História Why - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Aspen Leger, Celeste Newsome, Kriss Ambers, Maxon Calix Schreave, Shalom Singer
Tags Americasinger, Aseleção, Kieracass, Maxonschreave
Visualizações 242
Palavras 993
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí meus bendy's!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Why - Capítulo 4 - Capítulo 4


POV Autora.

A ruiva assistia a cena desesperada e se perguntava o que estava acontecendo ali. Enquanto lágrimas ameaçavam escorrer em sua face, Dafne procurava suas peças de roupas que estavam espalhadas pelo chão do quarto, com a intenção de vestir-se.

– Ames? O que faz aqui a essa hora? - perguntou Aspen colocando uma bermuda.

– O que essa vadia está fazendo aqui? - perguntou America, cerrando os punhos.

– Olha, Ames, eu...

– Você o caralho, Dafne! - gritou America andando em direção à menina - Eu vou te matar, sua filha da puta! Você estava transando com meu namorado? - gritou puxando o cabelo de Dafne.

– Ain, Ames, está me machucando. Para!

– Chega as duas - disse Aspen, separando-as - America, não começa com drama, okay?

– Drama?! Você vai ver o drama no teu rabo! Você me traiu, seu infeliz!

– Não é a primeira vez que isso acontece... - cantarolou Dafne, com um ar de superioridade .

– Ah, cala a boca, sua quenga!

– CHEGA, AMERICA! Porra, eu já disse pra parar de drama! Era só uma transa... Uma transa casual, nada demais.

– Uma o quê?! Por Deus, olhe o que você está falando! Você estava transando com ela! Me traindo!

– Tá, querida, já acabou? - perguntou Dafne, debochada, antes de receber um tapa na cara.

– Não ouse olhar na minha cara de novo, sua vaca! - gritou America, estapeando Dafne.

America, a essa altura, já chorava. Seus olhos estavam totalmente borrados, devido ao lápis e ao rímel que a ruiva passara pela manhã. Seu rosto estava inchado e suas bochechas vermelhas. A garota tentava controlar a respiração, inutilmente.

– Aspen. Está tudo acabado entre nós - disse olhando para o chão, segurando-se para não acertar a cara do menino.

– Ah, garota inocente. Nós nunca tivemos nada... Estava com você para manter minha popularidade, já que sua família é nobre. Agora eu tenho Dafne e já não preciso de você. Não é só nosso namoro que está acabado... Você já não pertence ao nosso grupo - disse rindo ironicamente. Dafne o acompanhou.

– Eu o quê? - perguntou America, um pouco mais baixo, tentando acreditar nas palavras que ouvira.

– Você não é mais popular. Adeus, America.

POV America.

Antes de sair do quarto, apenas virei minha mão em seu rosto, marcando meus dedos.

– Eu quero que você morra, seu viado! - gritei, antes de bater a porta.

Corri até o pátio. O lugar estava vazio. O céu já enegrecia. Diferentemente dos filmes americanos, não chovia, mas ventava forte.

Abri minha caixinha, um pequeno colar em forma de coração, e tirei de lá minha foto com o Aspen. Rasquei-a e joguei no lixo. Lá, vi outra foto rasgada. Parece que alguém também não teve um dia bom... Peguei a foto, mas não consegui reconhecer a criança. Algo me disse que eu deveria guardar aquela foto e assim o fiz.

Corri até a videira do pátio e sentei-me, lembrando do último acontecimento.

Uma pontada de dor atingiu meu peito. Eu havia acabado de ser traída pelo garoto que eu, de certa forma, gostava e ainda havia perdido tudo o que eu construíra durante oito anos no Internato.

Com quem eu andaria?

Com quem me sentaria no intervalo?

Com quem faria dupla nas aulas?

Aonde dormiria?

Tantas perguntas e uma resposta: Eu não tenho amigos.

Papai, sem dúvidas, ficará furioso quando descobrir. Como pude ser tão idiota?

Permiti-me chorar por mais alguns minutos. Eu certamente dormiria alí, debaixo daquela árvore, e no dia seguinte, iria à diretoria explicar o ocorrido e pedir uma transferência de quarto.

Abracei meus joelhos, sentindo frio. Ali, enterrei minha cabeça e culpei-me, internamente, por ter sido tão estúpida.

POV Maxon.

Após terminar a aula de música, todos os alunos correrram desesperadamente até os seus quartos. Eles tinham duas horas até o diretor começar a inspeção noturna. Entrei no meu quarto e encostei a porta.

– Odeio estar sozinho - reclamei para mim mesmo.

Sentei-me na escrivaninha e liguei meu notebook. A imagem de fundo logo apareceu: era a mesma foto que eu havia rasgado hoje e jogado no lixo. Senti-me culpado por ter rasgado algo tão precioso para mim em um momento de fraqueza. "Será que a foto ainda está lá?" pensei.

Decidi ir olhar. Não custava nada, não é mesmo?

Mas ao chegar ao pátio, minha atenção não se voltou ao lixo, e sim a uma garota que chorava debaixo da videira.

Aproximei-me tentando ver quem estava ali e me assustei ao perceber que era America.

– America?

A garota me olhou e arregalou os olhos. Logo tratou de esconder o rosto entre as pernas.

– America, por que está chorando?

– E-eu não estou chorando - respondeu levantando o rosto e limpando as lágrimas que desciam pela sua face.

– America, eu não sou idiota.

A menina não disse nada, apenas voltou a enterrar seu rosto nos joelhos. Se ela estivesse bem, teria feito alguma piadinha do tipo "É sim".

– America, porque choras?

– Você não se importa... - disse com uma voz tão meiga, que me deu vontade de abraçá-la.

– Sim, eu me importo, não está vendo? O que houve?

– Se importa? - pergunta fungando, olhando para mim com seus grandes olhos azuis marejados.

– Por que não está em seu quarto?

– Não quero ver Aspen.

– Por quê? - perguntei curioso

– Ele me traiu - ela fechou os olhos com força - Com a Dafne.

– Você viu os dois se beijando? - perguntei tentando não parecer atônito, mas a menina negou - Alguém te disse? - perguntei e ela negou novamente - Então não entendi...

– Eu vi, Maxon...

– Mas eu perguntei e você disse que não tinha visto...

– Eu não vi eles se beijando. Eu os vi transando.

Arregalei meus olhos, surpreso. Wow. Nunca pensei que diria isso, mas tenho dó dessa menina.

– E-eu sinto muito.

– Não, não sente - disse voltando a chorar - Acho que o karma existe mesmo. Estou tendo tudo que mereço.

– Não, claro que não! Ninguém merece uma coisa dessas!

Pensei que ela diria algo, mas não. Ela apenas me abraçou.

Menina me dá sua mão, 

Pense bem antes de agir,

Se não for agora, 

Te espero lá fora então deixe-me ir.


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...