História Where Are You Now? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Tags Klaroline
Visualizações 72
Palavras 1.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meninas (os), tudo bem?

Trouxe aqui uma nova proposta de fanfiction para vocês. Conheço o site desde 2015 e escrevi algumas fanfics aqui, porém acabei por apagar ou desistindo das mesma. Passei um tempo sem escreve absolutamente nada e sem ler também, até que a semanas a trás decidi voltar ás histórias <3.

“Where Are You Now?” Veio no meio de várias idéias. Primeiro eu pensei em escrever algo haver com orfanato, depois com MMA, depois a máfia, depois melhores amigos (manjado), até que saiu isso. uma casal que caiu uma cilada e foi separado.

Eu espero de coração que gostem, vou achar uma delícia escrever essa estória. Alguns pontinhos soltos podem aparecer mas ao decorrer dos capítulos tudo irá se esclarecer, não se preocupe.

O capítulo está curtinho porque é para mostrar apenas como foi o último encontro de ambos.

Créditos e mais créditos a capa maravilhosa que a Beatriz Amarins fez, se não fosse ela eu não sei o que seria de mim! Você arrasa veadaaaaa.


Tradução do nome do capítulo: Você nunca irá conhecer ninguém por completo.

Música: Set Fire to the Rain - Adele


Boa leitura <3

Capítulo 1 - You Will Never Meet Anyone Completely.


Fanfic / Fanfiction Where Are You Now? - Capítulo 1 - You Will Never Meet Anyone Completely.

O'connell: Está atrasada ridícula! 

 

O'connell: Por que não atende minhas ligações?????? Está me deixando preocupada, coisa feia. 

 

O'connell: Eu não vou te esperar mais, sua anta! E espero de coração que você tenha uma desculpa muito boa para ter furado comigo. 

 

 

 

Cinco anos atrás..

 

 

Mas há um lado seu que eu nunca conheci, nunca conheci,

Tudo o que você diria, nunca era verdade, nunca é verdade,

E os jogos que você jogaria, você sempre ganharia, sempre

 

Mas eu ateei fogo à chuva,

Vi a chuva cair enquanto eu tocava seu rosto,

Bem, o fogo queimava enquanto eu chorava,

Porque eu ouvi gritar seu nome, seu nome,

 

Ao estar contigo, eu poderia ficar,

Fecho meus olhos, sinto você aqui para sempre,

Você e eu juntos, nada é melhor,

 

 

 

 

 

 

 

Saí do shopping em passos largos. Já eram quase oito e meia, eu e Camille havíamos marcado de ir ao cinema ás sete e quarenta e ela havia me deixado sozinha a esperando, odeio ela! 

 

Tentei ligar para Klaus para ele ir me buscar, mas caiu na caixa postal. Droga. 

 

Fiquei na frente do shopping por alguns minutos até que finalmente passou o táxi, eu precisava urgentemente baixar o aplicativo para chamar taxistas, era agonizante tentar a sorte e esperar que eles passassem alí. 

 

Falei para onde queria ir ao homem na minha frente e ele seguiu. 

 

Tentei ligar mais algumas vezes para Camille porém, ela não atendia. Ela não era de marcar algo e depois não ir, e se tivesse acontecido algo grave? Não, não, notícia ruim chega logo. Deve ter havido algum em previsto e não deu tempo dela me avisar, sim, com certeza foi isso. 

 

Tirei a aliança que Klaus havia me dado e fiquei passando entre os meus dedos, o motorista olhou pelo retrovisor e sorriu. 

 

— Noivado ou compromisso? – Indagou, já não olhava mas para trás. 

 

— Noivado – Sorri. Fazia dois meses que Klaus havia me pedido em casamento. 

 

— E quando será o casamento? – Ele sorriu. 

 

— A gente ainda está vendo isso. Tudo indica que ele irá para o Canadá comigo quando o ano acabar, e lá marcaremos a data. 

