1. Spirit Fanfics >
  2. Who Am I? A Origem de Catra - Catradora >
  3. Pela Honra de Catra

História Who Am I? A Origem de Catra - Catradora - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Rôôôôi Amorecos! Olha quem tá de volta? Sim... Nossa Fic linda e maravilhosa primogênita!
Estavam com saudades? Porque eu tava sim!
Ah gente! Na nota final vou deixar um link pra uma votação, pois como devem está sabendo agora tenho dois beberes pra cuidar né?
Temos duas FIC, então eu vou deixar um link pra vcs entrarem e votarem como preferem que seja. administrados os capítulos, se você ainda não tá por dentro, temos uma nova fic (Why Not Me? O som do coração Au) então se puderem reservar 1 min do tempinho precioso de vocês e votarem eu fico muito grata!
Até as notas finais e vamos que vamos!!!

😉♥️

Capítulo 27 - Pela Honra de Catra


Fanfic / Fanfiction Who Am I? A Origem de Catra - Catradora - Capítulo 27 - Pela Honra de Catra

Acorde, fique comigo
Através da inundação e do medo
Agora preciso de você aqui
Eu preciso que você fique forte
Para me lembrar de onde eu vim
E de onde eu pertenço
Então, acorde e fique comigo
Você está comigo?
Você está dentro ou está fora?
Você está comigo?
Você está passando pela dúvida?
Você está dentro ou está fora?
Não desista, ainda não
Não importa o quanto isso seja difícil
Nós viemos para o mundo
Pior para o desgaste
Mas as guerras de nossos pais
Não são para nós suportarmos
Não desista, não ainda não

Are You With Me?

Nilu

Adora ficou ali a segurar a mão de sua noiva, ajoelhada a beirada de cama com a cabeça ali apoiada, estava sem saber como proceder naquela situação pedindo para Grayskull quem quer que ele fosse que tivesse dó de seu amor é que não a levasse naquele dia, não tão perto de ambas formarem seus laços para sempre em matrimônio, seus olhos lacrimejavam até que ela lembra do que sua noiva disse no início do relacionamento;

Bem se você quiser saber se tem algo errado comigo olhe minhas unhas, elas dizem tudo...”

Adora na hora abriu seus olhos, e erguendo-se com a lembrança de uma possível resolução daquele problema tratou de segurar a mão da amada com cuidado como ela ensinara para ela apertando seus tendões e logo viu que suas unhas  estavam feridas, algumas estavam até machucadas e quebradas, talvez pela luta que tivera com o ser ainda que era um mistério para a guerreira que acabou falhando na batalha, sentiu-se mais uma vez derrotada por ter sido salva por quem devia ter salvo, mas não era hora pra se lamentar, era hora de agir.

- Nossa, amor! Você tá muito machucada, como não notamos isso antes? – disse Adora com a própria voz embargada que acabou limpando as lágrimas de seus olhos – Vamos Adora! Não é hora de chorar é hora de fazer alguma coisa, se mexe sua idiota! – ela olhou ali o rosto da felina que parecia está em sofrimento com as suas garras feridas arfando de febre em dor e buscou concentra do fundo de seu amago e embora não gostasse de envolver a antiga tutora entre elas lembrou-se de seu conselho.

“Fique calma, sua frustação pode tornar sua energia destrutiva se não tiver cuidado. Sua mente deve está em paz quando for curar... Você está com medo, mas se recusa a admitir, com medo do seu poder, dele ficar fora de controle, permita-se sentir e depois... O supere!”

Adora então segurou firme em suas mãos as trazendo sobre seu rosto fechou seus olhos e buscou do fundo de seu coração todo amor e paz para curar a amada, um brilho então percorreu todo seu corpo e envolveu a felina e a cura foi iniciada sem nenhum medo em seu coração, as unhas da amada então foi reconstituidas completamente embora ainda estivessem sujas de sangue em suas bases das cutículas, Adora estava tão concentrada naquele momento que não notou que Catra a abriu seus olhos a olhando com todo amor e gratidão no olhar quando foi resgatada da nave de Prime.

