História Who Will Survive - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Ezekiel, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Hershel Greene, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Shane Walsh, Tara Chambler
Tags Ação, Apocalipse, Drama, Seriado Inscrito, Sobrevivencia, Terror, The Walking Dead, Violencia
Visualizações 2
Palavras 1.836
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - S02E13 (Season Final) - Something to Fear pt. 4



MICHAEL


     —Isso é tão triste,— Fluffy se aproximava de mim enquanto falava. —eu detesto quando um casal acaba se separando, ainda mais desse jeito, mas isso foi culpa sua, fez uma promessa que não podia cumprir.


     —Sabe oque eu faria se fosse você?— O encarei ainda chorando. —Seu fosse você me matava, por que eu não vou descansar até partir seu corpo no meio.— Ele deu um sorriso e ia se virar. —Olha pra mim!— Ele me olhou. —Eu vou matar você da pior forma possível, eu vou fazer sobrar só pedaços de carne do seu corpo, e depois eu vou comer seu corpo! De todos vocês! Eu juro que vou comer!


     —Mais uma promessa que você não pode cumprir.— Fluffy sorriu.


     —Não, essa promessa eu vou cumprir! Eu tô falando sério, eu vou comer sua carne!— O encarei e ele fez o mesmo.


  Ele parecia estar furioso, mas eu não estava ligando, eu estava falando a verdade, eu vou matar esse filho da puta e depois vou comê-lo. Continuamos nos encarando, até que ele começou a sorrir, então começou a gargalhar.


     —Deus,— Ele disse. —você não aprende a lição, porra! Então está bem, eu ia deixar o senhor sem braço ali pra comer por último, mas acho que vou deixar você por último.


     —Você pode matá-los, pode comê-los, mas minha promessa vai ficar de pé, eu vou comer você, seu filho da puta!— Falei.


     —Então tá, né. Vamos acabar com isso, queimem a casa.— Eles acenderam tochas e tacaram gasolina na casa, então botaram fogo na casa. Lá estava eu, observando a casa pegar fogo enquanto o brilho das chamas deixavam os andantes que estavam nos cercando mais agitados. —Que caras são essas? Não acharam que eu tava brincando, acharam? Tanto faz, não importa, deixem a garota morta aí, temos uma longa caminhada pela frente.


  WC me levantou e acorrentou minha mãos, ela fez o mesmo com todos e nos colocou andando em filas. Eu ia na frente, Elliot atrás, depois Amanda, Mattews e por último Jean.


     —Michael,— Chamou Elliot. —eu sinto muito, eu não sabia que eles estavam me seguindo!


     —Depois que eu matar Fluffy eu vou pegar você, Elliot.— Falei.


     —Eu...sinto muito mesmo.— Disse Elliot.


     —Eu não estou nem aí pro que você sente ou não, eu vou te matar.— Olhei pra ele por cima do ombro.


MATTEWS


     —Amanda.— Cochichei.


     —O que foi?— Ela perguntou.


     —Eu posso tirar a gente daqui.— Respondi.


     —O que?


     —Eu sempre deixo uma faca dentro do meu sapato.


     —Por que não a usou antes?


     —Eu não estava perto o suficiente dele, eu queria matá-lo, mas não podia fazer nada.


     —E oque eu preciso fazer?


     —Você não, Michael precisa distrair ele, se a gente parar eu consigo pegá-la. Vamos fazer o seguinte….— Expliquei o plano pra ela. —quando eu dizer “não aguento mais caminhar” a gente começa.


     —Tudo bem.


MICHAEL


     —Michael,— Chamou Elliot cochichando.


     —Que foi?— Perguntei.


     —Mattews tem um plano pra acabarmos com eles, você tem que...— Elliot me explicou o plano. —entendeu?


     —Sim.— Falei.


MATTEWS


     —Vocês vão adorar o nosso lar, é um lugar cheio de diversão...— Dizia Fluffy.


     —Mattews.— Chamou Amanda.


     —Ainda não.— Respondi.


     —É um pouco escuro, mas vocês vão gostar...— Continuou Fluffy.


     —Mattews.— Chamou mais uma vez Amanda.


     —Ainda não.— Respondi.


     —Tenho certeza que...oh,— Disse Fluffy. —chegamos!


     —Eu não aguento mais caminhar.— Falei.


  Michael fingiu ter um desmaio e cai no chão. Fluffy olhou desconfiado e perguntou:


     —O que ele tem?


     —Ele acabou de perder a namorada, oque você acha que ele tem?— Disse Amanda.