 

Havia recebido uma proposta de emprego de um prima de terceiro grau, ela trabalhava com casamentos e estava precisando de funcionários. Klaus estava tentando convencer seu pai a se filiar com alguma empresa de lá, para que ele podesse continuar no ramo de tecnologia. 

 

Conversei por mais alguns minutos com o homem de cabelo grisalhos. Ele era casado a vinte três anos, tinha dois filhos e já tinha um neto. Era lindo a forma como ele falava da sua esposa, mesmo que com mais de duas décadas juntos, ele ainda parecia ser completamente apaixonado por ela. 

 

Eu e Niklaus nos conhecemos a cinco anos, eu estava acompanhando meu irmão e um jogo de futebol americano e ele estava jogando. No fim do jogo Jeremy - meu primo - foi falar com o treinador do time e eu fiquei na arquibancada o esperando, até que Klaus veio conversar comigo.

 

É uma história bem clichê, mas eu não mudaria nada. Não mudaria aquele “iai”, o nosso primeiro encontro (desastroso), nossa primeira vez, nosso relacionamento, nada. Terminamos uma vez, mas nunca mantivemos o término, acho que é isso que o amor faz: trás ás pessoas umas para ás outras sem que ás mesmas percebam. E esse casamento foi uma das minhas melhores escolhas, de maneira alguma, eu consigo me imaginar com outra pessoa. 

 

O táxi parou em frente á casa de Nik, havíamos combinado que eu passaria essa noite com ele. Paguei o taxista e desci do carro. Tirei meu celular do bolso antes de entrar para ver se Cami tinha me respondido, nada. Suspirei. Odiava aquele sentimento de que havia algo errado, eu sempre sofria antes mesmo de saber se algo já havia acontecido. Apertei a campanhia da casa de Klaus e ninguém apareceu. Seus pais tinham ido ao Japão á negócios e Elijah os acompanhou, mas Rebekah ou Kol ainda estavam aqui e tinha a dona Meggie, que trabalhava para eles. Apertei mais uma vez a campanhia e ninguém apareceu. Pus a mão na maçaneta da porta e a girei, a casa estava aberta, estranho. 

 

— Amor? – Falei em voz alta. A casa estava em silêncio e parecia não ter ninguém alí – Cheguei Klaus. 

 

Subi ás escadas em direção ao seu quarto. Ele não podia ter saído e deixado a casa destrancada. O quarto dele era no fim do corredor, a porta estava entre aberta e por um segundo eu cogitei a idéia dele está no banho... Mas não foi isso que ele estava fazendo quando cheguei lá. 

 

Camille e Klaus estavam deitados, ambos dormindo. Camille por cima do braço de Niklaus e com a mão no seu peito, o lençol branco os cobrindo. Klaus balançou a cabeça e se espreguiçou, aos poucos foi abrindo os olhos, olhou para o lado e arrengalou os olhos quando me viu alí. 

 

Eu queria jogar tudo que havia alí em cima deles, mas aquela cena me dava nojo. Então só virei ás costas e saí dali o mais rápido que pude, o ouvi chamar meu nome e seus passos atrás de mim. Eu queria acordar daquele pesadelo. Queria ser louca e que tudo aquilo fosse coisa da minha cabeça. 

 

— Caroline – Ele puxou meu braço quando eu já estava perto da porta o que me fez cambalear para trás – Me esculta! – Me desvincilhei dele. 

 

— Como você pôde? – Gritei – E essa vaca também! 

 

— Eu não sei o que aconteceu alí, eu eu – O interrompi. 

 

— Vai dizer o que? Que dormiu e quando acordou ela estava alí por magia negra – Apontei em direção ao seu quarto. 

 

— Não, não, eu não lembro de nada! Eu não lembro de como ela apareceu aqui, e nem de como ela foi parar lá – Lhe dei um tapa. 

 

Ele podia ter me traído com todas ás mulheres do mundo, mas porque escolheu justo a minha melhor amiga? E porquê essa lixo aceitou?