- Hey... Adora... – Adora ergue o cenho quando escuta a voz de sua amada ainda meio fraca, mas que estava ali presente, seus olhos que reluziam em azul como era os olhos da  guerreira de Etheria transbordaram em lágrimas e aos poucos foram voltando em suas tonalidades normais e Adora debruçou-se sobre sua amada com toda aquela antiga sensação que sentiu naquele momento de alívio a anos atrás, seus olhos cheios de emotivos ao ter voz da felina em seus ouvidos.

- F-Felina! Eu... Eu sinto amor, me desculpa! – Adora a abraçou mais forte agora tanto que Catra sentiu a quão desesperada estava Adora diante da situação até meio trêmula ainda, de fato estava tentando ser forte até aquele momento. – E-Eu fui uma idiota, e grossa com você, eu sinto muito, muito mesmo! Eu pensei que fosse te perder! Eu não suportaria te perder! – Ela levantou-se  a olha nos olhos da felina – Eu... Eu realmente sinto muito por tudo, pela missão... – Adora disparava suas desculpas ainda sobre Catra que abriu-lhe um sorriso pra lhe acalmar.

- Hey, sua boba, calma! Não precisa chorar, eu estou aqui, ok? Eu não vou te deixar sua idiota... - Adora sente o coração aliviado e senta-se a beirada da cama e segura em suas mão uma ddas mãos de Catra com as entrelaçando seus dedos que sente a pressão nela –  Aí! Adora, ainda estou meio dolorida e você tá me apertando, vai com calma princesa... – mesmo diante do pedido a loira não cedeu tanto a sua força queria sentir de fato que aquilo era real, Catra estava ali e estava bem.

- Me desculpa... - ela suspirava em alívio - Eu... eu fiquei com muito medo ...- ela então trás a mão sobre a maçã do rosto pra sentir sua pele o contato da pele quente da felina, ainda lhe olhando no fundo dos olhos – como você se sente, amor?

- Sinceramente... – Catra leva a mão que nao era prisioneira da amada a testa, senia-se anda meio febril – ...minha cabeça ainda está pesada, me sinto como se tivesse sido atropelada pela Darla, sei lá... por uma cavalaria de Ventanias. - ela brinca conseguindo arrancar um sorriso de Adora.

As duas então trocam olhares apaixonados quando Glimmer aparece no quarto com seu teletransporte, trazia consigo um recipiente com água dentro, notou então que Catra havia acordado embora que ainda tivesse sonolenta e também sentiu o alívio no coração ao vê que a amiga tinha reagido, não sabia como, mas sabia que tinha sido o amor que ambas sentiam uma pela outra que era capaz de superar tudo e pra isso bastava apenas elas quererem.

- Pelas graças de Grayskull você acordou, escória da Horda! – Glimmer se aproximou então ali da duas também se ajoelhando  ao lado da cama pondo uma das mãos sobre seu ombro – Você  está Bem? Está sentindo algo? Precisa de alguma coisa? E só falar que providencio imediatamente! – Catra sentiu-se acolhida com o cuidado que a amiga Glimmer passou a ter por sua pessoa, não sabia ao certo desde quando, mais talvez desde o momento que  a salvou da nave de prime, ela fez àquilo sim pela Adora, mas no fundo de si sentia que era também pela cintilante que lhe foi a única naquela nave que a ouvia e que a fez tomar aquela atitude boa em sua vida que a mudou completamente. Catra sorriu em sentimento de retribuir para a amiga o zelo por sua pessoa.

-  Hey, se acalma purpurina, eu tô bem... – Catra tenta acalmar a amiga que já também lutava contra as lágrimas naqueles olhos brilhantes –  Eu só estou... Sei lá... Me sentindo exausta e com sono ainda... – sua voz saí numa leveza que acalentava o coração das duas pessoas que lhes eram muito especíais àquela altura da vida.

- Que bom! Pois você não sabe como essa aí ficou desesperada com seu mal estar... – ela buscou limpar as lagrimas nos olhos tentando se recompor – Nossa vi a hora dela também passar mal e eu ter que me virar em duas pra cuidar de vocês, pela honra de Grayskull, não ouse mais nos dá um surto  desse sua gata atrevida!

- Verdade é? – Catra novamente olha pra Adora que estava ali com o coração batendo aliviado – Eu disse que você não sabe viver sem mim não disse, Adora?

- Sim amor... – Adora abre um sorriso que nem precisava de uma reposta pra saber que a suposição era certa, mas mesmo assim lhe deu –... Agora não me restam mais sombras de dúvidas a respeito disso, gatinha!