     —Acordem ele.— Falou Fluffy.


     —Me tapa.— Falei á Amanda enquanto tirava a bota devagar. Foi um pouco tenso, mas os três estavam prestando mais atenção em Michael. Puxei de dentro do sapato uma karambit e botei o sapato de volta. —Não estou me sentindo bem.


     —Estamos bem na frente da tenda, vamos logo.— Disse Fluffy.


     —Você não está entendendo, eu não consigo andar direito.— Insiste.


     —Peça pra mulher loira te ajudar a andar, agora...— Dizia Fluffy.


  Antes que Fluffy terminasse a frase, Michael se levantou, acertando um soco na WC  e pegando a AA-12 que ela segurava, dando apenas um tiro na cabeça dela. Cooker soltou os andantes, e antes pudesse fazer mais qualquer coisa, Michael deu mais um tiro no estômago dele. Um andante veio em mim, eu usei a karambit, cravando-a na testa do andante. Jean foi pego pelos andantes que o derrubaram no chão e começaram a devorá-lo. Fluffy correu pra dentro da tenda.


     —Peguem as coisas e voltem pra fazenda!— Falou Michael.


     —Mas e você!?— Perguntou Amanda.


     —Eu vou matar esse filho da puta!— Respondeu Michael.


     —Não temos tempo— Falei encostando no ombro de Amanda.


     —Mattews, joga a faca.— Ele pediu. E eu joguei.


     —Vamos, vamos!— Gritei.


MICHAEL


  Larguei a AA-12 no chão. Eu não queria matar aquele palhaço filho da puta tão rápido, eu queria vê-lo sofrer. Andei até a entrada da barraca, estava tudo escuro, era impossível enxergar, mas mesmo assim, eu entrei. Dava pra ouvir grunhidos e gargalhadas. De repente, sinto algo agarrar meu braço e fazer um grunhido, tinha certeza de que era um andante, mas não esperei pra enfiar a faca em sua cabeça. De repente um holofote se acendeu. Lá estava Fluffy, segurando uma motosserra que fazia um som absurdamente alto.


     —Eu não tenho medo de você!— Gritei.


     —Mas vai ter.— Ele soltou uma gargalhada e correu em minha direção com a motosserra na horizontal.


  Me abaixei, evitando o golpe da motosserra e cravei a karambit na costela de Fluffy então me afastei dele.


     —Você é um bosta sem seus amiguinhos!— Gritei, tentando provocá-lo.


  Ele correu na minha direção mais uma vez, com a motosserra na horizontal, tentei me esquivar indo pra trás, mas a motosserra pegou na minha barriga, fazendo um corte fundo, mas não o bastante pra ser fatal. Me atirei no chão devido a dor que senti. Fluffy ergueu a motosserra, a fim de me parttir no meio, mas eu rolei pro lado e cortei sua perna com minha faca bem próximo ao joelho, então me levantei por trás dele e cravei a faca em suas costas e fui abrindo-a enquanto ele gritava de dor. Ele girou a motosserra, acertando minha bochecha esquerda, abrindo um corte e fazendo me jogar pra trás e deixar a karambit cravada em suas costas para não perder a mandíbula. Ele correu na minha direção, a fim de enfiar a motosserra na minha barriga. De repente, Elliot aparece correndo até Fluffy com uma machete erguida, mas antes que Elliot pudesse fazer qualquer coisa, Fluffy enfia a motosserra em seu peito, erguendo Elliot com a motosserra, matando-o. Me levantei e retirei a karambti de suas costas e cravei em seu braço direito, então peguei a motosserra, arrancando o braço direito de Fluffy, enquanto ele grita de dor. Joguei a motosserra longe, e acertei um soco em seu rosto, fazendo ele recuar um pouco, então eu apertei o que sobrou de seu braço, fazendo-o gritar de dor. Então eu pulei no seu ombro esquerdo, arrancando um pedaço com a boca, e me afastando depois enquanto engolia um pedaço do seu ombro.


     —Filho da puta!— Ele gritou.


     —Você tem um gosto horrível.— Falei.


  Ele me acertou um soco, me fazendo cair no chão e me fazendo sentir mais dor na barriga. Ele foi tentar me chutar, mas puxei seu pé, fazendo-o cair no chão. Eu mordo o pouco que restou do seu braço direito, fazendo ele gritar ainda mais.


    “ —Mi...Michael…


  Dei outra mordida, mas desta vez foi em seu pescoço. A dor faz com que ele me empurre.


