1. Spirit Fanfics >
  2. Who did i really forget? >
  3. Capítulo-11

História Who did i really forget? - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora e o capítulo pequeno. Espero qur gostem. 😁 Boa leitura.😘

Capítulo 12 - Capítulo-11


Fanfic / Fanfiction Who did i really forget? - Capítulo 12 - Capítulo-11

-Você está bem?- perguntei adentrando ao quarto que eu dividia com os meus irmãos, encarando o mais velho deles. Brick estava jogado na cama do meio de barriga para cima, apoiando a cabeça nos braços e como o boné na frente do rosto.

-E desde quando eu não estou?-Rebateu. O ruivo tinha um temperamento difícil e bipolar, às vezes estava bem, às vezes estava estressado, e às vezes estava de mau humor. Vai entender.

-Grosso.- resmunguei andando em direção a cama e tirando o boné de seu rosto e sentando na minha cama que fica ao lado da sua.- O que que aconteceu?

-Devolve ele agora!- falou pegando seu precioso boné enquanto eu revirava os olhos.-Não sei do que está falando.

-Para de enrolar. Fala logo o que você sabe. Qual é o motivo de você ter passado mal mais cedo?-Falei perdendo a paciência. O ruivo ficou alguns minutos em silêncio, pensando se diria ou não alguma coisa.

-O problema é ela, Boomer.- disse fazendo uma careta e virando de costas para mim.- Ela está a todo instante na minha cabeça, e tudo na minha vida está ligado a ela. Não aguento mais isso.

-Quem?- perguntei, não fazia nem idéia de quem ele estava falando.

-Ela.

- Ela, quem?- perguntei outra vez.

-Caralho, to falando da Blossom, Boomer. Quem mais seria?- Disse se sentando na cama e jogando os braços para o alto, sem paciência.

-Cara, eu sou lerdo. Tem que esclarecer as coisas para falar comigo.-rebati.- E o que tem de mal em pensar o tempo todo nela? Afinal o propósito de termos nascido são elas. Fomos criados apenas para matá-las.-Sussurei a última parte. Ninguém da casa poderia nos ouvir falando do plano de matar as super poderosas.

-Eu sei, mas... e se eu não quiser matá-la?-sussurrou em dúvida. Parecia que o ruivo falava mais si mesmo do que para mim.

-Como assim não quer matá-la?- virei me bruscamente encarando o meu irmão.

-Não sei, Boomer, não sei. - falou com um ar de cansaço eminente.-Eu apenas quero deixa-lá viva. Algo me diz que ela é a resposta para tudo. 

Suspirei pesadamente. Não iria questionar o meu irmão. Querendo ou não eu o entendia, também não queria matar a Bubbles, mas o medo de contrariar o Him me incomodava. Aquela rebeldia iria acabar dando em algo muito ruim.

Um dia com as essas meninas e olha no que já deu, meu irmão "passou mal", nós não sentimos mais a vontade de destruir elas, e o Brick está sentimental demais. Tudo está indo de mal a pior. Parece que com elas nós nos tornamos pessoas diferentes.

Quando eu iria responder o líder dos desordeiros, Ken entrou no quarto nos chamando para o laboratório. 

Confirmamos e descemos junto ao menino, sem antes olhar para o ruivo mexendo os meus lábios dizendo: "Não vou contar sobre a nossa conversa para o Butch. Isso vai ficar apenas entre a gente. Por enquanto.", o mesmo suspirou aliviado confirmando com a cabeça. Querendo ou não nós três amávamos muito uns aos outros, mesmo não demosntrando isso, então independe do que o Brick precisasse, eu estaria disposto a fazer qualquer coisa para ajudar.

[...]

-Faremos uma viagem no tempo?-Ouvi Buttercup perguntar surpresa. Estávamos todos reunidos no laboratório, de frente para a tecnologia que mais parecia um robô do que uma máquina do tempo.

-Sim, vocês precisam descobrir o que está acontecendo com Blossom e Brick, e creio que a resposta só esteja lá.-Respondeu o Utonium mais velho, enquanto direcionava um olhar para mim e o ruivo.

-Preparamos algumas coisas para vocês antes de irem.- o menino se aproximou empurrando uma espécie de mesa de metal, onde continha nela algumas coisas.

-O que é isso?- perguntou Butch pegando um cinto igual ao nosso só que com a letra R no meio.

-Isso é o que dá os poderes para as meninas.-comentou o Professor. -Apesar de vocês já terem poderes por terem sidos feitos do DNA delas, esses cintos vão ajudar com armas e a não se afetaram com a mudança de espaço-tempo.

-Recomendamos que vocês também não mudem nada no passado, e muito menos fiquem lá por muito tempo, se não vocês podem alterar o futuro ou até mesmo ficarem presos lá.-Alertou Ken terminado de entregar os cintos para meninos e vindo em nossa direção entregar os nossos.

-Para que isso Ken? Já temos os nossos.- indagou a loira confusa. Diferente dos outro cinto, esse era completamente preto e possuía o comunicador das nossas respectivas cores e o que diferenciava do dos meninos era que possuia uma letra P no meio.

-Esses ajudaram aumentar mais ainda o poder de vocês, além de proteger também contra a mudança de tempo.- disse por fim. 

