1. Spirit Fanfics >
  2. Whose Crown Is It? (Minsung and more...) >
  3. .esconder

História Whose Crown Is It? (Minsung and more...) - Capítulo 76


Escrita por: RainbowGirl016

Notas do Autor


Boa leitura 👑♥️

Capítulo 76 - .esconder


Fanfic / Fanfiction Whose Crown Is It? (Minsung and more...) - Capítulo 76 - .esconder

Mark ficou um bom tempo ali, querendo garantir que os dois não saíssem bem na hora que o guarda estivesse passando. Se havia uma coisa que Mark não era bom era em disfarçar o nervosismo. Se os dois percebessem que havia algo de errado com o guarda, iriam suspeitar.

E ia ser muito ruim.

Precisou acelerar em tentar chegar na biblioteca pelo caminho mais longo, evitando chamar atenção. Passou por alguns guardas, que apenas se curvaram para o rapaz – ele era bem respeitado por lá, já que era o guarda oficial da futura rainha – antes de irem embora. Mark tentou manter a calma, mas só o fato de ter descoberto que Minho e os outros estavam vivos...

Mudava tanta coisa.

Ele apenas sabia que nem ele e Gahyeon deviam estar ali. Se Minho estava vivo – e de acordo com Kihyun, estavam em uma floresta encantada – precisava levar Gahyeon até ele. Ele sabia que tinha algo estranho naquela história das mortes...

Nos dias da mortes, tinha dormido ao cuidar de Gahyeon quando estava doente. Quando foi atrás dela depois, a encontrou traumatizada enquanto Hyungwon falava com ela. A sala do trono estava fechada, mas assim que explicaram o que “ tinha dentro”, ele apenas ficou com a menor.

Para no final, ser tudo mentira.

– Apressado Mark?

Ele parou imediatamente assim que Kihyun apareceu em sua frente. Como era possível? Estava longe da sala do trono...

Magia.

Simples assim.

– Kihyun – engole o seco, mas segue o roteiro – Eu estava indo ver a Gahyeon.

– Ir até a biblioteca nesse caminho é bem longo, tenho certeza que não gostaria de deixar a princesa esperando.

– Acabei mudando um pouco. Tem partes no castelo que ainda não conheço e tenho que me esforçar para aprender cada canto desse lugar. Aprendi rápido no reino Son...

– É bom, afinal, tenho certeza que não abandonaria a princesa aqui – sorri – Sabe, eu estava conversando com o Hyungwon e senti alguém por perto. Sabe me dizer se, por acaso, não passou por lá?

– Sim, eu passei – fala – Parecia uma conversa séria, não quis atrapalhar.

– Uhm... certeza que não ficou curioso em escutar? – Kihyun parecia querer que Mark admitisse a verdade.

– Não, se ficasse esperando, Gahyeon ia acabar comigo – responde, tentando parecer natural – Chá da tarde.

– Verdade, eu quase ia me esquecendo – sorri – Bem, não queremos fazer a princesa esperar, afinal, você é a única pessoa que ela confia depois do trágico acidente da família dela.

Mark curva-se e tenta seguir em frente. Antes de ir embora, Kihyun se aproximou dele e segurou seu braço com força.

– Sabe, você é bem fiel a princesa, sei que faria de tudo para cuidar dela – fala, em tom mais ameaçador – Mas, se por acaso, você pensar por conta própria em ir contra as nossas ordens, posso garantir que não ficará bem para seu lado. Estamos entendidos? – olha para o guarda.

– Estamos...

Kihyun parecia aliviado, pois soltou Mark e sorriu, indo embora pelo corredor.

Quando sentiu que estava sozinho, ele desaba no chão. Parecia que havia sido apenas um aperto no braço, mas o guarda havia sentido como se todo o seu corpo tivesse desaprendido a respirar. O ar entre os dois tinha sido tenso, Kihyun sabia que Mark havia escutado a conversa...

O problema era... o que o guarda ia fazer agora?

Estava com a ameaça que se tentassem alguma fuga, Kihyun não ia pegar leve com ele. E se quisessem descontar em Gahyeon também?

O que ele devia fazer?

.

Era a primeira vez que Dongju sentia aquela sensação logo de manhã, não estava entendendo nada.

Ainda tentando voltar a dormir, algo gostoso subia por suas costas, como se quisesse brincar com ele um pouco. Era de manhã, ele sentia o sol fraco em seu rosto e o som dos pássaros – reconhecia desde a primeira noite que havia dormido naquele lugar – indicando um novo dia.

