1. Spirit Fanfics >
  2. White Bunny >
  3. Concertar as coisas - por Killer B.

História White Bunny - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sentiram saudades?
Eu sim :")

Capítulo 1 - Concertar as coisas - por Killer B.


Fanfic / Fanfiction White Bunny - Capítulo 1 - Concertar as coisas - por Killer B.


"Eu lembro que eu era um adolescente nada normal, eu era medrosa de mais. 

Eu lembro que, com 16, eu comecei a andar junto com o Jin Hyung e o Yoongi. Eu lembro que eles me ajudaram pra caralho. 

Naquela época eu não sabia o que queria, nem mesmo tinha dado indícios. Eu não entendia o motivo de começar a odiar tanto meu corpo. 

Eu tinha 17 quando matamos pela primeira vez, quando aqueles homens mecheram comigo. Eu nunca nem disse o por que. 

Naquele dia, eu estava me sentindo mal comigo mesmo, parecia que tudo não estava em seu devido lugar. E eu chorei, no meio da rua, naquela noite fria, estava um adolescente de 17 anos chorando. 

Eles mecheram comigo, por que "homens de verdade não choram". E em meu sub-consiente, gritava uma voz, concordando com o que eles tinham dito. 

Eu não era um homem de verdade. 

E eu demorei pra aceitar, demorei a entender o que eu realmente era. 

Eu não queria mais ser chamada de Coelho Branco. 

Eu era A coelhA brancA. E foi com meus 19 anos que me assumi, já tínhamos sido separados. Eu estava no início da transição quando foram presos. 

Namjoon e Yoongi, eu não faço a mínima ideia de onde os Oppas foram. Sinto saudades. 

Ah, você ainda não entendeu? Hoseokie oppa, eu sou uma mulher trans. Agora, eu não quero que me chamem mais por Jungkook. 

Meu nome, é Jeon Kyung Sook. Ou só Sook, mas melhor ainda, Killer Bunny."

Observava de longe Hoseok ler minha carta, ele estava acabado. Por ter esquizofrenia, ele não foi preso, foi mandado para um manicômio. 

Eu venho aqui todo dia, digamos que os médicos acreditam que eu seja sua irmã mais nova. Eu nunca me aproximo, ele já não é mais a mesma pessoa, ficou violento. 

Vi ele levantar, andando em círculos. Suspirei. 

Apenas queria estar de volta em seus braços. Queria que não tivessem nos descuberto. Eu sinto falta dos chás que o Oppa fazia. 

-Sook...

-Hm? Sim?

Limpei as lágrimas que eu nem tinha percebido que estavam escorrendo. 

-Você está bem?

-Estou com saudades... E tenho medo de me aproximar e ele se assustar...

-Ele está melhorando a alguns dias, o máximo que faz é esmurrar a porta enquanto grita. 

-Grita...? Ele fala o nome de alguém? Qualquer nome?

-Bem, são dois nomes, Hyunji, a prisioneira que vai ser executada e-

-E-Esecutada?!

Perguntei assustada. Não! A unnie não pode! Não somos nada sem Alice!!

-Sim, foram muitos assassinatos. Ela será executada na segunda feira. 

-E-Eu... P-Preciso ir agora... V-volto depois! 

Saí correndo dali. Precisava ver Alice, uma última vez. Precisava falar com ela, precisava...

Eu preciso consertar as coisas...

....

O relógio estava em sua décima segunda badalada, indicando que já era meia noite. 

Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, cheguei minhas armas e munições, por fim, coloquei minha máscara de coelho. 

Eu usava minhas típicas roupas de couro, um short curtíssimo, um cropped e meias arrastão, preso a cinta liga, eu tinha um canivete e, na minha bota, uma adaga pequena.

Eu estava armada até lá dentes. 

Peguei o meu carro de fuga, ele não tinha placas, o que de certa forma, ajudava nas fugas e dificultava a localização.

Alice só tinha mais 12 horas de vida, e eu precisava de 2 pra tirá-la de lá. 

Sentia meu coração bater forte, de saudade e adrenalina. Fazia tempos que não matava ninguém ou fazia algo perigoso. 

Estava quase morrendo. 

Estava próxima a prisão, deixei meu carro bem escondido e segui a pé até lá. Havia guardas no portão. 

Sorri. 

-Socorro!!! Por favor!! 

Corri, próximo a eles, cai de propósito. 

-Moça! Você está bem?! Ei, calma, calma! 

-T-Tinha alguém me perseguindo...! E-ele... E-Eu vi!

-calma, respira. Levante-se, está segura agora, uh. 

Quando se aproximaram, peguei minhas facas e fiquei no peito de ambos. 

