1. Spirit Fanfics >
  2. Whose Crown Is It? (Minsung and more...) >
  3. .agulha no palheiro

História Whose Crown Is It? (Minsung and more...) - Capítulo 55


Escrita por: RainbowGirl016

Notas do Autor


Boa leitura 👑♥️

Capítulo 55 - .agulha no palheiro


Fanfic / Fanfiction Whose Crown Is It? (Minsung and more...) - Capítulo 55 - .agulha no palheiro

Os quatro trocaram as roupas e deixaram os guardar na casa, seguindo em direção ao palácio.

De primeira, conseguiram passar por parte da guarda que circulava o povoado, o que apresentou um grande avanço. Jisung era o mais tranquilo entre os príncipe, provavelmente por que estava acostumado a agir como um infiltrado.

Minho virou o rosto, é claro que Jisung sabia como agir...

Afinal, passou meses fingindo ser um guarda real ao lado de Minho. Só se lembrar que tudo o que passaram havia sido uma mentira, sentiu uma dor bem no peito.

– Hey, tudo bem? – Jisung havia notado sua inquietação.

– Estou – responde curto e grosso – Soobin, falta muito para chegar?

– Vamos entrar pela entrada dos funcionários, evitamos olhares desconfiados – responde, Minho só notando o palácio logo a frente que ficava maior a cada passo.

Seguiram Soobin e avançaram com cuidado. Nunca imaginou que Hyungwon havia conseguido tantos guardas em tão pouco tempo, mas sabia que Kihyun estava envolvido também. Se o reino Choi estava daquele jeito, como estaria os outros?

Imaginou também como estaria Gahyeon e o que Hyungwon havia feito com ela em relação a eles. Será que havia falado que todos haviam morrido na floresta? Ou usado algum controle mental?

Não, Mark não ia deixar que nada acontecesse com ela.

Ele tinha dado sua palavra...

Evitando a entrada principal, conseguiram entrar no palácio. Yeonjun avisou que a biblioteca real estava na parte leste, perto das torres de magia. Tinham que ser rápido, todas aqueles guardas estavam sendo comandados por alguém, esperavam que não fosse Kihyun.

Ou teriam sérios problemas.

Soobin e Yeonjun foram na frente enquanto Minho e Jisung garantiam que eles não estavam sendo seguidos. No caminho todos, tiveram que imobilizar apenas três guardas que exigiram as identidades...

Jisung e Minho acabaram indo mais rápido.

Chegaram na biblioteca mais rápido do que imaginavam e enquanto Soobin e Yeonjun estraram, Jisung acabou parando Minho um pouco mais afastado, parecendo irritado.

– Quando você vai parar com isso?

– Isso o que?

– Toda vez que estamos indo bem, você simplesmente fecha a cara e volta a me ignorar.

– Provavelmente você deve saber o motivo para eu não confiar nem um pouco em você – solta seu braço – Podemos ir ajudar os outros?

– Não até nos resolvermos – fala – Minho, qual é o seu problema em tentar me enxergar como antes? Eu fiz uma escolha errada sim, não preciso ser condenado para sempre por isso. Na época, eu e Changbin íamos morrer por roubar e Hyungwon acabou nos salvando. Tivemos que retribuir de uma forma...

– Eu não quero escutar desculpas Jisung...

– Minho, nascemos em mundos completamente diferentes. Enquanto você sempre teve tudo, eu tive que lutar para sobreviver – fala – Sim, eu o traí, deveria ter contato antes o meu real motivo de ter se aproximado de vocês, mas eu estou aqui agora, isso significa que eu fiz a minha escolha.

– Por que insiste tanto?

– Eu não falei toda a verdade quando expliquei o motivo de ter traído o Hyungwon – mexe no cabelo – Uma parte foi sim por achar que ele estava indo longe demais, mas a outra foi por outra coisa...

Aquilo acabou pegando Minho desprevenido e antes que pudesse pensar em uma resposta, Jisung nota algo e puxa Minho para se esconder em um dos pilares perto dali, tapando sua boca e olhando preocupado para uma direção em específica.

Olharam a biblioteca e Soobin e Yeonjun haviam sido pegos pela guarda real. Minho ia ajudar, mas Jisung o segurou.

– Vamos ficar bem! – Soobin se debatia. Ele não estava falando para Yeonjun, mas mandando uma mensagem para os amigos escondidos – Encontrem logo!

Os guardas acabaram levando os dois e quando o lugar estava vazio novamente, os dois correram para dentro e trancaram a porta. Tinham um tempo...

Olharam ao redor e a primeira palavra que veio a cabeça de Minho foi um palavrão, já que a biblioteca do reino Choi era quase o triplo de tamanho do seu reino. Minho estava se sentindo uma formiga naquele lugar...

Os Choi valorizavam mesmo o conhecimento...

– Não vamos achar nunca, vamos morrer aqui dentro antes de achar – Jisung fala – Precisamos deles, não vamos conseguir sozinhos.

– Nem sabemos onde os guardas os levaram, como vamos ir atrás deles?

