História Why?! - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Audioslave, Nirvana, Pearl Jam
Personagens Chris Cornell, Dave Grohl, Eddie Vedder, Jeff Ament, Krist Novoselic, Kurt Cobain, Mike McCready, Personagens Originais, Stone Gossard
Visualizações 13
Palavras 1.296
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde meninas! Tudo bem???

Apesar da foto e do nome do capitulo, eu tenho que dizer que esse capitulo está POLÊMICO Kkkkkkkkk

Então tenham uma boa leitura ♥

Capítulo 20 - Cultura cigana


Fanfic / Fanfiction Why?! - Capítulo 20 - Cultura cigana

E se passaram 1 mês... 1 Mês dês de que eu e o Stone brigamos em New York, e dês de então eu e ele não nos falamos mais. Eu continuei trabalhando normalmente, continuei sendo amiga da banda e principalmente a de Jeff, mas nunca fiz mais nada para o Stone assim como o prometido.

Estavamos na Espanha e a banda faria o show por lá daqui a cinco dias. Até lá, era muito ensaios e muito trabalho, mas com a diferença que tinha tempo para os meninos passearem tambem.

Eu estava passeando pelas ruas de Madrid com Jeff naquele dia, e estava uma noite linda e iluminada, cheio de gente na rua e com vários artistas mostrando suas artes para o público. Eu e Jeff andávamos tranquilamente enquanto conversávamos.

-A noite está bem agradável hoje – Disse Jeff olhando em volta – Até que aqui em Madrid não é tão ruim quanto pensei.

-Eu falei pra você não acreditar nas palavras do Ben!

-È, eu devia ter acreditado em você. Madrid é uma cidade muito legal.

-E interessante. Eu nunca pensei que teria tanta cultura assim, estou até surpresa.

-Já pensou em ter uma casa de frente a essas paisagens? Que ótimo ia ser?

-Sonho da minha vida – Respondi – Deixar a casa do meu irmão pra vim pra outro lugar melhor.

-Você não curte morar com seu irmão?

-Ah, eu gosto dele, mas ele é muito relaxado e sem noção! Lembra dele trazendo o gato pra turnê? Não tinha necessidade disso.

-Mas ele gosta de você pelo visto, dá pra perceber que ele te trata como se fosse uma filha.

-Mas ele não mostra que na maioria das vezes quem acaba sendo a mãe sou eu – Resmunguei.

-E seus pais?                                                                                                                                            

-Meus pais? Ah, eles estão bem, morando em outro lugar. Foi meu irmão que quis que eu morasse com ele assim que eu fiz 18 anos, e eu achei que ia ser bem interessante, já que meus pais são cheios de regras. Mal sabia eu que ter que receber visita dos colegas de banda dele em casa seria uma baita dor de cabeça.

-Imagino! O Krist e o Kurt costumam a ser muito porra louca pelo visto.

-O problema não é esse, o problema é a Courtney, ela é uma desgraçada e adora ficar me provocando. Nem meu irmão gosta daquela piranha.

-Mas ela é gostosa pelo menos.

-Ah Jeff! Seu safado!

Jeff deu uma risada enquanto eu dava um soco em seu ombro.

-Brincadeira – Disse entre risos – Mas Christine... Sobre esse negócio de discussão, provocação... Você e o Stone ainda estão brigados?

-Ah, não me fala mais desse idiota, por favor! – Resmunguei mais uma vez sentindo uma magoa em meu peito.

-Mas o que aconteceu realmente, hein? Você nunca me falou isso e ele tambem nunca comentou.

Suspirei.

-È porque eu disse pra ele que a sua irmã não era boa coisa, e ele me jogou um monte de coisa na minha cara, sabe? Entre elas ele me disse que a Trixie era mais interessante que eu e que... Bom, não quero entrar nesse assunto, ok? Eu ainda estou magoada com ele.

-Não, tudo bem! Eu não vou falar mais nada não, mas é que nem eu falei pra você Christine, o Stone não acredita no que minha irmã realmente é, ele está apaixonado e cego, e qualquer coisa que dizer sobre ela ele vai te atacar com palavras agressivas, e você sabe que quando o Stone está muito raivoso, ele ataca sem pensar duas vezes no que vai falar, e só vai se arrepender mais tarde, quando já fez a merda. Isso é dele Chris, não tem como mudar. No dia em que eu falei a mesma coisa da Trixie, ele tambem me magoou, mas pra mim fiquei tranquilo depois porque eu sinto amizade por ele... O que é bom.