—Eu...eu te...a...amo…


  Ele ficou lá, atirado no chão, sentindo várias dores, então eu peguei a motosserra e cravei em seu estômago, e fui subindo, e quanto mais a motosserra subia mais ele gritava, até que eu o parti no meio. Acabou, Fluffy estava morto.


  Sai da tenda quase demaiando de dor, mal conseguia andar. Os andantes estavam todos espalhados, alguns vinham me seguindo, outros não.


***


  Eu já conseguia enxergar Amanda, mas não Mattews, ela estava bem distante da casa com as mochilas que Fluffy tentou roubar, a casa estava em cinzas, ali não era mais seguro, mas eu precisava fazer algo.


  Amanda veio correndo em minha direção.


     —Meu Deus!— Ela viu o enorme corte na minha barriga.


     —Eu...eu tô...— Antes que eu pudesse terminar a frase, cai no chão. Não que eu tivesse desmaiado, eu só não conseguia mais caminhar nem manter-me em pé sozinho.


  Amanda me levantou e me apoiou em seu ombro.


     —Tudo bem, você tá bem.— Ela falou.


     —Onde...onde está Mattews?


     —Um grupo de andantes acabou separando a gente, ele ainda não apareceu, Elliot também não.


     —Elliot...morreu...Fluffy o matou.


     —Ah, Deus.


     —Nós precisamos ir até a casa e enterrar Holly.


     —Claro, vamos lá.


***


  Holly já tinha se transformado. Eu não conseguia olhar, era difícil de acreditar que Holly tinha morrido.


     —Michael?— Amanda notou que eu estava chorando.


     —Eu preciso fazer.— Falei.


  Puxei a karambit da cintura e, virando o rosto, cravei em sua testa.


***


     —Ela...ela era a pessoa mais importante pra mim.— Falei, olhando pro túmulo onde enterramos Holly. —Ela era a razão de eu estar vivo, ela era minha vida. Holly, você sabia fazer de tudo, nós podíamos fazer a ação, mas você era a mais forte de todos nós, você salvou Mattews, você me salvou, porque sem você eu teria desistido...e eu não pude te salvar...eu só quero que saiba, que eu sinto muito...eu não fui forte o suficiente pra proteger todo mundo, é por isso que perdemos tanto, é por isso que eu te perdi. Você era mais do que eu merecia. Descanse em paz, Holly.


     —Descanse em paz.— Disse Amanda.


     —Precisamos ir, aqui não é seguro...vamos pegar a caminhonete e sair daqui.


     —Deixa eu tentar fazer um curativo pra sua barriga, tem alguns medicamentos aqui na bolsa.


     —Tá bom, mas depois vamos embora, não da mais pra esperar Mattews.


     —Tá bom...sabe que eu não consigo achar Pitty.


     —Ele não tava dentro de casa quando pegou fogo?


     —Não, ele desapareceu.


     —A gente encontra ele uma hora ou outra, Mattews também, de um jeito ou de outro. No fim, a gente sempre se encontra.


     —Você tem razão.— Disse Amanda, tirando minha camisa e rasgando um pedaço dela, depois amarrou em meu ferimento na barriga bem apertado.— Pronto.


     —A gente cuida do ferimento na minha bochecha depois. Vamos entrar na caminhonete.


  A gente ligou a caminhonete e fomos saindo da fazenda, o lugar que a gente achou que era seguro, o lugar que a gente achou ser perfeito, e que agora está virado em cinzas, deixando tudo pra trás, deixando Holly pra trás. Isso tudo que aconteceu foi culpa minha. Eu devia ter sido mais forte...eu não fui forte o suficiente, e por isso perdemos Brianna, perdemos Morales, por isso perdemos Holly, por isso não sabemos onde Mattews está. Á alguns metros da fezenda, pudemos ver Pitty, sendo devorado por cinco andantes...no fim, Mattews estava certo.


FIM DA SEGUNDA TEMPORADA…


R.I.P. BRIANNA

R.I.P. MORALES

BYE BYE. ALLEN

BYE BYE ETHAN

BYE BYE CRAIG

R.I.P. JEAN

BYE BYE FLUFFY

BYE BYE COOKER

BYE BYE WC

R.I.P. ELLIOT

R.I.P. HOLLY


Notas Finais


Este é o final da segunda temporada. Para ser sincero, não gosto nem um pouco das perdas que teve nesta temp, mas infelizmente é assim que é, e embora eu não queira, todos os personagens sofreram o máximo possível. Sinto muito se não gostou de uma das mortes. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...