1. Spirit Fanfics >
  2. Where Are You? >
  3. Único - Here

História Where Are You? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


ATENÇÃO: Embora em categoria original, Here U Are e seus personagens NÃO me pertencem, sendo de responsabilidade intelectual de seu respectivo autor.

Oioi, meus dengos.

Bem, recentemente o capítulo 108 de Here U Are saiu, e eu fiquei levemente desapontada, pois houve apenas a insinuação de sexo entre Yu e Li Huan. Sei que a política da China é um horror, então óbvio que cenas como estas aqui descritas são praticamente impossíveis.
Mas como me recusei a deixar da forma que estava, decidi eu mesma escrever um lemon deles. São lindos demais para não fazer, né??? KAKAKAKAK

O título faz alusão a uma imagem oficial de Here U Are, onde Yu Yang usa uma camisa escrito "Where Are You?" e Li Huan uma dizendo "Here". Achei muito legal, então quis colocar aqui também.
Where Are You? (Onde está você?)
Here (Aqui)
Link da imagem nas notas.

Sem mais delongas, uma boa leitura!

Capítulo 1 - Único - Here



— Hoje a noite... eu quero ficar com você. 

— Okay...

Foi o que Li Huan respondeu antes de atacar novamente os lábios trêmulos de Yu Yang. Se beijaram com mais fervor do que antes, cujas vestes de Yu passaram a se perder pelo hall de entrada, muito antes deles chegarem a cama. Fora difícil se concentrar em beijar, tirar roupas e subir escadas. Mas felizmente, eles conseguiram efetuar tais ações com êxito. 

Por um momento, Yu Yang pensou estar louco. Pensou que o homem acima dele, que beijava seu pescoço e peito com paixão, era apenas fruto de seus mais densos sonhos. O mesmo valia para Li Huan, que esperou por aquele momento por mais tempo do que poderia de fato descrever em palavras. Levantou o tronco por um momento, olhando o semblante corado e ofegante do namorado, que parecia nervoso. 

Bem, ele também estava. Nunca havia feito aquilo com ninguém. Eram sentimentos novos para Huan. Sentimentos dos quais ele dedicou exclusivamente à Yu Yang por muito tempo. Cultivou, cuidou e amou para que enfim pudesse dá-los àquele garoto.

— Você já fez isso antes…? — os olhos de tom roxo desviaram dos dele. Yu viu as bochechas de Li Huan corarem mais do que seria possível. Huan, por outro lado, fez a pergunta, mas tinha medo de que soasse invasivo demais.

— Não, eu não fiz… — segurou o rosto nas mãos, acariciando as bochechas. Claro que Li Huan teria tais dúvidas, uma vez que Yu Yang já tivesse namorado outras pessoas antes, mesmo que de maneira esporádica e dolorosa. Entendia os sentimentos do outro. — Meus ex-namorados não estavam interessados em mais nada além de beijos. Bem, eles estavam se "descobrindo", afinal…

Li Huan não deixou com que o namorado pensasse demais naqueles pormenores, voltando a atacar seus ombros e peito com beijos molhados e pequenas mordidas. A pele macia e quente, perfeitamente moldada para os seus dedos, que percorriam os centímetros com sutileza. Uma trilha de beijos foi feita até o umbigo de Yang, que observou ofegante a cena que veio a seguir.

Huan desabotoou as calças incômodas de Yu Yang, jogando-as para qualquer lugar – onde posteriormente veria que ela foi parar exatamente sobre a cadeira de sua mesa. Yu pôs a palma da mão sobre a boca, segurando o ombro esquerdo do namorado, sentindo o rosto explodir. Embora fosse, de certa forma, difícil enxergar sem seus óculos, ele admitia que a ideia de apenas sentir o que o outro estava fazendo consigo, sem de fato enxergar perfeitamente, era excitante. Quando uma das mãos de Li Huan envolveram seu membro completamente ereto, Yu Yang sentiu uma onda arrebatadora de arrepios que percorreram todo o seu corpo.