- Bom saber! – Catra arqueou o cenho  com seu sorriso cínico convencido – Assim você sabe de vez quem manda nessa relação aqui, que sou eu claro!

- Bem ainda não concordo com isso, mas não vamos discutir sobre isso agora... – Adora sorrir como diante de um situação tão cheia de emoções Catra continuava sendo Catra, ela então olha para o recipiente que Glimmer havia trazido – E isso que você trouxe, Glimmer?

- Ah! – Glimmer então parece ter se lembrado dos itens – Fui até Mystacor pegar um pouco da água da gruta dos vapores pra ajudar na recuperação da Felina... – ela então trata de entregar para Adora que recebe o recipiente dourado e uma pequena toalha felpuda branca.

- Ah não! – Catra fala num tom de brincadeira figindo choro –  Eu mal acordei e vocês já querem me molhar de novo? Eu quero desmaiar então!  – ela fingi um desmaio, as duas ali presentes passam a rir.

 - Não vai não! – diz a amiga cíntilante – E a água está numa temperatura ambiente –ela busca a mão livre da amiga  É só pra ajudar você a se sentir melhor com a febre e te limpar, sua gata chatinha! – ela soltou a mão da amiga e levantou-se do chão arrumando suas roupas reais - Então eu vou tratar de sair e deixar vocês aí sozinhas e também tenho que avisar que você acordou, estão todos preocupados, e disseram que só iriam voltar para os seus reinos quando tivessem notícias suas. – Catra abriu novamente um sorriso, ao saber que os demais amigos também se importavam com seu bem estar, não que agora duvidasse disso, mas a certeza de ser bem aceita reviveu em seu coração como sentiu a anos atrás depois da guerra, na festa dos casais na casa das amigas Spinerella e Netossa numa noite de jogos memorável.

- Diga a eles que agradeço a atenção, de verdade... – ela volta sua visão para Adora, que nenhum momento soltou sua mão – Porém eu já tenho quem eu preciso aqui do meu lado!

- Tudo bem... – Glimmer sorri, sabia não era por dispensar os demais cuidados dos outros, mas que de fato não haveria no mundo companhia melhor uma para outra que não fossem si mesmas. – ... Vou lá avisa-los, e você – ela aponta pra amiga felina - procure descansar e não se preocupe em retornar com as atividades em campo, vou pedir pra Lonnie tomar conta do cargo até que se sinta melhor, ela tem se demonstrando fazer isso muito bem!

- Sim ela faz! – Catra confirma e sorri em agradecimento pela dispensa e compreensão – Diga a ela que agradeço a ela por isso e por tudo que fez também esses dias de minha ausência!

- Direi! Bem vou indo... – ela olha para Adora, que não desgrudava seus olhos da amada um segundo sequer durante aquela conversa entre as duas onde se encontrava silente – Adora quando puder venha até nossa sala pra terminarmos de fazer o relatório, ok?

- Sim, eu irei! – ela responde ainda com os olhos fixos em Catra.

- Bem, vou indo então... – ela se prepara para o teletransporte – Fiquem bem e cuidem uma da outra e nada de brigas, ok?

- Sim Glimmer! – Adora confirma seguida por Catra.

- Pode deixar purpurina!

A rainha então some dali e deixam as duas sozinhas em seus aposentos, Adora então levantou-se da beirada da cama.

- Bem, precisamos tirar essas suas roupas, né gatinha? Elas estão imundas!

- Hum, sei! – Ela dispara um sorriso sugestivo - Tem certeza que não é porque você está com saudades do tico e do teco? – Adora sorriu pondo o recipiente no móvel próximo a cama e a toalha sobre o ombro.

- Não posso discordar disso, mas o mais importante agora é limpar suas unhas e cuidar delas também... – Adora vai até Catra a segura-la pra ajudar a levantar – ... então seja uma boa gatinha e me ajuda a te levantar.

