História Who are you really? ;hyunin - Capítulo 1


Escrita por: e jeonginy

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Lee Felix, Yang Jeong-in
Tags Hyunin, Hyunjin, Jeongin
Visualizações 21
Palavras 1.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ENTÃO kkkkkkk eu mudei a história então ela eh um pouco complexa de entender, mas podem relaxar pq eu vou tentar de todas as maneiras de deixar ela bem resumida para vcs.

Se querem saber o motivo de eu ter mudado vou deixar na última nota.

Boa leitura❤🐼

Capítulo 1 - Pesadelo.


Fanfic / Fanfiction Who are you really? ;hyunin - Capítulo 1 - Pesadelo.

Eu estava em uma praça com os meus pais e meu irmão, nós estavamos se divertindo, ver minha mãe dar risada do meu pai sujo de sorvete era algo legal, meu irmão sorria o tempo todo e eu me divertia vendo eles, estava indo tudo bem quando escutamos um barulho alto, que era semelhante a uma arma sendo disparada e quando eu me toco vejo pessoas correndo e gritando.

  Eu fiquei ali parado olhando enquanto meu irmão gritava em meu ouvido e me puxava, até eu ver meus pais sendo atingidos e caírem no chão. Meu irmão continuava a me puxar.

- JEONGIN! -Acordo com o Jonginy me balançando desesperado.

- O-oque foi? -Quando eu consigo analisar as coisas vejo uma fumaça.

- Temos que sair daqui! -Ele me puxou fazendo eu sair da cama ainda de pijama.

- Jonginy? -Eu não estava entendendo.Ele abriu a janela do meu quarto.

- Vai primeiro... -Ele me empurrou um pouco.

- Como? Eu não vou conseguir descer. -Eu não sabia o do porquê desse desespero.

- JEONGIN VAI LOGO! -Ele estava bravo?

  Então fiz o que ele me pediu analisei bem e sentei na janela deixando meus pés do lado de fora e agarrei a árvore como um abraço e me joguei escorregando na mesma que machucava minhas mãos e minha perna direita. Quando cheguei no chão olhei para cima vendo o Jonginy sentado na janela, mas além de ele fazer igual eu fiz ele pulou machucando seu tornozelo, mas se levantou e me agarrou e começamos a correr até eu olhar para trás e ver o que estava acontecendo.

  A nossa casa estava pegando fogo. Acabei ficando em choque.

- Jeongin vamos! -Meu irmão se intrometeu na minha frente.

- VOCÊ NÃO ESTÁ VENDO A CASA PEGAR FOGO? E OS NOSSOS PAIS?

- Eles não conseguiram... -Eu comecei a chorar eu não estava acreditando nisso.

- não, não, NÃO! -Eu empurrei ele e tentei correr até o local que pegava fogo, mas Jonginy foi mais rápido e se jogou contra mim me agarrando e me jogando no chão colocando os meus braços que lutava para escapar dele em cima da minha cabeça segurando forte. -ELES PODEM ESTAR VIVOS!

- JEONGIN PARE COM ISSO ELES NÃO ESTÃO MAIS! -Eu continuava a lutar para sair, mas estava sendo difícil até o local acabar explodindo e com um ato o Jonginy me abraçou. -Nós estamos sozinhos...eu irei te proteger. -Ele soluçava em meu ouvido, não aguentei e comecei a chorar.

- E o que faremos agora? -Ele larga meus pulsos e senta de joelhos na minha frente.

- Eu não sei... -Sua cabeça estava baixa, mas levantou em seguida quando ouviu uma sirene. -É uma ambulância? -Afirmo com a cabeça.

- Sim...acho que os vizinhos ouviram a explosão. -Nós não tínhamos vizinhos próximos, mas quando a casa explodiu foi impossível não ser alta.

- Deve ser. -Ele olha para o local que era nossa casa.

- Como aconteceu isso? -Fiquei o olhando.

- Eu acho que foi os Hwangs...eles ameaçaram em colocar fogo na nossa resistência e matar todos os Yangs. -Ele falava com tranquilidade.

  Os Hwangs sempre foram invejosos com tudo, mesmo sendo putos de ricos, queriam arruinar a empresa dos Yangs. E foi assim que eles acharam que se livrariam de nós, matando todos queimados como o próprio inferno.

- Nossos pais sabiam... -Ele falou me tirando dos meus pensamentos.

- Como assim? -Ele olhou para mim, seus olhos estavam cheios de lágrimas, mas ele não as deixavam cair.

- Eles deixaram uma mochila escondida na plantação. -Ele dá uma pausa para limpar seu rosto. -Tem dinheiro e documentos nela.

- Entendi...e aonde vamos morar? -Minha voz falhava um pouco.

