História Why G!P - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, Demi Lovato, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ariana Grande, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Norminah
Visualizações 237
Palavras 2.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hallo anjos

Estão prontos?

Boa leitura!

Capítulo 30 - Capítulo 29


POV Lauren

LAUREN? - Escutei a voz de Taylor fora do quarto - Por que tem tinta no corredor?

- Droga de piralhas chatas - Camila murmurou contra minha boca

- Fica quieta - Eu murmurei afastando meu rosto um pouco do dela - Camz e eu já vamos limpar, aconteceu um acidente lá em cima - Eu disse um pouco alto pra que minha irmã mais nova pudesse escutar

- Como ela viu a tinta? - Camila perguntou - Só tem umas gotas no corredor

- Todos da família Jauregui são muito observadores - Eu disse dando de ombros

- Sofi está ferrada - Ela disse sorrindo

- Vamos parar de falar e retomar de onde estávamos antes que mais alguém resolva aparecer pra reclamar da tinta no corredor - Eu disse e ela assentiu

Esperei que ela fosse me beijar porém senti suas mãos em minhas coxas me puxando pra cima.

- Ficar na ponta dos pés não vai ser confortável - Ela disse e eu assenti a ajudando, entrelacei minhas pernas em sua cintura

Ela andou até a cama e se sentou me fazendo ficar em seu colo.

- Bem melhor - Ela disse e não me deu tempo nem ao menos de concordar pois logo seus lábios estavam nos meus

Minhas mãos embrenharam em seu cabelo ainda úmido por causa do banho recente enquanto ela aprofundava ainda mais o beijo. Mas repentinamente cortou o mesmo

- Ninguém vai entrar aqui? - Ela disse se afastando

- Ninguém entra sem bater na porta - Eu disse ofegante - Agora cala a boca - Eu disse e juntei nossos lábios novamente

Esse beijo era diferente dos outros que tínhamos dado antes, como se fosse uma mistura dos dois com algo a mais.

Puxei o cabelo dela a fazendo arfar e apertar minhas coxas onde suas mãos ainda permaneciam.

Quando o ar fez falta ela desceu os beijos para o meu pescoço, arfei com o contato dos seus lábios nessa área sensível pra mim, apertei ainda mais meus dedos em seu cabelo sentindo meu corpo arrepiar.

- Se você deixar alguma marca eu te mato - Eu disse e suspirei

Ela voltou a me beijar, dessa vez com mais "agressividade", ela me puxou me fazendo colar ainda mais no seu corpo, arfei por sentir uma protuberância embaixo de mim. Por instinto mexi meu quadril fazendo pressão pra baixo.

Camila separou o beijo abruptamente, segurou minha cintura como se quisesse interromper qualquer movimento meu e me fez ficar confusa com sua expressão assustada.

- O que foi? - Perguntei

- Nós estávamos... Então você... Eu não... - Ela começou a falar desesperadamente nunca concluindo a frase

- Se acalma, por que está tão desesperada? - Eu perguntei com calma

- Você estava rebolando em cima de... - Ela começou a dizer mais então corou - Você já entendeu

- Você começa ficar excitada com dois beijos a culpa não é minha - Eu disse dando de ombros e ela me olhou confusa

- Eu não estou excitada, ficaria com certeza se você continuasse mas agora não estou - Ela disse e eu me afastei olhando pra protuberância que aparecia na calça

- Nem um pouco? Tem certeza? - Perguntei

- Ah, é que a cueca é um pouco pequena pra mim e calça de moletom não ajuda muito a esconder - Ela disse ainda corada

- Entendi - Eu disse com o cenho franzido - Mas então por que ficou daquele jeito?

- Porque... Sabe se você continuasse eu ia ficar e teria que tomar um banho gelado por que eu não vou foder com você - Ela disse de cabeça baixa e eu levantei do seu colo

- Não sabe se controlar? - Eu perguntei debochada

- Eu nunca precisei me controlar e você é gostosa como eu poderia me controlar? - Ela perguntou

- Mas você mesma disse que não foderia comigo - Eu disse dando de ombros

- Porque você namorou com a minha ex, ao mesmo tempo que eu - Ela disse como se fosse óbvio - E você é lésbica

- O que tem haver? - Eu perguntei - E você por acaso é um homem?

- Não sou um homem, mas tenho um órgão genital masculino - Ela disse dando de ombros - E sei lá, seria estranho foder com uma pessoa que já fodeu com a minha ex namorada

- Ok então você não pode me beijar mais - Eu disse sorrindo

- O que? Por que? - Ela disse incrédula me fazendo rir

- Eu sou lésbica Camz, não posso ficar com alguém com um pênis - Eu disse irônica

- Por que a gente entrou nesse assunto mesmo? - Ela perguntou - Pra que isso né?

