História Where Is My Mind? - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Rivamika
Visualizações 41
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capítulo VII


Levi deveria estar fazendo sua jornada emocional para conseguir finalizar o quanto antes aquele projeto, mas estava engajado, bastante empenhado em sua pesquisa. Era uma questão de crescimento pessoal. Nunca conheceu uma pessoa que tivesse T.D.I, seria muito mais fácil se perguntasse diretamente à ela, mas já havia percebido que havia uma grande resistência em Mikasa para falar sobre o tema. Não queria acabar irritando ou sendo mais inconveniente do que já fora.

Não havia nada dela em sua caixa de entrada, nem mesmo um ponto, não queria forçar nada, mas e se ela estivesse esperando por ele para dar a primeira palavra? Odiava esses joguinhos, mas entendia que não havia nada que pudesse fazer até receber algum encorajamento.

No fim da tarde, Hanji foi buscar a dona do projeto que iria ter um jantar com eles para conversarem melhor sobre o tema, a moça disse que queria ver mais e estar presente durante a adaptação. Ela tinha o direito, ele mal ouvia o que falava, mas Hanji parecia dar conta da situação sozinha, já percebendo desde a manhã que havia algo de errado com ele.

Sasha Braus usava o tablet para avaliar tudo que ele já havia feito sem externar qualquer opinião, ela às vezes fazia algumas perguntas que Levi respondia com o máximo de cuidado e responsabilidade. Era uma moça bastante descontraída e falava bastante, o que já era um ponto positivo se comparado a ele que precisava de incentivo para manter uma conversação.

Ela apontou os erros que considerava mais grosseiros para Levi e amanhã no estúdio teriam mais tempo para corrigir o que precisava de atenção extra. Ele estava quase finalizando seu jantar em silêncio e sorrisos polidos para a moça, Sasha parecia se dar melhor com Hanji do que com ele, teria sido melhor se a quatro olhos tivesse ficado com o projeto e não ele, mas Erwin trabalha de formas misteriosas. Pegou a garrafa se servindo de mais vinho e viu o casal entrando no restaurante.

Seus olhos foram para Mikasa com magnetismo, ela parecia ter endurecido no lugar o olhando seriamente, o Armin ao seu lado tinha uma mão no bolso e sua camisa social branca encolhida até os cotovelos, ela se apoiava no braço dele enquanto procurava uma mesa vazia para ambos com aquela expressão que dava asco no Arckeman que sujou a mesa com vinho.

Claro, ele deveria ter escolhido um restaurante do outro lado da cidade, não na frente do seu prédio. Talvez, inconsciente, ele tenha feito de propósito. Talvez ele estivesse tentando brincar com a sorte.

Hanji seguiu o olhar dele e percebeu o clima entre as pessoas, principalmente quando Armin percebeu que estavam ali. Falou algo no ouvido dela, ao que Mikasa respondeu com um simples balançar negativo de cabeça, como quem não tinha nada a perder ou desafiar. Pegaram uma mesa, a moça olhando para a mesa dele enquanto Levi olhava de volta como dois adolescentes na crise da mocidade esperando o primeiro movimento do adversário.

Quem olhasse diria que eram um casal de longa data no meio de uma briguinha que iria terminar facilmente na cama, e não dois vizinhos envoltos em mistério e um transtorno complicado. Ele não sabia, jamais poderia, colocar em palavras o que havia naquela maldita garota que o deixava tão desequilibrado e com os nervos alterados, parecia até que havia caído em um feitiço.

Estavam sendo muito óbvios, se Levi se concentrasse mais um pouquinho iria ouvir os pensamentos dela, mas a comida daquela mesa chegou e ela, obviamente, dedicou toda a sua atenção à refeição, enquanto Levi e Hanji chamavam um Uber para a Sasha.

Acompanharam a moça até a saída, felizmente bem distante da mesa da Jigsaw e Levi pegou o ar frio do lado de fora que serviu como alento para sua enxaqueca que estava começando a dar as caras. Ele olhou uma última vez para trás pensando se não havia uma desculpa coerente para entrar lá, mas ele nem saberia o que dizer além de:

Você me deve um filme.

Isso era mais que perfeito, e ainda assim não pôde. Ela estava com o outro e sinceramente tinha pernas também e ele parecia o único que realmente se importava, não queria atrapalhar e deixá-la envergonhada.

Todos precisam de tempo e paciência, talvez, depois disso, descobrissem de quem era a culpa.

Depois que o Uber foi embora levando as duas, ele atravessou a rua e pegar aquele elevador foi diferente das outras vezes, seu coração estava suspenso e as memórias pregadas como retratos na parede. Ele riu de si mesmo apertando seu andar e as portas se fecharam.

Faz sete anos desde que a Petra morreu e você parecia que nunca iria se interessar por ninguém de novo...

Eu queria que desse certo isso...

Ele abriu a porta e encontrou Isabel estirada no sofá com um barril de pipoca no balcão da cozinha enquanto falava com Farlan sobre algo muito interessante envolvendo suas amigas. Pobre Farlan.

