História When Two Worlds Collide - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Elle Fanning, Julian Draxler, Kevin Trapp, Marc-André ter Stegen, Marcos "Marquinhos", Mesut Özil, Neymar, Thomas Müller, Toni Kroos
Personagens Elle Fanning, Julian Draxler, Personagens Originais
Tags Drama, Gravidez Indesejada, Romance
Visualizações 303
Palavras 1.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


boa leitura!!!! OBRIGADA PELOS COMENTÁRIOS E FAVORITOS AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Capítulo 5 - Contando sobre a gravidez


Fanfic / Fanfiction When Two Worlds Collide - Capítulo 5 - Contando sobre a gravidez

Lauren.

 

O dia seguinte infelizmente tinha chego, eu estava com zero ânimo para ir a escola, ter que aguentar os professores e ainda por cima a noite ter que contar aos meus pais que sua filhinha de dezessete anos estava esperando um filho de um jogador muito famoso e rico.

Eu já estava na mesa tomando café com todos eles, apenas o meu irmão sabia daquilo e me olhava a cada segundo muito preocupado como se eu fosse vomitar ali mesmo na frente deles, eu sempre sorria para ele avisando que tudo estava bem.

O meu celular vibra avisando que tinha chego uma mensagem, no visor o nome de Julian brilhava, desbloqueio o celular e leio a mensagem com calma.

 

Julian Draxler: Bom dia meu anjo! Como está se sentindo? E para hoje a noite?
Lauren: Bom dia Julian! Eu estou me sentindo como todos os dias: Enjoada. Eu não quero ter que dizer a eles e se eu tirasse e fingimos que nada aconteceu?
Julian Draxler: Você quer tirar? Por que essa atitude agora?
Lauren: Eu só tenho dezessete anos Julian! E você é um jogador famoso de futebol, a mídia cairia em cima de você como urubus, somente vamos fingir que nada aconteceu. É isso.
Julian Draxler: Vamos conversar direito sobre isso Lauren! Não é simplesmente assim tirar, temos condições de criar esse filho, por que tirar?
Lauren: Vamos conversar pessoalmente sobre isso, me busca na escola? Eu nem vou entrar para a sala.
Julian Draxler: Tudo bem, eu mandarei um carro e te espero aqui em casa.

 

Despeço-me dos meus pais e do meu irmão que olha-me ainda preocupado, eu não dormia bem tinha alguns dias já, tudo isso estava tirando o meu sono. Sigo o caminho da escola dentro do carro do motorista particular que o meu pai pagava para me levar.

- Não voltarei hoje – Aviso o motorista – Irei até a casa de uma amiga fazer trabalho, tudo bem?
- Claro senhorita – Apenas sorrio. Eu odiava mentir, mas era tão necessário.

Assim que ele estaciona em frente à escola, eu saio e fico olhando até o momento que ele some, mando uma mensagem para o Julian avisando que eu estava ali já, ele me responde que era um carro preto e tinha um motorista com chapeuzinho, dou risada quando o vejo pelo vidro do carro. Vou até lá e entro no carro.

- Bom dia senhorita – Ele fala – Fico feliz em conhecer a moça que conquistou o senhor Draxler.
- Bom dia senhor – Eu falo educada e um pouco sem graça pelas suas palavras.

O caminho todo foi em silêncio, o tempo todo eu ficava em minhas redes sociais no celular ou respondendo as mensagens do meu irmão que queria saber como eu estava a todo instante.