- Okay, as suas ordens, princesa... – Catra busca forças para sentar-se a beirada da cama guiada por Adora que então passa a despir Catra de seu uniforme de campo que a ajuda, a noiva a todo tempo era muito cuidadosa com a amada, tendo no coração apenas o sentimento de cuidado e carinho, e nenhum atrevimento ou desejo carnal a envolvendo embora fosse inevitável sentir, quando via sua amada diante de si completamente despida de suas roupas. Adora pegou então o pequena toalha e mergulhou no recipiente com a água com propriedades mágicas curativas quando Catra a chamou num tom suave.

- Hey, Adora? – Adora que espremia o pano pra tirar o excesso então olha pra Catra.

- Que foi meu bem?

- Você lembrou, né?  - Catra sorriu para a loira meio corada com a lembrança que lhe veio -  Digo... das minhas unhas.

- Sim...  – confirma Adora a terminar de espremer o pano e se abaixa ali se ajoelhando aos pés de Catra, porque Adora sabia que quando se tratava de amor e guerra, uma mulher sobre um trono era poderosa, mas uma mulher que se ajoelha perante a quem ama é invencível. Adora prossegue a pegar a mão esquerda de Catra – Mas demorei um certo tempo pra lembrar.

- Mas lembrou, o que prova que você não é mais tão cabeça de vento como era antes... – Catra novamente abre seu sorriso, Adora a olha de baixo ainda sem parar a limpeza em seus dedos agora indo limpar as da mão direita.

- Vou levar isso como um elogio.

- Deve! – Catra confirma.

Adora depois de terminar de limpas as unhas de Catra então volta até o recipiente e mergulha o pano na água curativa novamente a espremer o pano, acaba por lembrar do objeto que tinha em seu bolso o sentindo ali, seu coração por um momento teve uma leve disritmia no peito, mas tratou de afugentar os pensamentos, ela voltou até a cama e agora sentou-se ao lado de Catra.

- Fique de costas pra mim, gatinha. – as duas riram da frase juntas ao lembrar da últimas vez que ela foi dita.

- Só não vai terminar com “ Eu sei que assim que você gosta mais”, Adora. Pois nesse momento estou sem condições para isso, mesmo que esteja com muita vontade de te jogar na cama e usar e abusar de você. – ambas novamente riem juntas,  os sorrisos cessam, Adora passa a dar o banho seco na pele da gatinha que tanto amava, que pega seus cabelos os trazendo para o ombro, deixando as costas ali totalmente expostas, era um silêncio onde uma vontade as envolvia naquele mundo onde era particular delas duas e do amor delas que parecia se espalhar pelo ambiente, Adora sentia dentro de si que  sempre  desejou isso desde muito novas, e que não tinha o feito antes de toda guerra por que sabia agora e buscaria tentar lembrar Afinal, que há é que ter paciência, dar tempo ao tempo que o destino tem de fazer muitos rodeios para chegar a qualquer parte.

Se viu ali perdida em pensamentos a limpar sua amada que também parecia longe em seus pensamentos. Adora correu o pano ao longo das costas de Catra e chegando embaixo notou as linhas de suas costas de pele malhada que elas pareciam maiores que costumavam ser, franziu o cenho meio confusa, pra saber se tinha se enganado a respeito disso, mas sabia que não, ela conhecia cada centímetro do corpo da amada como nenhuma outra pessoa conhecia, se perdeu naqueles pensamentos

- Hey, Adora? – Catra chama sua atenção despertando daquela reflexão interna – Que houve, você tá nervosa? – Catra como sempre sabia exatamente distinguir os sentimentos da amada, Adora foi até o objeto molhar o pano novamente o torcendo.

- Não é nada, amor! Só estou um pouco ansiosa, só isso... – ela se ajoelhou novamente para agora limpar os pés de Catra que virou-se de frente para ela. – Sabe? Tudo, a missão, a briga, e depois seu mal estar, isso tudo foi demais pra mim... Sei lá. Entrei em desespero, me senti meio inútil.

- Quando a isso... – uma tristeza veio sobre a face de Catra, ela também devia suas desculpas para a amada –... me desculpa, tá? Por ter sido uma idiota, eu também fiquei em desespero quando cheguei lá e você tava...- Catra vê os flashes da luta, todo o momento onde bateu de frente com aquele ser estranho e tudo que ele havia lhe revelado e depois de ter apagado no meio da uma luta com o que quer que fosse aquilo, buscou afugentar por enquanto aquela sensação dentro de si – Bem, foi arriscado, eu só não queria te perder.