-Se sentisse algo mais alem do que isso, eu iria ficar preocupada.

-Realmente.

E demos risada mais uma vez quando algo me chamou a atenção. Uma música espanhola cigana tocava no meio da rua e em volta haviam várias pessoas para assistir. Me aproximei curiosa para ver o que estava acontecendo, e meus olhos brilharam quando eu vi uma cigana dos cabelos longos dançando lindamente na roda. Sua saia cumprida, vermelha, com um corpete preto e uma blusinha branca por baixo, com um lenço vermelho na cabeça girando sua mão pelos cantos, toda cheia de colar e pulseiras. Ela vinha de encontro com um cigano encantador vestido com uma camisa de manga cumprida e calça preta com um lenço na cabeça igual à da cigana. Os dois, dançando juntos, olhando um no olho do outro, como dois apaixonados. Um sorriso se estampou no meu rosto imediatamente. Eu me encantava muito pela cultura cigana, e a dança me trazia paz.

Jeff se aproximou de mim e sorriu olhando a dança meio curioso.

-Dança cigana? – Perguntou.

-Sim.

-Eu não sabia que homem dançava tambem.

-Eles dançam tambem. Todo mundo dança, pra cigano não tem exceções.

Eu olhei para o brinco do cigano e ele tinha duas argolas de ouro que balançavam enquanto ele dançava.

-Está vendo o brinco do cigano? – Disse para Jeff enquanto eu apontava para ele.

-Sim, estou vendo.

-Então, ele é casado e tem um filho. E com certeza casado com essa cigana que ele está dançando.

-Como sabe?

-Nas festas ou nas apresentações, se o cigano ou a cigana está com um lenço na cabeça, é sinal que estão casados, ou seja, se você estiver numa festa cigana e ver alguem com o lenço, você está proibido de chegar perto, a não ser que você seja conjugue, e se o cigano for casado e não tiver um lenço na cabeça, então você tem que olhar para o brinco dele. Se ele tiver um, é porque ele é casado, se ele tiver dois, é porque ele é casado e tem um filho, e se tiver três, é casado, e tem dois filhos, e assim vai.

-Puxa vida! Essa eu não sabia! A onde é que você aprendeu isso?

-Andando com amigos ciganos. Eu gosto de saber da cultura deles.

E olhamos mais uma vez o casal dançando, sem desgrudar seus olhos um do outro, porem, sem encostar um dedo. Jeff fez mais uma cara de curiosidade.

-Eles não se encostam...

-Não podem! Os ciganos não aceitam vulgaridade.

-Mas os dois são casados!

-Mesmo assim. Dança casal na dança cigana não encosta um no outro, mesmo que sejam casados.

-Uau! Estou gostando dessa sua aula de cultura cigana! Tem mais coisa que eu preciso saber?

-Se quiser eu digo tudo! Mas já avisando que é muita coisa, pois ciganos possuem muitos significados.

-Sabe ler cartas tambem?

-Ai já está pedindo demais, não é?

-Brincadeira – Jeff esfregou sua mão na minha nuca.

Dei uma risadinha e voltei a olhar pro casal, quando vi algo que me fez arregalar meus olhos. Vi uma moça loira do outro lado da rua abraçada com um outro rapaz, e depois de uma boa observação, eu cheguei na conclusão de que era Trixie, mas o rapaz que estava com ela não era o Stone. Ela estava mais pro fundo, não em volta da roda, mas a brecha que davam no outro lado dava pra ver que Trixie quase engolia o cara com a boca.

Puxei a manga da camisa de Jeff imediatamente.

-Jeff...

-Sim?!

-Olha ali.

-Aonde?

-Ali... No fundo... Logo depois da roda... – Apontei.

E o sorriso de Jeff se desfez imediatamente. Ele fez uma expressão tão surpresa quanto a minha e logo senti sua ira subir à cabeça.

-Eu não acredito nisso... – Murmurou.

E minhas pernas bambearam e a minha cabeça começou a rodar. Quase cai quando Jeff teve o reflexo de me segurar.

-Christine?! Christine! – Disse ele desesperado.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...