História Who Got The Power? - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Katy Perry, Taylor Swift
Personagens Personagens Originais
Tags Ciumes, Katy Perry, Kaylor, Lgbt, Romance Lésbico, Romance Policial, Swiftperry, Taylor Swift, Yuri
Visualizações 54
Palavras 3.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Hentai, LGBT, Luta, Orange, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo, aproveitem

Capítulo 6 - Guerra Fria.


Fanfic / Fanfiction Who Got The Power? - Capítulo 6 - Guerra Fria.

NARRADOR 

 

Katheryn levou o braço até seu rosto, cobrindo os olhos da claridade do dia que adentrava o quarto pela janela e cortinas abertas. Exclamou um palavrão baixo, mexendo-se na cama tentando se livrar do mar de cobertas grossas que envolviam seu corpo. Sentou-se, piscando os olhos em confusão quando não reconheceu os tons pastéis de seu quarto bagunçado, mas sim tons amadeirados por toda parte. A morena, no auge de sua sonolência, levou cerca de um minuto para se recordar que estava na fazenda de Taylor e dos acontecimentos da noite anterior envolvendo a loira e Anna. 

Mordeu o lábio inferior, como se tivesse mais uma vez punindo a si mesma por ter deixado Ronald convencê-la a ir até aquela fazenda. Não que Taylor beijasse mal, só de pensar das mãos da loira nela, sentia o corpo todo esquentar, mas sabia que se as duas se envolvessem, isso apenas tornaria a vida de ambas ainda mais difícil. 

 

Livrando-se de seus pensamentos, Katheryn permitiu-se tomar um banho ali no banheiro de Taylor. Parando por um momento para mais uma vez, pensar na loira. Será se a casa de Taylor, em atlanta, se parecia com aquela fazenda? Se era espaçosa e se os banheiros eram todos como aquele? Porque o banheiro no qual estava, tinha uma extensa pia de mármore, sobre a pia, alguns objetos de uso pessoal. Um longo e firme box de vidro deixando tudo organizado e separado. Katheryn engoliu um seco, aquele banheiro tinha uma aparência perfeita para realizar a fantasia da mais perversa das pessoas. 

O banho de Katheryn foi rápido, apesar dela ter se deliciando com os cremes e produtos de higiene pessoais de Taylor, para usá-los, Katy não havia sido tímida. Ela reconhecia um bom cosmético quando via um e não perderia a oportunidade de usá-lo, Taylor que lhe arrancasse a cabeça depois. 

 

Quando saiu do banheiro, espiou pela janela o tempo, ainda enrolada na toalha, apesar de nublado, o fato de ter visto Bill correr pelo gramado usando um short e nada além disso, lhe fez sentir que talvez, não estivesse tão frio e ela também não tinha muitas opções de roupas para ficar escolhendo, era apenas um fim de semana, tinha trago poucas peças. Visando isso, Katheryn usou o vestido que ainda tinha na mala, tendo a ousadia de pegar a blusa de frio que Taylor usara na noite anterior e havia esquecido por ali e ela a pegou, vestindo. Apenas para esquentar a parte superior de seu corpo, talvez assim compensando as pernas de fora graças ao vestido curto.

 

Quando finalmente desceu, não encontrou ninguém nos andares de baixo, o que significava que todos estavam do lado de fora da fazenda e que Katheryn havia sido a última a se levantar, mas ainda não eram nem dez da manhã de um domingo e todos já estavam de pé. 

Todos acordados antes das dez da manhã de um domingo frio. Isso deveria ser um crime contra a humanidade. 

Quando Katheryn foi abrir a porta de madeira para que pudesse sair, a porta se abriu antes, revelando uma Taylor com bochechas rosadas pelo tempo frio, a loira parou, a olhando em silêncio. Diferente de Katheryn, Taylor usava uma calça jens e uma blusa fina de mangas longas. 

 

- Está frio lá fora. - Taylor avisou, depois de passear com os olhos por todo o corpo de Katy, olhando como ela estava vestida e fechou a porta atrás de si, mesmos sabendo que a intenção de Katheryn era sair e se juntar aos outros. 