Nós transformamos em questão de segundos e sem precisar da ajuda e o comando de Poochi. O uniforme dos seis era um macacão completamente preto colado no corpo, com detalhes das nossas respectivas cores, e com o cinto amostra. 

A morena se exaltou de felicidade por estar usando calças em vez da clássica saia do uniforme enquanto o moreno balançava seu novo bastão para lá e para cá , Bubbles comentava o quanto havia achando bonito as roupas com Boomer que concordava com a loira. 

Confesso que essa roupa caiu bem nos meninos, realçando os ombros largos e alguns músculos, principalmente o cabelo ruivo curto e os olhos vermelhos que combinaram com os detalhes da roupa. Espera, o que eu estava pensando. Foco Blossom, foco.

-Um último recado.- O homem mais velho chamou a nossa atenção.- Na verdade mais três. Para mudar a época basta apertar nós botões amarelo e verde a direita do painel. Segundo, não sei exatamente como corre o tempo lá, então possivelmente vocês podem ficar algumas horas no passado, sendo que no presente pode ser dias.-falou sério. Respirou fundo e ficou mais sério ainda.- E por último, mas não menos importante, vocês têm aula na segunda, então tratem de estar aqui antes das oito na noite de domingo.- disse sorrindo. Como se risse da nossa desgraça alheia. 

-Droga, achei que ele tinha esquecido disso.- falou Butch para Buttercup, embora todos pudessem ouvir. Ri mentalmente deles.

-Então vamos embora.- Bubbles chamou a atenção de todos. Nós olhamos uma última vez e despedimos do Professor e do Ken,  adentrando a máquina do tempo.

-Boa sorte, crianças.- Ouvi a última coisa do Professor antes de entrar no robô.



[...]

Japão feudal, ano de 1193. 827 anos antes do presente. Ao sudeste do país.


Abri meus olhos sentindo uma leve dor de cabeça e a visão turva , parecia que eu tinha ficado horas desacordado, não conseguia nem ao menos me lembrar o que aconteceu para ter desmaiado no processo da viajem temporal. 

Olhei ao redor e ainda estava dentro do robô, a ruiva ao meu lado também estava acordada junto dos morenos e loiros. Butch foi o primeiro a perceber a minha presença. Me levantei cambaleando tentando ficar sentado e levei a mão a minha cabeça.

-Ele acordou.-Falou o moreno chamando a atenção de todos. A ruiva veio em minha direção perguntando se eu estava bem.

-O que aconteceu? Estou sentindo a minha cabeça latejar. -comentei. Minha cabeça ia parando de doer aos poucos, embora ainda continuasse a pulsar.

-Provavelmente é um efeito colateral da viajem, todos nós sentimos essa dor de cabeça depois de um tempo ela para.- avisou Bubbles gentilmente, me entregando o meu boné. O peguei colocando na cabeça e agradecendo, com a ajuda de Blossom levantei do chão ficando de pé.

-Não vamos perder tempo, temos que encontrar o Mokoto e Momoko o mais depressa possível.- Falei saindo para fora da máquina. Estávamos perto de um rio e uma pequena vila.

 Talvez ali fosse o lugar perfeito para encontrar os nossos antepassados. Apesar que a máquina do Professor deve ser bem precisa.

Adentramos o local procurando por alguém, mas o lugar estava completamente vazio, não havia ninguém. Nem mesmo uma alma viva. 

-Cadê as pessoas dessa vila?- Ouvi Buttercup perguntar, quando passamos perto do que era para ser uma banca de peixes. Estava tudo revirado e bagunçado, era como se tivessem saido correndo às pressas. 

-Não sei, mas é realmente estranho não ter ninguém aqui.- Boomer responde desconfiado da calmaria.

 Na verdade todos ali estávamos, não tinha como um conjunto de pessoas ficarem tão tranquilas assim. Estava silencioso demais.

-Olhem, lá estão eles!-Gritou uma voz ao longe. Parecia estar vindo de cima. Olhei para o alto e tinha três garotas voando enquanto seguravam armas. Droga aquilo não era um bom sinal.

-Parados ai, desertores!- falou a que usava verde vindo em alta velocidade na nossa direção. Desviei dando um mortal para o lado e olhando para trás para ver se todo mundo estava bem.

-Quem são vocês?-perguntou Blossom ao defender-se de um ataque da que vestia azul.-E por que estão nos atacando? Não fizemos nada.

-Somos as PowerPuff Girls Y.- Respondeu a menina.- Vocês invadiram a nossa vila com uma coisa estranha voadora, por isso devem ser presos.

-Olha, não fizemos nada. Viemos apenas buscar respostas sobre algo.-Intervi chamado a atenção delas para mim. As ppgy abaixaram guarda me encarando.

 A morena do trio tentou falar algo, mas estava paralisada, enquanto a loira não parava de gaguejar.

-M-mas... c-como??

A líder delas que estava em minha frente, me olhou dos pés à cabeça e arregalou os olhos. Parecia que ela havia entrado em choque assim como as outras duas.

 Ela se aproximou de mim com lágrimas nos olhos e pude ver o quanto eram rosas - assim como os de Blossom- e colocou devagar a sua mão em meu rosto quando a ouvi falar num fio de voz.

-Mokoto...?





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...