1. Spirit Fanfics >
  2. Where Do Babies Come From? - DRAMIONE, THINNY e HANSY >
  3. Capítulo Único

História Where Do Babies Come From? - DRAMIONE, THINNY e HANSY - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Dramiones!
Estava morrendo de saudades de vocês! Sei que esperavam uma atualização de Wicked Law, no qual estou reescrevendo, já que tive vários bloqueios criativos, e não estou conseguindo escrever.

Então para compensar o tempo, estou escrevendo one-shots para vocês, esta é uma comédia bem fofinha sobre os filhos dos meu ships favoritos.

Tem o jornais dos personagens e os filhos dos casais nas nota finais, eles são tão fofos!.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Where Do Babies Come From? - DRAMIONE, THINNY e HANSY - Capítulo 1 - Capítulo Único

O primogênito dos Malfoy, estava sentado no tapete felpudo de sua mãe, enquanto um gato preguiçoso, que tinha um nome engraçado, Bichento, encarava a cena com o tédio aparente em seus bocejos cada vez mais frequentes, quando abria a boca.

O lápis de cor, na cor amarelo, estava colorindo um sol, na ponta do papel, enquanto desenhava duas nuvens ao lado do sol sorridente.

O desenho seria o mais bonito de todos que o seu pai tinha ganhado e decorado o seu escritório! Sorriu o loiro de cabelo enrolados, ao imaginar a cena de seu pai, elogiando-o com a sua obra prima.

Ele amava desenhar, talvez tornaria um grande artista, como aquele pintor favorito de sua mãe, Vincent Van Gogh!

Aquela pintura dos girassóis, não era nada espetacular, a sua era bem mais artística e original, afinal quem pensaria em colocar um sol sorridente no canto na folha?

Exatamente, ninguém pensaria em algo neste estilo.

Desenhou o seu pai, com o seu jaleco, cabelo loiro penteados para trás, e todo de preto por baixo do jaleco, já que era a cor favorita de seu pai.

O jovem Malfoy encarou-o o desenho e descobriu que faltava o principal, o instrumento que ouvia o coração que fazia tum-tum. Perfeito.

Agora faltava a sua mãe, em que para representar a enorme barriga fez um circulo enorme, e dentro fez um bebê que ele torcia para ser o Leo, pois não aguentava mais brincar de casamento com as gêmeas Nott e a insuportável da Potter, em que ficava com as bochechas vermelhas e inchadas, e arregalava os olhos de cor de musgo, que sempre obrigava ser o seu noivo.

Enquanto apreciava o seu magnifico desenho, em que definitivamente era a sua melhor obra prima, não faltava ninguém, até mesmo bichento estava presente com a sua cara enfezada.

Caminhou até a sua mãe, em que lia o livro, ao mesmo tempo que acariciava sua mão, subiu no sofá e sentou, mostrando a obra prima que vai criado, talvez ele poderia colocar em uma galeria que tinha ido, no passeio da escola trouxa.

– Mama! Terminei minha obra de arte!

Hermione, encarou o filho sorridente, e sorriu ao lembrar que Scorpious tinha quase o mesmo ego que seu pai, infelizmente a genética era mais forte do que qualquer ensinamento que tentou ensinar sobre humildade.

E o mais engraçado que seu filho tinha apenas 6 anos!

– Que lindo! Desta vez você se superou! – Elogiou a mãe o seu filho que estava todo orgulhoso com os elogios, ao mesmo tempo que Hermione perguntava para si, se estava tão gorda como o menino tinha interpretado, afinal havia ganhado alguns quilos na gravidez do Leo, afinal Scorpious recusava o contrário.

Uma coruja, entrou e deixou uma carta no colo de Hermione, em que sorriu, e o seu filho entusiasmado, acreditando que poderia ser uma carta de seu pai.

O jovem Malfoy admirava o pai, em que troca o pai fazia o mesmo, sendo um pai babão.

– É o papai?

Hermione negou com a cabeça, durante a leitura da carta, era boas novas sobre a descoberta da gravidez de Pansy, no qual a revelação alegre de Harry contando que seria um menino.

Para a alegria de Scorpious que reclamava da menina de cabelos negros e olhos tão verdes como do seu amigo Harry.

– Mama! Quem enviou a carta?

– É do seu tio Harry, falando sobre o novo membro da fam...

O menino pulou do sofá, interrompendo a sua mãe, em que parou de falar para prestar atenção no drama de seu filho, herdado de Draco Malfoy.

– Oh Merlin! O que eu te fiz? – Perguntou Scorpious olhando para o bichento, em que julgou o menino com os olhos e virou a cabeça voltando a dormir. – Já não bastasse apenas uma Potter?

Hermione, não pode deixar de sorrir da implicação de seu filho com a Lilian Potter, a menina era super educada e carinhosa, em que sempre defendia o dramático do seu filho, ao ser repreendido por alguém.

Definitivamente era uma relação de amor e ódio, como que aconteceu consigo.

– Não sabia que era apaixonado pela a filha do Harry – Hermione falou de supetão e ao ver a reação de seu filho, em que automaticamente arregalou os olhos acinzentados e a cara de desprezo Malfoy veio à tona, era como voltar ao passado e ver o seu marido mais jovem.

–   Quando seu pai e eu, éramos jovens, não nos suportávamos, e hoje, somos casados, tenho um filho e estou esperando outro bebê.

