notas Finais


Então gente, gostaram? Eu espero que sim ^_^
Me desculpe caso haja erros ortográficos ou palavras sem sentido.
Vejo vocês no próximo capítulo!!
Bye bye quiridinhos 😚 😚 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...