1. Spirit Fanfics >
  2. Where were you? - Riverdale >
  3. Invasão de Território

História Where were you? - Riverdale - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Finalmente mais um capítulo, yey!

Se antes estava difícil postar, vai estar ainda mais agora. Minhas aulas voltaram então terei ainda menos tempo, mas vou tentar escrever de vez em quando sim.

Capítulo 9 - Invasão de Território


Storyteller's voice


Muito bem, muito bem! Bom trabalho pessoal!  Diz Kevin Keller, após apresentar as notícias no noticiário local de Riverdale.

Você foi muito bem, Kevin!  Diz um dos funcionários atrás das câmeras, entregando a Kevin uma garrafa d'água

 Obrigado, Michael. ─ diz o jornalista, após dar um gole na água. Logo ele a entrega ao funcionário e segue em direção ao toalete dos camarins

Ele aproxima-se da pia e encara a sí mesmo por um bom tempo, ensaiando suas melhores caras e expressões, mas é interrompido por um alto barulho que o assustou. Aparentemente também vindo do daquele banheiro.

Olá? Hm.. tem alguém aí? ─ ele vai andando, passando pelas portas abertas dos compartimentos até o ultimo. Com a porta fechada. Apesar de sua cabeça seguir a lógica e dizer "era apenas um barulhinho, nada demais", seu coração não conseguia seguir o mesmo ritmo. Estava sozinho, consequentemente, como qualquer ser humano, inconscientemente pensa na pior das hipóteses e se sente tenso, sente um clima pesado no ar, por mais que tentasse acreditar que não havia nada.

E então, chega à ultima porta. A única porta fechada de todos aqueles compartimentos divisórios. Mesmo não sendo nada, ele se prepara e brutalmente abre a porta. E acaba encontrando.. nada. Não era nada. Ele suspira aliviado. Até sentir uma mão tapar parte de sua boca, segurando mais firmemente seu queixo e outra perto da região da sua nuca torcer seu pescoço e apaga-lo.


Instantes depois


Keller? Está aí? Estamos te procurando! Voltamos em um minuto! ─ diz Michael, à procura de Kevin para voltar ao seu lugar.

─  E então, o encontrou?  ─ diz um outro funcionário, fazendo o mesmo que Michael e a grande maioria das pessoas ali. Procurando o jornalista Kevin. 

Não, nem sinal dele.


[ . . . ]


Foi muito bom ter vindo. Já fazia um tempo que não vinha para nossas consultas, senhorita.

Sinto muito, eu tive alguns imprevistos nestes ultimos tempos, Doutor Morgan.

Tudo bem, desde que isso não se repita, Senhorita Luna.

─  Prefiro "Senhora Andrews", Doutor.

Com certeza é lindo, mas não é oficial ainda, senhorita. Case-se e a chamarei assim O médico ri e Veronica dá um pequeno sorriso.

Certo, certo. Então até mês que vem, Doutor. ─ Veronica logo levantada cadeira no consultório e segue para a porta.

Hã, por favor, espere um pouco.

Sim? Veronica vira-se novamente, olhando para o Doutor.

Como minha melhor gestante, gostaria que fosse a primeira a experimentar nosso novo medicamento.

Medicamento?

Sim! Mas não se preocupe, é apenas para fortalecer a geração da pequena criança dentro de você. Ele entrega a caixinha com uns comprimidos. Engraçados até, ao ver de Veronica. Alguns com cores diferentes dos outros.

Isso é seguro?

Totalmente! Já lhe disse; Não se preocupe. ─ ele diz um pouco impaciene, mas ainda mantém aquele enorme sorriso em seu rosto ─ Tome um por dia, certo?

─  Certo.. obrigada mais uma vez, Doutor.


Em Thornhill


Já na mansão de Thornhill, Veronica está a ler um livro, sozinha em seu quarto. Seus olhos estão na leitura, mas seus pensamentos estão curiosos. Pensando no medicamento que o Doutor Morgan lhe entregou. As pontadas que a duvida trouxera com a caixinha eram imensas.

V, então, resolve fazer o que lhe foi recomendado. Um comprimido por dia. Estava fazendo aquilo por seu filho, ou filha. Ainda não sabia.

Um comprimido por dia.. tudo bem. ─ Veronica vai até a cozinha e pega um copo d'água para tomar com o comprimido. Então em um gole na água, engole o comprimido, que vai rasgando sua garganta por ser maior do que os que estava acostumada a tomar. Mas apesar disso desceu tão rápido quanto a vinda dos efeitos colaterais, não mencionados por Doutor Morgan.

Fortes sensações vieram a atigir Veronica. Mais forte do que qualquer coisa que já possa ter sentido. Sua cabeça estava a girar, seus olhos já não estavam enxergando tão bem. Suas emoções? Misturadas como um tanque cheio de químicos pronto para explodir. Ela, caída no chão. Deitada olhando para o teto com as mãos na cabeça. E o tempo todo na tentativa de puxar mais e mais ar para os seus pulmões.


Betty, em seu quarto conversando com Jughead, enquanto segurava Grace em seus braços. Jug não parava de admira-lasa cada instante. A apreciar o quão lindas e delicadas são. Poderia fazer isso o dia todo, mas tonha assuntos pendentes a tratar.

Mas já vai? ─ Pergunta Betty em um tom dramático.

Volto logo. Preciso falar com a Veronica sobre o pai dela. Tenho algumas suspeitas e uma leve impressão de que Hiram Lodge tem um dedo metido na nossa caçada.

Tudo bem.. Bom, eu e Grace também temos coisas importantes a fazer. Como.. não morrer de fome. Betty solta uma leve risada e Jughead faz o mesmo. 

A linda família sai do quarto e descem juntos os degraus até seguirem caminhos opostos. Betty vai em direção à cozinha e Jughead em direção ao jardim da mansão.

Você deve estar com muita fome, eu sei, eu também estou. ─ Diz Betty, andando e balançando com cuidado, Grace, em seus braços. ─ o que prefere pequena Cooper? Leite quente? Ou...

Um alto grito ecoa da cozinha. Jughead, prestes a sair, o ouve e corre na direção do som. Logo ele encontra Betty abraçada com Grace, tampando os olhos da pequena, aparentemente assustada. Em seguida olha em volta e vê Veronica. Seu rosto ficando cada vez mais pálido. A morena suava frio. Da sua boca, escorria espuma e de seu nariz, gotas de sangue. Estava convulsionando no meio da cozinha. Desde sua estadia em Greendale trabalhando com Penélope na fabricação de Drogas, não havia visto cena mais aterrorizante. Era oficial. SweetDreams entrou definitivamente em Riverdale e agora, chegou à Thornhill.

─ Sweet Dreams.. Que merda! ─ exclama Jughead, levantando Veronica em seus braços.

─ Mas isso não era uma droga?! Isso não deveria apenas.. 

─ Sim, deveria. E esse é o pior de tudo. 

Desde sua estadia em Greendale trabalhando para Penélope na fabricação de drogas, não havia visto cena como aquela. Era oficial, Sete Dreams começou a ser distribuída. E ao invés do que imaginava-se, aquela droga não era como as outras, estava mais para uma arma. Tal arma que acabara de ser usada contra Veronica. Sweet Dreams definitivamente adentrou em Riverdale, e agora, chegou a Thornhill.



[Continua. . .]





Notas Finais


E por hoje é só!
Espero que tenham gostado, mas se não, senta no poste
[^^cr: diskmari ]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...