História Who Are You? - Kim Taehyung 1a e 2a temp. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Luta, Mistério, Romance
Visualizações 349
Palavras 939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Modifiquei a sinopse da fic (porque eu mesma não compreendi bem o que quis dizer ;-;)

Capítulo 4 - Você não parece bem...


Fanfic / Fanfiction Who Are You? - Kim Taehyung 1a e 2a temp. - Capítulo 4 - Você não parece bem...

Su Mi

– É sério mesmo?- me fita.

– Sim, estou decidida. 

– Su, você tem todo o direito disso, mas pelo menos deveria falar isso com ele pessoalmente, não acha? Dizer coisas assim por mensagem é tão...

– É, você tem razão, amanhã falo com ele pessoalmente.


Taehyung


– E aí, como está o trabalho?

– Nunca pensei que teria que ter tanta paciencia assim.

– Difícil a vida de universitário?

– Depende do que está chamando de difícil. Se fosse só matar ela, é uma coisa, mas agora ter que interagir...

– Por que? Precisou interagir com os amigos dela?

– Ela não tem muitos amigos, só uma amiga.

– Uma amiga é? Hm... Qual o nome?

– Sun Sook.

– Bonito nome.

– Pera, não me diga que...

– Dizer? Dizer o que? Não tem nada não.

– Você não me engana, Jimin. Sei bem o que é isso aí.

– Então, eu ligo para você outra hora, ok? Tenho serviço agora.

– Uhum, sei... Tchau.- desligo.


Sinceramente, acho que não vou aguentar por muito tempo esse tipo de trabalho. Ter que interagir com as pessoas e o ambiente, não faz parte de mim. O que aconteceu hoje, foi só o começo do que terei que aturar daqui pra frente.

Fito o teto por alguns instantes, mas sou tirado de meu entretenimento ao ouvir o som estridente do celular tocando.

Número desconhecido

– Alô?

– Alô? Taehyung? Oi, aqui é a Sook. Deve estar se perguntando como consegui seu número, certo? Bom, tenho meus contatos.

– Tudo bem, o que quer?

– Quem realmente é você?

– Kim Taehyung, estudante de arte digital.

– É mesmo? Bom, não é o que sua ficha quer dizer.

– Minha ficha?.

Vamos, não tente me enganar.

– O quê? Como assim?

– Por favor, eu te conheço. Também era assim, mas agora não mais.

– Não sei do que está falando.

– É mesmo? Então amanhã me encontre no pátio do lado oeste e vai ver que sei bem disso. Tchauzinho.- desliga.


O que foi isso que acabou de acontecer? Como assim ela sabe quem sou?!


Su Mi

– Su, acorde.- Sook me chama, mas a ignoro.- Vamos, levante ou vai se atrasar.

– Já levantei.- bocejo.

– Vai falar com o Sand hoje, não é?

– Acho que sim. Vou aproveitar que só pego um pouquinho mais tarde e vou lá falar com ele.

– Isso, vai mesmo.

Mando uma mensagem para o mesmo e após feito, vou me preparar para mais um dia.

[...]

– Você veio voltar comigo, não é?- anima-se, mas o corto.

– Não, Sand. Não vamos voltar.

– O quê? Por que? Eu te amo.

– Ama tanto que preferiu tirar conclusões sobre algo que nunca dei motivo, sem ao menos ter me deixado explicar.

– Fiz aquilo porque sei lá, fiquei confuso com vocês dois ali.- explica-se, mas não acredito em suas palavras.

– Você fez aquilo na frente de todo mundo. Como acha que estou me sentindo depois daquilo? Sério, não dá mais.

– Su...- diz baixo.

– Não, Sand.- digo ríspido.- Adeus.- dou as costas e sigo para o departamento.

[...]

Já era hora do intervalo, então ao invés de ir para a cantina, sigo para o pátio, encontrar Sook. Sigo à sua procura e a encontro conversando com Taehyung.

– Oi gente.- me aproximo de ambos.

– Oi.- dizem em uníssono.

– Não te vi na aula hoje.- direciono meu olhar para Taehyung.- Aconteceu alguma coisa?

– Não, estou bem.- sorri.

– Ah, é que antes ele teve uma forte dor de cabeça, e como o vi aqui, pensei em ajudar.

– Tudo bem. Mas, Sook, por que está me explicando? Não precisa.- sorrio.- Bom, vocês querem almoçar comigo?

– Poxa, bem que eu queria, mas não vai dar, preciso terminar um trabalho antes da aula.- lamenta.- Mas o Taehyung pode ir, não é?


Taehyung

" Tudo bem, do que está falando?"

" Já percebi tudo, então não precisa ficar assim."

"Assim como? Não sei do que está falando."

” Eu tenho faro para isso, então não adiantar negar que já sei de tudo."

"Ta, sabe de tudo o que?"

"Que você gosta da Su."


– Taehyung, não é mesmo?- diz, me tirando do transe.

– Sim.- respondo, sem ao menos entender com o que havia concordado.

– Viu? Ele pode.

– Espera, posso o que?- pergunto confuso.

– Almoçar comigo.- sorri.

Almoçar? Com ela? Mas... Ah, é isso! Posso descobrir finalmente sobre seu pai.

– Ah sim, podemos.- sorrio em retorno.

– Divirtam-se.- diz e retira-se.


Sentamos em um dos bancos ali mesmo e somente esperamos pelo pedido que haviamos feito.

– E então, que tipo de música você gosta, Tae?- apoia o queixo sobre as mãos.- Desculpe, é o costume.

– Não tem problema, pode me chamar assim.- sorrio. O que estou fazendo?- Gosto de músicas calmas.

[...]

Conversamos durante um bom tempo e pude descobrir muitas coisas sobre ela, exceto sobre o paradeiro de seu pai. Isso vai ser mais difícil do que pensei.

– Nossa!- se espanta ao olhar para o relógio.- Vamos! Estamos atrasados!- diz, puxando minha mão.

– Não, não estou me sentindo bem.- afasto-me de seu toque.

– O que você tem?- pergunta, me analisando.

– Estou me sentindo tonto.- ponho a mão sobre o rosto.

De fato, dessa vez não estava mentindo. Sentia meu corpo amolecer e o mesmo estremecer, prejudicando até mesmo a minha visão.

– Tae, você não pode ficar para a aula. Precisa ir para o dormitório.

– Não estou no dormitório. Estou na casa de um amigo meu.

– Então espere, eu te levo até lá.- entrelaça o meu braço pelo seu pescoço.

– Não precisa, posso ir sozinho.

– Não seja bobo, eu te levo. Já pensou se você desmaia na rua?

[...]

O táxi nos deixou bem em frente de casa, facilitando o deslocamento. Não era longe o local, mas sentia que não estava mais aguentando me manter de pé. 

Bato em sua porta, esperando o mesmo atender, mas não obtenho respostas. Talvez ele esteja dormindo. Bato novamente, esperando uma resposta.

– Quem é que...- resmunga.- T-Taehyung?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...