História While My Guitar Gently Weeps - Reescrita - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses, Metallica, Nirvana
Personagens Axl Rose, Dave Grohl, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, James Hetfield, Krist Novoselic, Kurt Cobain, Slash, Steven Adler
Tags Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Slash, Steven Adler
Visualizações 28
Palavras 2.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mil perdoes pela demora!! Amo essa historia e nunca que eu vou abandonar ela kkkkkk

Capítulo 21 - Let the fighting begin


POV’s Slash

A semana depois do lançamento do single foi uma loucura. Nossa rotina era basicamente ir para o estúdio, ir para sessões de fotos, shows em lugares pequenos, tudo isso para promover o lançamento do álbum. As sessões de fotos eram as minhas favoritas, a banda se juntava pra tirar foto fazendo pose, fazendo “cara de mal”, como nosso agente queria, e Amy até saiu em algumas fotos, mesmo ela não querendo. Ela dizia que não queria ficar com fama de groupie, mas eu prometi a ela que só apresentaria ela como minha namorada.

 A gravadora tinha investido muito dinheiro com a gente, e no sábado teríamos uma festa de lançamento do Appetite, mas ainda era sexta-feira de manhã e eu só queria que o final de semana chegasse para poder finalmente dormir mais de 8 horas numa noite.

- Amor, qual é mais bonito? – A voz de Amy me tirou dos meus pensamentos e eu olhei para ela.

Minha loira segurava dois vestidos no alto, provavelmente para a festa de amanhã.

- Acho que o da direita. – Eu disse.

- Sério? Porque eu gostei mais desse outro.

- Então por que me perguntou?

- Ai, seu grosso, só queria sua opinião. Anyways, Axl prometeu que iria me levar para comprar um vestido para a festa da Geffen, então eu acho que não preciso me preocupar com esses dois aqui. – Ela disse e jogou os vestidos de volta no armário e veio até a cama, se deitando ao meu lado.

- Axl não é seu namorado, eu que sou. Por que ele que tá indo comprar vestidos com você? – Não vou mentir, aquilo tinha me deixado um pouco com ciúmes.

- Porque Axl é meu melhor amigo e uns dias atrás ele me disse que queria passar mais tempo comigo, seu possessivo.

- Mas por que?

- Ai, Slash, deixa de ciúmes! Nós só vamos no shopping comprar roupa, não é como se estivéssemos indo para um motel! – Amy disse aquilo num tom de brincadeira, mas eu senti meu sangue ferver e levantei da cama rápido. – Ei, onde você tá indo?

- Eu vou tomar um banho. – Eu pude sentir que minha resposta fria tinha deixado Amy triste, mas mesmo assim fui para o banheiro e tranquei a porta atrás de mim. Segundos depois escutei batidas na porta.

- Slash, o que foi?

- Nada, só me deixa.

- Olha, se foi por causa do que eu falei sobre o Axl, me desculpa. Você sabe que foi só uma brincadeira, o ruivo e eu somos só amigos. Por Deus, Slash, ele é como um pai para mim! – Sua voz foi ficando cada vez mais fraca, até sumir completamente, mas mesmo assim eu não abri a porta.

Fiquei em silencio, esperando ouvir algum som do outro lado, mas nada. Fui até o box, liguei o chuveiro e esperei. Depois de alguns minutos escutei barulho de passos se afastando e percebi que Amy tinha ido embora. Suspirei e comecei a tirar a roupa.

POV’s Amy

Devo ter ficado plantada do lado de fora do banheiro por uns cinco minutos até que escutei o barulho do chuveiro e finalmente entendi. Slash queria ficar sozinho. Sequei as lágrimas que escorriam do meu rosto e decidi ir embora dali. Era melhor deixar ele se acalmar enquanto eu me distraia com alguma coisa. Sai do quarto e fui procurar Axl pela casa.

- Vamos no shopping? – Eu perguntei assim que o encontrei na sala assistindo TV e bebendo uma cerveja.

- Tem que ser agora? Eu to cansado pra caralho. – Ele reclamou.

- Axl você prometeu que ia comprar um vestido pra mim! – Eu fiz biquinho e bati o pé no chão.

- Ok, ok, você venceu. – Ele se levantou do sofá e pegou as chaves do carro. – Eu dirijo.

Alguns minutos depois estávamos no shopping, andando pelas lojas e olhando as vitrines. Bom, eu olhava as vitrines e Axl ficava procurando onde era a praça de alimentação porque ele já tava reclamando que tava com fome.

- A gente come depois, porra. Olha lá aquela loja! – Eu apontei para a vitrine de uma loja que vendia vestido de festa e segurei na mão de Axl, o puxando para dentro da loja.

Em 15 minutos eu já estava com uns cinco vestidos na mão e ia dando mais cinco para Axl segurar. Ele me seguia com cara de tédio enquanto eu surtava com a perfeição dos vestidos daquela loja.