Se abrisse a boca, sentia que o som que ia sair ia ser um pouco diferente do que era acostumado. Estava com o corpo para baixo enquanto abraçava aquele travesseiro e quanto mais ficava, mas aqueles toques iam subindo.

Abriu os olhos ainda sonolento e sentiu alguém o beija em sua cabeça enquanto ficava por cima dele.

– Bom dia – escutou a voz rouca de Geonhak. Provavelmente, havia acordado a pouco tempo – Dormiu bem?

– O que você está fazendo? – pergunta fraco – Quer que eu o chute da cama?

– Pensava que ia te fazer acordar de bom humor – fica mais perto e abraça sua cintura, beijando suas costas – Eu, por sinal, já acordei...

– Idiota, não deixo mais você dormir comigo... – boceja, virando o corpo e ficando de frente ao rapaz – Mas... bom dia.

O sorriso que Geonhak deu acabou fazendo o mais novo sentir seu coração acelerar um pouco mais. A sensação boa que sentiu logo de manhã tinha sido por causa da trilha de beijos que Geonhak quis fazer em suas costas enquanto dormia. Na noite passada, depois que todos tinham ido dormir, o príncipe havia aparecido em seu quarto perguntando se podia passar a noite ali.

Depois de tanto dizer não, Geonhak o convenceu a dizer o contrário.

Em consequência, os dois passaram a noite juntos.

– Você está bem? Machuquei você? – ele fala, descendo e ficando abraçado ao corpo do mais novo.

– Eu não sou fraco ok? Estou bem – responde, mexendo um pouco no cabelo do príncipe.

Geonhak estava tão manhoso que uma parte de Dongju, realmente, queria jogar ele para fora da cama.

A outra... bem, queria passar mais alguns minutos antes de jogá-lo de verdade.

O mais velho acabou se levantando e olhando alguns segundos para o rapaz, antes de descer e o beijar de verdade naquela manhã. Dongju tinha que se acostumar com aquele afeto todo que recebia... mas não era tão ruim como imaginava.

Sentiu seu corpo ser puxado para mais perto enquanto Geonhak o fazia abrir as pernas para ficar mas próximo de seu quadril. Aquela aproximação fez o corpo de Dongju formigar enquanto apenas deixava o outro explorar ainda mais o pescoço dele. Todos achavam que Geonhak era apenas o palhaço e brincalhão do grupo, mas quando estavam sós...

Ele era bem intenso.

Dongju ficava incapacitado e perdia sua força toda vez que Geonhak o tocava daquele jeito.

– Eu não me incomodo em repetir a noite – sorri provocante – O que acha? Será que...

– Se estiver nu, não é problema meu! – escutam alguém bater a porta – Estou entrando!

A porta foi quase quebrada com a força do chute por Changbin, que entrou e tratou de fechar logo de imediatamente. Dongju foi o primeiro e se esconder embaixo dos cobertores enquanto Geonhak estava sem entender nada.

– Mas que merda é essa Changbin?! – o mais novo protestou, mesmo escondido.

– Opa, acho que cheguei em uma hora errada – sorri nervoso, enquanto bloqueava a porta – Desculpa estragar a foda matinal dos dois, mas é questão de vida ou morte aqui!

– Do que você está falan...

– Assassino!

Geonhak quase cai para trás assim que parte de uma espada atravessa a porta e passa perto do ladrão. Changbin acaba se afastando dela e indo até os dois na cama, jogando-se entre os cobertores.

– Opa! Oi Dongju! Lindo corpo por sinal... você malha?

– Desgraçado!

Além de Dongju ter pronunciado, escutaram mais alguém. Segundos depois, a posta e cortada em diversos pedaços revelando o dono da espada...

Ou as donas.

– Onde ele está?! – Minji fala furiosa.

– Eu vou matar ele! – Yoohyeon entra – Isso é por ter tentado nós matar!

Dongju acabou empurrando Changbin para fora da cama e assim que as caçadoras o viram, correram para cima dele. Deve que desviar de diversas espadas para conseguir escapar com vida.

– Volte aqui! – Minji tinha fúria nos olhos.

Changbin acabou saindo do quarto sendo perseguido pelas duas caçadoras. Segundos depois, Minho aparece na porta, parecendo cansado e ofegando muito.

– Vocês, por acaso, viram o Changbin por aqui?

