1. Spirit Fanfics >
  2. Why I Love you? - Imagine Suho >
  3. Capítulo 21

História Why I Love you? - Imagine Suho - Capítulo 21


Escrita por: Kamis1103

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 21 - Capítulo 21


- Mas vamos mudar de assunto, por que você não me falou nada sobre Incheon, estou curioso para saber como estão as coisas lá com os seus irmãos – baixei minha cabeça – por acaso aconteceu alguma coisa ruim lá?

- Não, não é nada disso, é que rolou muita coisa, muitos altos e baixos, e estava tentando me lembrar das mais legais para te contar, pois não quero falar coisas ruim para você – ele ficou me olhando – o que foi?

- Para você não contar, ou é por que você chorou, ou é por que está com medo de algum sentimento – respirei fundo e fiquei olhando para baixo – você sabe que eu sei muito bem como você lida com as coisas – ele sorriu – mas me conta, eu preciso saber o que está acontecendo com a dona s/n

- Nada de mais – o encarei – só fiz algumas amizades novas, descobri que consigo me virar decentemente sozinha, ontem eu até ajudei um amigo a segurar as pontos em seu restaurante – comecei a sorrir – foi um dia muito legal, pena que fiquei muito cansada e acabei saindo logo após o jantar 

- Por que este sorriso? Eu sei que você está solteira, aconteceu algo entre vocês? – olhei para ele 

- A Dahee é muito fofoqueira... mas não precisa ficar animado, não aconteceu nada. Eu ainda estou triste por ter terminado com o Yixing – ele ficou me olhando – enfim, não tem mais nada para falar sobre mim, só coisas dos meus irmãos. O JongIn está namorando com a Gohan, e o Kyungsoo que está dando em cima de uma menina do trabalho dele.

- Seus irmãos se encontraram em Incheon. Fico feliz por eles terem conseguido superar o acontecido – concordei – mas, nada vai fugir desse Jun... Jun o que?

- Junmyeon – tentei conter o meu riso, olhei para meu celular para checar o horário – caramba, já são 18 horas, eu tenho que ir, desculpa por ter ficado tão pouco tempo aqui com você – peguei minha mochila e me levantei 

- s/n, não precisa se preocupar, você já ficou tempo suficiente. Se não fosse por você eu iria ficar sozinho aqui – eu acenei em despedida – avisa a Dahee quando chegar lá para ela me contar tudo amanhã 

- Tudo bem, senhor fofoqueiro – comecei a rir – tchau – acenei novamente e sai do quarto

(...) 

Por não ter dinheiro o suficiente para um táxi, optei em ir andando até a rodoviária, porém acabei me perdendo no meio do caminho e fui parar em uma rua desconhecida. Estava deserta e soturna, apesar de ainda ser 19 horas, o que me deixou com muito medo, mas continuei tentando sair dali o mais rápido possível.  

- Senhorita, você está perdida? – perguntou um homem ao se aproximar de mim, eu discordei – então por que está indo nessa direção se sabe que essa é uma rua sem saída e sem casas?

- O que? Claro que tem casa – olhei para a rua e vi que não tinha nada – ah, eu estava pensando em algumas coisas e acabei errando o caminho. Obrigada por avisar – virei minha costa, porém o cara me virou 

- Você não quer entrar na minha casa, para descansar a sua cabeça um pouco? – engoli seco – não adianta mentir que eu sei que você está perdida. Depois que for na minha casa, te levo para onde você quiser – ele sorriu de lado e colocou meu cabelo para trás 

- Para com isso – empurrei ele para trás – não toca em mim. Eu não estou perdida, eu sou só indo para casa – me virei e comecei a andar rápido 

- Moça – parei de andar e fiquei me tremendo 

- Por favor, para de me seguir, eu já disse que estou indo para casa – me virei – Yixing? Que bom que está aqui –o abracei, pois estava com muito medo – não me deixa sozinha 

- Vem aqui comigo – ele me colocou ao seu lado e me levou em uma direção estranha – vamos entrar aqui na minha casa – ele abriu a porta e entramos – o que aconteceu? – ele perguntou após fechar a porta 

- Eu estava indo para a rodoviária, só que acabei me perdendo e vim parar aqui. Um cara me parou e me convidou para ir na casa dele. Eu estava muito assustada – olhei para baixo 

- Está tudo bem agora – ele me abraçou – vamos entrar – ele me levou até o sofá, eu me sentei enquanto ele foi até a geladeira – quer uma bebida? – ele me mostrou uma cerveja, eu neguei 

- Você está morando aqui? – ele concordou – por que?

- É só por um tempo, meu pai brigou comigo, disse que eu deveria aprender a economizar dinheiro, pois estava gastando muito, então comprou essa casa simples e disse para eu me virar, mas a minha mãe está me mandando dinheiro para viver aqui – olhei ao redor e vi tudo arrumado – a diarista passou por aqui hoje, por isso que está tão arrumado 

- Entendi. Desculpa ter feito isso, mas estava com muito medo de alguma coisa acontecer

- Eu fiz isso porque eu ainda te amo mesmo depois do nosso término. Fiz isso também para você ver que eu mudei, pois sei que a Dahee pode ter te contado mentiras sobre mim, simplesmente porque agora eu passei a beber um pouco...

- Como você sabe que ela estava falando comigo sobre isso? – ele bebeu rápido a garrafa de cerveja – toma devagar, se não vai ficar bêbado 

- Eu estava sentado atrás dela e vi suas mensagens para você. Fiquei triste no começo, mas depois relevei, pois ela está grávida e deveria querer você ao seu lado para ajudar – ele colocou a garrafa no balcão, abriu outra e começou a tomar 

- Eu acho que já vou – me levantei do sofá, mas ele veio na minha direção 

- Fica só mais um pouco, por favor. Eu estava com saudade de você – ele se aproximou de mim mais um pouco – eu estou tão feliz que está aqui, por favor, fica mais um pouco - respirei fundo e me sentei no sofá 

- Eu vou mandar mensagem para o meu irmão – peguei meu celular e digitei uma mensagem para o meu irmão dizendo que ia dormir na casa da Dahee, enquanto isso Yixing abria a terceira garrafa de cerveja dele – há quanto tempo começou a beber?

- Desde que terminamos isso é o que não me deixa chorar pelo nosso termino – baixei minha cabeça – até agora ainda não entendi o porquê de você ter terminado comigo, foi por causa do que aconteceu na lojinha de conveniência com aquele idiota?

- “Aquele idiota”? – repeti – você não fala assim das pessoas, você mudou muito desde aquele dia, eu que me pergunto o porquê – ele passou a mão na cabeça 

- Me desculpa – ele fechou os olhos e deu uma cambaleada – eu só estou tentando não levar minha educação que aprendi dentro de casa para fora, mas parece que não estou conseguindo – ele baixou a cabeça 

- Yixing...

- Não precisa falar mais nada, eu sei o que eu fiz e te peço desculpas por isso, por favor, só não me deixa – ele me olhou e veio na minha direção cambaleando – posso lhe pedir uma coisa? Não me deixe sozinho – ele lacrimejava – por favor. Eu paro de beber e sigo tudo o que você quiser – ele se ajoelhou e ficou na minha frente - você pode me perdoar?

- Eu...


 

(...)

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...