Uma morte silenciosa, porém não a mais rápida e nem a mais limpa. Com o sangue de ambos, fiz dois riscos na minha máscara. 

-Ah... Eu amo o cheiro da morte...

Depois de um tempo, quer dizer, uma hora e meia, consegui achar a cela da Unnie. 

-Ei, psiu!

-Hm... Me deixa.... Eu já vou morrer amanhã mesmo...

-Unnie! Ei! Alice!

Ela levantou, ainda de costas pra mim.

-Do que me chamou?

-Alice... Você gosta de ser chamada assim mesmo que seu nome seja Hyunji. 

-Como sabe disso?

-Bem, eu... Meio que cresci com vocês. O Jungkook, lembra?

Tirei a máscara. 

-Não... O Jungkook era um garoto gostoso, você é uma mulher gostosa. 

-Eu sei que sou gostosa, sempre fui. Agora levanta daí e bora procurar os outros! Eu só mantive contato com o Hoseok oppa!

-Qual seu nome mesmo, guria?

-Vocês me chamavam de Jungkook, agora é Kyung Sook. Ou Killer Bunny, mas agora vamos!

Abri sua cela. 

-Eu preciso consertar as coisas. 

-J-Jungkook...?

Me olhou abismada. 

-Simplificando, eu sou uma mulher trans. Agora vamos, não temos tempo!

Atirando nos guardas que nos seguiam, consegui tirar a unnie de la, a guiando até meu carro.

-Nós vamos pra Seoul. De lá, vamos mudar o seu visual e se possível-a olhei- dar uns pega também por que eu tô com saudade. 

-Pirralha, vai ter que dar tempo. 

Riu, ri junto. Ah, como eu amo essa mulher...

-Você disse que só sabe onde o Hoseok está.

-Manicomio. O que você era internada. 

-O que estamos esperando? Vamos lá agora!!

-N-Não posso!

-Sook!!

-Não posso ir lá agora! Estão nos seguindo, se eu for lá agora, vão nos pegar e piorar a situação!

-Tudo bem... Vamos despistar esses bostas! 

[....]

-Sookie...

-Hm...

-Sookie, acorda!

Abri os olhos lentamente, temendo a claridade. Mas assim que vi a mulher a minha frente os arregalei. 

-C-caralho unnie... 

-Ficou bom? 

Estávamos em um apartamento aleatório, o carro que usamos, fiz quentão de jogar no rio Han assim que chegamos, junto com todas as minhas armas e, infelizmente, máscara. 

-Vi que tinha descolorante no banheiro e aproveitei. 

Ela estava loira, o que super combinou com seus cabelos já grandes e ondulados. 

-Passei muito tempo naquela espelunca, fazia tanto tempo que não cuidava do meu cabelo. 

Se jogou a meu lado.

-Agora me diz... Por que veio atrás de mim só agora que eu iria ser executada?

-... E-eu senti medo... Já não sabia onde estava os outros e ver Hoseok daquele jeito... Não podia perder mais alguém. Sinto muito...

-Tudo bem, coelhinha... Agora me conta, como descobriu ser trans?

-... Comecei a ficar mal, muito mal com meu corpo. Depois que nos separamos, comecei a ligar anonamente para um pscologo e... Bem, tá aqui o resultado!

Sorri. 

-Você está linda, sabia?

-aigoo...! Assim eu coro!

-não se acostuma nunca com elogios, né?

Escondi meu rosto com as mãos. 

-Eu estava assustada... Não quero ficar sozinha... N-não mais...

-Ei, Sookie...

Segurou minha mão. 

-Nós vamos resolver as coisas, e juntar todo mundo de novo, tudo bem?

-Promete...?

-Pela minha alma e vida. 

Me puxou para um beijo, ela segurava minha cintura de forma pocessiva. 

-Ahw... unnie...

-Você continua tão sensível, Bunny...

-N-Ninguem nunca me tocou, a não ser vocês...

-Sookie...

-h-hm...

-Promete que quando estivermos juntos de novo... Não vamos nos separar mais?

-Prometo. 

Beijei meus mindinhos. 

-Nós vamos juntar todos, iremos arrumar nosso Wonderland... E eu vou consertar as coisas. 

-Nós duas vamos, meu amor.


Notas Finais


Percebe-se que eu amo escrever de madrugada, percebe-se também que eu tenho mais facilidade em escrever/atualizar fanfics puxadas para o psicológico da pessoa do que as fofinhas com relacionamentos saudáveis.

Eu meio que não consigo entender sentimentos como paixão e amor, fica difícil escrever sobre, por que eu não sei como é sentir isso... Buuut, eu tento :")


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...