- Chegamos – O motorista avisa, estávamos dentro de uma garagem enorme – Por aqui senhorita – Assim que saio do carro, agarro a minha mochila e o sigo, entramos pela cozinha onde encontro uma mulher loira cozinhando, digo bom dia e continuo o seguindo.
- Obrigada Youssef! – Ouço a voz grossa de Draxler e então eu sorrio aliviada – Bom dia anjo – Olho para ele maravilhada com a visão, ele estava de samba-canção e sem camisa, ele vem até mim e me dá um selinho demorado, ok, nós estamos nessa intimidade já.
- Bom dia Julian – Eu falo ainda olhando o seu rosto – Sua casa é enorme!
- Ela é sim – Ele solta uma risada gostosa – Vem, vamos até o meu escritório – Ele pega minha mão e eu apenas o sigo, ele abre uma porta e dou de cara com um quarto – Bom, o escritório é formal demais, aqui é o meu quarto.
- Que escritório legal, você dorme aqui? – Digo descontraindo, sinto suas mãos em minha cintura e seu rosto se aproximando, ele cheira meu cabelo, eu provavelmente estava roxa de tão tímida – Julian, nós precisamos conversar.
- Precisamos sim – Ele vira-me, fico olhando para o seu rosto lindo, sorrio e toco em sua bochecha, por um momento ele fecha os olhos apenas para sentir o meu toque – Mas ficar assim com você é tão melhor do que conversar.
- Eu sei – Eu digo – Eu também sinto isso quando estou perto de você – Ele automaticamente abre os olhos e sorri largo.
- Você é incrível! – Quando eu menos esperava sua mão estava em minha nuca e seus lábios nos meus, sua língua adentro a minha boca e começou a explorar cada interior dela, dançando e massageando. O seu gosto era melhor do que o meu cérebro podia lembrar-se, o meu corpo gritava alto por ele, fiquei na ponta dos pés e agarrei os seus cabelos, ele sorria em meio ao beijo, uma de suas mãos estavam em minha cintura e outra nos meus cabelos, o seu calor era excitante e envolvente.

Quando ficamos sem ar, ele desceu seus beijos pelo meu pescoço, puxei uma lufada de ar, ele deixava uma trilha úmida de beijos por onde passava, retorno a minha realidade e puxo sua cabeça para cima novamente.

- Julian...
- Lau... – Ele repete.
- Precisamos conversar! – Julian suspira e assente – E-Eu não inventei toda aquela história apenas para chamar sua atenção.
- Você realmente quer tirar o nosso filho? – Sento em sua enorme cama – Por que Lauren? Isso é tão sério.
- Eu só tenho dezessete anos – Respiro fundo – Você é famoso demais, toda a mídia iria ficar em cima de mim, de você e eu não sou acostumada com isso, eu iria pirar! Eu gosto de ter a minha liberdade.
- Desculpe-me – Ele pega minhas mãos e as beija – Se eu estou sendo egoísta demais com vocês – Sorrio – Foi minha culpa não ter usado preservativo aquela noite, podemos preservar sua imagem e a do bebê também, eu não acho que tira-lo vai ser uma ideia boa, entende? – Assinto – Nós temos condições de cria-lo...
- Corrigindo, você tem condições de cria-lo, eu moro com os meus pais e sou menor de idade ainda – Ele ri e beija a minha testa – Eu não quero brigar com você ou algo do tipo, entende? Eu quero entrar em um acordo, você quer mesmo? Vai ajudar a cria-lo? Ótimo! Vamos tê-lo então!
- Era isso o que eu queria ouvir – Ele me dá um selinho demorado – Vamos tê-lo – Julian rela em minha barriga que não tinha nada a mostra ainda.
- O jantar nos meus pais está de pé ainda? – Draxler assente – Te espero lá meu bem – Passo a mão em seu cabelo.

 

Hora do jantar.

- Para que esse jantar todo? – Meu pai diz com aquela carranca incurável dele – E esse prato a mais? Teremos um convidado?
- Teremos – Eu digo arrumando a mesa – Teremos um convidado e o senhor irá trata-lo muito bem, ok?
- Tudo pelo meu bebê – Meu pai fala e um frio corre em minha espinha. O som da campainha preenche nossa casa, respiro fundo e vou até lá, abro a porta e dou de cara com Julian todo lindo de social segurando rosas.
- Boa noite anjo – Ele beija minha testa – Estou atrasado?
- No horário, entre Draxler – Dou espaço a ele que entra e dá de cara com os meus pais e o meu irmão.
- Puta. Merda. – Essa é a reação do meu irmão quando vê o pai do bebê, seguro a risada pela expressão que ele faz.
- Julian Draxler, jogador do Paris Saint-Germain em minha casa – Meu pai fala alto – O que devo a honra? Você e minha filha são amigos?
- Somos sim senhor, sou Julian – Ele aperta a mão do meu pai.
- Sou Nicolas, pai da Lauren, esse é o meu filho Samuel e a minha mulher Rosita – Julian cumprimenta todos ali – Eu jamais esperaria um famoso assim em minha casa.
- Me tratem apenas normalmente, por favor! Acima de tudo aqui eu sou amigo da filha de vocês...

