História Why So Serious? - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Red Velvet, SHINee
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jongup, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Seulgi, Soyeon, Yeri, Youngjae, Yuqi
Tags Asilo, Bunny, Daejae, Honeymoon_jk, Jeongguk!top, Jikook, Jimin!bottom, Jokerharley, Kookmin, Minnie, Taeyoonseok
Visualizações 67
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI
Espero que gostem do capítulo

Capítulo 5 - Capítulo Cinco - Planejamento


Fanfic / Fanfiction Why So Serious? - Capítulo 5 - Capítulo Cinco - Planejamento

_autora_

A infância de Jimin não foi muito boa, o garoto foi criado embaixo de um ambiente agressivo e perturbado, fazendo com que ele adquirisse um rancor sobre aquilo. Todas as noites, antes de dormir ele ouvia sua amada mãe gritar, chorar e implorar por misericórdia ao seu pai; aquele maldito agressor.

Abraçado ao corpo de Sooyoung, viu sua mãe ser agredida, aos chutes e socos por seu pai, naquela época, ela estava grávida de Jihye. A pequena prematura, por isso a garota era daquela forma, infantil. Por pouco não morreu no parto, mas a agressão que sua mãe sofreu, deixou consequências na vida da jovem adolescente.

Na época em que Jihye nasceu, Shin Hye e Wonhae se separaram, o que foi o melhor a se fazer, para Hye. Seu marido, exatamente ciumento e possessivo, a queria a todo custo de volta; por debaixo de ameaças ele conseguiu, meses depois estava de volta a casa e "cuidando" de sua família.

Wonhae sempre dizia ser um homem religioso, mas que chegava bêbado em casa, agredia a esposa e tocava o corpo de seus filhos, até de Jimin. O garoto no qual ele dizia ter nojo por nunca ter se mostrado "homem de verdade", teve o corpo tocado pelas mãos sujas do pai, assim como ambas irmãs.

Sooyoung, por outro lado, nunca mostrou sentir nojo de seu pai, longe disso, o tratava como um deus no qual ele não era.

Jihye, o evitava sempre que podia, e gritava todas às vezes que ele se aproximava dela.

Mas todos nós temos uma distração, para fugir de todos os problemas que a vida nos trás.

Park Shin Hye, a amorosa mãe, saia todas as noites escondida de seu marido para praticar o famoso adultério. Com quem? Seu pregador, que a esperava na porta de casa em seu carro de luxo, para saciar-se do corpo de sua discípula. Todas as noites.

Park Wonhae, o monstro que era o papai de família, dirigia olhares doentios para garotas e garotos mais novos. Crianças, podemos chamar assim, tinha suas tardes trancado no banheiro da escola - que trabalhava como coordenador - masturbando-se enquanto pensava nas meninas se saia curta e meninos de calça colada. Um verdadeiro pedofilo.

Park Sooyoung, a filha perfeita, ocupava seu tempo aplicando golpes em homens de meia idade, roubava carteiras, relógios e cartões de crédito. Alem de manter relações sexuais com o pai de seu noivo.

Park Jihye, a menina indefesa, tinha seus desejos apurados, ela gostava de exibir-se em frente as câmeras. E, em um site pornô, ela gravava vídeos com perucas e roupas bastante sexuais para mulheres de vinte a trinta anos. 

Park Jimin, o filho renegado, ele deveria ter algo doentio em sua mente, mas ele achava que não; não queria herdar esse mal de sua família. Mal sabia o garoto, que sua mente era 'bagunçada' só faltava alguém para dominar ela.

A Família Park tem tudo para ser a mais doentia, só que somente uma ganhava dela, Os Jeon's.

Jeon Nomin, um clássico agressor e gangster. Era reconhecido como rei dos criminosos. Assassinou a mulher a sangue frio e sua filha mais nova, rasgou o rosto do filho e o jogou fora, como lixo. Um tempo depois, foi encontrado morto, com o pescoço amarrado a uma corda grossa pendurada na frente de sua casa. Seu rosto estava cortado, formando um sorriso em sua boca. Mesmo morto, Nomin não deixaria de rir da cara de qualquer um, talvez estivesse rindo do diabo nesse momento.

