1. Spirit Fanfics >
  2. Who do you love? >
  3. Um sorriso

História Who do you love? - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Um sorriso


Fanfic / Fanfiction Who do you love? - Capítulo 13 - Um sorriso

Myung's POV


-Vamos ficar de mãos dadas até você se soltar, por que ficou parado daquela forma? 


-Não são muitas as vezes que vim a um lugar desses e algumas delas podem não ter sido muito agradáveis.


-Por que? - o puxo começando a patinar um pouco mais rápido.


-Por que, por que, está parecendo aquelas crianças na faze do por que - revira os olhos - pode me soltar, já consigo ir sozinho.


-Okay, me desculpa vossa majestade - solto sua mão - como quer que sejamos amigos se não me deixa saber sobre você?


-Não precisa saber sobre mim - diminuiu o ritmo - apenas faça o que tem que fazer.


-Está bem, chega - paro em sua frente o olhando nos olhos - sei que tenho que te obedecer hoje, quero me aproximar de todos vocês, mas não está me deixando fazer isso.


-Parece que de algumas pessoas já se aproximou muito bem - resmunga irritado.


-Está falando de ChangKyun? Por que parece ficar irritado toda vez que tem um assunto sobre nós dois?


-Não estou irritado, não fico irritado.


-Tudo bem, que tal então por um momento esquecermos essas coisas, pediu para te mostrar se eu quisesse ser sua amiga, me deixe fazer isso.


-Como?


-Vai me deixar fazer isso?


-Sim.


-Então vem - sorrio o puxando.


Pela primeira vez consegui esquecer as grosserias, quem ele é e as coisas que já me falou, um único sorriso foi capaz de me fazer apagar tudo isso por momentos. Faz uma semana que estou naquela casa, nunca o vi sorrir, um sorriso verdadeiro.


Começamos a patinar devagar até ele pegar o jeito novamente, depois brincamos de pega a pega entre as pessoas, na verdade quase o forcei a fazer isso, mas entendi que na verdade ele até parecia querer, só não sabia como fazer. Paramos algumas vezes para observar Wonho que faz alguma coisa estranha em um canto, íamos chamar ele mas decidimos deixá-lo acabar seus planos, creio que ele tinha isso em mente.


-Yaa Myung tome cuidado - sorri segurando minha cintura por trás me impedindo de cair.


-Irei tomar - seguro suas mãos - obrigada.


-Não foi nada.


-O que aconteceu? Nunca te vi assim.


-Faz algum tempo que não me distraio, Wonho as vezes me forçava a sair para esfriar a cabeça, eu sempre dizia que ele estava errado, mas acabava sempre gostando no fim.


-Está gostando agora?


-Sim, por algum motivo estou - aperta minha cintura levemente puxando para si.


-O que está fazendo? Me solta Shownu.


-Fique assim mais um pouco, tem que me obedecer hoje não é? - coloca a cabeça em meu ombro - achei que não seria assim, mas você ainda me faz esquecer certas coisas quando estou ao seu lado, assim como quando éramos pequenos.


-Irei dizer mais uma vez, pare de fazer essas coisas, ser grosseiro e tentar me machucar, querendo ou não estou morando com vocês e te vejo todos os dias, as pessoas de fora não sabem se somos próximos de mais ou de menos, se quiserem fazer algo irão fazer.


-Não é assim que funciona...


-Eu sei, mas vamos nos dar bem, já que não quer como irmãos, pode ser como amigos.


-Você não entende - respira fundo - por que insiste em se dar bem comigo?


-Bom, primeiro você é o chefe e tal, segundo, moramos na mesma casa e terceiro, acredito no que disse sobre o passado, você é uma das únicas pessoas que me conhece desde bebê, quero tê-lo por perto.


-Me ter por perto - diz baixo - irei tentar, mas não fique brava quando eu te proteger.


-Se tiver motivos não ficarei, agora pode me soltar?


-Ainda não.


-As pessoas estão nos olhando Shownu.


-Não me importo com elas - beija minha bochecha.


-Yaa, se eu me virasse iria...


-Beijar sua boca? 