A cara de desprezo de Scorpious mudou rapidamente para uma curiosa, em que foi trocada por confusão, até que ele perguntou a pergunta das perguntas.

— Mama, de onde realmente os bebês vêm?

A pergunta de Scorpious deixou a mãe sem falar, e por incrível que pareça ela não tinha nenhum argumento ou resposta para aquilo.

A dúvida era contar a verdade ou contar uma história.

Cegonhas ou Sexo.

Cegonhas ou Sexo.

Cegonhas, definitivamente.

Hermione tomou a coragem de uma grifinoriana que era, e abriu a boca para revelar e responder as perguntas de seu filho.

Quando chegou, Draco, o salvador do dia, chegava cansado de jaleco, em que foi recebido pelo o seu filho, no qual rapidamente correu para abraçar o seu pai, para segurar o seu filho, rapidamente ele enfeitiçou a maleta e pegou o filho no colo e beijou sua cabeça.

Os olhos de Hermione sempre enchiam de lágrimas de emoção, ao ver aquela cena, porque Draco demonstrava todo tempo que amava a sua família, mas ela sempre culpava os hormônios da gravidez. Infelizmente não poderia falar disto por muito tempo, já que a gravidez estava na reta final.

– Scorpious já que seu pai chegou, ele vai responder a sua pergunta. — Disse Hermione sorrindo aliviada, enquanto Draco continuava confuso.

— Papai, você sabe de onde os bebês vêm? – Perguntou o Scorpious para o Draco que pensou por um momento e começou a sua resposta.

— Por quê você não respondeu? Por que eu? – Perguntou Draco com ar cansado e confuso pelo alarme de sua esposa.

— Você que é medibruxo! – Retrucou a Hermione, e Draco seguiu com a explicação que tivera quando era menor.

— Quando um homem e uma mulher juntos decidem ter um filho, eles fazem algo como se...

— Cegonhas!!! – Gritou Hermione interrompendo a explicação de Draco que olhava confuso e surpreso com a atitude de sua esposa.

Então continuou, a explicação, em que cada fala, ele olhava para a esposa.

– Eles se juntam e chamam a cegonha, em que demora nove meses. – Finalizou Draco a sua explicação ou melhor foi que ele acreditou já que o filho ainda tinha dúvidas.

— Então porque a mamã está parecendo uma bola e ela diz que é meu irmãozinho – Retrucou o Scorpious com a maior inocência de suas palavras.

Draco controlou-se fortemente para não rir, Scorpious com suas palavras e sua esposa com a cara ofendida, no qual iniciaria uma crise de insegurança pela gestação, mas ele não poderia evitar de achar ela ainda mais sexy.

— Scorpious, a sua mãe decidiu fazer isto como os trouxas, eles colocam ...

— SEMENTES!! – Gritou Hermione interrompendo novamente o marido.

— Eu ia dizer sementes, querida – Draco suspirou, pois algo que tinham em comum era o fato que irritavam serem interrompidos — Eles colocam sementes no ...

– UMBIGO – Gritou Hermione alertando o marido, e temendo do que ele poderia falar.

— ... No umbigo e elas crescem muito, durante nove meses e depois vamos para o hospital para retirar o bebê.

Scorpius parecia convencido com a resposta de seu pai e voltou a desenhar e em seguida fazer sua rotina noturna que era tomar banho, brincar com o seu pai, jantar e dormir.

Era o final de semana, quando os Potter almoçavam em sua casa, juntamente com todos os amigos de seu pai, Theodore Nott e Gina Nott com suas gêmeas, Blaise Zabini e Millicent Zabini e os amigos de mamãe Ronald e Luna, que estava como uma bola como sua mãe. 

Enquanto os seus pais conversavam sobre aleatoriedades, as crianças brincavam, quando as gêmeas Nott tiveram a dúvida de onde os bebês realmente vinham.

Prontamente Scorpious, relatou a explicação do seus pais, no que foi criticado pela a Potter, em que ria e zombava de sua explicação, então ele desafiou.

— Me mostre! De onde os bebês vêm?

Lilian Potter amava provocar Scorpious era sua atividade recreativa favorita, então ela começou a explicação que sua mãe havia dado.

Ela deu um selinho no Scorpious que ficou incrédulo e envergonhado com o gesto da menina e ela ignorou e começou a explicar para os amigos.

— Tudo começa com um beijo, depois um homem e uma mulher fazem sexo, mas apenas adultos pode fazer e tem que ser feito consequinsual, se um não quiser é crime. Aí depois de nove meses nasce um bebê pela barriga ou pelo lugar de fazer xixi da mulher.

 

Quando chegou à noite, Scorpious estava bastante quieto e no seu canto, foi quando seu pai perguntou para o filho, ao mesmo tempo de uma Hermione fazendo o seu lanchinho da noite, ouvindo a conversa.

Após várias e várias tentativas de seu pai, o pequeno falou, o que estava deixando-o chateado.

— Lilian me beijou e me contou como realmente vêm os bebês.


Notas Finais


EM BREVE, NA PRÓXIMA HISTÓRIA E MUITOOO OBRIGADAAA POR TER LIDO <3

Será que o Scorpious vai ter um filho com a Lilian Potter?

Vocês gostaram? Querem mais fic deste estilo? Se sim, deixe nos comentários.

Link do Jornal: https://www.spiritfanfiction.com/jornais/jornal-do-bebe--where-do-babies-come-from-18523408

Até a próxima fanfic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...