- Vamos descobrir agora. -Ele levanta e estende sua mão para mim, eu a pego e levanto com sua ajuda.

  Caminhamos até a plantação que separamos para achar a mochila que estava escondida, Jonginy estava um pouco longe de mim e estava escuro e eu estava com medo. Suspirei e andei um pouco mais na procura da mochila. Olhei para os lados e achei algo que se destacava em todo aquela plantação, um amarelo. Caminhei até essa coisa até dar conta que era uma mochila peguei ela e olhei bem se era mesmo, abri vendo bastante dinheiro, fechei ela e peguei colocando em um ombro meu e comecei a procurar pelo o Jonginy.

- Jonginy? -Olhei para uma plantação que se mexia. -Eu achei a mochila. -Não obtive resposta já estava achando estranho.

  Cheguei mais perto dando passos devagar olhando para a plantação que se mexia e quando eu chegava mais perto avistei um homem de preto que vinha em minha direção meu coração começou a disparar e eu fiquei em pânico, sem muita opção eu saí correndo, olhei para trás vendo o homem correr atrás de mim e isso me deixou mais assustado.

  Acabei tropeçando e torcendo meu tornozelo, o homem estava mais perto de mim, eu tentava me levantar, mas eu não conseguia, a dor era forte, mas meu medo também.

  O homem já tinha uma arma apontada para mim, ele destravou ela e sem saída fechei os olhos esperando meu fim.


E ele atirou, mas parece ter errado.

- Eu disse que ia te proteger! -Abro os olhos vendo o Jonginy com um facão de jardinagem na mão que por sinal estava ensanguentada, olhei no chão vendo a garganta do homem de preto cortada.

- E-ele...tentou...me... -Jonginy jogou o objeto e se abaixou me abraçando em seguida.

- Está tudo bem...o importante é nós dois juntos. -O abracei forte.

- Me promete nunca me abandonar?

- Prometo.

  E em fim a ambulância chegou, eles apontavam uma lanterna em nós e eu fechei meus olhos ainda abraçando o Jonginy.

  Ele prometeu.

~°~°~°~

5 anos depois.

Pv de Hyunjin.

  Eu estava andando nos corredores da escola, tive que ser bem cuidadoso em relação a isso, pois qualquer professor ou funcionários poderiam me ver e me pararem perguntando o motivo de eu não estar em horário de aula, claro que se eu falasse a verdade seria suspenso e por incrível que pareça eles iriam chamar meus pais. E caí entre nós eu odeio minha família. Meu pai sempre fica pegando no meu pé dizendo que não posso fazer tais coisas como agora sair durante as aulas, mas eu não dou a mínima importância para isso, sabe porque? Isso aí eu sou rico.

  Vou em direção ao jardim que estava no último corredor, então apressei mais meus passos. Sabe as vezes acho que minha mãe é só um enfeite, ela nunca discorda do meu pai quando ele está errado, ela nunca tem uma opinião, tenho dó dela por estar com um homem invejoso e canalha que faz tudo por dinheiro. Sempre fala que se eu fazer algo de ruim e sujar o nosso sobrenome irei ser expulso de casa.

  Mas isso não me afeta mais porque eu moro sozinho, eu não trabalho, mas tenho bastante dinheiro devido a minha mãe sempre coloca uma boa quantidade de dinheiro na minha conta.

  Quando chego na porta do jardim e abro vejo alguém lá, merda isso estraga meus planos de ficar sentado no gramado mexendo no celular. Reviro os olhos só de pensar que vou ter que ir para a quadra e ficar lá.

  Olhei bem para a pessoa que estava no jardim era um homem, deve ser um professor, mas que estranho eu nunca vi esse cara aqui antes, e olha que eu conheço todos os professores desse colégio. Só que tinha algo diferente nele, o mesmo se encontrava no banco do jardim sentado lendo um livro que parecia ser bem chato. Ele aparentava ter uns 17 anos, mas não tem professores de menor idade ou quero dizer "novos" já que todos são velhos com aparência de 30 anos. Ele era loiro, tinha uma pele pálida, mas era bonita de se ver, seus lábios eram um poucos finos e avermelhados. Resumindo a própria perfeição.




Notas Finais


Ok motivo: Nos comentários uma garota me deu um idéia ótima para essa fanfic então eu fiz parceria com ela é estamos fazendo uma nova história.

Mas relaxem pq algumas coisas vão ser igual a da antiga.

Ela vai ser um pouco triste e dramática, mas vou tentar colocar um pouco de comédia para não ficar aquela tensão kkkkkkkkk.

Sobre o meu demorar pra postar fanfic eh por falta de criatividade.

Continuo? ;u;

Bjs e amo vcs❤🐼

;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...