História When it's night... - Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Hot, Jungkook, Leitura Feminina, Morte, Perseguição, Psicopata, Romance, Terror, Tragedia, Violencia
Visualizações 30
Palavras 1.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aproveitem o capítulo e tenham uma boa leitura 📖
🙋🙆

Capítulo 2 - 2. ll. Um pouco sobre Jeon Jungkook!


Fanfic / Fanfiction When it's night... - Jungkook - Capítulo 2 - 2. ll. Um pouco sobre Jeon Jungkook!

Jungkook/POV



CNH (Academia Internacional Colinas de North Hampton)



Naqueles últimos minutos, quando só faltava pouco para terminar meu desenho, eu me preocupava em sair daquela sala ao passar dos segundos. Eram 21:45 e estaríamos liberados às 21:55, da aula de Design Gráfico, e eu estava prestes a terminar o trabalho, que a professora havia nos passado para entregá-lo hoje. Assinei meu nome a lápis na folha de sulfite o deixando em sima da mesa da professora.

— Já terminou? — perguntou-me enquanto parou de corrigir algo e deu atenção ao meu desenho, passou a analisar se estava tudo certo e não lhe faltava nada nos traços.

— Sim. — Respondi simples, ainda em frente a sua frente, ela deixou o trabalho em sua mesa e soltou um "está liberado" agradeci e assim fiz. 

Não sei por quê, mas eu tinha a leve impressão de que essa mulher se atraia por mim, e sempre olhava para minha bunda quando eu dava as costas para seguir meu rumo. Olhei para trás quando passei pela porta e adivinha! ela não perde oportunidade alguma. Tsc...É melhor ir andando antes que o corretor se encha de pessoas, principalmente as meninas que sempre chamavam pelo meu nome, pra mim aquilo eram demônios disfarçados de garotas, pois pense em malucas infernais! Elas faziam isso, porque sabiam que eu não iria fazer o mesmo com os garotos que me atormentavam..Eu batia até ver sangue na pele, não tinha dó alguma, eram eles que vinham procurar, pena que no final eu me ferrava com advertências, mas era super divertido quando ninguém sabia. Eu até gosto de ser temido por esses babacas da faculdade, pelo menos eles não ficavam no meu pé a toa. Havia uma coisa que não saia da minha cabeça de jeito algum, e essa pessoa era nada mais nada menos que S/n, a garota em que sentei ao lado, e será assim até o resto do ano, como o professor disse. Sabe quando agente vê algo bonito e não se cansa de olhá-lo? Sua beleza fazia isso comigo. Eu até acho a S/n bonita, mas não gosto nenhum pouco dela, eu gosto é mesmo de vê-la naquela carinha de desespero que ela faz ao estar perto do monstrão aqui. O que me chama atenção na S/n é que ela demonstra ser bem difícil, já vi vários meninos darem em cima e cantarem ela, mas ela o xinga e recusa qualquer ato dos vândalos, e isso significa que não é uma garota de se jogar fora. Ela ficaria linda acorrentada na sala de tortura do papai(meu pai) morrendo de medo enquanto eu admiro a sena silenciosamente. Confesso que faço isso com as mulheres das boates, são bem fáceis, não as culpo por serem assim, elas estão lá para satisfazer seus clientes e eu sou um deles, mas não me satisfaço em sexo algum, dou uns beijos e olha lá, uma que sou virgem, e nunca serei de qualquer um por uma idiota noite. O que me satisfaz é ver desespero, as lágrimas, o choro, os gritos de socorro, isso é maravilhoso para um sociopata como eu. 

Andei calmamente pelas ruas em plena neblina e o frio que me fazia tremer. Estava uma noite escura,  perfeita para cometer assaltos e mortes. Eu simplesmente não ficava nos quartos que a faculdade da CNH forneciam, como todos os alunos de lá. Eu tinha um colega de quarto, Kim TaehYung, mais o pobre ficava todos os dias sozinho, sorte dele, porque não aguento ficar trancado com uma pessoa por muito tempo, tenho vontade de vê-la sendo torturada. De vez em quando eu posava lá.


