História Why, angel? - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Anjos, Assassinato, Céu, Crimes, Gangue, Heterossexualismo, Hobi, Hoseok, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Medo, Mundo Alternativo, Namjoon, Park Jimin, Quadrilha, Rap Monster, Seokjin, Suga, Tae, Taehyung, Yoongi
Visualizações 16
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nome do capítulo: Quem é ela?

fica a dúvida KKK
gente, boa leitura :3

Capítulo 3 - Who is she?


O tamanho de sua insegurança era imensurável. O que diria para Namjoon? Como explicaria aquela cena que teve com o ruivo? Ela teria que pensar nestas respostas, ao longo da conversa, pois agora já era tarde demais.

 

— Como deseja começar a explicar, Taeya? — o garoto dizia com um semblante bravo.

— Nam, não é o que está pensando! E-Eu não gosto dele. — mentiu.

— 'Ah, jura-me? Pois realmente não é o que parece. Como você também explica a perda de suas penas?

— Eu não sei o que aconteceu, 'ok? Eu não estou apaixonada por ele, só sinto um grande carinho por ele ser o meu protegido. — mentiu novamente. — Agora, pare de tentar bancar o pai que nunca tive! Você não sabe da minha vida.

 

E então, Namjoon avançou e segurou os braços da garota alta com certa brutalidade, sussurrando em seu ouvido as seguintes palavras:

Se eu ver isto acontecer novamente, Taeya... Nós teremos uma conversa bem ruim sobre o que pode lhe acontecer. Eu sei mais do que você imagina. — E saiu daquele descampado onde se encontravam, deixando a menina confusa com aquelas palavras. O que tanto, ele sabia?

Namjoon sabe de muita coisa que os outros anjos não sabem. Talvez seu protegido também soubesse de mais coisas que o recomendado, e isso o afetava. Porém, por agora, apenas gostaria de se concentrar naquela melodia de um piano bem afinado que invadia drasticamente sua cabeça. Ela surgia do nada, quando estava estressado. Era como se, a pessoa que tocasse aquilo, sempre soubesse os momentos em que Namjoon precisava de calma acima de tudo.

Entretanto, havia uma coisa que o incomodava nisso tudo. Nunca conseguia ver quem tocava o maldito piano. Sentia que conhecia a pessoa, mais do que o normal.

Mas então, se realmente conhecia, por qual motivo não conseguia saber quem era?

 

. . .

 

Yoongi desafinou bruscamente as notas do piano, saindo do banco que se sentava com agressividade, ao ouvir Hoseok contando o motivo de ele tocar tão seriamente, em alguns momentos tão aleatórios.

— Se tem uma coisa, em toda essa trama, que realmente não interessa a vocês é a minha vida pessoal. O motivo de eu fazer certas coisas "em momentos inconvenientes" como vocês dizem, não é da conta de ninguém aqui além da minha. Eu sinceramente fico cansado de ter que engolir as coisas que vocês dizem. Os inconvenientes da situação, não são nada e ninguém além de vocês dois. E você Hoseok... — o garoto apenas estralou a língua, repetidamente — Pensei que pudesse confiar mais em você. Pensei que realmente fosse meu amigo. Se estão realmente tão incomodados com o que eu faço ou com o que eu deixo de fazer, façam algo de útil para tentar encontrar o Jin. Eu estou tentando me concentrar e fazer as coisas corretamente, sendo que vocês acham mais interessante dar pitaco na minha vida. Acordem, garotinhos.

 

Os quatro garotos ficaram completamente estáticos na sala, vendo o garoto andar de mãos para trás até o quarto. O garoto pálido balbuciava as palavras com um tom sério, irônico e calmo ao mesmo tempo; coisa que apenas o mesmo sabia fazer. Por que Suga havia ficado tão incomodado com aquilo? O que eles fizeram, atrapalhando ele a tocar aquele piano? Ele percebeu o que havia dito?

 

— Não chore, ruivinho. Yoon disse aquilo da boca pra fora, acontece, às vezes. — Taehyung dizia com um tom sereno na voz. O garoto tinha uma paciência imensa, e sabia lidar com qualquer tipo de situação. Sabia matar uma família toda, sem ter o mínimo de compaixão, e também sabia confortar um amigo chorando em seu colo, pelo motivo mais bobo que fosse. Taehyung sempre compreendeu tudo e todos os lados da história, nunca julgou ninguém e sempre manteve a paz quando tudo parecia desmoronar. Era como um anjo para eles.

— M-Mas e se ele realmente disse aquilo pois já segurava por muito tempo? E-Ele confiava em mim e eu estraguei tudo Tae! — A cada palavra - interrompida por um soluço - seu choro e desespero aumentava cada vez mais.

— Você não estragou nada, Junguinho. Quem realmente acabou com a paciência nada duradoura de Min Yoongi, foram os dois cafajestes que eu apelido carinhosamente de...boyfriends.

A mudança repentina de língua de Taehyung, fez Hoseok soltar uma risada, que por instinto, colocou um dos lencinhos na frente do rosto para não perceberem que estava sorrindo novamente.