- Sim, foi! Eu prometo que vou ficar bem atenta agora tá? E quando você melhorar vamos marcar uma reunião com a aliança para entendermos melhor tudo aquilo, assim que Entrapta e Bow tiverem mais respostas sobre a energia que captamos por lá, mas agora você tem que descansar, pois vejo claramente que você esta precisando muito.

- De fato estou mesmo... – Adora buscou ali do guarda-roupa  um conjunto para Catra dormir que lembrava muito seu antigo top e shorts cinza e lhe ajudou a vestir-se, Catra entrado prossegue –Aquela correria pra te encontrar me exauriu completamente, sinto que poderia dormir por dois dias seguidos. – logo a felina buscou acomodar-se na cama com Adora sempre a ajudando a se aconchegar que também tratou de tirar seus cálçados e se aconchegou ali também atrás da sua gatinha a abraçando por trás, buscou a coberta as cobrindo e deu-lhe um beijinho no pescoço e fechou os olhos, ambas estavam exaustas, mas queria  apenas tirar um breve cochilo, pois tinha muito ainda resolver àquele dia ainda, ambas se sentiam seguras naquele momento, embora os pensamentos estivessem em conflitos.


Enquanto isso Glimmer e as outras Princesas estavam no salão real a conversar e dar notícias de como a felina estava.

- Bem, então ela tá bem, né Glimmer? – Indaga Netossa com as mãos na cintura, Glimmer olhou em volta procurando acalmar a todos os presentes.

- Sim meninas, Catra está bem, mas precisa descansar, está exausta.

- Imagino, pois bem... – Netossa buscou abraçar a cintura de Spinerella que estava ao seu lado, mais aliviada com as boas notícias – Então nós iremos pra casa Glimmer, mas nos avise qualquer coisa que eu a Spine temos que descansar um pouco pra  resolvermos uma coisa importante pela manhã... – ela pausa a trocar olhares com a mulher emocionada com os planos que combinaram na nave, Glimmer notou a ansiedade em seus gestos mas também uma enorme felicidade, Netossa volta sua atenção para a amiga cintilante e prossegue – mas assim que tiver novidades nos avise que viremos o mais rápido possível!

- Sim pode deixar meninas! – Glimmer confirma a abrir um breve sorriso para ambas – Assim que tivermos mais informações tratarei de marcar a reunião imediatamente.

- Certo, faça mesmo querida Glimmer! – Agora Spinerella manifesta seu apoio, quando Scorpia que estava ali ao lado de Glimmer com Melog que estava adormecido aos seus pés então fala, lhe tocando o ombro direito com a pinça meio sem jeito.

- Ei, Glimmer! Tipo assim... – Glimmer dirige sua atenção para a Princesa dos Escorpiões, que lhe pede sem jeito, face meio corada a gesticular com as pinças – Se você não se incomodar e se não for pedir muito, eu gostaria de ficar aqui... Sabe? Até que a gatinha se recuperar totalmente, pode ser?

- Claro Scorpia, sem nenhum problema – Glimmer abre um sorriso compreensivo, sabia que ambas eram muito amigas e jamais negaria um pedido de acolhimento de nenhum de seus amigos, principalmente para alguém que Catra considerava quase uma irmã – Temos um quarto desocupado para você, então não se preocupe... – ela vai andando até onde o noivo Bow estava a digitar em seu aparelho e o toma e a entregar para Scorpia – Mas trate de avisar a perfuma pra que ela não fique preocupada com você, está bem? – Scorpia mesmo com certa dificuldade de mantê-lo em pinças passa a digitar o contato da mulher, Glimmer prossegue indo até Bow que estava chateado por ter tido o aparelho tomando de si e lhe abraça a cintura – Já basta a Adora que quase teve um piripaque.

- Pode deixar vou tratar de avisar ela agora, obrigada! – Scorpia mesmo travando uma briga com o aparelho consegue discar o número, na tela aparece Perfuma e ela vai até um lugar mais privado para conversar, Bow então desfaz a cara chateada e olha pra a Noiva.

- Cinti, eu sei que voltei a pouco tempo mas...

- Eu sei, Bow! – Glimmer lhe cala a boca com o indicador e lhe dá um beijo nos lábios e prossegue – Não se preocupe querido eu entendo, nos precisamos saber o mais rápido possível sobre aquele lugar então se precisa sair pra fazer mais pesquisas então vá.