O polegar de Li Huan passou-se sobre a glande, lentamente espalhando o pré-gozo que jazia ali. Moveu a mão para cima e para baixo em uma punheta rápida, se preparando para abrigar o volume na boca. Olhou para o de cabelos castanhos, que também olhava para ele, totalmente corado e entregue. Li Huan sabia das inseguranças que o amado nutria, por isso queria expurgá-las de uma vez dele, pois Yu era mais perfeito do que conseguia ver. 

— Não precisa fazer isso… — sussurrou, arfando. A língua quente percorreu a extensão de seu pau, fazendo-o soltar um baixo grunhido. — Li Huan…

Aquilo era música. O mais alto retirou aquela calça incômoda em um instante, voltando logo para o que fazia. Lambeu a glande em voltas circulares, fazendo sucções e acariciando com a mão o que ainda não tinha posto na boca. A mão esquerda segurava uma das coxas de Yang, apertando-a e deixando sua marca. Óbvio que Li Huan seria delicado, mas com Yu Yang gemendo e apertando seus curtos cabelos daquela forma, corroboravam para que ele tivesse um pouco de sua sanidade perdida a cada grunhido mais alto. 

Engoliu todo o falo rijo de Yu, enfiando-o até a garganta de maneira calma, sem forçar para também não engasgar e acabar com tudo. Respirou pelo nariz em lufadas entrecortadas quando passou a mexer a cabeça de um lado para o outro, girando a língua em círculos ainda com o membro dentro da boca. Yu Yang gemeu, apertando os lábios trêmulos com os dentes enquanto as pequenas lágrimas se formavam em seu rosto. O seu corpo estava em um estado febril, cujas pernas tremiam e o prazer se tornava ainda mais impossível de conter. 

Se apoiou nos cotovelos, extremamente mais excitado quando presenciou melhor a cena que ocorria entre suas pernas. Li Huan corado, chupando o seu pau com vontade, enquanto tocava a suas coxas com as suas grandes mãos. Perante aquela visão – que foi ainda mais realçada quando Huan olhou para ele, sem desgrudar do que fazia por um único momento – Yu Yang sentiu o coração acelerar mais, num misto de excitação e felicidade, pois Huan não faria de fato aquilo com tanto gosto como estava fazendo senão gostasse realmente dele. 

Certo, era demais para Yu. Afastou a cabeça do namorado, fazendo-o soltar de seu pau com pequeno barulho molhado. Segurou-o pelos ombros, ofegante da mesma maneira que o outro. Ele queria retribuir aquele boquete – mesmo que por escolha dele mesmo, estivesse inacabado. Li Huan abriu a boca para perguntar se tinha feito algo errado, mas apenas recebeu mais um beijo molhado e afoito, cuja língua habilidosa invadia sua boca, entrelaçando-se na sua. Yu Yang chupou seu lábio inferior, deixando um pequeno fio de saliva que ainda os interligava cair em seu queixo.

E, li Huan tinha que admitir com um belo de um palavrão que, caralho, aquela era a visão mais linda que já pudera presenciar. 

— Você tem… hm, camisinha e lubrificante? Eu creio que a seco não vai entrar… — riu matreiro, da forma como era de seu feitio. 

— Tenho na gaveta da escrivaninha. — se levantou para pegar, totalmente nervoso. Entretanto, Yu Yang o empurrou para a cama novamente, deixando um pequeno selo em seu rosto antes de se levantar para pegar. 

Voltou tão rápido quanto tinha ido. Deixou as coisas na cama, dando batidinha com a mão na ponta da mesma, indicando que queria que o Huan fosse ali. E ele fez, uma vez que embora confuso, o prazer inebriante e a vontade de fazer aquele homem seu fizessem ele concordar com tudo, mesmo não entendendo. 

Uma vez sentado, Yu Yang ficou entre suas pernas, separando as coxas. Li Huan entendeu o que viria a seguir, e não pôde esconder a animação. Se Yu já era perfeito sem fazer nada, então como aquele rosto lindo se sairia todo babado e molhado, chupando o seu pau? Era a visão mais incrível que ele poderia imaginar. 

Yu, por outro lado, segurou o membro, punhetando rapidamente enquanto arfava. Lambeu os lábios, pôs uma mecha do cabelo atrás da orelha e enfiou na boca com vontade, tomando cuidado com os dentes. Arrepiou quando o gemido de Li Huan chegou até ele, juntamente com uma mão em sua cabeça que segurou delicadamente seus cabelos. Yang faria aquilo da forma que gostaria que fizessem nele, mesmo que estivesse nervoso e envergonhado o suficiente. 