Jisung começou a pensar em algo, mas parecia que estava sem sucesso nenhum. Minho continuou a olhar o quão incrível era aquele lugar, deveria ter, no mínimo, cinco andares ou mais apenas com livros e mais livros sobre diversos assuntos. A decoração branca e suave deixava o lugar ainda mais confortável para leitura e uma das paredes era cem por cento apenas vidro, o príncipe tendo uma vista completa do céu azul e mais nuvens.

Siyeon teria adorado aquele lugar.

– Merda! – escutou Jisung reclamar atrás dele – Isso é minha culpa... Eu deveria ter ficado vigiando a estrada...

Minho não sabia como responder, se não estivesse com tanta raiva acumulada, Jisung estaria menos preocupado em fazer ele tentar entender seu lado.

Não sabia o motivo de jogar toda a culpa nele, ele só acabou fazendo o que achava certo... Sua raiva deveria estar direcionada em Hyungwon, o único responsável por tudo...

Minho suspirou, admitiu a si mesmo que estava sendo imaturo, e foi até Jisung, segurando seu ombro.

– Eu também tenho culpa, mas você escutou o Soobin – fala – Temos que achar o caderno. Além do mais, eles conhecem cada lugar desse palácio, eles vão conseguir se livrar.

– Você...

Minho acabou se afastando.

– Só... vamos achar logo.

O Lee começou dar uma olhada ao redor enquanto Jisung apenas observava. Não resistiu e acabou sorrindo...

.

Ok, talvez tivesse com um pouco de raiva do Minho e Jisung por terem discutido em uma hora errada, mas nem eles sabiam que iria encontrar guardas dentro da biblioteca. Por mais que tivesse resistido, acabou entregando o jogo quando um acabou soltando um “vão ficar com o outro de vocês”

Tinha que ser Beomgyu, não tinha outra opção.

Acabou que foram rendidos e levados. Minho e Jisung acabaram se escondendo, mas Soobin precisava que eles encontrassem o caderno. Se os guardas os levassem para as celas, tinha uma forma se escapar. O reino Choi não era conhecido pela força física, porém intelectual. As celas que haviam para prender os criminosos quase não eram usadas e eram fracas.

Com um pouco de força, conseguia sair e retornar a biblioteca, mas queria ter certeza onde Beomgyu e até mesmo seus pais estavam.

Yeonjun também estava calmo, ele também sabia do defeito das celas.

Seguiram e pelo modo como os guardas os trataram, provavelmente não sabiam que os príncipes eram, apenas os confundindo com invasores. Isso era bom, tempo até eles informarem ao capitão o paradeiro deles...

– Beomgyu!

Desceram e a primeira pessoa que encontraram na cela foi o irmão mais novo, que sorriu de preocupação ao verem os mais velhos ali. Os dois foram jogados na mesma cela que o mais novo, onde Yeonjun foi o primeiro a abraçá-lo. Os guardas não importaram, apenas foram embora.

– Você está bem? Eles o machucaram? – Yeonjun tentou encontrar algum machucado no mais novo.

– Estou bem, eles chegaram do nada informando que nosso reino tinha um novo governante – fala – Alguém chamado Hyungwon... o que está acontecendo? Por quê estão aqui? Não deveriam estar no reino Lee para os jogos?

– Tanta coisa aconteceu Beomgyu, mas não temos tempo para explicar tudo – Soobin fala – Onde estão nossos pais?

– O capitão os matou... – fala – Ele nos trancou aqui e umas horas depois, vieram buscar os dois e...

– Tudo bem, vamos sair daqui antes...

Yeonjun acabou parando e tropeçando. Soobin o ajuda, mas nota o verdadeiro problema. A poção que deveria deixar as asas de Yeonjun escondidas estava no limite, pois as asas dele estavam ficando visíveis novamente.

– Mas o que... – Beomgyu exclama ao ver as costas do irmão – Isso são...

– Bem, também é uma longa história – Soobin explica.

– Mamãe estava certa sobre você – o mais novo fala, perdido nos pensamentos – Você é fada mesmo...

Os dois olharam para o mais novo, principalmente Soobin...

– Mamãe falou sobre o Yeonjun? – ele se aproxima do mais novo – O que ela disse?

– Ela sabia que iam matá-la com o papai, por isso acabou me falando um pouco mais sobre o Yeonjun. Ela não falou muito, pois quando ia terminar, os guardas a levaram.

– Beomgyu, o que ela falou sobre mim?

Ele não parecia muito animado com a ideia de contar a verdade, mas era isso ou nada.

– Eu sinto muito Yeonjun... mas você não faz parte da família real – fala – Não é nosso irmão...



Notas Finais


Olá minha realeza! Tudo bem com vocês?!

Então, babado fortíssimo esse agora né o fato de o Yeonjun não ser da família né? Eta lasqueira que agora o bicho pega - nordestina, me deixem - Mas se bem que está tudo bem até agora né?

Aceitam chá? Para acalmar os nervos? 🍵

Vou postar mais... três capítulos hoje? Não sei... vou ver se vocês merecem mesmo...

Comentem o que acharam e até o próximo capítulo ♥️♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...