(…)


"Propriedade Jung"


Apertei várias vezes o interfone, mais o grande portão não se abria, acho que devido ao cujo horário. O jeito era a leitura digital, apertei meu dedo na pequena caixinha ao lado com pequenas grades e um mínimo buraco para o dedão. Esperei que o aparelho deixasse a minha passagem. O portão de ferro se abriu e eu pude entrar em minha casa, foi só posicionar um passo no piso de pedra, que os três grandes cachorros vieram me cumprimentar. Cães literalmente treinado para proteger o quintal.

— Que saudades meus bebês! — passei a mão neles.

O frio não havia amenizado, e sim piorado, pois meu pai comprou essa mansão bem afastado do contato de pessoas para não descobrirem seu "esconderijo", mas logo em uma floresta maldita, que só se  aparecem em filmes pesados de terror, pena que não é. Apertei a maçaneta da porta forçando para baixo a mesma para poder abrir. Parecia que todos tinham ido para suas camas, mas só parecia, pois estavam dormindo de olhos abertos. Me sentei/deitei no sofá aveludado e respirei fundo de alívio por chegar em casa. Estava bem cansado da pequena viagem, mas não conseguiria dormir tão cedo. Puchei o zíper da jaqueta para baixo, tirando o tecido de couro pesado, devido ao calor pessado que se passava pela sala, a culpada era a fogueira, fiquei só com minha camiseta vermelha sangue da estampa da minha banda de Rock preferida. Tirei meus óculos e liguei a TV de led puchado a coberta felpuda que os empregados deixara. Deixei no canal onde só passava filmes de comédia pornograficos, era um costume que eu tinha ao vir da faculdade, "mania de virgem". Só consegui dormir depois da 12:00,foi quando o acabou. E mais um dia começou. Eu trouxe todos os meus livros das matérias para casa, já que eu não passava sempre lá para os deixá-los no meu armário. Peguei dois livros das matérias que eu teria hoje, S/n me aguarde pois eu não estou com vontade de atormentar, teríamos todas as aulas juntos. Tomei um banho rápido de água quente, nem deu tempo de comer tudo do café da manhã, porque eu estava atrasado para a aula. Me despedi de meu pai e de todos os empregados da casa, pois eles eram também minha família, A única...



S/n/POV



Eu estava consentrada nas explicações e dicas que o professor dava,  enquanto rabiscava a folha de traços leves cheios de curvas e riscos, um desenho maravilhoso, eu fazia Design Gráfico e Artes  visuais como Jungkook, quase todos os dias. Ainda de cara na folha consegui ver a mão grande de Jeon sobre voar com a minha caneta em mãos, me alertando de que ele havia devolvido,  e de que estava encima da mesa. Olhei o garoto ao meu lado que estava de frente mais me olhando de lado com seus olhos grandes e negros. Ele me dá medo. 

— Obrigado pela caneta. — Ele sorriu. Soltei um "de nada". E voltei a desenhar.

Jeon jungkook, especificamente era um homem muito bonito, tinha muitas tatuagens em seus braços e busto, sua pele clarinha sem nenhum espinha ou ruga, ele também usava um óculos de grau para leitura, das lentes e armação arredondadas, deixando um pequeno charme... Tinha medo do garoto ao lado, ele era estranho. E isso me deixava curiosa em saber seus segredos para onde vai e o que pensa. Ontem o vi saindo do campus. Como sempre faz, para onde ele vai? talvez para casa já que nunca fica aqui. De repente meu celular vibrou dentro do estojo, tirei o grande aparelho que estava apertado dentro do estojo e olhei para os lados, para ver se alguém via. Só Jungkook que mesmo desenhando estava me olhando. Não liguei e fui ver quem estava me mandando mensagem. E era de Jimin... 


"Ficou sabendo da tal festa que terá na faculdade?" 

08:23PM

 "você vai? Serão às 22:00" 

08:25PM 

"Irei sim.. Espero você lá" 

08:25PM


Eu e Jimin éramos melhores amigos desdo colegial, sempre vivíamos colados uns aos outros, as pessoas sempre falam que somos namorados e Jimin fica bravo, porque gosta de homens, Jimin era bissexual. Olhei para o lado de Jungkook que revirou os olhos para mim e fechou a cara. Voltei a fazer o que eu fazia, minutos antes. 


Notas Finais


Me desculpem os erros e até o próximo capítulo gente 😄
💕💖💖💖
Sonhe com o bias essa noite! 😏🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...