— Aconselho você a ir falar com ele ruivinho. Quem sabe vocês podem se entender, e tentar um leve pedido de desculpas. — disse fazendo Hoseok se sentar pensativo ao seu lado.

— É, talvez seja bom. Mas eu continuo tendo medo... Não que isso seja uma novidade. — o garoto bufou cansado.

— Ter medo não é ruim, sabe? — falou se levantando, finalmente.— O medo, ruivinho, é a porta para a coragem. Eu sei bem o frio na barriga que está sentindo, e acredite, isso não passará numa tentativa de executar o número dois.

— Aish, eu sei disso. Faça um favor para mim? — o platinado assentiu em resposta.— Deixe aqueles dois pandemônios sem andar, pelo menos por amanhã. Será o suficiente para mim me sentir vingado.

— Essa é minha especialidade! Pegue os seus tampões de ouvido.

 

Após os dois garotos darem risada pela conversa um tanto quanto estranha, Taehyung seguiu para seu quarto, e Hoseok pra o corredor de seu quarto e do de Yoongi.

Estava completamente confuso. Sinceramente, o que falaria para ele? Tinha medo de Min o achar ingênuo por estar indo até lá só para pedir desculpas sobre o acontecimento de mais cedo. Poderia facilmente cavar um buraco no chão, com a velocidade de que ia e voltava. E então, quando desistiu da ideia de bater na porta do quarto do garoto pálido, ela acabou se abrindo. E Hoseok não esperava ver o outro com um semblante tão calmo, já que o mesmo estava suando de nervosismo.

 

— O barulho do pequeno salto do seu sapato de grife, faz mais barulho do que você imagina. — falou recostado na porta, agora totalmente aberta.

— D-Desculpe.

— Não tem problema, são só barulhos.

— Não por isso. Por mais cedo... Você realmente pode confiar em mim, eu juro que não falei nada demais. E-Eu só disse que você tocava quando sentia que algo estava te incomodando e... — foi cortado pela sua falta de ar. Estava tão preocupado em se explicar que não percebeu a falta de ar em seus pulmões ao balbuciar todas aquelas rápidas palavras.

— Jung, está tudo bem. Eu confio em você, 'ok? Foi só um momento de raiva... Apenas havia alguém que não estava me ajudando a controlar aquilo no momento. — Hoseok franziu o cenho, confuso.

— Alguém? Como assim? Alguém quem?

— Alguém que cuida de mim. Porém, naquele momento, eu estava cuidando dele. — falava desinteressado.

— S-Suga, eu realmente não entendo.

— Você não entenderia o que eu digo. E sinceramente, não precisa. — sorriu docemente.

— Yoon... Eu queria te abraçar... — disse meio chateado, chutando o chão com seus braços para trás do corpo.

Yoongi apenas soltou um riso abafado.

— Vá dormir Jung, tem uma pessoa que lhe espera.

— Quem? — ficou confuso, pela milésima vez naquela conversa.

— Apenas vá dormir, ruivo. Até amanhã. — sorriu uma última vez, antes de fechar a porta de seu quarto, fazendo Hoseok obedecer o mesmo de qualquer forma.

 

. . .

 

Qual é ruivinha, volta aqui!

— A culpa não é minha que você não tem asas, ruivinho.

— Desça aqui! Preciso falar com você. — falou ofegante.

— Algo aconteceu?

— Não, mas eu preciso saber de algumas coisas.

— Bom, eu verei no que posso te ajudar. O que foi?

— Você é um anjo?

— É, eu sou. Eu sou o seu anjo, ruivo.

— E-Eu te amo?

— H-Hoseok, eu não posso te responder isso.

— Qual é o seu nome?

— Eu... só posso dizer isso para outro anjo, ou para uma pessoa que eu amo ruivinho.

— Então mude a pergunta! Você me ama?

O mundo ao lado dos dois parecia frenético. Por mais que tudo naquele sonho se encontrasse parado, era como se ao mesmo tempo, as coisas girassem de forma extremamente rápida.

E então, o anjo simplesmente pensou se valia realmente a pena continuar escondendo que o amava daquela maneira. E de acordo com seus pensamentos... Não valia.

— Isso vai doer ruivinho... Pelo menos em mim, vai.

E ela segurou o rosto de Hoseok com suas duas pequenas mãos, mentalizando seu nome e o quanto o amava. Seus gritos eram escandalosos, tentando esvair toda a dor que sentia com suas penas caindo drasticamente ao chão, junto a ela, em poucos segundos.

 

— E então Hoseok... Se lembra de algo desta vez? — Yoongi encontrava-se sentado ao lado de sua cama, sem encostar qualquer parte do corpo em Hoseok. Por mais que o garoto ruivo também estivesse confuso com a presença do loiro no local, havia uma pergunta que parecia muito mais interessante no momento.

Quem é Taeya?

 

 

 


Notas Finais


vish
oie gente, espero que vocês tenham gostado <3
me perdoem por qualquer erro viu? bjs amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...