-Sim.


-Você já fez muito isso quando era bebê, não seria novidade - me solta - talvez agora só entenda as coisas diferente de antes.


-Claro que seria, mas enfim, tome cuidado da próxima vez - viro para ele - estou me sentindo em Las Vegas.


-Las Vegas? Por que?


-Já ouviu aquela frase, o que acontece em Vegas fica em Vegas? Sinto que tudo o que falamos aqui vai ficar aqui e você vai ignorar lá fora, assim como mudou quando entrou, vai mudar quando sair dessa pista.


-Para de ser dramática, tudo depende de você.


-De mim?


-Sim, de você, seja boazinha.


-Ei vocês dois - Wonho chega ao nosso lado - vamos comer algo e ir embora? Logo temos que voltar para Seul.


-Vamos sim - resmungo saindo na frente.


Devolvemos todas as coisas e pegamos as nossas antes de sair. Fico esperando na entrada os dois até que voltamos a caminhar pelo parque, como sabemos o que iremos fazer, apenas seguimos para a praça de alimentação. Devo admitir que foi divertido, mas espero que possa continuar me aproximando de Shownu e um dia chamá-lo de amigo. 


Horas atrás estava pensando em ir embora, agora já quero chamá-lo de amigo, esses garotos conseguem mudar minha mente de uma hora para a outra, não estou entendendo mais a mim mesma, tenho que tomar cuidado, em uma única semana fiz coisas que nunca faria em sã consciência, descobri coisas que achava acontecer só em filmes, meus emocional não está bom, literalmente ele está horrível, como posso aguentar?


...


-Ei, aquela criança está sozinha? - vejo uma criança perto de uma barraca de algodão doce.


Pouco antes de chegarmos na praça de alimentação paramos para comprar tteokbokki, foi quando vi uma criança que aparenta ter seus 5 anos na barraca ao lado de algodão doce, chorando passando as pequenas mãos no rosto na tentativa de enxugar as lágrimas parece esperar alguém buscá-la, mas já fazem pelo menos 15 minutos que estamos ali parados e ninguém veio.


-Apatentemente sim, ninguém falou com ela até agora, se os pais tivessem por perto teriam tentado a fazer parar de chorar talvez - Wonho pega o último bolinho de arroz - vamos?


-Espera, se ela está mesmo sozinha não podemos deixá-la assim.


-Myung, você nem a conhece, os responsáveis devem aparecer logo - Shownu diz indiferente.


-É assim que crianças somem e se separam de seus pais, se ela tem alguém seria bom deixar com eles, sei como é horrível não tê-los por perto.


Devagar caminho até a barraca e compro um algodão doce, logo me abaixo em frente a criança e sorrio tentando parecer gentil. Seus olhos cheios de lágrimas encontram os meus, agora consigo ver que é uma bela garotinha com uma touca branca e orelhas de urso, o casaco bege e um vestido florido muito bonito.


-Onde estão seus pais? - pergunto calma.


-Eu, eu não sei - tenta engolir o choro - quero minha omma.


-Tome - dou o algodão doce para ela - a unnie irá te ajudar a encontrar sua omma, mas tem que sorrir e não chorar, se continuar chorando não iremos conseguir acha-la, vocey concorda?


-Huhum - pega o doce de minha mão.


-Quer vir no colo? - estico os braços.


A pequena apenas balança a cabeça positivamente. Cuidadosamente a pego no colo e levo até onde Wonho e Shownu nos espera. Os dois me olham sérios e um pouco indignados talvez, eles não esperavam por aquilo.


-Acho que irei buscar algo para comermos - Wonho diz encarando a pequena em meu colo - ela deve estar com fome também, ficarão bem?


-Sim - sorrio - irei pedir para anunciarem no parque, voltamos aqui para comermos.


-Okay - sai depois de bagunçar meus cabelos.


-Pode ir com ele - vejo a cara séria de Shownu.


-Não irei deixá-la sozinha, ainda mais com uma criança - coloca as mãos no bolso - quer ajuda?


-Quem é esse homem unnie? - coloca a cabeça em meu ombro enquanto encara Shownu comendo.