- Obrigada por entender, meu bem! – ele a abraça pela cintura e lhe devolve o beijo – Prometo que volto o mais rápido que puder, e diga a Adora que estou aqui torcendo pela recuperação da felina, tá bom? – eles mantêm os narizes próximos, um gesto carinhoso que era só deles dois.

- Direi sim, pode deixar. – Eles se separam.

- Diga a ela que vamos precisar levar a Darla novamente para ver também a energia que atacou as defesas da nave – ele solta a amada e vai em direção ao casal Spinetosa – Vamos meninas! Iremos deixa-las em Casa antes de ir para Dryl.

- Certo! – confirma Netossa acompanhada da esposa que também agradece com um sorriso, os três vão em direção a Entrapta que até aquele momento tinha sua atenção ao holograma com a boca aberta e encantada com a descoberta, acompanhada do amigo Hordak errado que segurava o aparelho enquanto ela anotava num bloco de notas com seus cabelos preênsis.

- Vem, vamos Entrapta! – Bow a chama, e vendo que ela não ligou usou seu gatilho – Vamos pra Darla!

- DARLA!!! – Ela sobressalta e agarra Hordak errado com os cabelos pela cintura quase o fazendo derrubar o aparelho no chão – SIM! VAMOS HORDAK!!!

- Até breve, irmãos! – o amigo clone acena para Glimmer e Scorpia a sorrir.

Scorpia se aproxima de Glimmer e lhe entrega o aparelho

- Pronto! Já avisei a ela que vou ficar por aqui, mas então onde fica o quarto? – Scorpia levanta os braços e se alongar – Tô super cansada, devo confessar... – Ela para o alongamento e Melog que se encontrava dormindo ali desperta e enroscar-se em suas pernas, ela o acaricia. – Sabe, queria descansar pra ir ver a gatinha amanhã de manhã.

- Certo, vem comigo vou te levar lá. – Glimmer segura nos dois e eles desaparecem dali para levá-los para o quarto de hóspedes.

Um tempo depois de ter ido descansa um pouco seu coração das angústias que aquele dia lhe trouxe, Adora desperta de seu breve descanso ao lado de Catra que havia caído num sono profundo, ela então  tratou de sair silenciosa sem fazer a cama se mexer muito, mas antes deu um leve beijo na face da felina que com o toque se remexeu como um gatinho com espasmos nos dedinhos, coisa que deixava o coração de Adora quentinho quando via a amada tendo reações de seus instintos felinos enquanto dormia lindamente a ronronar como uma gatinha nova, saiu vagarosamente debaixo das cobertas a lhe tirar a cauda que estava enroscar-se em sua cintura e se abaixou ali para  apanhar suas botas que deixara ao lado da cama e saiu do quarto nas pontas dos pés para não acordá-la, já do lado de fora fechou a porta lentamente  pôs suas botas seguindo então em direção em encontro com a amiga Glimmer.



Adora então seguiu até a sala tratando de ser rápida para não perder um segundo sequer, estava determinada a descobrir tudo, pois uma chama nova em seu coração havia sido acesa naquele dia e ela estava decidida tanto quanto era a anos atrás, travava sua própria guerra interna e estava disposta a ganhar de seus medos que até então a dominavam completamente, não iria mais baixar sua guarda um minuto sequer daquele dia em diante, por ela e pelos os que amava, mas acima de tudo pela honra de Catra. Ela então chega até a porta de cristal da sala e a abre, vê Glimmer que estava a analisar o mapa holográfico atentamente.

- Glimmer, voltei! – Glimmer que tinha o indicador sobre o queixo e braço cruzando apoiando que olhava o holograma em olhos semicerrados ergue o cenho a olhar para Adora que fecha a porta e se aproxima da mesa.

- Há! Adora que bom que veio! Estava vendo aqui o holograma e analisando o tipo de energia, e de fato não consegui reconhecer ela. – Adora então apoia-se com as mãos sobre a mesa –  É uma magia antiga. - Glimmer ergue a mão direita que estava sobre o queixo e ajusta o mapa do holograma pra outra localização – Mas analisando bem o mapa em Etheria... – ela aproxima o mapa e mostrar o reino sobre uma montanha onde durante a guerra fizeram uma visita quando estavam a recrutar novas princesa pra aliança, ela prossegue –... Eu acabei meio que acidentalmente descobrindo uma ruína dos Primeiros nas Montanhas Talon, a que é comandada por àquela Princesa harpia Húnga, você se lembra dela?