– Ele acabou de sair – Geonhak fala – Deixa eu adivinhar, elas acordaram e querem matar ele?

– Tenho que impedir isso – respira fundo e antes de ir atrás dos três, olha para os dois – Eu não sabia que vocês...

– Será que tem como ir embora?! – Dongju vocifera.

Minho acaba indicando que ia embora, deixando apenas os dois. Geonhak, vendo que estavam sozinhos novamente – quer dizer, quase, a porta ainda estava destruída – tirou o cobertor de Dongju e beijou sua testa.

– Não precisa se esconder mais.

– Idiota.

E finalmente, chuta o rapaz para fora da cama.

.

Minho passou um bom tempo tentando explicar para as caçadoras – finalmente acordadas – que Changbin era aliado. Isso com Yoohyeon apontada para a garganta de Changbin...

Bora acabou entrando no meio e ajudando as irmãs, que estavam perdidas. Depois de soltarem o ladrão, o Seo foi correndo para se proteger atrás de Felix, que havia entrado na sala em uma hora ideal. Até ele estava confuso com tudo, só tinha aparecido por Jeongin estava chamando todos.

Ela tinham um problema.

Todos foram se direcionando até o laboratório do feiticeiro, até mesmo Geonhak e Dongju – Minho preferiu não comentar o que tinha visto no quarto, ou os outros teriam que salvá-lo do Dongju – mas, estava faltando pessoas ali.

Chegando, não encontrou Hyunjin, Youngjo, Soobin, Yeonjun, Hyunwoo ou Minhyuk.

Será que ainda estavam dormindo?

Chegando no laboratório, nunca havia visto um tão bagunçando. Jeongin parecia não ter dormindo nada e por mais que Seungmin tentasse acalmar ele, nada adiantava.

Os menores se aproximaram de Siyeon e ficaram com ela. Pareciam assustados.

– Mamãe, o vovô está estranho... – Minjae fala, abraçando ela.

Yoobin acabou ficando no colo de Bora.

– Mamãe, eu tive outro pesadelo...

– Isso é um pesadelo! – Jeongin vocifera.

Siyeon notou que era algo sério, por isso pegou Yoobin no colo e beijou rápido Bora.

– Eu vou levar eles para outro lugar, cuide das coisas por aqui – sorri, pegando Minjae na mão – Vem meus amores, querem brincar com a mamãe?

Ela saiu tentando enganar eles um pouco. Por alguns segundos, assim que eles passaram, Minho sentiu alguma coisa diferente com a irmã...

Por que não estava com uma sensação boa?

Antes de tentar descobrir algo, um livro sai voando na sua direção. Quem o puxou foi Jisung...

– Opa, cuidado ou é acertado – fala.

– Valeu.

Jisung havia se recuperado logo de manhã e foi um dos que ajudou a salvar a vida de Changbin junto com Minho. Por sorte, o tinha por perto na hora.

E mais a vez, salvando a pele do rapaz.

 – Changbin, pode explicar de uma vez o que está acontecendo?

– O livros, os ingredientes, o diário... todos sumiram! – olha para todos – Estava trabalhando na poção e acabei dormindo um pouco. Quando acordei, tudo havia sumido.

– Como assim tudo?!

– Minhas anotações, pedras, quase tudo que criei – fala – Só sobraram livros inúteis!

– Certeza que os perdeu? – Geonhak fala – Por sinal, alguém viu meu irmão?

– Eu ia perguntar isso também – Jisung pergunta – Alguém viu o Hyunjin também?

– Eles? Eu ainda não vi os irmão Choi – Felix comenta.

– Onde está todo mundo? – Minho faz a pergunta que todos queria saber.

Jeongin ficou pensando um pouco até concluir sozinho.

– Voltaram para o reino das fadas – fala irritado – Aqueles... eu jurava que algum ser mágico tinha saído da floresta, não imaginava que tinha sido eles

Escutaram alguém entrar no laboratório e ficaram surpresos ao encontrarem Hyunwoo parado na porta.

– Alguém viu o Minhyuk? Não consigo achar ele em lugar nenhum... – notou que todos o olhava – Ahn... eu perdi algo?



Notas Finais


Olá minha realeza! Tudo bem com vocês?!

Esse capítulo começou com tensão, no meio veio um momento fofo, depois comédia, e terminou com mais tensão.

E a grande pergunta... onde está o Minhyuk?

Eu nem gosto de brincar com o coração de vocês kkkkk

Comentem o que acharam e até o próximo capítulo ♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...