- Você começou dizendo que não foderia comigo - Eu disse arqueando as sobrancelhas - E só pra esclarecer a gente não ia foder

- Chega desse assunto - Ela disse se levantando e indo até a porta

- Mas eu estou falando sério Camz, você me fez refletir, você está certa eu não posso mais fazer isso - Eu disse e suspirei dramática

- Vamos limpar o corredor Lauren - Ela disse bufando e saiu do quarto

Enquanto limpávamos o corredor eu fiquei fazendo piadinhas que envolviam nossa conversa e Camila parecia estar nervosa mas não dizia nada. Quando terminamos guardamos tudo e voltamos pro meu quarto.

- Não me leve a mal Camz - Eu disse entrando no quarto, ela estava logo atrás de mim - Você é muito linda mas... - Nem tive tempo de terminar de falar pois senti meu corpo ser empurrado em direção a parede

Dessa vez ela não pediu permissão ou esperou uma concordância minha, seus lábios foram diretamente para os meus sem delicadeza, não pensei muito e apesar da surpresa correspondi quase que imediatamente.

Suas mãos também começaram a ganhar vida e como eu já disse Camila tem uma pegada forte maravilhosa. Arfei quando senti suas mãos na minha bunda unindo ainda mais nosso corpos.

Minhas mãos foram para o cabelo dela, ele parecia estar lá apenas pra isso. Eu apertava as mechas entre meus dedos enquanto nos beijavámos efusivamente.

Suas mãos foram para as minhas coxas e como fez mais cedo me puxou pra cima, eu não hesitei e logo estava com as pernas em volta do seu quadril. Mas ao invés de me levar pra cama como fez antes ela apenas nos prensou mais contra a parede.

As mãos dela voltaram pra minha bunda me sustentando em seu colo. Ela separou o beijo e desceu para o meu pescoço me dando tempo pra respirar, não que o oxigênio parecesse muito necessário.

Não consegui segurar um pequeno gemido quando ela mordeu meu ponto de pulso, ela nos pressionou novamente contra a parede me fazendo sentir diretamente a protuberância que tinha em sua calça.

Ela se afastou da parede comigo ainda em seu colo, não fazia idéia de onde ela estava me levando mas não podia me importar menos, os lábios dela em meu pescoço me fazendo arrepiar estava tão bom que sinceramente com tanto que ela continuasse poderia me levar a qualquer lugar.

Percebi que ela parou mas não tive tempo pra raciocinar já que logo senti suas mãos em minhas pernas as desentrelaçando de sua cintura e logo meu corpo colidiu com o colchão. Seu corpo logo cobriu o meu sem colocar seu peso encima de mim, antes que eu pudesse colocar minhas mãos em seu cabelo novamente senti suas mãos segurando meus pulsos os prendendo contra a cama.

Seus lábios voltaram para os meus os maltratando, forcei meus pulsos pra cima tentando me soltar mas ela é mais forte que eu. Mordi seu lábio inferior e o chupei fazendo com que ela vacilasse e afroxasse o aperto, sorri entre o beijo e me soltei.

Levei minhas mãos para a barra da camisa dela e puxei tentando tirar-la de seu corpo, entendendo o que eu queria fazer ela separou o beijo deixando que o pano desnecessário parasse de me atrapalhar. Minhas unhas agora grandes foram para suas costas enquanto seus lábios voltaram para os meus novamente.

- Oh meus deuses - Eu suspirei contra sua boca e arranhei suas costas quando senti suas mãos em minha bunda apertando com força

Eu sentia meu corpo quente com apenas esses beijos, imagina se nós... Não melhor nem imaginar, eu sinto minha calcinha molhando só de pensar.

Empurrei ela a jogando ao meu lado na cama, me levantei um pouco e pude ver sua expressão confusa. Sorri, mas logo depois prendi meu lábio inferior entre os dentes enquanto me sentava em seu quadril.

- Sei que você está acostumada a ser a ativa, mas eu também estou - Eu disse rebolando em seu colo e ela soltou um grunhido

- Eu não me responsabilizo pelos meus atos se você continuar fazendo isso - Ela disse com a voz arrastada

Eu me curvei sobre ela e a beijei novamente com vigor, rebolando cada vez mais sobre seus quadril, a sentindo cada vez maior embaixo de mim, tive que me controlar muito pra não gemer contra sua boca mas Camila não teve o mesmo êxito por mais que também tentasse segurar.

Separei o beijo sorrindo ao escuta-la gemer consideravelmente alto, deixei três selinhos em sua boca antes de me levantar.