Passou a subir e descer, enquanto a língua ficou por baixo, dando uma pequena carícia no pau enquanto mexia a cabeça. Apertou as coxas de Li Huan, levantando o olhar. Os olhos se cruzaram enquanto Yang fazia aquele ato tão obsceno e gostoso para ambos. Li Huan era capaz de sentir a respiração do namorado bater em sua virilha, enquanto as lágrimas e o suor se aponderavam do corpo pequeno dele. Yu tinha até mesmo os ombros vermelhos, cujo suor escorria pelos mesmos. 

Yu Yang retirou o falo da boca, chupando a glande antes o fazer. Lambeu toda a extensão quente e venosa com vontade, em instantes sentindo o líquido viscoso preencher seu paladar. Retirou antes que terminasse, pois não conseguiu engolir tudo, então o resultado final foi sua face corada e molhada de sêmen. 

— M-Me desculpa, Yu! Eu não queria… — desesperado, Li Huan rapidamente se levantou para pegar algo que pudesse o limpar. Yang sorriu.

— Bem, é menos gostoso do que eu pensava que poderia ser. — disse, empurrando o namorado na cama. Deitou-se por cima dele, sorrindo pequeno. — Não se preocupe, adorei a experiência.

Huan piscou diversas vezes, confuso e deveras envergonhado. O peso do namorado estava sobre seu estômago enquanto ele alcançava o lubrificante. O rosto ainda com resquícios de sêmen, mas ele parecia não ligar nenhum pouco. Yu Yang melou dois dedos com o lubrificante, suspirando logo em seguida, sabendo que aquele era o próximo passo que deveriam seguir. 

Levou os dedos as nádegas, apoiando a testa no peito nu do namorado. Arfou quando o primeiro dedo foi entrando lentamente, fazendo-o morder os lábios. Li Huan notou o desconforto inicial de Yu, então tratou de acariciá-lo o máximo que pôde. Subiu as mãos pelas coxas macias, apertou os quadris e beijou seus ombros. Lambeu a clavícula.

Yang o olhou antes de beijá-lo mais uma vez, aproveitando a oportunidade para colocar o segundo dedo. Mexeu-os, retirando e colocando; abrindo e fechando. Não era uma dor muito grande a ponto de não ser suportada.  Não queria se concentrar demais em apenas preliminares. Estava fazendo de uma maneira mais afoita, mas era o suficiente. 

— Você pode vir. — disse, engolindo a seco. Moveu-se para o outro lado da cama, deitando e abrindo as pernas a fim de esperar o outro. Não se concentrou muito em o quanto Li Huan poderia vê-lo daquela forma.

O mais alto concordou. Estava nervoso não só por finalmente ter Yu Yang daquela maneira, mas também porque estava com medo de machucá-lo. Não tinha experiência, não sabia ao certo como fazer de uma forma que não houvesse dor. Sabendo apenas métodos para apaziguar a situação, Li Huan logo vestiu o preservativo, jogando o lubrificante pela sua extensão. Tudo isso sob o olhar atento daqueles olhos castanhos que transmitiam um desejo inigualável. 

O calor de Yu logo o acometeu novamente. Beijou os lábios cálidos delicadamente, enquanto se posicionava com a mão direita. Yu Yang envolveu seu pescoço com os braços, sentindo a invasão começar de forma devagar, sutil. Crispou os dedos dos pés, reduziu o aperto. Corou enquanto os olhos se enchiam de lágrimas – mas que ele não derramaria. 

— Está doendo? — indagou, preocupado. Era mais difícil do que parecia. Sexo não era só prazer. Não era fazer por fazer.

— Eu estou bem, Huan. — sorriu pequeno, segurando as laterais de seu rosto. Suspiraram quando tudo entrou. O coração de Yu Yang não poderia bater mais rápido. 