Adora ergue o cenho surpresa, mas estava atenta a cada detalhe embora ouvir a palavra ruína lhe trouxesse um frio na espinha pela última vez que esteve em uma no fim da guerra, mas manteve-se firme.

- Sim, eu me lembro dela, a que tem o exército de harpias que se negou a entrar na Aliança por não querer se envolver na guerra, e no final acabamos descobrindo que ela estava já apoiando o exército da Horda.

- Essa mesmo! – Glimmer confirma o conclusão de Adora e prossegue – Então, mesmo sob tais circunstancias ela não parece ter ido em buscar de mais problemas depois que a horda foi derrotada, creio que deve ter caído na real sobre os fatos depois de tudo, mas estive pensando que poderíamos ir em busca de respostas mais exatas na ruina. – ela ajusta o mapa mais uma vez a um ponto piscando da base da montanha indicando a localização exata – Se a ruína estiver ainda intacta podemos acessar os dados e quem sabe descobrir mais sobre o lugar novo.– Ela olha pra Adora que analisava o mapa – O que acha?

- Acho uma boa ideia! – Adora olha pra Glimmer e se ergue saindo do apoio da mesa –  Mas acho que eu devo ir sozinha Glimmer. – Glimmer ergue o cenho não gostava da ideia de deixar Adora sozinha numa ruína depois de tudo.

- Mas Adora você tem certeza? – ela leva a mão em punho ao peito – Não acho que ir sozinha lá seja uma boa ideia não sabemos o que vamos encontrar lá... E se... – Glimmer vai tentar explicar seu ponto, mas Adora segura em seus ombros e sorri lhe passando confiança que a muito tempo não se via em suas afeições.

- Eu sei que pode ser um pouco arriscado, mas sério Glimmer, eu preciso fazer isso sozinha dessa vez... – ela solta os ombros da amiga e volta a olhar o holograma – ... eu preciso enfrentar meus medos se quiser alguma resposta! – Adora cerra os punhos determinada embora as mãos estejam meio tremulas -... E eu já estou cansada de fugir de meus problemas e fugir não vai resolvê-los!

- Entendo... – Glimmer toca em seu ombro e com a outra mão segura o punho de Adora que vai aos poucos cedendo a pressão nele – Mas por favor, entre em contato o tempo todo comigo, eu vou ficar aqui e ficar de olho na Catra. – Ela buscou os olhos de Adora que até aquele momento encarava o mapa diante de si que reluzia em sua face, ela olha então para a cintilante – A Scorpia também decidiu ficar para ajudar, então por favor, não faça nada que não deve sem nos avisar primeiro e pedir reforços, ok?

- Certo! – Adora confirma a olhar no fundo dos olhos da amiga, que sorri vendo o quanto a loira estava sendo sincera e madura.

- Então, quando pretende ir? – a menor indaga.

- Agora mesmo!

- Agora? - Glimmer indaga novamente  surpresa - Mas está ficando tarde da noite e você precisa descansar, Adora!

- Não Glimmer,  eu preciso é de repostas concretas! – Adora firma sua convicção diante Glimmer – Se aquele lugar está ligado a Catra eu preciso descobrir por ela, então não vou perder muito tempo, vou na Darla e rapidinho chego lá.

- Quanto a isso... – Glimmer sorrir sem jeito coçando a nuca –... o pessoal precisou dela pra analisar os dados, então...

- Tudo bem, não tem problema, vou chamar o Ventania. – Adora acalma a amiga que temia levar uma represália por ter deixando a nave da amiga nas mãos dos outros – E também faz tempo que não saímos numa aventura juntos, ele vai até gostar disso, fazia tempo que me cobrava uma missão de “dupla dinâmica”. – Adora busca concentrar-se de olhos fechados passando mensagem para o amigo pra que lhe esperasse do lado de fora do castelo.