Jeon Somin, tinha seu rei, mas nunca chegou a ser rainha. Não, esse cargo pertenceu as amantes de seu marido, no qual Somin torturou até a morte, uma por uma. Embora parecesse completamente sã e normal, Somin chegou a ser pior que o marido. Ela ajudou na morte da filha mais nova, porque simplesmente preferia seu menino, matou sua irmã grávida, pois o filho era de seu marido. Ninguém tomava o que era dela por direito, foi assim que ela foi morta. Discutiu com o marido por conta de uma mulher qualquer, e foi assassinada brutalmente em frente ao seu filho.

Jeon Soyeon, a prima querida. Soyeon era de uma gangue de Seoul, mas foi expulsa após 'deflorar a filha do chefe. Soyeon era ambiciosa demais, o que causou problemas para muitas pessoas. Principalmente seu priminho.

Jeon Jeongguk, o melhor de todos, o querido Bunny. Ele sofria de 'transtorno de personalidade antissocial', a doença de fez presente logo após a morte de sua irmã. Não temos muito o que dizer sobre ele, considerando o fato de ser um assassino cruel. Com o tempo, ele se tornará mais que isso.

◇♡◇♡

Os dedos se mexiam com agilidade sobre o teclado do computador, invadindo todos os sistemas de segurança do maldito Asilo. Hoseok, já estava começando a ficar sem paciência, só precisam descobrir uma coisa para finalmente colocarem o plano em ação.

- Já Yoonie? - Hope perguntou, já cansado de olhar para o namorado enquanto mordia os dedos. Estavam na frente daquele computador a horas, e até agora não tinham conseguido invadir o sistema de câmeras do Asilo. - Eu estou nervoso.

- Calma, anjo. - Yoongi falou, enquanto usou uma das mãos para acariciar a cintura de seu parceiro. Clicava com certa agilidade nas teclas e mouse, até que várias janelas se abriram, uma ao lado da outra. - ISSO PORRA! - Gritou, assustando Hoseok, que se tranquilizou quando viu a imagem da recepção da clínica refletir em uma das janelas, logo vários locais do hospital apareceram nas outras seis. - Só tenho que achar as câmeras da ala dele agora. Vai ser mamão com açúcar.

- Espero que dê certo, Yoonie. - Yoongi suspirou e afastou a cadeira do computador, puxando o corpo de seu namorado para sentar em seu colo, com uma perna de cada lado.

- Vai dar certo. Só preciso achar o Jeon e pronto! - Sorriu deixando um selar nos lábios de Hoseok. - Afinal, eu quero mesmo terminar isso logo, precisamos de um tempo sozinho. Claro, com o Tae incluído. - Ambos riram alto. Aquele relacionamento era engraçado. Taehyung, Yoongi e Hoseok namoravam a dois anos, e sempre estavam juntos. Mas desde que Jeongguk foi preso, eles não tinham tempo para se 'amarem', tinham que dar um jeito de ajudar o chefe deles e depois terem seu momento íntimo.

- Eu ouvi meu nome? - Taehyung adentrou a sala de Yoongi, se sentando sobre a mesa do computador. - Vejo que conseguiu, amorzinho. Muito bem. - Sorriu em direção aos dois namorados.

- Nunca duvidem do mestre. - Min estufou o peito, orgulhoso de si mesmo, arrancando risadas de seus companheiros. Estas que foram cessadas com o som do celular de Taehyung tocando.

- Soyeon. O que ela quer? - Perguntou, ao passo que atendeu a ligação e colocou o celular no viva voz. - Alô?

- Estamos com problemas. - Disse a morena com a voz irritada.

- De qual tipo? - Perguntou, de sobrancelhas arqueadas encarou os dois homens a sua frente.

- Do tipo loirinho e psiquiatra.

- Jimin? O menino do Jeon?

- Esse mesmo...odeio esse garoto, chato da porra. - Sussurrou a última parte.

- O que ele fez?

- O moleque estapeou a cara da irmã! E chamou o Jeon de "Meu Jeongguk". Olha eu não sei o que vocês estão fazendo, mas precisam se apressar, esse loirinho não pode ficar louco, não agora. Tudo depende dele! ENTENDEU?

- Entendi. - Soyeon apenas desligou a ligação sem dizer mais nada. - Ela é muito falsa com o Jimin, credo.