- Onde você vai? - Ela perguntou incrédula ainda deitada e eu apenas olhei pro relógio

- 5...4...3...2...1... - Eu disse e apontei pra porta

- Angel? Sua mãe fez sanduíches, desça com a Camila pra comer - Escutei a voz do meu pai após três batidas na porta

- Já vamos descer, Papa - Eu disse um pouco alto

Camila suspirou frustrada e se sentando na cama. Resmungou algumas coisas incompreensíveis e logo olhou para sua calça.

- O que eu faço? - Ela perguntou manhosa - Eu não posso descer assim

Olhei para o mesmo lugar que ela olhava e estalei a língua tendo pensamentos nada bons pro meu psicológico, logo mordi meu lábio inferior impedindo o sorriso malicioso que estava nascendo ali.

- Você não está ajudando com suas olhadas e expressões nada discretas - Ela disse chamando minha atenção

Que culpa eu tinha se aquela protuberância estava sendo uma visão melhor que sua expressão frustrada.

- Pense em algo broxante - Eu disse dando de ombros

- Tipo? - Ela perguntou

- Sei lá, tipo alguma coisa que você não gostaria de assistir - Eu disse e fui até o outro lado da cama onde a blusa dela estava

Quando a olhei novamente ela estava com os olhos fechados concentrada. Joguei a blusa nela que abriu os olhos me olhando com o cenho franzido.

- Foi mais fácil do que eu pensei - Ela disse pegando a blusa e se levantando

- Espera - Eu disse vendo suas costas e andei até ela - Está um pouco arranhado aqui - Eu disse passando a mão por cima das marcas avermelhadas - Não está ardendo?

- Só um pouquinho - Ela disse dando de ombros e colocou a blusa

- Vamos? - Eu perguntei e ela se virou pra mim e arregalando os olhos

- Não me mata, por favor, eu sou muito nova pra morrer, eu tenho filhos pra criar, uma família pra sustentar, sou eu que coloco o pão na mesa - Ela disse se afastando lentamente e eu a olhei com o cenho franzido - Não foi por mal, Eu... Eu... Eu juro que não foi por mal

- Camila você ficou louca de vez? Que história é essa de filhos, família e pão? - Eu perguntei completamente confusa

Ela já estava encostada em uma parede encolhida, com um olhar assustado.

- Olha no espelho - Ela disse com a voz trêmula apontando pra mim

Fui até o espelho e me olhei de baixo para cima, minha roupa estava um pouco bagunçada porém nada tão alarmante, o cabelo também não estava no seu melhor mas até aí nada errado. A não ser por... Pelos deuses do Olimpo

- Karla Camila Cabello - Eu disse entre dentes

- Estrabão - Ela sussurrou se encolhendo mais ainda

- Torça muito pra que quando eu acabar minha contagem até o 10 eu estar pelo menos 1% mais calma, ou então eu vou arrancar o seus órgãos com as unhas - Eu disse com os olhos fechados

- Suas unhas estão muito grandes pra uma lésbica ativa, não acha? - Ela disse com a voz amedrontada e uma oitava acima

Contei até 20 mentalmente, 10 não me pareceu o suficiente pra não estrangular aquela idiota e desmembra-la completamente.

- Lolo me perdoa? - Ela disse e eu respirei fundo

- Você está por um fio, Cabello - Eu disse indo pro banheiro

Passei um pouco de maquiagem no local, cobrindo a marca que eu tinha certeza que daqui algumas horas estaria bem pior. Arrumei meu cabelo de forma que cobrisse o local, pois eu tinha certeza que se Taylor ou Chris verem isso eu serei motivo de chacota pelo resto do mês.

- Você sabe que foi no calor do momento e não intencional né? - Camila perguntou encostando na porta do banheiro e eu respirei fundo antes de responder

- Eu sei - Eu disse e suspirei - Tá tudo bem é só eu cobrir com maquiagem

Guardei minhas coisas e me dirigi até ela que se encolheu porém não se afastou.

- Eu não vou te matar - Eu disse e ela soltou uma lufada de ar

- Que bom, porque eu posso não ter aqueles filhos que eu disse mas eu ainda pretendo tê-los e minha morte atrapalharia tudo - Ela disse e eu sorri levemente

- Você é muito idiota - Eu disse e foi a vez dela de sorrir

- Confesse que você gosta - Ela disse com um sorriso convencido

- Fazer o que? Cada um tem seus defeitos - Eu disse e dei um selinho nela - Vamos comer Minion

- Vai me chamar assim agora? - Ela perguntou e eu assenti a virando de costas pra mim

- Agora me leve lá pra baixo, pra eu ter a minha importante refeição, por sua culpa eu já estou atrasada pra mesma - Eu disse pulando em suas costas e me segurando ali

- Mandona - Ela resmungou segurando em minhas coxas e começou a andar, me curvei um pouco e deixei um beijo em sua bochecha a fazendo sorrir e eu sorri junto


Notas Finais


Gostaram?

Kisses, bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...