- Ok então, eu vou falar com meu pai se conseguiu mais alguma coisa sobre o amuleto. – Glimmer então vai até Adora e ambas seguem em direção a saída da sala – Ele andou pesquisando mais coisas sobre ele vou ver se tem alguma novidade e você trate de ir atrás de seu uniforme novo, eu pedi pra fazer ele no seu tamanho, sei que você amou ele então se vista como se deve, pois vai precisar ir fazer uma visita àquela harpia, pois querendo ou não ela manda naquelas áreas Montanhosas, e não queremos começar uma guerra com as harpias, certo? – elas saem da sala fechando a porta e seguem andando pelos corredores.

- Sim. Última coisa que quero é arrumar intrigas com algum reino.

- Certo! Se bem que você talvez não vai ter problemas... – Glimmer cutuca Adora com o ombro que olha confusa - Sabe, pois me lembro muito bem como aquela harpia olhava pra você quando fomos lá.

- Glimmer! – Adora repreende a amiga com a face corada – Pare  com isso! Eu estou noiva se esqueceu? E só tenho olhos pra felina! – Glimmer ri de Adora e como era fácil a tirar do sério.

-Ai, Adora! Você pode ficar velhinha, que sempre vai ser essa boba que cai nas brincadeiras!

- Isso não tem graça, se a felina escuta uma conversa dessa eu que vou ter que arcar com as consequências então por favor, não suponha uma coisa dessa na frente dela como da vez que vocês falaram pra ela que eu gostava de mulheres musculosas!

- E por acaso era mentira?

- Não totalmente, mas enfim, isso não vem ao caso! – Adora cruza os braços e dá uma rabissaca, as duas seguem em frente pelos corredores Glimmer ainda rindo da amiga.

-  Só estou dizendo que não faz mal usar seu charme pra convencê-la a dar permissão.

- Glimmer eu já disse pra parar com isso!

- E daquela vez que você e a Catra brigaram por causa daquela musculosa em Theymor? Menina a Catra te pegou de jeito hein?! Tu ficou toda arranhada... -Glimmer não cedia as risadas altas que ecoavam pelo castelo ao recordar das desavenças das amigas.

- Eu já disse que já chega, Glimmer!

- E aquela outra vez que...

-Pela última vez; Já chega Glimmer! – As duas seguem em frente, Glimmer ainda tirava sarro da amiga por causa das vezes que as amigas brigaram por causa de ciúmes de Catra que era uma gatinha possessiva quando o assunto era Adora.



Um tempo depois de se trocar Adora se encontrou com ventania na entrada do Castelo, saindo a noite eles chegariam no início da manhã, era bom que assim iriam reestabelecer suas conexões de dupla dinâmica e colocar o papo em dia. Adora levava consigo o amuleto também para ver se conseguia alguma informação sobre ele na ruína e embora seu coração quisesse gritar pelo receio de encarar o seu passado mais doloroso, ela estava disposta a arriscar por quem tanto amava e poderia até parecer loucura encara-lo sozinha, mas as loucuras provêm da natureza íntima do verdadeiro amor.



Notas Finais


[Off]

Ventania - She-Ra e ventania, a dupla dinâmica está de volta!!! Irráaaaaa!
(^▽^)

She-Ra - Ventania será que dá pra calar essa boca?
(ノಥ益ಥ)ノ

Ventania - She-Ra e ventania! She-Ra e ventania! She-Ra e Ventania!!!
(^▽^)


Autora;

Vote aqui pra mamis saber como querem que sejam postado os capítulos;
👇
Atualização das FIC'S (Why Not Me?) & (Who Am I?)
Rôi, bebêres!
Desde já agradeço por tirar um tempinho e vir aqui, então a questão é a seguinte;
Com que frequência vocês esperam que as FIC's sejam atualizadas?
Deixa eu votinho precioso aí em baixo que ajuda a mamis pacas!
Valeu!!! ♥️😉
https://pollie.app/wcl5e

Clique num link para votar:

2Cap de (WNM?) P/1 (WAI?)
👉 https://pollie.app/ztq6l

2 Cap de (WAI?) P/1 (WNM?)
👉 https://pollie.app/fyupr

1 Cap de (WAI?) e 1 de (WNM?)
👉 https://pollie.app/kyilk

Fica a critério da Autoria, o que vier tá de boa.
👉 https://pollie.app/smg1r

📊 Ver resultados:
https://pollie.app/navhk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...