História Where It All Began - Imagine Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bts, Hetero, Hibridos, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Rap Monster, Suga, Universo Alternativo, Vampiros, Você
Visualizações 255
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii unicórnios ^^
Bom, como eu falei no ultimo capitulo que eu postei da minha "Antiga fanfic" eu vou começar escrever nessa, espero que gostem :)



Boa Leitura
*************

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Where It All Began - Imagine Taehyung - Capítulo 1 - Capítulo I

Segunda-Feira 05:00 AM

 

Acordei com o som estridente do meu lindo despertador que qualquer dia desses, vou jogar na privada.

Tomei coragem mental e me levantei ainda cambaleando indo diretamente para o banheiro.

Fiz minhas higienes diárias. Tomei um banho gelado para afastar meu sono. E assim que sai, já coloquei a roupa que eu usaria para ir a escola. Simplesmente consistia em uma calça rasgada, uma blusa preta, junto com minha fiel touca, e um All Star.

Acordei minhas melhores amigas que moram comigo. Que no caso é a Ana e a Camilly.

Depois delas se levantarem e se arrumarem, descemos para a cozinha juntas, para tomarmos nosso café da manhã.

— Vocês estudaram para a prova de hoje? - Ana questionou enquanto mordia um pedaço de sua torrada.

— Eu estudei. - Falei sem olhar para ela.

— Eu não, quando peguei o livro, eu peguei no sono igual uma pedra. - Comentou Milly fazendo eu e a Ana rir.

— Tinha que ser você né Camilly. - Falou Ana quase se engasgando.

— Pois é, eu sou eu né monamour.

Assim que terminamos nosso café, fomos rapidamente para a escola conversando sobre coisas aleatórias. E quando chegamos fomos diretamente para nossa sala.

[...]

O dia estava sendo normal. Xinguei o professor de eventual mentalmente pois queria aula vaga.

E no momento que deu o sinal para o intervalo, eu e as meninas descemos correndo.

Comemos, zoamos um pouco - sempre é bom zoar para distrair e talvez levar uma advertência - e logo que deu novamente o sinal, subimos para sala.

As aulas seguiram normalmente.

Fizemos a tão temida prova. E sinceramente, nem tava tão difícil. Foi fácil para quem estudou.

[...]

Eu estava quase arrancando meus cabelos para ir embora quando o sinal da saída tocou para o alívio dos meus pobres fios.

Praticamente me joguei na escada junto com as meninas para irmos embora logo...

Ah! esqueci de falar um detalhe importante… bom, esses serão meus últimos dias aqui no Brasil, pois eu e as meninas compramos passagens para a Coréia do Sul.

E se eu tô animada?

Pessoinhas, se eu não tiver animada, eu não sei mais o que é uma pessoa animada…

Vai ser bom deixar as vacas da escola para trás e começar a vida do zero novamente.

OPA! Nem me apresentei ainda direito.

Bom, meu nome é S/n, tenho dezesseis anos. Meus pais nem ligam para mim, eles moram nos EUA, e raramente eu tenho notícias deles.

Eu já ouvi dizer que eu tenho um irmão que mora na Coréia do Sul, mas acho que é mentira. Porém, eu ficaria muito feliz caso fosse realmente verdade.

E como eu já disse, eu moro com minhas melhores amigas aqui no Brasil.

E tem certas coisas sobre mim que ninguém sabe… tipo, eu e as meninas somos híbridas e temos poderes.

Eu por exemplo sou uma leoa lúpus alfa com gene ômega. Diferentemente do alfa puro, eu possuo um gene de ômega. Isso me torna uma pessoa um pouco mais flexível do que um alfa puro seria. Eu sou uma pessoa que persiste em minhas opiniões, mas uma boa argumentação pode me fazer mudar de opinião. Tendo ser carinhosa com a pessoa com quem divido um relacionamento, embora eu seja bastante dominante e protetora. Meu temperamento é um tanto forte e por isso me irrito com facilidade. Porém, consigo me controlar bem.

A Ana é uma híbrida de coelha beta com gene alfa. Ela vive uma vida normalmente, porque de fato a alteração genética não faz diferença na sua vida. Mas ela carrega um gene alfa que pode ser transmitido para seus filhos, além do que pode tornar ela pessoa com um temperamento mais forte ou com mais instintos protetores.

E a Milly é híbrida de gato. Ela é a única alfa pura no nosso “grupinho”. Ela é dominante, independente e tem um senso nato de liderança. Tende a ser uma pessoa teimosa - quando põe algo em mente, as pessoas não conseguem te convencer do contrário; é bastante inflexível - e em alguns casos um tanto agressiva. Se irrita com facilidade e tem um apreço em defender o menor e indefeso. É a clássica mãe superprotetora.

Nós nos tornamos híbridas quando ainda éramos crianças.

Por volta dos meus dois anos, meus pais - se é que eu posso considera-los como pais - me levaram para uma espécie de laboratório e lá me transformaram em quem eu sou hoje.

Com as meninas foi praticamente a mesma coisa.

Mas foi bom isso ter acontecido, pois isso me tornou alguém um tanto “especial” ainda mais porque eu gosto de ser diferente. Ainda mais pelo fato de eu ser uma híbrida lúpus - e os lúpus são muito raros.

E sem querer me gabar mas já me gabando. Eu e as meninas somos muito fodas pelo fato de sermos híbridas e termos poderes.

Muitas vezes arrumamos encrenca pois não conseguimos controlar nossos poderes muito bem. E quando alguém nos irrita, possivelmente atacamos a primeira coisa que vemos na nossa frente - que geralmente é uma carteira ou uma cadeira.

Então quando alguém gritar “OLHA A CADEIRA VOADORA!” saiba que é eu e as meninas atacando novamente.

Isso sempre acaba fazendo nós sermos expulsas das escolas.

E somente os coordenadores dessas escolas sabiam quem a gente era de verdade. Isso era bom e ruim ao mesmo tempo.

Bom porque a gente não guardava todo esse peso de ser híbrida e ter poderes. E tinham coordenadores híbridos na escola, e eles nos tratavam como filhas.

E ruim porque algum aluno poderia descobrir. E isso geraria um ENORME rebuliço. E sem contar que é uma dor deixar as pessoas que a gente considerava como amigo, ou como os pais que a gente nunca teve.

E realmente está ficando mais difícil esconder quem somos de verdade. Principalmente sobre esse fato de sermos híbridas, já que somos praticamente obrigadas a sempre esconder caudas e orelhas.

Mas isso vai mudar pois vamos procurar alguma escola na Coréia onde as pessoas também sejam como eu e as meninas.

Eu realmente espero que consigamos encontrar a tempo, pois só temos três dias até a viagem.

[...]

Quando chegamos da escola, a Ana foi logo para o quarto pegar seu notebook para procurar novamente alguma escola.

Enquanto isso eu e a Milly fomos nos trocar e arrumar a bagunça que fizemos de manhã no café.

— MENINAS! - Gritou Ana do quarto me assustando junto com a Milly.

— QUE FOI DEMÔNIO? QUER ME MATAR DO CORAÇÃO? - Milly exclamou rosnando.

— DESCULPA, MAS SUBAM AQUI LOGO! É URGENTE!

— Lá vem merda. - Murmurei secando minhas mãos subindo as escadas para o quarto acompanhada da Milly.

 

 

Continua….

 

 

|Cap. Revisado✔|


Notas Finais


Foi isso unicórnios :)
Até o próximo capitulo

Bjsssss no bumbum


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...