Apertou as pernas ao redor do quadril do namorado, acariciando sua bochecha enquanto ambos esperavam o desconforto inicial se esvair. Talvez o momento não pudesse ser descrito com palavras. Era tão bom a forma como eles se encaixavam depois de tanto tempo lutando contra os próprios sentimentos. O peito doendo não de uma forma ruim, mas inteiramente boa. O amor pode ser dor, mas pode ser reconstrução. Li Huan tinha feito muito mais que reconstruir Yu Yang, da mesma forma que o outro tinha feito muito mais que apenas ajudá-lo a se achar. Sempre há infinitos pertencentes à duas almas que se amam.

Yu Yang retirou os cabelos da testa, hiperventilando levemente quando Li Huan começou a se movimentar. Puxou-o para mais um beijo, o calor presente até nas pontas dos dedos dos pés. Li Huan não ouviu reclamações, então pensou ser o suficiente para prosseguir. Retirou o membro quase por inteiro de dentro de Yang, para investir mais uma vez contra ele. O que recebeu foi um gemido baixinho, fazendo-o ficar levemente contente que podia seguir ainda mais em frente. 

Agarrou os quadris, botando mais força em seus movimentos. As gotas de suor começaram a pingar pela testa e bochechas, completamente excitado com a face rubra e deleitosa de Yu Yang. Céus, aquele homem era a personificação da perfeição de todas as formas possíveis. 

Yang agarrou os lençóis entre os dedos, apertando e torcendo, decorrente do prazer nenhum pouco latente. Li Huan percorreu seu peito molhado com a mão, pondo a perna direita de Yu sobre um de seus ombros. Naquela posição, ele podia ir mais fundo e forte, da forma como ambos queriam. Entrava e saía com mais facilidade que antes, atingindo um local que agradava muito Yu Yang. 

Eram milhões de sensações. Um momento consumado com tanto amor e sutileza, na mesma medida. Yu Yang se viu obrigado a tocar-se enquanto era preenchido. Fechou a boca a fim de abafar alguns gemidos, mas não conseguiu. Li Huan se abaixou, lambendo seus lábios e chupando-os, tudo de forma tão molhada, que a saliva novamente caiu pelo queixo de Yu. Yang achava aquela uma visão tentadora demais – Li Huan era gostoso sem fazer nada, mas quando estava gemendo e suando acima dele, era muito mais bonito ainda –, então o homem de cabelos castanhos gozou de uma vez, arfando enquanto o próprio sêmen lhe sujava o peito e parte parcial de seu rosto. 

Movendo-se por conta própria por mais algum tempo, logo Li Huan também gozou. Respirando ofegante, de forma entrecortada ele deixou um beijo na coxa já dolorida do namorado, para então sair de dentro do mesmo. Se aproximou para dar à ele um beijo na testa, afastando os cabelos molhados do local. Estava muito, mas muito contente – e esperava que Yu também estivesse da mesma forma. 

Retirou o preservativo e jogou em uma lixeira abaixo de sua escrivaninha. O namorado ainda estava sobre a cama, tentando regular a respiração. Sorrindo perante a bela visão, ele pegou sua cueca e vestiu, logo em seguida agarrou sua blusa sobre a cadeira e foi até o Yu Yang.

Limpou o sêmen do rosto e peito do amado. A cama não estava tão bagunçada quanto achou que ficaria, então talvez desse para eles dormirem sem muito incômodo. Yu também se levantou apenas para pegar sua cueca, agradecendo a Li Huan por tê-lo limpando parcialmente. Não podia descrever o sentimento que preenchia o seu coração. 

Porque ter Li Huan aqui, onde seus dedos estavam tocando, era melhor do que qualquer outra coisa. Beijou-o apaixonadamente, sorrindo enquanto olhavam-se nos olhos. Murmurou um "Eu amo você", que logo foi entendido e correspondido. Não havia mais dúvidas sobre nada, nem os medos que os assolaram por tanto tempo. 


Notas Finais


É isso aí.

Eu espero que tenham gostado de ler tanto quanto eu gostei de escrever isso. Bem, eu ainda tenho esperança de um dia ver um lemon deles desenhado exclusivamente por Djun <33

Qualquer coisa, gritem. Tô sempre por aqui.
Qualquer erro, me perdoem. Só betei uma vez.

Link da imagem: https://images.app.goo.gl/TriWBEf6qvz48CtFA

Beijão~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...