 

— Eu quero que vocês morram – Senti meus olhos arderem, mas não iria chorar alí – Eu tenho nojo, nojo da cara de vocês. São ser humanos podres. 

 

Ele estava vestido apenas por um cueca boxer azul, e por um segundo me perguntei como ele havia a vestido tão rápido. Camille apareceu no topo da escada coberta por um lençol e o cabelo bagunçado, sim, eu iria arrastar a cara dela em cada degrau dalí. 

 

— Klaus, o que aconteceu? – Ele botou a mão na cabeça – Care, eu não sei o que falar, eu não sei porque tô aqui. 

 

— Vocês são dois sinicos mesmo hein – Apontei para ambos – E você é uma cobra, sempre querendo o que de outros não é Camille? 

 

— Caroline, não aconteceu nada! Eu lembraria se tivesse acontecido – Klaus falou. O lado esquerdo da sua face estava vermelho depois do tapa que eu havia lhe dado – Eu jamais te trairia, ainda mais com Camille. 

 

Camille abriu a boca para falar algo mas desistiu. Eu já havia entendido o que estava acontecendo alí, era humilhação demais continuar naquele lugar. 

 

— Que horas ela se teletransportou nua para sua cama? – Klaus abriu a boca porém, e eu o interrompi – Quer saber, a minha vontade é de arrancar esse cabelo falso – Falei com Camille – Mas eu não sou baixa que nem você! Eu sou uma mulher de verdade, não preciso invejar o que é de alguém e depois ir lá e tomar a força, eu conquisto por mérito meu – Ela arregou os olhos – E façam bom proveito, dois lixos como vocês se merecem muito! –Tirei a aliança do meu dedo e joguei na cara de Klaus. 

 

Me virei de costas, abri a porta a e saí. Senti ele segurar minha mão e me puxar novamente. Tomei impulso com minha mão e quando iria lhe dar outro tapa ele segurou minha mão. 

 

— Eu amo você! E acredite em mim quando digo que jamais lhe trairia – Seus olhos estavam marejados, mas lágrimas falsas não me convenceria. 

 

— Você ama você, seu ego, seu teatro, suas mentiras, suas traições. Eu você nunca amou – Soltei meus braços de suas mãos – Não venha atrás de mim, nunca mais – Dei alguns passos para atrás – Niguém é obrigado ver suas baixarias, então vista uma roupa. – Me virei e apressei meus passou para sair dali. 

 

 

Quando virei a esquina e tive certeza que ele não veio atrás de mim eu deixei que ás lágrimas rolasem sobre meu rosto. Eu nunca imaginaria esse tipo de traição por parte deles, juntos não. Meu mundo tinha caído sobre minha cabeça. Agora estava explicado por que ele não me atendia, ela não respondia minhas mensagens. Meu Deus, desde quando eles estavam juntos? Eu queria sumir, queria minha casa, eu queria esquecer... Eu conheço Camille a minha vida toda e achei que conhecia Klaus, mas ele é o que eu nunca achei que realmente fosse. 

 

 

 

Às vezes eu acordo, passo pela porta,

O coração que você ganhou deve estar esperando por você,

Mesmo que, quando já não estamos mais,

Eu não posso me impedir de procurar por você,

 

Eu ateei fogo à chuva,

Vi a chuva cair enquanto eu tocava seu rosto,

Bem, o fogo queimava enquanto eu chorava,

Porque eu ouvi gritar seu nome, seu nome,

Eu ateei fogo na chuva,

Eu nos joguei nas chamas,

Bem, eu senti algo morrer,

Porque eu sabia que era a última vez, a última vez,

Oh, não,

Deixe queimar, oh,

Deixa queimar,

Deixe queimar.

 

 

Set Fire to the Rain - Adele


Notas Finais


Críticas ou sugestões são super bem-vindas! Espero que tenham gostado, e que queiram próximos capítulos rs.

Obrigada por lerem, beijos! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...