- Ok, já tá de bom tamanho. Para de pegar vestido e vai pro provador, garota. – Axl disse e me empurrou em direção aos provadores. – Espero aqui fora.

- Não não, você vem aqui comigo. Já viu esses vestidos? Olha esse, como você espera que eu feche esse zíper sozinha?! – Eu disse e mostrei para ele um vestido preto de seda que tinha um zíper longo nas costas. – Eu vou entrar e você vai esperar no corredor, do lado de fora da porta.

- Mas é um provador de mulheres, Amy! Vão me expulsar dai na hora!

- Axl, você com esse cabelo de chapinha parece uma mulher, te garanto, ninguém vai te expulsar. – Eu disse rindo e empurrei ele em direção aos provadores.

Peguei logo os vestidos da mão dele e me tranquei dentro do cubículo, começando a tirar a roupa. Vestia um vestido mais bonito que o outro, saindo toda hora para perguntar a opinião do ruivo. Ele tinha prometido ser sincero comigo e falar qual era o mais bonito, sem toda aquela baboseira de macho que acha um tédio comprar roupas.

- Ok, esse é o mais bonito até agora, não acha? – Sai da cabine e me virei para Axl, dando uma voltinha para ele ver o vestido por todos os ângulos, inclusive o corte na parte esquerda que ia até a metade da minha coxa.

- Puta. Que. Pariu. – Axl falou, parecendo estar hipnotizado, e aquilo me fez rir alto. Só faltava o ruivo começar a babar olhando para minha bunda, mas fazer o que, eu estava maravilhosa naquele vestido! – Definitivamente esse!

- Ok, agora para de olhar, não quero que o Slash fique mais bravo comigo do que ele já ta. – Eu disse e entrei de novo na cabine para me trocar.

- Como assim, mais bravo do que já ta? – Axl perguntou do outro lado da porta.

- Ele ficou com ciúmes que eu tava saindo muito com você, e toda essa coisa da gravadora, tirar fotos e fazer shows deixou ele muito nervoso. – Terminei de me trocar enquanto falava e abri a porta. – Mas tudo bem, eu sei que assim que a turnê começar ele vai se acalmar mais, porque ai só vão ser shows, nada de gravações ou photoshoots.

- As vezes ele fica um pouco possessivo, mas relaxa, não é nada com que você tenha que se preocupar. Ele te ama, isso dá pra qualquer um ver, e eu não seria louco de tentar ficar com a mulher de um amigo apaixonado.

Saímos dos provadores e fomos em direção ao caixa para pagar. Deixei os outros vestidos de lado e dei o lindo vestido preto para a vendedora, que me cumprimentou com aquele sorriso simpático, que cresceu ainda mais quando ela viu Axl.

-Meu Deus, você é aquele cantor do rádio! – Ela disse com um sorriso gigante e eu percebi que Axl sorriu tímido.

- É, eu sou. – Ele disse com a mão atrás da cabeça e me olhou com cara de quem não sabia o que fazer, mas eu só dei de ombros e encorajei ele a olhar a mulher.

- Você pode me dar seu autógrafo? – Ela disse e se abaixou no balcão para pegar uma caneta, dando os dois para Axl.

- Claro, com certeza! – Axl pegou o papel e começou a digitar e eu percebi que ele tremia levemente.

Quando ele devolveu o papel, a mulher guardou no bolso e pediu desculpas, prosseguindo a guardar o vestido numa sacola com a marca e Axl pagou com o cartão de crédito que ele tinha conseguido naquela mesma semana. Saímos da loja com o braço direito de Axl enroscado no meu esquerdo, porque ele me disse perto do meu ouvido que se eu não o segurasse seria capaz dele cair no chão.

- Caralho, eu to tremendo! – Ele disse e me mostrou sua mão, que realmente balançava levemente. – Não acredito que eu realmente dei um autógrafo, Amy. Um autógrafo!

- Axl, vai se acostumando com isso. – Eu ri da cara dele e começamos a andar de volta para o carro.

- O que você quer dizer com isso, mocinha?

- Nada, só o óbvio. – Ele me olhou confuso e eu perguntei. – Axl, uma voz que nem a sua, uma música que nem esse single, guitarras, baixo e bateria que nem a que vocês têm, bom... Tá claro pra mim que isso é só o começo.

Axl me olhou pensativo mas logo esboçou um sorriso naquele rostinho tão fofo e me abraçou de lado. Ele me surpreendeu com um beijo na bochecha e eu fechei os olhos e sorri sem mostrar os dentes, bem fofa mesmo.

- Baby, eu estou mais do que pronto para a fama. – Ele disse e continuamos andando.

- Só não fique muito convencido.

- Nunca. – Ele disse e piscou para mim. Nós dois sabíamos que “convencido” era o nome do meio do ruivo. – Vem, te levo pra casa.