-Ele é um amigo da unnie, irá ajudar encontrar sua omma.


Enquanto caminhamos e procuramos um lugar no parque em que possamos anunciar que essa garotinha está perdida, ela dorme em meus braços, a única coisa ruim e que não estou aguentando mais segura-la, a pequena não é tão leve quanto parece e eu sou a preguiça em pessoa, ou seja, não tenho muitas forças.


-Quer que eu a leve? Está dando para reparar sua cara de sofrência.


-Não, muito obrigada, posso dar um jeito.


-Você está morrendo para carregar ela, por que está tentando ajudar essa criança? Se a deixasse lá os pais iriam procurar.


-Eles podem procurar, mas podem não achar - paro o encarando - não estou te pedindo para me ajudar, falei que podia ir com Wonho, por que está aqui me enchendo? Bem que falei, acabamos de sair da patinação e você já está sendo grosseiro.


-Não estou sendo grosseiro, estou sendo realista, não podemos ajudar todo mundo nessa vida.


-Ela é uma criança, não sabe como o mundo é perigoso, aceitou vir comigo por um simples doce e uma palavra de ajudar acabar sua mãe, imagina se fosse outra pessoa.


-Okay, chega, me de ela aqui.


-Não, você não está nem interessado em ajudar.


-Myung, eu nunca disse isso, de a garota aqui, irei levá-la até onde devemos ir - se aproxima de mim - ande logo, acha que farei mal a uma criança?


-Tudo bem - resmungo deixando a garota em seu colo.


Ela abre os olhos rapidamente e logo fecha assim que Shownu a ajeita em seus braços, olhando assim ele até parece um bom pai, quem vê não vai achar que disse para deixa-la lá.


-Onde estamos indo mesmo? - encara a garota.


-Viu ver se consigo anunciar no parque e dizer que estaremos esperando na praça de alimentação, normalmente isso dá certo, e pare de olha-lá assim, é uma criança e não um bicho - bato em seu ombro.


-Okay, só faz algum tempo que não pego crianças no colo - respira fundo - vamos então.


Com mais alguns minutos de caminhada consigo encontrar o lugar que estou procurando, peço para um moço fazer o anúncio, com dificuldade pergunto o nome da garota que responde sonolenta e falo para ele, enquanto converso Shownu se afasta indo se sentar em uns bancos localizados no meio do caminho. Fico resolvendo tudo até ouvir ele fazer o anúncio, apesar de demorar um pouco vale a pena, não irei conseguir deixá-la sozinha por aí.


Ao acabar agradeço e caminho até onde Shownu está sentado, por um momento sinto meu coração parar. Olho o garoto em minha frente sem a pequena em seus braços, onde ele a enfiou?


-Onde, onde ela está? - falo com receio.


-Unnie, olha - a garota aparece atrás de Shownu de pé no banco, por ela ser pequena o garoto a tampou completamente - o oppa comprou esse urso para mim - diz sorrindo.


-Ahn? Ahh que legal - respiro aliviada me aproximando.


-Acho que tinha sumido com ela? - me olha de canto.


-Desculpa, não consegui deixar esse pensamento de lado, foi a primeira coisa que veio a mente.


-Tudo bem, é normal as pessoas não confiarem em mim, ou confiam de mais ou não confiam - se levanta - vamos, Wonho deve estar esperando.


-Shownu - seguro sua mão - me desculpa, por favor.


-Não se preocupe com isso Myung.


-Unnie, você achou minha mãe? - coloca a pequena mão sobre as nossas - vamos vê-la?


-Sua mãe logo irá chegar, temos que comer primeiro - seguro sua mão, soltando a de Shownu - venha - a pequena pula do banco.


-Oppa posso segurar sua mão? 


-Humm, sim, me de o urso para segurar.


Vendo nós três assim, parecemos aquela família passeando no fim de semana com sua filha, Shownu segurando o urso de pelúcia em um braço e a pequena em nosso meio segurando a mão de cada um, isso é até estranho de se pensar, mas logo acabará.


...


-Finalmente voltaram - Wonho nos olha sentado em uma das mesas.