 

- Eu estou usando uma blusa. Não está vendo? - ergueu uma sobrancelha, desafiando Taylor e balançou os braços, na intenção de mostrar a peça para a mulher mais alta. 

 

- Eu reconheci a minha roupa no seu corpo no momento que a vi. - Taylor rebateu, usando um tom mais sério na voz. - Não precisa me avisar. - deu um passo para frente, querendo seguir seu caminho e deixar que Katheryn seguisse o dela, mas parou bruscamente, sentindo um cheiro diferente emanar da pele da historiadora e Taylor tinha sentido bem o cheiro dela na noite anterior, jamais admitiria, mas tinha dormido com as mãos dentro daquele cabelo escuro e macio, com o rosto na curva de seu pescoço durante toda a noite, ela já conhecia o cheiro de Katheryn e não era aquele que estava preso em sua pele. - Você está usando a minha colônia. - constatou o óbvio, segurando os dois braços de Katy, inclinando a cabeça na direção do pescoço alvo, apenas para confirmar. - Deus, eu gosto tanto do seu cheiro. - lamentou, soltando os braços da morena, sem pressa. - Por que usou a minha colônia? 

 

- Credo! - Katy resmungou, passando uma mão pelo cabelo molhado. - Porque eu quis. Não posso? 

 

- Bem... - Taylor engoliu um seco, examinando bem a boca que ela já havia beijado e queria reivindicar muitas vezes mais. - É claro que pode. - afirmou, não tinha o menor problema. Não era ruim ver Katheryn em sua cama, em sua casa, dentro de suas roupas, com o cheiro de sua colônia. Soava como se Taylor estivesse impregnada nela, o que para a loira, era bom. - Eu apenas prefiro o seu próprio cheiro. - finalizou, pronta para se afastar mas Katheryn a segurou desta vez, no pulso. 

 

- Sobre ontem... - engoliu um seco, sem coragem de olhá-la nos olhos. - Se seus amigos não estivessem aqui e... 

 

- Sim, Katheryn. - Taylor interrompeu, já imaginando o que ela queria saber. - Eu teria terminado o que comecei e só pra você saber, ainda pretendo terminar. - garantiu séria, aproximando-se mais uma vez de Katy, erguendo seu rosto quando delicadamente tocou em seu queixo. - Não se preocupe, nós apenas começamos. - anunciou, se afastando com pressa, sumindo dentro da casa e Katy respirou profundamente, saindo. 

 

Do lado de fora, o vento se fazia presente, castigando a pele de quem estivesse descoberto, mas Bill parecia não se importar, perto da piscina, ele jogava futebol americano com Ronald. Bill usava apenas uma bermuda, Ronald usava calça e blusa regata. Os dois apenas brincavam, jogando a bola um para o outro e correndo. Uma música suave saía do pequeno som parado perto da piscina e Katy só pensava em alguém esbarrando e jogando tudo dentro da água. Ela certamente poderia esbarrar ali num momento de distração. 

Da varanda, ela podia ver Anna e James juntos, afastados de todos, ele parecia estar ensinando algo para ela com a arma, que atirava na direção de um troco marcado com uma bola em vermelho; o alvo. 

 

- O que eles estão fazendo? - Katheryn sentou-se nos bancos dentro da varanda, ao lado de Alice, que estava ali sozinha, folheando uma revista de moda, ao seu lado, tinha alguns latinhas de cerveja ainda fechadas e ela segurava um cigarro. 

 

Alice girou a cabeça para onde Katheryn apontava, seu cabelo curto batendo em seu rosto e ela suspirou, estreitando os olhos na direção dos amigos, com a revista em seu colo. - James está ensinando Anna a atirar. - explicou, voltando sua atenção para a revista. 

 

- Anna não sabe atirar? - surpreendeu-se, aceitando uma cerveja oferecida pela perita criminal. 

 

- Não. - deu de ombros, como se fosse óbvio. - Anna não precisa atirar. Não trabalha na linha de frente. - Katy mordeu os lábios, claro que nao, Anna era uma cientista como se intitulava, não precisava atirar. - Eu sei atirar. - Alice zombou, exibindo seu rosto avermelhado e lábios pálidos para Katy, enquanto puxava a fumaça de seu cigarro e quando a soltou, Katheryn tossiu. 