Eu e Axl chegamos em casa no fim da tarde e encontramos todos espalhados pela sala. Procurei rapidamente por Slash mas suspirei triste quando percebi que ele não estava lá. Axl percebeu e me puxou pelo braço, tentando me animar.

- Relaxa, daqui a pouco ele desce e vai tá tudo bem entre vocês dois, você vai ver. – Ele disse e eu forcei um sorriso.

- Amy, vem beber com a gente! – Duff disse, me oferecendo uma latinha de cerveja, mas eu recusei.

Tudo que eu queria era tomar um banho e me acalmar, e ,se tivesse sorte, falar com Slash. Eu realmente não entendia o ciúmes dele, Axl era o meu melhor amigo também, e eu tinha sentimentos muito fortes pelo moreno para jogar o nosso namoro pela janela e ficar com outros caras. Traição é uma coisa que eu já fiz muito, mas aquilo tudo está no passado e eu não ia cometer os mesmos erros com Slash.

Fui até seu quarto e bati na porta, que alguns minutos depois abriu e pude ver Slash com a guitarra numa mão e um cigarro acesso na outra. “Posso entrar?”, eu perguntei baixo, e ele me deu passagem para entrar. Assim que ele fechou a porta, eu me virei para o olhar mas ele passou direto por mim e se jogou na cama, voltando a dedilhar na sua guitarra. Suspirei e organizei meus pensamentos, me preparando para falar.

- Ok, nós temos que conversar. – Eu disse, me aproximando da cama.

- Não temos nada para conversar. – Ele respondeu seco e apagou o cigarro no cinzeiro ao lado da cama.

- Slash, não fala assim, por favor. – Minha voz já estava começando a falhar e meus olhos umedeceram. – Por favor, fala pra mim o que você ta sentindo, se comunica, eu só to te pedindo isso!

Por um longo momento ele olhou nos meus olhos, soltou o ar pelos lábios e levou a mão ao meu rosto, afastando uma mecha de cabelo do meu olho.

- Você é bonita demais, Amy... E eu te amo, você sabe. – Eu fechei os olhos e inclinei a cabeça em sua palma, apenas sentindo seu toque. – Mas as vezes você me tira do sério, garota.

Abri meus olhos rapidamente e o olhei confusa.

- Axl pode ser meu melhor amigo, mas eu não ficaria surpreso se ele tentasse alguma gracinha pra cima de você. E você parece que deixa, parece que quer!

- Como assim, Slash? Voce tá maluco? Eu amo você, eu quero você, e só você! Eu não quero seu melhor amigo, ou nenhum dos seus amigos, ou um cara qualquer da rua. – No meio de tudo aquilo eu já tinha começado a chorar, as lágrimas se misturando com soluços que eu tentava conter.

Slash não disse nada, só me olhou por um tempo, como se estivesse me analisando, medindo. Abaixei a cabeça, completamente derrotada e exausta. Eu tinha esperanças de que ele me surpreendesse com um beijo, um sinal que estava tudo bem entre a gente, como ele sempre fazia, mas nada disso aconteceu. Comecei a me sentir tão estúpida por estar ali que resolvi ir embora. Sem falar nada, eu levantei e corri para fora daquele quarto, meu peito doendo como se tivessem arrancado uma parte de mim.

POV’s Axl

Eu sabia que Amy tinha subido para falar com Slash, e eu também sabia, pelo barulho de porta batendo e passos pesados, que a conversa não tinha acabado bem. Fui até o quarto da loira e encontrei ela chorando, sentada no chão, com os restos de alguma coisa quebrada ao seu lado, provavelmente um vaso.

- Hey.. – Eu me abaixei ao seu lado e a abracei.

Seu estado realmente era um dos piores. Ela tremia, chorava e soluçava, como eu nunca tinha visto ela antes. Tentei meu máximo para acalmá-la, e após alguns minutos, parecia que estava dando certo.

- Pode admitir, eu sou a garota mais chorona que você já conheceu. – Ela disse enquanto secava as lágrimas.

- Na verdade não, já conheci algumas bem piores que você. – Eu disse, rindo levemente, e aquilo deixou o clima do quarto um pouco menos tenso. – Você quer ligar a TV pra assistir alguma coisa?

- Pode ser. – Ela disse baixo.

A ajudei a levantar e deixei ela deitada na cama. A cobri com o cobertor e coloquei um canal estúpido na TV, só para deixa-la distraída. Eu estava quase saindo do quarto quando Amy segurou minha mão.

- Você pode dormir comigo essa noite? – Ela disse, com um pouco de cansaço em sua voz.

- Claro. – Deitei do seu lado e ela imediatamente apoiou sua cabeça no meu peito. Eu podia ouvir sua respiração devagar e sentir o cheiro doce do seu cabelo. Não demorou muito e nós dois dormimos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...