-Sim, demorou um pouco - me sento pegando a garota no colo.


-Pelo menos conseguimos anunciar, será que...


-Sim, eles irão, eles tem que vir.


-Vamos comer enquanto isso, comprei coisas mais simples.


-Isso é corndog? parece tão bom - sorrio pegando um.


-Quer deixá-la comigo um pouco? - Wonho sorri para a garota - vem com o tio?


-Quem é? - abraça meu pescoço.


-Ele é tio da unnie, irá cuidar bem de você quer ir com ele? 


-Tudo bem - se levanta e vai até ele.


Wonho da comida para ela e brinca com a garota a fazendo gargalhar. Não se passa muito tempo, apenas o suficiente para comermos e conversarmos um pouco até que vejo um casal parecendo desesperado chegando na praça de alimentação, eles passam olhando todas as mesas até chegarem na nossa.


-Filha? - a mulher diz chorando.


-Omma - pula do colo de Wonho correndo até a mulher.


-Filha - abraça a pequena.


-Muito obrigado por cuidarem dela - o homem sorri - paramos para comprar um doce e quando vimos ela já não estava mais conosco, muito obrigado.


-Não foi nada - sorrio - tomem mais cuidado, ela é  esperta e curiosa.


-Sim, muito obrigado - agradecem mais um vez antes de saírem.


-E você é uma boa pessoa - Wonho segura minha mão - Myung, sei que entrar nesse meio do nada deve estar te assustando, e nunca irei te pedir para fazer algo que não queira, então, sempre que precisar estou aqui.


-Obrigada tio, acho que agora devemos ir ou chegaremos muito tarde em Seul, e não quero perder mais um dia de aula.


Após sairmos do parque pegamos um taxi ate o hotel, lá todos os outros meninos já esperam com as malas no carro. A noite caiu e acabei nem percebendo com tudo o que aconteceu. 


Rapidamente pegamos nossas coisas e colocamos nos carros também, Shownu e Wonho pagaram o hotel e finalmente podemos seguir para Seul. Fazem alguns dias que falto na escola, não faço a mínima ideia do que os professores estão passando, se continuar assim minhas notas irão cair, sem contar que, quase fiz coisas que não devia com ChangKyun e tenho certeza que Alexia gosta dele, que amiga é essa? Acabamos de nos resolver, se ela souber que nos beijamos e dormimos juntos ela ficará brava, conheço essa garota, mas é melhor contar do que descobrir depois, não sei o que fazer.


Chegamos em casa já tarde, cada um seguiu para seu quarto sem muitas palavras, pelo visto ChangKyun e Hyungwon se divertiram em uma balada na cidade durante o tempo que tivemos livres, típico dele, os outros parecem ter feito competições de algo, esses garotos amam jogar também. 


Antes de dormir apenas tomei um banho, foi fácil desmaiar na cama com o sono. No outro dia acordo cedo, tentando não me atrasar, arrumo todo o necessário e logo desço. Na cozinha já encontro Kihyun e Minhyuk tomando café, os dois conversam calmamente sobre coisas aleatórias. Quieta pego as coisas para que eu tome café também, fico com um pouco de vergonha perto de Minhyuk, não conversamos muito ainda.


-Bom dia - sento ao lado deles na ilha.


-Bom dia - Kihyun diz sorrindo.


-Bom dia garota, soube que fez Shownu sair ontem, como conseguiu?


-Eu e Wonho inventamos uma desculpa para ele sair.


-Desde que chegou aqui Shownu parecendo um pouco diferente.


-E isso é ruim?


-Não - Minhyuk sorri - ou talvez seja, veremos.


-Myung, eu vou te esperar na garagem - Kihyun se levanta pegando as chaves - não demore muito.


-Okay, já vou - começo a comer o pão.


-Tome cuidado com ChangKyun, acho que deve saber o que ele quer.


-Por que está me dando concelhos Minhyuk?


-Você parece ser legal, mas é muito inocente, nesse meio deve tomar muito cuidado, não só com ele, com tudo.


-Acha que ChangKyun só quer transar comigo e depois me deixar de lado, ele nunca namorou alguém para valer?