Ele se fechou no quarto pendurando seu casaco atrás da porta, alinhando seus sapatos na sapateira, abrindo os botões da camisa com tanta calma que parecia um robô.

Seu celular vibrou no bolso da calça, mas não queria ver, estava pensando seriamente em desligar, seria Hanji com algum comentário sobre sua nova melhor amiga ou Erwin falando sobre o projeto, talvez convidando para o almoço amanhã. Ele deitou da cama olhando para o teto e fechou os olhos puxando todo fôlego que pôde reunir.

Geralmente evitava isso, criava todo tipo de distração, evitava temas românticos porque ele nunca foi um homem romântico e sua primeira tentativa acabou da pior forma que poderia acabar. Sempre foi do tipo que iria preferir mil vezes um caso de uma noite que não daria em nada do que acabar afeiçoado a alguém. 

Quando ele e Hanji tiveram seus momentos, ela percebeu cedo e a tempo que Levi não era um homem por quem se deveria apaixonar, ele era uma armadilha quando se tornava consciente de qualquer sentimento. Ele evitava pensar nisso, mas o gatilho fora acionado e sua mente estava sendo levada para aquela noite.

A noite que mudou para sempre sua vida. Algo que ele nunca iria esquecer.

Ouviu duas batidas na porta e virou o rosto encontrando Isabel parada na porta com seu barril do Chaves cheio de pipoca.

- Eu poderia estar nu, sabia?

Ela deu de ombros enchendo a boca de pipoca.

- Você quer sair comigo e o Farlan no fim de semana? A gente vai acampar...

- Não.

- Tem certeza? Você vai sobreviver um final de semana inteiro sozinho?

- O que você quer Isabel?

- Nada, só quero saber se devo me preocupar.

- Preocupar com o que?

Ela encheu a boca de pipoca novamente e colocou o primeiro pé dentro do território inimigo, mas ele iria cortar sua mão fora se encontrasse milho por ali, ficou na zona neutra procurando as pipocas mais gordas.

- Você sabe... a vizinha maluca... posso ir lá de novo se quiser.

- Fazer o que?

- Pedir pra ser minha cunhada, mas aí eu teria duas cunhadas, não é? Nossa... você sabe que isso não tem cura, não é?

- Isabel...

- Se quiser eu digo que você tem uma doença terminal.

Levi riu olhando para os lados, estava quase arremessando o celular nela, mas acabaria sujando a porta com pipoca e óleo e aquele cheiro nojento de gordura nos dedos.

- Vai dormir.

- Pode se abrir, eu sou a única pessoa que você tem... me diz... – ela encheu a mão de pipoca e o encarou como se fosse uma pergunta idiota. – Você gosta mesmo dela?

- O que gostar significa pra você?

- Fazer sexo. – ela respondeu séria e encheu a boca de pipoca.

Foi pior. Às vezes Levi esquecia que a peste já era uma mulher adulta.

- Isabel, vai dormir, vai... Só vai...

- Tudo bem, Aniki. Se quiser conversar, eu to aqui. Posso não saber dar conselhos legais iguais o Farlan, mas sei ouvir pelo menos...

- Tá bom, vai dormir... obrigado...

Ela foi embora fechando a porta e a pergunta veio em forma de sussurro pra ele.

Depois de ter perdido sua ex namorada em um acidente de carro provocado por ele mesmo, o que significava gostar de alguém? Conhecia todas as respostas clássicas, idiotas, românticas, críticas e filosóficas para isso... nenhuma se enquadrava em seu campo de visão. E se Mikasa não o tivesse acordado no meio da noite um mês atrás com aquela música ridícula, ele não estaria se questionando sobre isso agora.

Pegou o celular para programar seu alarme e percebeu uma notificação no canto da tela.

Abriu.

Jigsaw: Eu tenho transtorno dissociativo como já percebeu, é um assunto pessoal e eu não gosto de falar sobre isso. Se te ofendi de alguma forma, não foi minha intenção, eu pensei que estivesse recuperada, mas não é algo que eu possa controlar. Ela simplesmente vem quando quer. Espero que as coisas deem certo com sua nova amiga, seja lá o que ela é pra você, eu acho que outra seria melhor para você. Eu só tenho minha própria confusão para oferecer e sinceramente, você é um cara muito legal para merecer isso. Sei que é um puto drama desnecessário e talvez nem se importe, mas eu soube das coisas que aconteceram nos últimos dias, então queria reparar de alguma forma.

Você e sua nova amiga? Levi leu de novo. Que nova amiga?

É claro. Hanji o ferrando desde sempre, quase ouviu a voz da quatro olhos em sua cabeça no elevador aquele dia.

É por isso que um encontro vai ser ótimo para você, vai ser ótimo, vai por mim.

Você vai amar a moça.

Ele largou o celular se jogando entre os travesseiros. Era só o que faltava. Mikasa imaginando que ele estava em um encontro com Sasha.

Quando ele pensava que a coisa não poderia piorar, poderia.


Notas Finais


Eu amo uma enrolação hihi

Agora quem vai sofrer é a Mikasa
Acho que a Jigsaw aqui soy yo.
Enfim, é isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...