 

- Meu Deus! Isso é maconha? - olhou para a pequena mesa de madeirite no meio dos bancos e realmente tinha maconha ali. 

 

- É. - Alice a olhou, assustando-se com a surpresa da historiadora. - Quer dar um trago? - ofereceu o cigarro entre seus dedos finos e Katheryn negou firmemente com a cabeça, tirando uma risada da mulher. - Como você veio parar no meio da gente? - riu, um pouco mais baixo, mordendo o lábio inferior. - Jesus, você está perdida aqui. - prendeu o cigarro entre os lábios, voltando algumas folhas na revista e sentou-se mais perto da morena. - Olha essa roupa. O que acha? - apontou o dedo para um vestido longo e vermelho, esvoaçante nas pernas e firmes na cintura, com um decote generoso e um fenda na perna esquerda. - Eu tenho um salto preto que vai combinar perfeitamente com ele. Mas o que acha? - soltou a fumaça, virando o rosto na direção aposta a mulher sentada ao seu lado. - Não quero soar desesperada. 

 

- Pra qual ocasião? - perguntou, aquele vestido cairia perfeitamente no corpo esguio de Alice. Ela faria um rebuliço dentro daquele vestido. 

 

- Um casamento. - passou a mão na testa, tirando o cabelo liso dali. - É muito? 

 

- Bem, você chamará mais atenção que a noiva. - Katy garantiu sorridente. - Acho que é perfeito! - concluiu, tirando uma gargalhada alta da mulher ao seu lado. 

 

- Eu gosto de você, Katy. - Alice murmurou, ainda rindo, desta vez mais controlada. - Gosto mesmo. - suspirou, recuperando o fôlego e tragando o cigarro de maconha mais uma vez. - Isso vai ser maluco. - murmurou pra si mesma, ainda passeando com o dedo pelo vestido impresso na revista, como se tivesse imaginando o momento que ele estaria em suas mãos. 

 

Katheryn ficou mais um tempo ali, em silêncio, vez ou outra recusava o convite insistente de Bill e Rony para que ela fosse jogar com eles. Não gostava de nenhum tipo de futebol e não iria se atrever a sair correndo como louca pelo gramado úmido usando um vestido curto e sentindo frio. Katy apenas deixou o lugar onde estava, quando Anna a viu, gesticulando para que ela fosse até ela, de longe e Katheryn obedeceu, caminhando até Anna e James. 

 

- O que foi? - sorriu, mordendo o lábio para que os dentes parassem de tremer. - Credo, estão tão frio. - resmungou, apertando os braços ao redor do corpo. 

 

- James me ensinou a atirar. - Anna sorriu, apontando a arma na direção de Katy que mudou-se de lado, ficando próxima de James. - Não se preocupe, está tratava. Não vou matar você. - colocou uma mecha de seu cabelo castanho atrás da orelha. - Segure. - murmurou, colocando a arma na mão direita de Katy, que desceu a mão no momento que segurou a arma, surpresa com o peso. 

 

- É pesada. - surpreendeu, nunca tinha pego numa arma antes. Não sabia que poderia ser tão pesada. 

 

- Este é um revólver taurus. - James explicou, aproximando-se dela. - É minha. Você quer atirar? - perguntou, erguendo uma sobrancelha. - Veja o alvo, Anna acertou um tiro quase dentro da bola. - apontou o longo dedo na direção da árvore pintada e Katy sorriu, realmente havia sido quase. 

 

- Você foi bem! - elogiou, recebendo apenas um aceno de cabeça animado em resposta. Mordeu o lábio inferior, analisando o objeto fatal em suas mãos. - Não sei se é uma boa ideia atirar. - confessou seu temor, os olhando e viu ao longe, Taylor se aproximar deles. - É pesada, posso perder o controle. 

 

- Não há o que temer. - James a tranquilizou. - Ela ainda está travada. - lembrou. - Vou te ensinar, quando você estiver pronta.

 

A morena ponderou por um momento, olhando o revólver em sua mão, olhando o troco da árvore, a distância e quais eram as chances dela machucar alguém além de si mesma com aquela brincadeira e pareciam bem baixas para que ela não tentasse. 

