História Who Needs to be normal?- Interativa- - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Escola, Fanfic Interativa, Interação, Interativa, Interativo, Legal, Maneirão, Marvel, Mutantes, Originais, Phoda, Romance, Top
Visualizações 36
Palavras 625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Voltei com mais um pequeno capítulo. Esse não vai ser o único da semana, só o fiz para mostrar que não morri... Kkk. Coloquei uns personagens novos, e os que não apareceram vão aparecer no próximo... É que estou planejando alguma coisa mais romântica... Sabe...

Capítulo 6 - Antes do calar da noite


 A capital era realmente um lugar com clima comprometedor. Já fazia uma semana em que Amberly tinha sumido, e faziam exatos sete dias em que só se viam tempestades. Faziam três dias que Kennedy veio a óbito, e catchbum, essa tempestade virou um furacão, categoria 1. Vinha com intensidade para a costa. Eram notícias alarmantes.

 Quem dera que esse fosse o maior problema que os mutantes tivessem que enfrentar.  Engraçado, que em teoria eles eram livres, quase atingindo a maioridade perante a lei. Mas na prática, eram pássaros engaiolados como sempre. Pior ainda com os acontecimentos recentes.

 Já não era a mesma coisa para aquele pequeno grupo de adolescentes, ficar até tarde acordados, no dormitório de um deles, com lanternas e doces, contando histórias de terror, sem ter Amberly para abraçar algum quando sentia medo. Era difícil estar sem a cola do grupo. Não restava nada além de ter pensamentos positivos.

 —Quantas balas você ainda tem, Hermes? -Happy perguntou, ligando a lanterna no rosto do seu amigo de cabelos platinados. Estavam todos acordados e na vigia, pois a chuva batia muito forte -

  —Bem - Hermes colocou a mão no bolso, mexeu um pouco. Tirou um punhado de balas - Aqui tem umas cinco.

 —Será que você pode me dar uma? - Ele fez que sim com a cabeça, fazendo a pequena proeza de usar seus poderes cinéticos. Primeiro jogou a balinha para cima, fazendo fechou os olhos, e derrepente ela estava nas mãos da rosada -

—Ei! Você não deveria usar os poderes tão desprevenido…  E se alguém do governo descobrir? Nós não sabemos o que eles fazem com quem os usa - Ártemis falou, num tom preocupado. Ela sabia dos relatos, sobre agulhas e macas. Era o boato afinal, já que Amberly havia sumido. Arty sabia que era questão de tempo até Hermes descobrir, sabia que ele estava muito preocupado. Não só ele, mas muitos. Iria guardar essa informação por mais tempo -

—Art… - Hermes iria se pronunciar, até que Julian - que apesar de não ter sido convidado para a roda de conversa, dividia o quarto com Nero, que ficou responsável por emprestar o dormitório naquela noite - o interrompeu, sentando na cama, já que não conseguia dormir por causa do barulho -

 —Você tem medo de agulhas não é? Tem medo de voltar a viver as experiências daquele laboratório. É isso mesmo que acontece com quem usa seus poderes. Deve ter acontecido com aquela sua amiguinha, a Amberly. Por que será que ela sumiu? - Julian falou num tom sarcástico, querendo mostrar que era óbvio. Ninguém queria acreditar naquilo. Todos que estavam na roda jogaram um olhar de desaprovação para o onix -

  —Ei cara, se não for para contribuir com a conversa, nem fale nada. Precisamos de fatos, não de boatos… - Nero foi cuidadoso com suas palavras, não queria provocar reação negativa. Mas também, não iria deixar que ele agisse errado dessa forma -

 —Tanto faz - Julian deitou novamente, fechando os olhos-

 Hermes não quis se meter, já tinha tido um incidente com Julian. Era melhor apagar esse comentário, apesar de que fez muito sentido. Talvez o platinado estivesse acreditando.

 —Boa noite… Eu vou indo, a chuva já parou -Happy esfregou os olhos, ficando em pé e colocando a lanterna em cima da cama de Nero. Foi com cuidado para não pisar em ninguém, abrindo a porta cuidadosamente e saindo. Logo depois, Artemis olhou o relógio de pulso, desencostou do guarda roupas, ficando em pé-

 —Boa noite - Saiu do dormitório também. Logo foi a vez de Herme, que pegou sua lanterna, ficou em pé e bateu nos bolsos, para ver se não tinha derrubado  seu ioiô. Vendo que não, deu tchau a Nero e saiu também -







Notas Finais


Não esqueçam das opiniões...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...