 

Já na mesa, estávamos todos comendo, o meu pai falava e comia e eu estava desconfortável, Sammy sentia isso, pois eu não estava com uma cara muito boa e quase não relava na comida.

- Eu e Julian precisamos falar com vocês – Seguro uma de sua mão debaixo da mesa – E é algo muito importante.
- Se é algo importante falem de uma vez – Todos automaticamente param de comer e eu olho para Sammy que tinha uma expressão calma no rosto.
- Faz um mês que eu e Julian saímos pela primeira vez – Respiro fundo – E... Bom, eu estou grávida dele, eu sei que não é algo para se comemorar agora, mas é isso, desculpem pela decepção.
- O que? – Os meus pais falam juntos.
- Eu estou grávida de um mês – Jogo as fotos do ultrassom em cima da mesa, o meu irmão pega uma delas e sorri amavelmente.
- Eu acho que vou passar mal – Minha mãe fala e eu aperto a mão de Julian.
- Eu também tenho culpa nisso – Ele começa – Não pensem que eu irei abandona-la em algum momento, isso eu jamais faria, afinal a maior culpa foi minha! E eu estou reconhecendo isso – O meu pai minha uma expressão nada boa no rosto.
- E eu só espero que vocês não me expulsem de casa – Sorrio de canto, olho para ele que se levanta da cadeira.
- Eu nem sei o que falar, você só tem dezessete anos Lauren! Como você me faz uma coisa irresponsável dessa? Eu esperava mais de você, até o Samuel com essa idade não engravidou ninguém e você me aparece aqui com a maior cara de pau e diz que está grávida, como se isso fosse a coisa mais legal do mundo – Ele gritava de raiva, ele socou a mesa tão forte que a despedaçou e todo o nosso jantar caiu no chão – Eu estou com vontade de te bater tanto e arrancar isso de você – Julian arregala os olhos e fecha a cara, colocando-me atrás dele, Sammy fica ao lado dele.
- Nela você não rela um dedo, afinal, isso não é uma doença, é apenas uma criança! Eu irei cuidar e dar toda assistência – Julian fala segurando meu braço ainda – Mas na Lauren você não rela.
- Não mesmo! – Sammy fala me tampando do meu pai – Você não vai bater nela como se isso fosse o fim do mundo, é ridículo!
- Ridículo é a minha filha de dezessete anos estar grávida de um cara que ela conhece a UM MÊS! – Ele continuava gritando – Isso que é ridículo Samuel, você deveria estar do meu lado.
- Mas eu não estou pai – Sam grita – Eu não estou do seu lado! Você quer bater na minha irmã, acha que eu deixaria isso? – A minha mãe continuava quieta.
- Eu conheço sua filha a muito tempo, eu estudei na mesma escola que ela – Draxler fala.
- CHEGA! – Minha mãe grita – Lauren eu e seu pai como moramos aqui e pagamos todas as contas, não apoiamos essa gravidez, você pode arrumar as suas coisas e morar em outro lugar, não queremos você aqui mais. Samuel, se você falar mais um A, você é o próximo a ser expulso! – Ela respira fundo – Vamos subir querido. Amanhã quando eu acordar eu não quero ver você aqui Lauren, nem você, nem nada seu! Eu sempre quis ter um estúdio de pintura mesmo.

Os dois desaparecem pela escada e a minha visão se apaga.


Notas Finais


eu voltei meus amores!!! Agora estamos juntas aqui sempre, espero que tenham gostado!
mereço comentário? E favorito? Amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...