História Where The Love Happens - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amor, Família, Ficção, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Não aguento, mais um capítulo lkkkk
Meninas me desculpar se houver erros de digitação, estou digitando pelo celular, então é mais difícil.
Espero que gostem, boa leitura, beijos

Capítulo 3 - Bom demais para ser verdade


Fanfic / Fanfiction Where The Love Happens - Capítulo 3 - Bom demais para ser verdade

Capítulo Três 

 

Acordei aflita, ainda lembrando de tudo o que aconteceu ontem, como de costume me vesti e desci para tomar um café, meus pais já haviam saido para trabalhar.

Resolvi ligar para as meninas irem lá pra casa, preparei um almoço, rimos, conversamos, olhamos filme e por um momento esqueci de tudo que estava acontecendo. 

— Ele não te incomodou mais? -perguntou Karol se referindo a Rafael

—Entao... ontem recebi uma mensagem estranha e acho que é dele

Mostrei a mensagem para as meninas.

—Ceci, com certeza é ele, o que você está esperando para contar para os seus pais? Se você não contar eu vou me obrigar a contar, tenho muito medo que ele te faça algo - falou com ar de preocupação Bruna 

— Não sei... tenho medo. 

Encerramos a conversa por ali e fiquei pensando no que elas falaram, as meninas tem razão, eu deveria contar.

No início da noite, elas foram embora, abri meu notebook e fiquei pesquisando lugares para visitar em Milão, rotas de turismo, ansiedade a mil, é a realização de um sonho, lugares lindos, não vejo a hora...

Papai e mamãe chegaram e resolvemos pedir uma pizza, vendo a minha aflição meu pai iniciou a conversa: 

 

— O que houve Ceci? Você está estranha, não parece estar feliz com a viajem, estava tão realizada no primeiro dia e agora parece estar triste. -Perguntou me afagando os cabelos 

Eu resolvi contar a verdade, estava apreensiva e com medo, não aguentava mais.

—Então, tem algo que eu devo contar a vocês, na verdade eu já deveria ter contado, mas por conta do medo, não contei, e agora estava voltando tudo a tona e eu tenho medo que isso prejudique vocês também, está tomando uma proporção muito grande. - Falei já me despejando em lágrimas.

Minha mãe veio em minha direção me abraçando e com ar um de preocupação.

—Fala minha filha, estamos aqui para te ajudar! -disse mamãe me abraçando 

Contei tudo, não medi palavras, desabafei, contei desde o ciúmes desesperador, até o episódio da cafeteria, sobre a agressão, sobre a mensagem, a traição, tudo mesmo.

Meus pais ficaram revoltados e chateados, mas entenderam sobre eu não ter contado nada antes,  eles começaram a encaixar o quebra cabeça e entenderam todos os motivos de eu estar triste, de não usar mais minha roupas favoritas, o motivo pelo qual não saia mais com minhas amigas, e até o motivo pelo qual terminamos eu e Rafael, o que até então não tinha sido esclarecido.

—EU VOU ATRÁS DESSE GAROTO AGORA, ELE ME PAGAAA, O QUE ELE ESTÁ PENSANDO? -meu pai estava muito chateado e alterado, ele gostava de Rafael, ele realmente iria atrás, conheço o pai que tenho

Eu e mamãe imploramos para que ele não fosse, pois eu não sabia do que Rafael era capaz, poderia ser muito pior do que imaginávamos. Conseguimos acalmar papai, jantamos em silêncio, meus pais por estarem surpresos e tristes com a situação e eu por estar com medo do que poderia acontecer.

 

 

 O tempo foi passando...

 

(15 dias antes da viagem) 

 

Acordei animada, pude esquecer por um tempo o que aconteceu, Rafael não me incomodou mais.

Estou arrumando minhas malas, nelas coloco além de roupas e objetos que sou apegada, fotos e mais fotos com meus pais e minhas amigas, pessoas que me ajudaram em tudo, que me apoiaram, as lágrimas começam a rolar, mas dessa vez não é de tristeza, é um misto de saudade e felicidade. 

Ouço meu celular tocar, corro atender: 

 

—Alo! 

— e aí amigaaaaaa, vamos naquele Pub que abriu novo? A galera vai e tá todo mundo dizendo que é maraaaa!! -exclama empolgada Bruna do outro lado da linha 

—Aí... não sei Bru.

—AAAH vamos Ceci, despedida vai, não sei quando vamos nos ver denovo, Karol também vai. 

—Ta bom então, vamos, venham aqui em casa para nos arrumarmos então. 

Continuei arrumando as malas, quando acabei fui separar a roupa que ia usar a noite. 

 

Por volta das 21:00 hrs as meninas chegaram empolgadas.

 

—CHEGAMOSSSSSS AMIGAAAA - Gritaram igual loucas

—Suas loucas hahahaha, vamos comer algo e vamos nos arrumar então.

Comemos e nos arrumamos, vesti um vestido tubo preto, discreto porém lindo, um salto fino preto também, bem maquiada e as meninas estavam estonteantes. 

 

Chamamos um Uber e saímos, chegamos lá já era 00:30 hrs, começamos a dançar e beber.

 

1,2,3,4 drinks depois...

 

Eu achei que era uma miragem e que eu estava vendo coisa, mas não, esfreguei meus olhos, e quem estava ali, sim, meu pior pesadelo, Rafael estava me olhando fixamente, com uma cerveja na mão, lindo, não posso negar, ele sempre foi, mas perdi o encanto por ele, eu fiquei com medo, ele não parava de me olhar com um ar de mistério, mas voltei a dançar, e curtir com as meninas, e sabia que ali dentro ele não faria nada comigo. 

 

Eu e as meninas estávamos em uma mesa.

—Meninas, vou no banheiro, alguém vai? -falei largando meu décimo drink na mesa.

—Eu vou!! -disse Karol

Fomos ao banheiro e quando voltamos Bruna estava com os olhos arregalados e apavorada.

 

—O que aconteceu Bruna? - perguntei já imaginado que tinha algo a ver com Rafael

— Amiga, o Ra-Rafael veio aqui e falou coisas horríveis, dizendo que ia se vingar, e que você não perdia por esperar e que não passaria dessa noite. - exclamou Bruna gaguejando e com medo

—Vamos beber esse último drink e vamos embora então, não quero correr o risco.

 

Mal imaginava eu que esse último drink seria a cereja do bolo, para ele cometer tamanha crueldade...

 

Bebi o último drink e não contava que Rafael havia colocado “boa noite Cinderela” no meu drink, eu comecei a ver tudo girar, pensei que estava bebada, comecei a me sentir mal, e fui ao banheiro, no caminho ao banheiro encontrei Rafael.

 

— O que está fazendo perdida minha princesa? - com deboche perguntou Rafael já me abraçando 

— Estou indo ao banheiro,me solta!!

— Calma, só quero te ajudar. O que houve?

—Bebi demais e estou mal, nada demais 

— Você está linda, deixa eu te ajudar.

 

Percebi que o caminho do banheiro não era aquele, ele me levou para a rua, e eu fui perdendo a consciência, já não me coordenava mais, fui perdendo a visão.

 

CONTINUA...


Notas Finais


Espero que estejam gostando meninas, o que será que Rafael vai fazer com a nossa Ceci ein? O que vocês acham? Deixem nos comentários o que vocês acham que vai acontecer.
Até a próxima 🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...