Mais tarde, Taehyung se arrumou da forma mais elegante possível e saiu de casa com o carro de Namjoon, sem permissão, mas ele devolveria depois. O carro se movimentava rápido pelas ruas de Busan, até chegar em frente a famosa clínica. Estacionou e saiu do veículo, passou a mão nos fios cinzas e sorriu ladino ao ver os portões de alumínio cobrindo toda a entrada do lugar, andou a passos lentos por até a entrada, observando atentamente os seguranças dali. Quatro no portão. Disse a si mesmo, sua mente guardava qualquer informação de forma perfeita. Acenou para os homens antes de ser barrado, iria protestar mas viu que somente iria ser revistado. Depois de ter o corpo 'apalpado' ele seguiu para dentro do lugar.

- Que horror - Comentou, fazendo uma cara de nojo ao se deparar com o estado precário daquele lugar. - Jeon deve estar morrendo por viver nessas condições. Cruzes. - Balançou a cabeça de forma negativa e andou até o balcão, exibindo seu melhor sorriso para o alaranjado atrás dele. Que homem. Comentou consigo mesmo. - Bom dia! - Exclamou alegremente.

- Bom dia. - Youngjae disse sem um pingo de animação, enquanto olhava para o computador. Sua cara não estava uma das melhores.

- Eu sou um visitante. - Disse, tentando ao máximo roubar a tenção do outro para si. - Kim Taehyung.

- Tem um crachá de visitas aí em cima, pendura no pescoço e faz o que quiser, pronto. - Youngjae bateu a cabeça sobre a tecla do computador, o que assustou o Kim. Mas ele somente colocou o crachá e saiu andando pelos corredores do hospital, estava atrás de Soyeon, mas avistou algo melhor, o loirinho.

- Com licença - Chamou a atenção do Park. - É que eu sou visitante, estou meio perdido e preciso ver alguém. - Sorriu docemente.

- Ah, eu posso te ajudar. Quem veio ver? - Ele era tão bonito quanto Taehyung pensava, óbvio que ouvira falar de Jimin várias vezes. Jeongguk teve sorte, aquele foi a "parte do plano" mais gostoso que o Kim teve o prazer de ver.

- Jeongguk, meu parceiro. - Sorriu de lado. Ele queria testar o loirinho, e ia conseguir fazer ele ficar com raiva. Se perguntava "parceiro" em qual sentido...

- Je-Jeongguk? Seu parceiro? - Perguntou enquanto gaguejava, certo aquilo era uma surpresa.

- Sim, sim.

- Bem, me acompanhe. - Tae assentiu e seguiu o Park. Entraram no elevador em silêncio e continuaram assim até chegar na ala F. Ele não estava ali para ver Jeongguk, mas não perderia a chance. Caminhou ao lado de Jimin, e pôde perceber que vez ou outra o garoto o encarava o que fez o Kim querer rir muito. Quando finalmente chegaram ao quarto de Jeon, Jimin olhou sério para o acinzentado. - É este aqui. Você tem permissão para falar com ele pela janela da porta, mas não pode entrar. Darei privacidade aos dois. - Fez uma reverência e saiu dali, indo ficar ao lado do elevador.

Taehyung abriu a janelinha da porta e olhou para o homem deitado na cama. - Oi, gostoso. - Jeon sorriu ainda sem encarar quem estava ali. Ah, Ele estava esperando aquela visita.

- Olá, TaeTae. - Se sentou e encarou o rosto bonito do Kim. - Eu estava a sua espera.

- Sei disso, mas eu não tenho muito tempo, vou resumir. Namjoon e Seokjin fizeram um acordo com Yongguk, temos as armas. Soyeon e Joohyun conseguiram invadir a casa do MinHo e pegaram a querida Yuqi, temos alguém em cativeiro. Yoongi invadiu o sistema de câmeras do hospital. Eu e Hoseok estamos cuidando do seu nenêzinho, Jimin. - Deu todas as informações, exatamente como Jeon mandou. As armas para ajudar em sua fuga. A filha do diretor do hospital sequestrada para o deixar fora durante um tempo. As câmeras para saberem qual rumo tomar durante a fuga. E o doce Park, para ajudar o Jeon em tudo. O loirinho era essencial.

- Meu parabéns, estão eficientes. Agora vaza e diz pro meu doutor que eu preciso falar com ele. Estou pronto para invadir a mente de Park Jimin, por completo. 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro, e não desistam de mim.

Kim Taehyung é o verdadeiro Deus de WSS, e ele ainda vai surpreender muito.

Amo vocês nenês



Ps. Indiquem a fic pros amiguinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...