 

- O que as crianças estão fazendo aqui? - Taylor questionou, num tom rouco quando aproximou-se deles, cruzando os braços cobertos pela blusa nos seios, só notando naquele momento que Katheryn segurava uma arma. - Vocês são loucos? - olhou na direção dos amigos. - Não acredito que deram uma arma pra ela. - aproximou-se, querendo pegar o revólver mas Katy se afastou, ainda o segurando. - Sério? Você quer mesmo fazer isso? - ergueu uma sobrancelha, admirada pela ousadia e Taylor esperou, desejando que Katheryn lhe desse uma resposta satisfatória, mas recebeu o contrário: 

 

- Eu quero tentar. - murmurou, segurando firmemente a arma para baixo, sem apontar para ninguém. - Só quero tentar. - enfatizou, voltando para seu lugar de antes, de frente para a árvore, com uma distância de alguns metros, no mesmo local que Anna havia atirado em sua vez. 

 

- Deixe-a tentar, Taylor. - Anna incentivou, com um sorriso bonito nos lábios enquanto o vento fazia uma bagunça sensual em seus cabelos ondulados. - Eu confio em você, Katy. Por mim você pode ir. - garantiu, sorrindo na direção de Katheryn e Taylor revirou os olhos, soltando um suspiro desgostoso. 

 

- Eu ou você? - James perguntou e Taylor percebeu que aquela era uma batalha perdida. Havia sido vencida pela maioria. Smith também queria que Katheryn atirasse. 

 

- Eu. - cedeu, aproximando-se da morena. - Não vou deixar que ensine-a a fazer isso. Só o fato de você ter colocado uma arma nas mãos dela prova sua falta de bom senso. - justificou-se para James, que apenas sorriu divertido, os provocamentos de Taylor eram absurdos, ela sempre tinha um comentário amargo para fazer. 

 

- Foi eu que lhe dei a arma. - Anna comunicou, cruzando os braços nos seios, olhando seriamente para Taylor que virou a cabeça na direção dela. Elas eram amigas, mas Anna em todos seus anos de amizade nunca havia abaixado a cabeça uma vez sequer para a loira, entre as duas, tudo era uma questão de disputa. Anna tinha a mesma necessidade de estar no controle da situação, assim como Taylor, o que tornava tudo ao redor delas muito tenso. Anna usava suas muitas habilidades conquistadas com anos de estudos em ler os sinais dos outros para estar sempre um passo adiantada da loira, já Taylor, usava sua apatia para mantê-la afastada o suficiente para que não pudesse lê-la. - Algum problema? Não dei a arma para nenhuma criança. Katheryn é uma mulher adulta. - concluiu.

 

- Bem, vejamos, se ela der um tiro em si mesma com essa arma, será um problema. - Taylor rebateu, usando um tom frio para disfarçar seu nervosismo. Taylor não trabalhava com impulsividade, não era impulsiva. Sua mente funcionava de forma fria enquanto ela dava respostas sarcásticas e inteligentes para cada provocação que recebia, apesar que por dentro, pegava fogo de ódio. - Caso isso ocorra, espero que você saiba lidar com isso, Chistyakova. - debochou com um tom de puro desdém, chamando Anna por seu sobrenome e Katheryn franziu a sobrancelha. Chistyakova, era russo. 

 

Anna era russa? 

 

- Ainda não surgiu nenhum problema que eu não possa lidar, Swift. - Anna rebateu com o mesmo tom de voz desdenhoso e debochado, soltando uma risada no fim. 

 

Katheryn engoliu um seco. Jesus. Ela só queria dar um único tiro, não causar uma guerra fria entre as duas mulheres. 

 

Taylor não disse mais nada, apenas posicionou o corpo atrás do de Katheryn, segurando firmemente em sua cintura com as duas mãos, ajeitando-a na direção reta para árvore. 