-Preferimos não ter relacionamentos sérios, envolver pessoas  conosco é difícil, se acabarmos gostando delas ficará pior não acha? - se levanta bagunçando meus cabelos - tenho que ir, as boates não irão se ajeitar sozinhas.


-Bom trabalho Minhyuk.


-É engraçado ouvir isso - sorri - obrigado Myung.


É como meu tio e Shownu disse, eu não sei o que cada um desses meninos passou, pelo visto eles se afastam das coisas que podem lhes dar emoções e sentimentos, assim não causam confusões para ninguém, parece ser tão solitário viver dessa forma. 


Acabo de comer pensando no que fazer, não irei mais embora, só que, como devo viver aqui? Deixo o copo na pia sabendo que logo a empregada irá chegar e lavar, os seguranças e empregados da casa são tão quietos que nem vemos direito. 


Ao dar o primeiro passo para fora da cozinha sinto um clima pesado no ar, dois casais que aparentam ter mais de 40 anos se encontram no meio da sala de frente para as escadas, ao lado deles uma garota de cabelos longos, vestido rosa claro rente ao corpo, ela tem um ar de negócios e alta classe, posso dizer também que tem estilo, só de repara-los sei que todos tem dinheiro. Os dois homens já os vi, creio que tenha sido na festa fantasia quando nos reunimos, as duas mulheres sérias segurando o braço de cada uns deles, creio que sejam suas mulheres.


-Abeoji não esperava que fosse vir - ouço Wonho na escada.


-Hyungnim, creio que não precisam estar aqui - Shownu desce ao lado dele.


-Estão nos expulsando? - um deles fala, agora pensando bem, creio ser o pai de Shownu.


-Claro que não - Wonho para na frente deles os cumprimentando com respeito.


Espera, se um daqueles homens é o pai de Wonho, então quer dizer que é meu avô? Não queria conhecê-lo assim. Na verdade, acho que já conheci e nem falei com ele.


-A quanto tempo oppa - a mulher jovem diz sorrindo - devia nos receber melhor, quem é essa garota? - olha para mim - achei que já havia parado de trazer pessoas desse tipo para casa - passo os olhos por mim.


-Essa é Myung-Hee, não fale assim dela ou irá se arrepender - Wonho fica sério.


-Ahn, prazer em conhece-los - sorrio sem graça - tenho que ir para a escola então irei sair, até mais.


-Boa aula - Wonho diz sorrindo e acenando.


-Se chegar depois da meia noite não irá entrar - Shownu resmunga.


-Okay, tchau - aceno enquanto saio correndo.


O clima naquele lugar está tão pesado que parece uma sala de gravidade aumentada, não sabia o que dizer na frente deles, muito menos o que fazer. 


-Por que está com essa cara, parece que viu um fantasma - Kihyun diz ligando o carro enquanto entro neste.


-Você sabe quem são aquelas pessoas na sala? - coloco o cinto me ajeitando.


-Não sala? Ah, os vi chegando, deve estar falando dos pais de Shownu e Wonho, a mulher é uma amiga de infância nossa, o pai dela não é da máfia mas trabalha para o governo.


-Entendi porque eles parecem tão, nem sei dizer.


-Não fique assim, eles parecem assustadores mas são piores do que isso - sorri dirigindo.


-Obrigada por avisar.


-Tome cuidado e não mostre suas fraquezas nessa casa, para ninguém, nem mesmo pareça inocente da forma que é na frente deles, isso é motivo para fazerem algo.


-Okay, estou ficando um pouco nervosa, acho que irei cogitar ir embora de novo.


-Não é para tanto também, afinal os pais de Wonho são seus avós.


Até parece que vai ser fácil viver nessa família, espero que quando chegar da escola não tenha mais ninguém lá, que eles estam bem, mas bem longe de lá. Falando em escola, tenho que conversar com Alexia.



Notas Finais


O que estão achando até amores? Lentamente a história vai se desenrolar e tem muita coisa para acontecer ainda, então aguardem, já aviso que provavelmente essa fic não irá acabar tão rápido 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...