 

- Você vai esticar sua mão direita. - a loira murmurou baixo, passando a mão por todo o braço direito da historiadora, até segurar em sua mão e Katheryn desejou que James lhe ensinasse, o quadril de Taylor colado em sua bunda, a respiração dela em seu pescoço não lhe ajudava a ter nenhuma concentração para atirar, pelo contrário. - Preciso que você fique com o braço firme, entende? - questionou, segurando a mão com força para frente, mantendo o braço de Katheryn esticado. - E você vai segurar aqui com força. - pegou a mão esquerda, fazendo Katheryn pegar no próprio pulso direito. - Precisa segurar com força. - enfatizou, apertando o pulso da morena, mostrando como gostaria que ela fizesse. - Se você não segurar, quando você apertar o gatilho, sua mão vai ricochetear e seu braço pode voltar. - explicou num tom rouco, fazendo todos os pelos da nuca de Katheryn se arrepiarem. - Isso significa que você pode atingir seu rosto ou faturar o pulso. 

 

- Eu sei o que significa. - Katheryn rebateu num sussurro, engolindo um seco. Ela não era estúpida. Taylor sorriu, descendo as duas mãos ao mesmo tempo, pegando firmemente em seu quadril desta vez. 

 

- Sinal que você sabe onde está se metendo. - a loira respondeu provocante, subindo as mãos uma outra vez, provando que tinha a segurado no quadril apenas para irritá-la. - Eu vou segurar aqui. - afirmou, colocando suas duas mãos, uma em cada pulso de Katheryn, não fazia nenhuma pressão, apenas as tinha colocado ali. - Para no caso de sua mão voltar, se isso acontecer eu vou segurá-la. Não se preocupe. - explicou e talvez Katy estivesse doida, mas tinha notado uma pitada de preocupação na voz suave. - Mas tente manter as mãos firmes. - orientou uma última vez. - Eu destravei a arma, quando você estiver pronta, apenas mire e atire. - sussurrou e Katheryn suspirou, nervosa. - Quando você estiver pronta, tenha o seu tempo. - Taylor tentou tranquilizá-la. 

 

- Apenas respire, Katy. - Anna murmurou, ainda com os braços cruzados nos seios. - Quando você estiver pronta. - repetiu o recado de Taylor, lhe sorrindo e por um momento Katheryn virou a cabeça na direção de Anna, mas Taylor a parou, levando a mão para seu queixo, fazendo-a olhar para frente novamente e logo depois voltou a segurar em seus pulsos. 

 

- Você está segurando uma arma, isso é mortal. - lembrou, num tom mais ríspido. - Preste atenção no que você está fazendo. - repreendeu séria. - Quando você estiver pronta. - repetiu, enfatizando uma última vez. 

 

Katheryn suspirou profundamente, mirando e então, numa ação automática fechou os olhos quando apertou o gatilho e o barulho estridente se fez presente no ar. A próxima coisa que sentiu foi a pressão firme de Taylor em seus dois pulsos e algum tempo depois, suavizou-se e Katy abriu os olhos. 

 

- Ai, meu Deus! - gritou animada, quando percebeu que tinha atirado muito próximo do local que Anna havia acertado, quase dentro do alvo. - Você viu isso? - olhou para Taylor ainda rindo. - Vocês virão?! 

 

- Foi ótimo! - Anna exclamou sorridente, se aproximando dela e James bateu palmas. - Foi muito bom, ok? - murmurou, segurando-a pelos ombros, Katy já tinha soltado o revólver no gramado. - Foi ótimo! - enfatizou, abraçando-a apertado. - Viu, Taylor? Ela pode fazer. 

 

- Claro. - Taylor concordou. - Se eu não tivesse segurado nos pulsos dela, você veria o que um revólver com o cano ainda quente é capaz de fazer num rosto desse. - gesticulou para o rosto da morena, antes de se abaixar e pegar a arma, entregando para James. - Mantenha isso num lugar seguro. - pediu. - Longe das mãos de iniciantes. - afrontou, olhando diretamente para Anna. - E Katheryn, você foi excelente. - elogiou, lançando um meio sorriso para a historiadora. - Só precisa ter mais firmeza nas mãos, como eu disse. Mas de resto, excelente.  


Notas Finais


Uma pergunta: Vocês gostam da Anna?
Me deixem saber oq estão achando, até breve


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...